Pesquisa Ibope aponta efeito limitado de circulação de mensagens por WhatsApp no 1º turno

Segundo sondagens, 73% dos eleitores negam ter recebido conteúdo crítico a qualquer presidenciável e 89% contra candidatos do Rio

RIO – A pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira mostra que a circulação de conteúdo pelo WhatsApp com ataques e críticas a candidatos teve efeito limitado na decisão de voto de primeiro turno. O instituto questionou eleitores se, fora a propaganda eleitoral gratuita, eles receberam qualquer mensagem do tipo pela plataforma na semana anterior à votação – 73% responderam que não. O sistema de troca de mensagens se tornou central no debate de propagação de marketing eleitoral e fake news durante a campanha – em especial, diante das críticas do PT e das investigações sobre um suposto esquema de disparos de ataques em prol de candidatos conservadores, revelado pela “Folha de S. Paulo”.

Segundo o Ibope, a porcentagem de eleitores que receberam ataques contra Jair Bolsonaro (PSL) no WhatsApp equivale à de votantes destinatários de críticas a Fernando Haddad (PT), 18%. Outros 3% declaram ter recebido mensagens contrárias a Ciro Gomes (PDT) e 2%, a Marina Silva (Rede). O levantamento mostrou que 1% dos entrevistados viu na plataforma conteúdo crítico a Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Eymael (DC), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo), Vera Lúcia (PSTU) e João Goulart Filho (PPL).

Na sondagem do instituto, a troca de mensagens pelo WhatsApp não se provou impactante para a formação de opinião do eleitor. Se 24% revelaram que o conteúdo ajudou na opção de voto, 75% negaram ter sido influenciados na plataforma.

(Fonte: O Globo)

Uma eleição que diverte e aterroriza em só tempo 4

Sem sombras de dúvidas a eleição de 2018 já está na história como a mais atípica de todos os tempos desde quando se vota neste país.

Coisa de maluco, meu!

O divisionismo que a gente poderia achar que só ficava restrito apenas à classe política e à sociedade, bateu às portas de famílias inteiras.

Grupos de WhatsApp de sagradas famílias viram “baixas” de membros que não suportaram intolerâncias à direita e à esquerda.

E quem dera, como se diz, que a coisa tivesse ficado restrita apenas no mundo virtual do WhatsApp… Que nada! As maluquices destas eleições foram para o mundo real ao ponto de familiares baterem a porta na cara de entes queridos e amados  – amados até antes do pleito de 2018, diga-se.

O que sobra de maluquices dos que defendem Haddad-13 ou Bolsonaro-17, sobra também de coisas hilárias de ambos os lados.

É assim na democracia.

E assim deverá continuar independente de quem ganhar para presidente no próximo dia 28 de outubro.

Até lá, espero, que ao menos as famílias e relações de amizades não sejam dizimadas por causa do “Andrade” e do “Bozo”…

Vida e luta que seguem.

PT/MA: Márcio Jardim cobra presença de Haddad na campanha do PCdoB 2

O que ocorre no Maranhão em relação à queixa de Márcio Jardim é uma orientação direta do comuna-mor Flávio Dino, candidato à reeleição, que é um notório apoiador da candidatura de Ciro Gomes (PDT).

A imagem acima é de um grupo de WhatsApp do Partido dos Trabalhadores no Maranhão e foi obtida com exclusividade pelo Blog do Robert Lobato.

A imagem revela a insatisfação de Márcio Jardim, dirigente nacional do PT e coordenador da campanha do candidato a presidente do partido Fernando Haddad, com a falta de lealdade e companheirismo do PCdoB maranhense em não colocar o nome do presidenciável petista nos programas eleitorais dos candidatos comunistas, e usa uma imagem do programa do candidato a reeleição de deputado federal Rubens Pereira Jr. que nem “tchum” para Haddad.

Na verdade, o que ocorre no Maranhão em relação à queixa de Márcio Jardim é uma orientação direta do comuna-mor Flávio Dino, candidato à reeleição, que é um notório apoiador da candidatura de Ciro Gomes (PDT) a presidente.

E para completar a insatisfação dos petista, o companheiro Odair saiu em solidariedade a Márcio Jardim afirmando que o “PCdoB é uma Fraude”.

No PT maranhense há quem goste de fraudes, infelizmente.

Que coisa!

PF deflagra operação contra golpes em políticos pelo WhatsApp 6

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (17), no Maranhão e Mato Grosso do Sul, a Operação Swindle (significa fraude em inglês), que tem como objetivo desarticular uma quadrilha que realizava clonagens de números telefônicos para aplicar golpes via aplicativo de trocas de mensagens.

Pelas primeiras informações, a Polícia Federal cumpre cinco mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, todos expedidos pela Justiça Federal em Brasília.

De acordo com a Polícia Federal, a quadrilha abria contas bancárias falsas e utilizava contas “emprestadas” por partícipes para receber valores provenientes das fraudes aplicadas em razão do desvio dos terminais telefônicos, em que os agentes criminosos se “apossavam” das contas de WhatsApp de autoridades públicas e, fazendo-se passar por estas, solicitavam transferências bancárias das pessoas constantes de suas listas de contato.

(Fonte: Blog do Jorge Aragão)

TEMPOS DE ELEIÇÃO: Alguns cuidados com as redes sociais para evitar estresse ou mesmo perder amigos

Não vale a pena bater boca pelas redes sociais, principalmente em grupos de ZapZap quando é sabido que não vai se chegar a lugar algum. Além de fazer mal ao coração e à pressão arterial, é burrice.

Não tem jeito. Eleição mexe com as emoções, ainda mais de quem trabalha com a política, possui filiação partidária, milita ou faz parte de algum grupo político.

Discutir e defender ideias e ideais é próprio da natureza humana, até porque somos um animal político como bem teorizara o mestre Aristóteles.

Contudo, é perda de tempo tentar convencer alguém que já está convencido por uma tese ou defende um interesse próprio por mais legítimo que seja. Aliás, cada um defende sua tese segundo os seus interesses, mas a palavra final quem dará são as urnas; é ela que mostrará quem estava certo ou errado nas sua tese durante a campanha.

Portanto, não vale a pena bater boca pelas redes sociais, principalmente em grupos de ZapZap quando é sabido que não vai se chegar a lugar algum. Além de fazer mal ao coração e à pressão arterial, é burrice.

A partir desse entendimento, o Blog do Robert Lobato dá algumas dicas sobre como evitar desgastes através das redes sociais, principalmente em grupos de WhatsApp, e assim, evitar estresse desnecessário e principalmente não correr o risco de perder amizades. Vejamos.

– Evite entrar de discussão quando estão tentando desqualificar o candidato que você apoia, pois de uma simples critica pode aparecer ataques mais agressivos.

– Não tente convencer quem não está aberto ao convencimento. Você só ganhará uma incômoda enxaqueca.

– Não adianta debater com quem já tem lado, posição, partido e candidato.

– Não caia em provocações de quaisquer tipos. Na falta de argumentos podem tentar te tirar do sério com piadinhas de mau gosto e coisas do tipo.

– Deixe para visitar o grupo quando já tiver muitas mensagens acumuladas, assim você não se sente na obrigação de ler todas as postagens e dessa forma acaba evitando se deparar com algo que te deixe chateado.

– Leve esportiva as gozações, pois podem ser apenas uma forma disfarçada do seu amigo admitir que você esta no rumo certo.

– Evite ataques pessoais. Podem ser o caminho mais curto para a comprometer uma amizade.

– Não dê importância para opiniões de quem não tem importância para você.

– Opte por grupos qualificados, bem administrados, onde o debate é sério e o respeitoso, de preferência que não tenha “muvuca”.

– No limite, é melhor evitar os grupos de ZapZap nestes tempos de eleição para discutir política. Preferível acompanhar os noticiários pela imprensa, blogs e aqui e acolá marcar um chopinho com um, dois no máximo três parceiros para troca de impressões sobre o processe eleitoral.

Este blogueiro, por sinal, já está se distanciando de grupos de discussões em redes sociais, ainda mais em ZapZap. Rsrsrs.

É isso aí.

ELEIÇÕES 2018: Eleitora de Flávio Dino mostra-se decepcionada por ter votado no comunista 6

Se o governo de Flávio Dino já vinha sendo questionado por conta das “mudanças” que não chegaram, com o advento da Operação Pegadores a situação deve agravar-se consideravelmente, mesmo que apareçam aquelas pesquisas tabajaras/camaradas colocando a popularidade do governo e do governador lá nas alturas

A professora da rede estadual e municipal de ensino que reside na cidade de São João dos Patos, Edilene Maria Silva Santos, fez um desabafo num grupo de WhatsApp que possui mais de 250 participantes de várias regiões do estado.

O debate dava-se em torno da Operação Pegador, deflagrada pela Polícia Federal na última quinta-feira, 16, e a certa altura a professora Edilene comentou:

Boa noite
Na eleição passada fui eleitora fervorosa do Dino, mas confesso que tá difícil manter esse foto pq o cara tá formando uma verdadeira quadrilha de saqueadores do povo.

Onde lê-se “foto”, na verdade leia-se “voto”, o corretivo do aparelho celular da professora não ajudou na hora.

Essa mudança de postura da professora Edilene Santos sobre o governador Flávio Dino (PCdoB) não é um caso pontual ou isolado, pelo contrário, é crescente o número de “ex-eleitores” do comunista pelo Maranhão afora.

Ocorre que a “cultura do medo” instalada no Maranhão faz com que muitos não tenham a mesma coragem de expor sua opinião como teve a professora de São João dos Patos.

O fato é que se o governo de Flávio Dino já vinha sendo questionado por conta das “mudanças” que efetivamente não chegaram, com o advento da Operação Pegadores a situação deve agravar-se consideravelmente, mesmo que apareçam aquelas famosas pesquisas tabajaras/camaradas colocando a popularidade do governo e do governador lá nas alturas.

É aguardar e conferir.

População poderá ter acesso ao número do celular pessoal de Flávio Dino para “perturbar” o governador 15

Embora seja um número com o DDD (061) de Brasília, o povo poderá ligar ou mandar WhatsApp para o comunistas.

Não adiantou o editor do Blog do Robert Lobato pedir aos amigos, em post publicado mais abaixo, que não mandassem áudio de um programa da Rádio Mais FM apresentado por uma trinca de trapalhões.

Pois não foi que acabei de receber um maldito áudio do famigerado programa em que os apresentadores dizem que irão divulgar amanhã o número particular do senador Roberto Rocha (PSDB) para que a população possa “perturbar” o parlamentar?

O responsável por conseguir o celular do senador tucano foi o “Gordinho”. 

A ideia do trio trapalhão inspirou o Blog do Robert Lobato fazer o mesmo com o número do celular pessoal de Flávio Dino (PCdoB) para a população “perturbar” o governador sobre o “Mais Impostos”, “Mais Empréstimos”, “Aluguel Camarada”, “Asfalto Sonrisal” etc.

Embora seja um número com o DDD (061) de Brasília, o povo poderá ligar ou mandar WhatsApp para o comunistas.

O que os leitores acham da ideia?