ELEIÇÕES 2018: Em ato de lançamento da pré-candidatura de Weverton Rocha ao Senado, Flávio Dino deve declarar apoio a Ciro Gomes 20

Essa prática do comunista é conhecida de todos: para cada situação um discurso, para cada palanque uma declaração de apoio para presidente. Vimos isso em 2014 quando apoiou de Dilma (PT) a Aécio Neves (PSDB). Às favas a fidelidade partidária e a concepção ideológica

Deputado federal Weverton Richa (PDT) fará ato político na próxima segunda-feira, 16, no Multicenter Sebrae, com a presença do pré-candidato a presidente pelo seu partido, o fanfarrão do Ciro Gomes.

O ato vai estar presente também o governador Flávio Dino, que deve declarar apoio a Ciro Gomes e banhar o presidenciável de loas, que defendeu apoio da esquerda ao pedetista.

Essa prática de Flávio Dino é conhecida de todos: para cada situação um discurso, para cada palanque uma declaração de apoio para presidente. Vimos isso em 2014 quando apoiou de Dilma (PT) a Aécio Neves (PSDB). Às favas a fidelidade partidária e a concepção ideológica.

Senado

Mas o ponto alto do evento, claro, será o lançamento da pre-candidatura de Weverton Rocha ao Senado Federal no auditório repleto de militantes espontâneos e participantes pagos para enfeitar a festança política.

Weverton Rocha faz uma das pré-campanhas mais caras dessa fase do processo eleitoral de 2018. Além de ter “adquirido” o sistema Difusora de Comunicação, o líder pedetista possui um estrutura que, se duvidar, é de fazer inveja até ao governador Flávio Dino. É dinheiro saindo pelo ladrão – sem querer fazer qualquer trocadilho.

Por terra ou pelo ar, já que Weverton Rocha rasga os céus maranhenses num potente helicóptero de propriedade do seu compadre Willer Tomaz, um ex-presidiário da Lava Jato, o pré-candidato aposta – e a palavra é essa mesmo – todos os recursos na sua eleição que mesmo com toda grana e estrutura não é dada como fácil, tanto que a sua companheira de chapa, a também deputada federal Eliziane Gama (PPS) sem um quinto da estrutura que Weverton detém, tem mil vezes mais chances de eleição do ele.

O fato é que a segunda-feira, 16, vai dar o que falar positiva e negativamente, sem dúvida alguma.

O Blog do Robert Lobato deseja sucesso ao ato político do deputado Weverton Rocha, nosso querido Maragato.

SENADO 2018: As complicações jurídicas de Weverton Rocha e o carisma de Eliziane Gama 20

O parlamentar do PDT tende a passar a campanha inteira enfrentando processos nos tribunais superiores, inclusive com pedidos de impugnação da sua candidatura. Isso é péssimo!

O deputado federal Weverton Rocha (PDT) teve negado, pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), um recurso interposto contra decisão anterior do mesmo magistrado, na qual havia determinado a remessa imediata do Inquérito 3.394, relacionado à suposta prática de peculato, corrupção passiva e corrupção ativa, às Varas Criminais Federais da Seção Judiciária do Distrito Federal/DF.

No pode parecer, ao menos momentaneamente, algo positivo para o líder pedetista do ponto de vista de jurídico, já que o processo continua perambulando pelo Distrito Federal, do ponto de vista político é muito ruim para quem está em pré-campanha para o Senado Federal.

Weverton Rocha tende a passar a campanha inteira enfrentando processos nos tribunais superiores, inclusive com pedidos de impugnação da sua candidatura. Isso é péssimo.

As acusações que pesam contra o parlamentar pedetista são graves, muito graves, gravíssimas!

Enquanto isso, a sua companheira de chapa, a também deputada federal Eliziane Gama (PPS), navega em águas calmas nesta fase de pré-campanha no que diz respeito à questões jurídicas, éticas e morais.

A irmã faz uma pré-campanha alegre, simples, sem ostentações, sustentada apenas no seu carisma e na força que possui no meio evangélico e mesmo entre setores dos movimentos sociais.

Se depender exclusivamente da força e do carisma de Eliziane Gama, e não houver conspirações “amigas”, com certeza ela entrará na campanha propriamente dita com um grau de competitividade muito grande.

E sem ter que ficar com um olho na campanha e outro nos tribunais.

Como é o caso de Weverton Rocha, o nosso querido Maragato…

OS ENROLADOS: Marcelo Miller, Willer Tomaz, Weverton Rocha e a gestão Edivaldo Holanda 28

Em Brasília, já se fala na possibilidade do ex-procurador Marcello Miller fazer uma delação premiada o que poderia colocar, mais uma vez, o advogado Willer Tomaz no olho do furação dos escândalos que assolam o país, que por sua poderia abrir o bico e contar muita coisa envolvendo dinheiro da JBS em negócios no Maranhão

Ministério Público Federal apresentou, ontem, 25, à Justiça Federal do Distrito Federal, uma denúncia contra o ex-procurador da República Marcello Miller, a advogada Esther Flesch, o empresário Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva.

No entendimento do MPF, o ex-procurador recebeu vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F (grupo do qual a JBS faz parte) a obter informações para fechar acordo de delação premiada para ajudar os negócios dos famigerados irmãos Batista, Joesley e Wesley, e, por tabela, atingir o presidente Michel Temer no que conseguiram ao preço de colocar o país numa das maiores crises dos últimos tempos.

Para o MP, Marcello Miller “serviu a dois senhores” entre fevereiro e abril, a PGR e a J&F, ao “mantendo-se no cargo de Procurador da República e valendo-se da confiança do então Procurador-Geral da República [Rodrigo Janot] e membro auxiliar do Grupo de Trabalho Lava Jato, orientou a confecção de acordo de colaboração entre o MPF e seus ‘clientes’, em razão de promessa de pagamento ofertada pelos denunciados Joesley e Francisco.”

Em outubro do ano passado, durante depoimento à CPMI da JBS, o notório advogado Willer Tomaz, que também representava as tenebrosas transações da J&F, fez acusações graves contra o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot.

De acordo com membros da CPMI, o advogado se emocionou por diversas vezes e reclamou do fato de ter ficado 76 dias preso sem ser ouvido, conforme matéria do site da Folha de São Paulo publicada na época (veja aqui).

Weverton Rocha e a administração Edivaldo Holanda

“Mas, Bob, o quem a ver o deputado federal Weverton Rocha e a administração do prefeito Edivaldo Holanda em toda trama sórdida”?, perguntaria um leitor de boa-fé.

Bom, diria que tem tudo a ver direta e/ou indiretamente.

Em Brasília, já se fala na possibilidade do ex-procurador Marcello Miller fazer uma delação premiada o que poderia colocar, mais uma vez, o advogado Willer Tomaz no olho do furação dos escândalos que assolam o país, que por sua poderia abrir o bico e contar muita coisa envolvendo dinheiro da JBS em negócios no Maranhão.

Ora, Willer Tomaz é “chegado”, aliás, mais do que “chegado”, do deputado Weverton Rocha que atualmente é o homem forte da administração Edivaldo Holanda Júnior, que não é nenhum modelo de gestão ética – este blogueiro que o diga.

Se de fato Marcello Miller vier fazer uma delação premiada poderá envolver Willer Tomaz, que poderá envolver Weverton Rocha e chegar em São Luis, bem no colo do prefeito Edivaldo, num efeito casca tipo o poema “Quadrilha”.

Só que sem magia e delicadeza do poema de Carlos Drummond de Andrade.

TRAQUINAGEM: Helicóptero usado por Weverton Rocha é de propriedade do ex-presidiário Willer Tomaz 8

É um pássaro? É um avião? Não! É o helicóptero de Willer Tomaz “pilotado” por Weverton Rocha, nosso “Maragato”.

O deputado federal e pré-candidato a senador Weverton Rocha está “rasgando” os céus maranhenses num potente e luxuoso helicóptero.

Até aí tudo bem, nada demais.

Acontece é que o equipamento voador é de propriedade do enrolado advogado Willer Tomaz de Souza, amigão de Weverton e que foi preso, em maio do ano passado, pela Polícia Federal durante a Operação Patmos, braço da Lava Jato (veja aqui).

A informação foi obtida com exclusividade pelo Blog do Robert Lobato através de uma fonte de Brasília, que enviou dados da aeronave confirmando que realmente ela pertence a Willer Tomaz, conforme print abaixo:

Weverton Rocha, o Maragato, ou “Maragatuno como costumava chamá-lo o editor do blog Marrapá, faz uma das mais ricas pré-campanhas para o Senado Federal. Talvez nem o senador Edison Lobão, que corre a mais um mandato, tenha demonstrado tanto poder de fogo financeiro como o presidente estadual do PDT.

É de bom alvitre que as autoridades judiciárias, eleitorais e policiais fiquem de olhos abertos para os céus maranhenses.

É um pássaro? É um avião? Não!

É o helicóptero de Willer Tomaz “pilotado” por Weverton Rocha, nosso “Maragato”.

SENADO 2018: Eliziane Gama, Weverton Rocha e o PT 23

Se parte dos petistas acha que a “golpista” Eliziane Gama não serve para ser candidata ao Senado apoiada pelo PT, também deveria fazer uma leitura crítica sobre o nome do pré-candidato Weverton Rocha que se for colocado numa balança ética ao lado da irmã ele perde é feio

Weverton Rocha, Eliziane Gama; E Eliziane Gama e Helena Heluy.

Ainda há uma disputa por dentro do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) pelas vagas ao Senado Federal.

Ainda que tecnicamente esteja fechada com os deputados federais Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT), politicamente persiste uma pedra no meio do caminho governista até as convenções: o PT.

O partido de Lula possui dois pré-candidatos ao Senado, os professores Márcio Jardim e Nonato Chocolate. Há um terceiro nome petista que é a presidente da CUT-MA, Adriana Oliveira, mas, segundo comenta-se, é apenas para fazer prevalecer o velho canibalismo interno.

Pois bem. Se o PT deseja mesmo ter uma vaga na majoritária na chapa de senador, por que o partido centra fogo somente na pré-candidata Eliziane Gama?

Ora, o correto seria o partido fazer uma leitura crítica da chapa Eliziane Gama/Weverton Rocha a partir do conjunto da obra e não somente colocar os olhos sobre a irmã.

Se é verdade que o maior “pecado” de Eliziane foi ter votado a favor do impeachment da presidente Dilma, criticado Lula e o PT durante a CPI da Petrobras, não é menos verdade que a parlamentar sempre se colocou contra as reformas do presidente Temer, esteve o tempo todo do lado dos direitos humanos, dos movimentos sociais e quando era deputada estadual trabalhou frequentemente algumas agendas com quadros do PT como a ex-deputada Helena Heluy e a professora Mary Ferreira, só para citar esses dois exemplos qualificadíssimos.

Ademais, não há registro de que Eliziane Gama seja envolvida em casos de corrupção ou que é ou está ameaçada de virar uma ficha suja a qualquer momento ou quiçá perder o mandato e pior: ser presa!

Já o seu colega de chapa ao Senado Federal pelo grupo de Flávio Dino é exatamente o oposto.

Weverton Rocha vive em briga com a Justiça no âmbito dos altos tribunais do país respondendo denúncias de corrupção. Tanto que não se pode garantir 100% de que o “Maragato” conseguirá levar a cabo a sua pré-candidatura de senador até fim.

O fato é que se Weverton Rocha votou contra o impeachment da Dilma, “deseja” ver Lula livre e tem uma boa relação com o PT no Congresso Nacional, é fato também que o seu partido tem candidato a presidente da República, um sujeito bipolar chamado Ciro Gomes que quando está sem tomar o seu remédio controlado parte pra cima do PT e do Lula com gosto de gás.

Nesse sentido, se parte dos petistas acha que a “golpista” Eliziane Gama não serve para ser candidata apoiada pelo PT, também deveria, repito, fazer uma leitura crítica sobre o nome do pré-candidato Weverton Rocha que se for colocado numa balança ética ao lado da irmã ele perde é feio.

No mais, nesse jogo todo fica feio mesmo é para o PT.

Que a cada dia se apequena sem conseguir mostrar uma personalidade politicamente forte que exija respeito, inclusive do governador Flávio Dino que, no fundo, é o maior carrasco do petismo no Maranhão por saber que tem o PT nas mãos. Aliás, nas mãos não, na folha.

Uma lástima!

SENADO 2018: Esperto, Weverton Rocha quer ser também o senador do Sarney 14

É difícil imaginar que o Maragato tenha algum futuro utilizando-se da “catinga” dos Sarney e assim achar que pode enganar o povo, fazendo um discurso nos grandes centros contra a “oligarquia”, e nos grotões levantando a mão de um dos principais herdeiros de Zé Sarney

Que o deputado federal Weverton Rocha (PDT) é sabido que só a moléstia todo mundo sabe. Só que o homem está indo longe demais na sua esperteza e pode acabar se dando mal.

É que leio no blog do colega Diego Emir que o nosso bravo Maragato – maldosamente chamado por um blogueiro palaciano e funcionário da Radio Difusora FM de “Maragatuno” – anda pra cima e pra baixo com o também deputado federal Sarney Filho (PV) fazendo “dobradinha” para o Senado Federal. É bem aí que reside a malandragem.

Zequinha Sarney é um homem polido, tem pedigree, muito educado e não tem a manina de sair por aí detonando adversários e muito menos agredindo familiares dos seus opositores. É um homem é fino, diga-se.

Já Weverton Rocha vem da barbárie, da vida dura, de família humilde, não tem pedigree e sempre usou um discurso duro contra os poderosos, as oligarquias, os golpistas e por aí vai.

E entre os oligarcas que Weverton mais gosta de detonar, esculhambar e escrachar é justamente o pai de Zequinha, o ex-presidente José Sarney. Sem falar nas porradas que o pedetista dá mana Roseana quase que diariamente. É um homem é bruto, diga-se.

Nesse sentido, é difícil imaginar que o Maragato tenha algum futuro utilizando-se da “catinga” dos Sarney e assim achar que pode enganar o povo, fazendo um discurso nos grandes centros contra a “oligarquia”, e nos grotões levantando a mão de um dos principais herdeiros de Zé Sarney.

Como perguntar não ofende, pergunta-se: quem teria mais vergonha dessa “dobradinha” inusitada, o fino Sarney Filho ou o bruto Werverton Rocha?

E o leitor, o que acha?

Willer Tomaz, advogado de Weverton Rocha, processa o blog 2

O causídico processou o editor-chefe do Blog do Robert Lobato por não ter gostado da forma que foi feita a cobertura da sua prisão em uma das operações subsidiárias da Lava Jato.

Amanhã, terça-feira, 10, terei um encontro com o advogado Willer Tomaz na Justiça do Distrito Federal, Brasília.

O causídico processou o editor-chefe do Blog do Robert Lobato por não ter gostado da forma como foi feita a cobertura da sua prisão em uma das operações subsidiárias da Lava Jato.

Em maio de 2017, Tomaz foi preso preventivamente a pedido do então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que, àquela altura, estava convicto quanto ao envolvimento do advogado em um esquema criminoso para atrapalhar a Operação Greenfield, que apurou a conduta de 50 grupos econômicos gerando, segundo o Ministério Público e a Polícia Federal, mais de R$ 50 bilhões em prejuízos que afetaram a vida de quase 2 milhões de funcionários públicos na ativa e de aposentados em fraudes envolvendo fundos de pensão.

Esse encontro com o advogado e amigo do deputado federal Wevrton Rocha será bom para esclarecer algumas coisas e revelar outras como, por exemplo, os milhões de reais que o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, embolsou através de acordo de repatriação de recursos investidos no exterior; as traquinagens envolvendo contratos irregulares com ONGs, inclusive no Maranhão; e ainda o uso indevido do nome deste blogueiro, pela Secretaria Municipal de Saúde, na gestão Edivaldo Holanda Júnior, para recebimento de dinheiro que nunca recebeu causando danos irreparáveis junto à Receita Federal. Ou seja, usaram meu nome para pagar sabe-se lá quem.

Três renomados advogados maranhenses se solidarizaram com este blogueiro se colocando à disposição da sua defesa, os quais o Blog do Robert Lobato agradece de público.

Enfim, não gostaria, mas sou obrigado a usar do “Princípio Weverton” de que você vale pelo mal que pode fazer.

Eu também sei ser sacana, viu Evilson?

Waldir Maranhão vira alvo de ataques de comunistas e “maragatistas” 4

Os comunistas, associados aos “maragatistas” – gente ligada ao deputado federal Weverton Rocha, o “Maragato, que até dia desse era chamado de “Maragatuno” por blogueiros que agora dizem o amar – não se conformam com a possibilidade de Waldir se tornar o segundo candidato do governador Flávio Dino ao Senado.

O deputado federal e pré-candidato a senador Waldir Maranhão passou a ser atacado sem dó nem piedade por comunistas e “maragatistas” desde que se tornou uma opção real e concreta para o Senado Federal, principalmente com a sua filiação ao PT que acontece na próxima semana.

Os comunistas, associados aos “maragatistas” – gente ligada ao deputado federal Weverton Rocha, o “Maragato”, que até dia um desse era chamado de “Maragatuno” por blogueiros que agora dizem o amar – não se conformam com a possibilidade de Waldir se tornar o segundo candidato do governador Flávio Dino (PCdoB) ao Senado. Daí, partem pra cima do ex-presidente da Câmara dos Deputados com gosto de gás, via blogs.

Ocorre que Waldir Maranhão vem se articulando muito bem tanto no planalto quanto na planície, sempre com muita humildade e serenidade, e isso tem feito com que os seus adversários entrassem em parafuso, pois sabem que uma vez candidato pelo PT e com o apoio do grupo palaciano, Waldir realmente pode chegar à Câmara Alta do Congresso Nacional.

É esse cenário que faz de Waldir Maranhão alvo da fúria de comunistas e “maragatistas”.

E ainda há os “irmãsistas”, igualmente furiosos.

Mas isso é assunto para outra postagem…

ELEIÇÕES 2018: Leonardo Sá declara apoio e voto em Weverton para Senador 6

Pré-candidato a deputado estadual, Dr. Leonardo Sá, anunciou apoio a Weverton Rocha na disputa ao Senado Weverton. Na companhia do suplente de vereador de São Luís, Eduardo Bruno (PPS), o médico de Pinheiro declarou que caminhará junto com o presidente do PDT do Maranhão na disputa majoritária deste ano.

De acordo com o próprio Leonardo Sá, o lançamento da pré-candidatura de ambos está marcado para março, e juntos vão percorrer diversas cidades maranhenses.

Atualmente Weverton é deputado federal em seu segundo mandato desde 2015, pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT). O parlamentar está filiado desde os seus 16 anos no partido, e traz no seu currículo um grande trabalho em defesa das causas sociais prestado aos brasileiros.

Weverton Rocha contra o golpe que colocou Michel Temer na presidência da República, votou contra as reformas trabalhistas e contra a reforma da previdência social, defensor da democracia e muitos outros requisitos que colocam seu nome como um dos melhores na disputa para tal cargo.

Em sua página pessoal no facebook, Leonardo Sá publicou em primeira mão sua decisão em apoiar Weverton e disse que terá total dedicação a coordenação da pré-campanha de Weverton na Baixada Maranhense: “Olá meus amigos! Venho aqui contar pra vocês em primeira mão sobre a minha decisão, decidi caminhar ao lado do Deputado Weverton rumo a vitória nas próximas eleições, ele é pré-candidato a Senador e está gabaritado para ser Senador pelo Maranhão, grande defensor das causas sociais, é um amigo, e eu farei o sua pré-candidatura ao Senado da mesma forma que farei a minha pré-candidatura à Deputado Estadual, com o mesmo empenho, a mesma garra, e o mesmo objetivo que é a vitória, no que depender de mim, da minha colaboração afirmo, Weverton será o próximo Senador pelo Maranhão”, declarou Leonardo.

ELEIÇÕES 2018: Fábio Macedo deve deixar o PDT e seguirá “para onde Zé Reinaldo for” 2

Um eventual rompimento de Fábio Macedo com Weverton Rocha é um prejuízo medonho para o “Maragato” no seu projeto de senador. Aliás, a família Macedo já teria vaga garantida na primeira suplência de senador na chapa José Reinaldo Tavares

É cada vez mais crítica a relação do deputado estadual Fábio Macedo com o deputado federal Weverton Rocha, ambos do PDT, sendo que o segundo é presidente estadual do partido.

Pelo que apurou o Blog do Robert Lobato, Fábio Macedo está fulo da vida desde o momento que foi rejeitado por Weverton na sua pretensão de disputar a presidência da Assembleia Legislativa do Maranhão.

“Não sei como o presidente do meu partido me tira do jogo como Weverton fez. Ele sabia que queria disputar a presidência da Assembleia, pois havia um acordo entre nós. Se eu tivesse em outro partido acho que não aconteceria isso. Vou deixar o PDT e adianto que meu senador é José Reinaldo e vou para o partido que ele for”, disse o deputado em frente de outros presentes.

Um eventual rompimento de Fábio Macedo com Weverton Rocha é um prejuízo medonho para o “Maragato” no seu projeto de senador. Aliás, a família Macedo já teria vaga garantida na primeira suplência de senador na chapa José Reinaldo Tavares.

O fato é que Fábio Macedo dificilmente concorrerá a um segundo mandato de deputado pelo PDT de Weverton Rocha.

É aguardar e conferir.