FRASE DO DIA

BIKE E SERVIDORES: Wellington do Curso defende nomeação de aprovados em todos os concursos no Maranhão 4

Ao abordar a situação dos servidores públicos, o deputado Wellington destacou que permanecerá na luta pela concessão do reajuste que já foi conquistado juridicamente pelos servidores.

Na primeira sessão, o deputado Wellington do Curso (PSDB) mostrou mais uma a sua irreverência.

Após chegar de bike para o trabalho na manhã desta terça-feira, 5, o deputado tucano subiu na tribuna para se pronunciar em defesa dos servidores públicos e da nomeação dos aprovados em concursos. Entre os que realizaram concursos, há os candidatos da Polícia Militar e Civil, DETRAN, EMAP, SEGEP, entre outros.

Ao abordar a situação dos servidores públicos, o deputado Wellington destacou que permanecerá na luta pela concessão do reajuste que já foi conquistado juridicamente pelos servidores.

“Um novo mandato começa e, com ele, as nossas forças são renovadas para continuarmos firmes em defenda dos servidores públicos que sofrem a tentativa de golpe do governador Flávio Dino e da retirada de 21,7 %, além dos concursados que aguardam nomeação. Na Assembleia Legislativa, continuaremos defendendo direitos e não favores. Continuaremos firmes na defesa dos idosos, pessoas com deficiência, animais, dos mais vulneráveis. O nosso gabinete permanece de portas abertas e à disposição daqueles que estudaram e se dedicaram para ingressar no serviço público. Contem comigo!”, disse o professor e deputado Wellington do Curso.

Nem Dino e nem Sarney

Outra questão que colocou Wellington do Curso na pauta política e da imprensa foi a sua decisão de não integrar nem o bloco da base do governo nem o de oposição, preferindo se manter independente.

A decisão, segundo o deputado, justifica-se pelo fato dele ter evidenciado que permanecerá atento e fiscalizando a correta aplicação do dinheiro público, tendo apenas um lado: o do povo.

“O nosso posicionamento é independente, sem amarras com Flávio Dino e, muito menos, com Sarney. Estamos em defesa do povo. Votaremos e aprovaremos projetos em defesa do povo, independentemente de ser ou não proposta da Base. Não iremos amarrar nosso mandato popular a ninguém. Muito já fizemos e iremos fazer mais.  Não sou Dinista e nem Sarneyzista. Meu compromisso não é com Flávio Dino nem com Sarney, mas com o povo do Maranhão. O nosso mandato tem dono: o povo do Maranhão. Tenho independência e coerência política, pois eu só tenho um lado e é ao lado do povo que vou continuar”, disse.

MAIS IMPOSTOS: Voto firme de Wellington do Curso e as eleições de 2020

O deputado Wellington do Curso saiu fortalecido ao votar contrário ao aumento de impostos e se consolidou como o principal oposicionista ao governo Flávio Dino no parlamento maranhense.

“Estejam vigilantes, mantenham-se firmes na fé, sejam homens de coragem, sejam fortes.”
(1 Coríntios 16:13)

Ainda repercute a sessão da Assembleia Legislativa do Maranhão que aprovou o Projeto de Lei 239/2018, de autoria do Governo do Estado, que aumenta alíquotas de impostos no estado.

Na visão do governo Flávio Dino (PCdoB) trata-se de um “Pacote Anticrise”, mas para a oposição não passa de mais um “Pacote de Maldades” comunista.

Entre os que votaram contra e a favor, além do voto solitário de Eduardo Braide (PMN) pela abstenção, há de fazer-se um reconhecimento pela posição do deputado Wellington do Curso (PSDB) que se manteve inexorável na sua condição de parlamentar oposicionista, sem ter medo ou vacilar politicamente.

Tal como o seu colega Eduardo Braide, Wellington de Curso também gravou um vídeo no plenário comentando sobre o ânimo dos seus pares em relação ao projeto governista que aprofunda a gula do Palácio dos Leões por impostos. Só que, ao contrário de Eduardo, o bravo Wellington continuou contra a proposta de aumentar impostos mesmo após a gravação do vídeo.

Ambos os parlamentares concorreram ao cargo de prefeito em 2016: Eduardo Braide ficou em segundo lugar no pleito com 45.66% dos votos, indo para o segundo turno; e Wellington do Curso saiu das urnas em terceiro lugar obtendo 19.80% dos votos válidos.

As eleições municipais de 2020 ainda estão distantes, mas as articulações já ocorrem nos bastidores e tempo passa rápido.

Não possível avaliar, com um grau de segurança razoável, se a votação do assim chamado “Pacote de Maldades” do governo terá alguma influência na campanha de prefeito daqui a dois anos, ou seja, se o eleitor levará em conta quem votou a favor, contra ou se absteve do processo na Assembleia Legislativa.

De qualquer forma, claro que o deputado Wellington do Curso saiu fortalecido ao votar contrário ao aumento de impostos e se consolidou como o principal oposicionista ao governo Flávio Dino no parlamento maranhense.

E assim deverá se posicionar até 2020.

O que não é nada mau para quem ainda acalenta o sonho de ser prefeito de capital maranhense.

É aguardar e conferir.

Wellington do Curso mantém postura de oposição ao governo Dino 4

Wellington, da tribuna da Assembleia Legislativa, durante pronunciamento em que denunciou a tentativa de Flávio Dino “dar outro calote nos professores após ser reeleito”.

Enquanto no Rio de Janeiro o juiz Sérgio Moro aceitava o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para assumir ministro da Justiça e Segurança, aqui no Maranhão o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB), em conversa com o Blog do Robert Lobato, afirmava que continua e continuará na trincheira de oposição do governo Flávio Dino (PCdoB).

“As pessoas precisam entender a dinâmica do parlamento. A formação dos blocos parlamentares é uma da peças do jogo e do embate político. Eu posso eventualmente estar num bloco com deputados governistas, mas ter minha a postura de oposição garantida e respeitada. Continuarei na trincheira oposicionista, mas sempre de forma republicana, democrática e propositiva“, assegurou o parlamentar.

De fato, o parlamento é por essência uma casa política do dissenso, daí os debates e embates que marcam o processo legislativo em qualquer lugar do mundo.

E, no caso do deputado Wellington do Curso, não há porque duvidar ou desconfiar de que ele possa dar uma guinada governista apenas por estar eventualmente num mesmo bloco com deputados da base.

Mais importante do que ser ou não de oposição é trabalhar pelo Maranhão e honrar o mandato popular que o povo maranhense ou outorgou nas urnas por mais quatro anos.

Sem falar que teremos eleições municipais em 2020 e bravo deputado Wellington do Curso sempre é um nome cotado para entrar, mais uma vez, na disputa pela prefeitura de São Luis.

Mas, isso é assunto para outra postagem.

A merecida reeleição de Wellington do Curso 3

Foram 24.950 votos conquistados com muita luta e coragem, que agora se transformam em 17.328 motivos para acreditarmos que nem todo está perdido lá para as bandas da “Casa do Povo” quando o assunto é a oposição.

O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) vai honrar por mais quatro anos o voto popular recebido dos maranhenses nas eleições de 2018.

Nada mais do que merecido, pois Wellington é dos melhores deputados que já passou pela Assembleia Legislativa do Maranhão.

Enfrentando a tudo e a todos, com todas adversidades próprias de que não nada em dinheiro, principalmente público, sem palácios para bancar milhões na sua campanha, sem dúvida alguma a reeleição de Wellington do Curso é mérito apenas seu, do trabalho empreendido desses quatro anos no parlamento estadual que foi reconhecido pelo povo maranhense.

“Tivemos uma campanha limpa, sem dinheiro de secretaria ou de Governo e Prefeitura! O nosso apoio foi de cada trabalhador, professor, militar, estudante, servidor público, concurseiro, pequeno empresário… O nosso apoio foi por parte dos maranhenses! É assim que seguiremos: de forma limpa! O nosso mandato, mais uma vez, foi conquistado com votos limpos, conscientes e honestos”, declarou.

E pelo cenário de completa dominação que se aproxima, deputado com o perfil de Wellington do Curso é certeza de que ao menos uma voz de resistência ao autoritarismo, prepotência e corrupção vai se fazer presente na Assembleia Legislativa.

Foram 24.950 votos conquistados com muita luta e coragem, que agora se transformam em 24.950 motivos para acreditarmos que nem todo está perdido lá para as bandas da “Casa do Povo” quando o assunto é a oposição.

Parabéns, Wellington!

ELEIÇÕES 2018: Wellington do Curso merece voltar à Assembleia Legislativa

É pelo conjunto da obra que representa o seu mandato, que o deputado Wellington do Curso, sem a menor sombra de dúvida, merece o voto de confiança dos eleitores para fazê-lo voltá-lo à Assembleia Legislativa a partir de fevereiro de 2019.

O Blog do Robert Lobato dá início à série “Quem merece voltar à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal”, onde será feita uma análise sobre a performance dos mandatos dos atuais deputados estaduais e federais à luz da produtividade e do perfil de cada parlamentar, bem como de alguns candidatos proporcionais que ao juízo desta pagina merece um assento no Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal, conforme o caso.

O blogueiro fará as análises alternando da seguinte forma: um dia é um estadual e no outro um federal. Após o término das análises de cada deputado, passaremos para os candidatos proporcionais sem mandato.

E para inaugurar a série apresentamos o deputado estadual Wellington do Curso-45111.

Pode-se afirmar que Wellington é parlamentar por natureza!

Talvez seja o deputado estadual que mais apresentou PEC’s, projetos, indicações, proposições, emendas, audiências públicas, enfim, tudo que é possível a um deputado fazer no âmbito do parlamento, Wellington faz uso.

Entre os principais projetos apresentados pelo parlamentar tucano, e aprovados no plenário da Assembleia Legislativa, está o Projeto de Lei 60/2017 que concede gratuidade de entrada nos estádios, ginásios esportivos e parques aquáticos do Maranhão, em todas as competições que se realizarem, às pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e seu acompanhante; Projeto “Sim, eu posso!”, encaminhado pelo deputado por meio da Indicação 777/2015, solicitando que ao governador implantasse o programa que visa combater o analfabetismo no Maranhão, o que foi feito mas sem o devido reconhecimento do Palácio dos Leões sobre de quem é a autoria do projeto; O teleagendamento como uma nova modalidade de marcação de consultas, já utilizado em unidades como o Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, entre tantos outros que não chegaram ser aprovados por perseguição política do Governo do Estado.

Isso sem falar na assiduidade e pontualidade com que Wellington se apresenta nas sessões da Assembleia Legislativa do Maranhão, e ainda o número de vezes que ocupa a tribuna para apresentar seus ideia, fazer denúncias, cobrar e fiscalizar os atos do poder executivo.

Wellington se destaca também por um parlamentar que aborda múltiplas temáticas, não se limitando a apenas um tema, embora o carro chefe do seu mandato seja a educação. Mas o deputado atua ainda na defesa dos servidores públicos civis e militares, saúde, direitos humanos, defesa do consumidor e ainda na defesa dos direitos dos animais.

É pelo conjunto da obra que representa o seu mandato, que o deputado Wellington do Curso, sem a menor sombra de dúvida, merece o voto de confiança dos eleitores para fazê-lo voltá-lo à Assembleia Legislativa com mais um mandato na sua biografia, a partir de fevereiro de 2019.

EMAP: Wellington fala em “caixa-preta”. E está correto!

A Emap é considerada uma “mãe” por tudo que pode oferecer para ajeitar aliados políticos e resolver questões práticas: uma despesa aqui, um pagamento acolá, uma tenebrosa transação mais adiante e por vai.

O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) trouxe à tona uma questão de fundamental importância envolvendo a EMAP (Empresa Maranhense de Administração Portuária).

O parlamentar tucano questionou ao governador Flávio Dino sobre o destino dos R$ 80 milhões e cobrou uma justificativa para essa transferência financeira sem qualquer motivo aparente.

“De acordo com as denúncias que recebemos, o Estado do Maranhão, jamais repassou recursos à sua estatal administradora do Porto do Itaqui. Todas as suas instalações e seus empreendimentos foram executados com recursos federais ou sob o modelo de arrendamentos privados. Como é que agora Flávio Dino vem exigir que R$80 milhões sejam repassados para o Tesouro Estadual? A população quer saber para onde foram os R$80 milhões que Flávio Dino pegou da EMAP. Respeite a população do nosso Estado, Governador! Aprenda que os recursos públicos não são seus e não podem ser alterados por sua única vontade. Respeite a lei. Respeite os maranhenses”, disse Wellington.

A Emap é considerada uma “mãe” por tudo que pode oferecer para ajeitar aliados políticos e resolver questões práticas: uma despesa aqui, um acerto acolá, uma tenebrosa transação mais adiante e por vai.

Trata-se realmente de uma verdadeira “caixa-preta” que ao longo dos tempos os gestores têm feito o que bem entendem por lá. Virou uma espécie de “Emapoduto”!

E parece que a coisa ficou mais escabrosa no atual governo comunista do senhor Flávio Dino…