Roberto Rocha assume comando do PSDB no MA (OU: Carlos Brandão cavou a própria cova) 2

O vice-governador pode até ser descartado pelos comunistas por, ao perder o PSDB, não ter mais serventia alguma ao projeto de manutenção de poder de Flávio Dino.

O vice-governador Carlos Brandão cavou a própria cova, como se diz.

Submisso aos caprichos dos comunistas do PCdoB, Brandão corre o risco de “ficar sem mel nem cabaça”, como também se diz.

Além de perder a presidência estadual do PSDB no Maranhão para o senador Roberto Rocha, Carlos Brandão pode ficar sem a vaga de vice de Flávio Dino em 2018 e sem qualquer mandato, já que é missão quase impossível, a essa altura, o governador conseguir dar um mandato, seja qual for, para o futuro “ex-tucano”, a não ser que o chefão comunista sacrifique, por exemplo, a candidatura de deputado federal do seu pupilo do coração Márcio Jerry.

O fato é que Carlos Brandão paga, desgraçadamente, um preço alto por ser tão subserviente ao governador Flávio Dino sabendo que o seu patrão não tem quaisquer compromisso como o projeto dos tucanos seja no plano estadual, pior ainda no plano nacional.

No mais, Brandão pode até ser descartado pelos comunistas por, ao perder o PSDB, não ter mais serventia alguma ao projeto de manutenção de poder de Flávio Dino.

Triste fim!

ELEIÇÕES 2018: Entenda o que está por trás do suposto interesse de Edivaldo pela vice de Flávio Dino 8

A manobra teria a ver com o desempenho do deputado federal Weverton Rocha (PDT) nas pesquisas internas para senador.

O Blog do Robert Lobato descobriu o que está por trás do repentino “interesse” de Edivaldo Holanda Junior (PDT) pelo posto de vice-governador de Flávio Dino (PCdoB) em 2018. A informação veio à tona ontem, por meio de um graduado blogueiros de paletó.

Segundo o escriba, que integra a assessoria do prefeito, aliados de Edivaldo Júnior já estariam “empolgados” com a tal possibilidade, que abriria a possibilidade do PCdoB assumir de vez a Prefeitura de São Luís com a ascensão do vice Júlio Pinheiro.

“Mas Bob, o PDT então teria duas vagas na chapa majoritária dinista ou o deputado federal Weverton Rocha estaria fora da disputa de senador?”, pode perguntar aquele leitor esperto.

Pois bem. Esta é a senha para desvendar o que estaria por trás dessa articulação subterrânea, meu atento leitor.

Segundo um audacioso “leão do palácio”, daqueles que não arredam o pé na defesa de Flávio Dino, a manobra teria a ver com o desempenho do deputado federal Weverton Rocha (PDT) nas pesquisas internas para senador.

Quem explica o próprio “leão do palácio” (com edição):

“Bob, sentindo uma dificuldade em eleger-se para o Senado Federal, já que ele teve acesso à pesquisas nada animadoras, Weverton Rocha começou a construir o plano B, de forma a demarcar espaço e afastar possíveis interessados no lugar de Carlos Brandão, já considerado fora da disputa pela vice. Se não viabilizar-se para a disputa por uma das vagas do Senado Federal, o “Maragato” quer ser vice-governador e, para isso, já mandou o prefeito guardar seu lugar, pois vai que o projeto “Weverton – senador 2018″ não dê certo, né?”, disse via WatsApp.

Em tempo: Em entrevista ontem ao famigerado programa sorvete, agora transmitido pela Mais FM, Edivaldo não negou a articulação. Enrolou, enrolou, deu “zignal”, mas manteve suspense sobre sua indicação para vice de Flávio Dino.

Para bom entendedor…