ELEIÇÕES 2018: Haroldo Saboia esculhamba Flávio Dino por ter colocado José Reinaldo na “geladeira” 6

Na presença de um conhecido ex-prefeito, ex-secretário de Estado e ex-deputado federal, e de um leitor assíduo do Blog do Robert Lobato, o ex-deputado constituinte baixou o sarrafo no comunista.

O ocorrido foi na última segunda-feira,11, nas dependência do Aeroporto Internacional de São Luís, Marechal Cunha Machado.

Na presença de um conhecido ex-prefeito, ex-secretário de Estado e ex-deputado federal, e de um leitor assíduo do Blog do Robert Lobato, o ex-deputado constituinte Haroldo Saboia baixou o sarrafo no governador Flávio Dino (PCdoB) por conta do que considera “uma tremenda sacanagem colocar o cara na geladeira, uma covardia e falta de consideração de Flávio Dino com quem o colocou na política, do responsável dele ser governador do Maranhão hoje. Coisa de ‘FDP’!”.

Haroldo se referia ao tratamento dispensado pelo comunista ao deputado federal José Reinaldo Tavares (ainda no PSB) em relação ao desejo do ex-governador ser candidato ao Senado Federal com a apoio de Flávio Dino nas eleições do ano que vem.

“Quando a história é verdadeira a pessoa aparece”, disse Haroldo aos dois interlocutores assim que viu José Reinado que também acabava de desembarcar no aeroporto. Todos riram.

De fato, até o momento o governador não deu qualquer sinal claro e efetivo de apoio ao projeto “José Reinaldo senador 2018”.

Talvez somente Zé Reinaldo ainda acredita que poderá contar a consideração do seu quase ex-pupilo

Durante entrevista, Flávio Dino sinaliza para Roberto Rocha 3

Como governador do estado e líder do grupo que venceu as eleições de 2014, Flávio Dino é o único responsável pelo esgaçamento na relação com o senador Roberto Rocha, que sempre alertou o comunista sobre os riscos de rompimento se não mudasse a forma da condução política do seu governo. Mas, pelo jeito, Flávio só tem ouvidos para uma pessoa.

“Eu lamento muito que tenha tido esse problema do senador Roberto Rocha. Eu espero que ele reflita melhor sobre a história recente do Maranhão. E quem sabe consiga retomar o caminho correto”.

Com estas palavras pode-se considerar que o governador Flávio Dino (PCdoB) deu uma sinalização para uma trégua com o senador Roberto Rocha (PSDB).

A declaração foi dada durante entrevista que o comunista concedeu à Rádio São Luís AM, na manhã desta segunda-feira (9).

Então aliados nas eleições de 2012 e 2014, Flávio e Roberto se afastaram politicamente depois de pouco mais de um ano de governo e nada pode fazer imaginar que o comunista e o tucano venham repactuar a relação, até porque esticaram demais a corda.

Os comunistas não foram corretos com o senador desde o momento da vitória de 2014. Basta ver o tratamento que lhe foi dispensado no governo, na cooptação do único secretário de Estado indicado por ele, na intromissão indevida no PSB para enfraquecê-lo e desmoralizá-lo, sem falar numa campanha sistemática de desconstrução da sua imagem promovida pela imprensa aliada ao Palácio dos Leões.

Como governador do estado e líder do grupo que venceu as eleições de 2014, Flávio Dino é o único responsável pelo esgaçamento na relação com o senador Roberto Rocha, que sempre alertou o comunista sobre os riscos de rompimento se não mudasse a forma da condução política do seu governo. Mas, pelo jeito, Flávio só tem ouvidos para uma pessoa.

Agora tenta o que pode ser considerado um pedido paz.

Só que já chega tarde demais…