ATO DE SOLIDARIEDADE: E Rosângela Curado? E Mariano de Castro? 12

O que chama atenção é que os governistas são deveras seletivos quando se trata de atos de solidariedade. Sim, porque não é possível que tão nobre sentimento servem para uns e não para outros

Depois do vexame de serem rejeitados pelo Conselho Regional de Medicina e pela Ordem dos Advogados do Brasil, os governistas operaram o Grand Hotel São Luís, que já virou quase um patrimônio do PCdoB e do governo, para promoção de um tal ato em solidariedade ao secretário Carlos Lula (Saúde), realizado na segunda-feira, 23.

O espaço estava lotado de comissionados da Secretaria comandada por Lula e os aliados políticos de sempre. Um verdadeiro ato “chapa branca”.

Mas, o que chama atenção é que os governistas são deveras seletivos quando se trata de atos de solidariedade. Sim, porque não é possível que tão nobre sentimento sirva para uns e para outros não.

Tudo bem que o Carlos Lula é o chefe de tudo lá na SES e que Flávio Dino é o chefe de Carlos Lula e de todos os presentes no ato de solidariedade, mas ficou feio promover todo aquele repertório de elogios e reconhecimentos ao secretário e não organizar sequer um café com cuscuz ideal em solidariedade à ex-adjunta de Lula, a odontóloga Rosângela Curado.

E o que falar então da falta de consideração com o finado Mariano de Castro? O médico pagou com a própria vida por tudo o que fez na saúde e nenhuma solidariedade póstuma ao servidor da SES, que era subordinado do secretário Carlos Lula. Talvez nem a família tenha recebido um telefonema de conforto por parte de Lula e muito menos de Flávio Dino.

Rosângela Curado, coitada, foi colocada no ostracismo e hoje luta para dar a volta por cima na sua vida profissional, já que a trajetória política pode ter terminado naquele fatídico dia em que foi detida pela Operação Pegadores.

Quanto ao médico Mariano de Castro, bom, resta pedir a Deus que guarde a sua alma em bom lugar e o perdoe pelos pecados cometidos neste plano.

Vida e luta que seguem.

Ao invés de sair em solidariedade a Carlos Lula, Flávio Dino deveria pedir desculpas ao secretário da Saúde 10

O senhor, governador, ao invés de sair em solidariedade ao secretário Carlos Lula deveria, sim!, é pedir desculpas ao advogado por tê-lo metido numa grande enrascada ao nomeá-lo para auxiliar um governo que foi tomado por esquemas de corrupção numa área tão sensível como é da Saúde.

A morte do médico Mariano de Castro segue assombrando o governo e governador Flávio Dino (PCdoB).

Rodeada por muito mistérios, o suposto suicídio do operador dos esquemas de corrupção no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES) atormenta o Palácio dos Leões que a cada vez que mexe no assunto mais se complica e mais fede.

Pela rede social do Facebook, Flávio Dino resolveu sair em “solideriedade” ao secretário Calos Lula. Disse o comunista:

“Minha solidariedade ao secretário Carlos Lula. Todos sabem que é um jurista sério, honrado, dedicado. Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço. Ainda estamos em abril e essa gente já está nesse desespero, agindo com crueldade, sem respeitar nenhuma lei, sem respeitar ninguém. Acho que vou ter que aumentar minhas cautelas pessoais contra essa máfia sedenta de poder e dinheiro”.

Ora, governador, me compre um bode!

Se há máfia, e realmente há!, é no seu governo e a morte do médico Mariano de Castro é produto dessa máfia! Não tente responsabilizar seus adversários políticos por lamentável tragédia.

Quem tem que aumentar cautelas pessoais contra essa máfia sedenta de poder e dinheiro” são os demais envolvidos no “esquema Dino” dentro da SES como, por exemplo, a ex-secretária-adjunta da Saúde, Rosângela Curado, que corre o risco de ser a próxima vítima dessa história escabrosa e criminosa.

O senhor, governador, ao invés de sair em solidariedade ao secretário Carlos Lula deveria, sim!, é pedir desculpas ao jovem e talentoso advogado por tê-lo metido numa grande enrascada ao nomeá-lo para auxiliar um governo que foi tomado por esquemas de corrupção numa área tão sensível como é da Saúde.

Saia daí, Carlos Lula, enquanto é tempo.

Vá cuidar da sua vida profissional de advogado.

Dá mais futuro!

IMPERATRIZ: A esperada “entrevista do fim do mundo” de Rosângela Curado

Quem estiver esperando a queda do governador Flávio Dino a partir da entrevista da ex-secretária adjunta da Saúde pode ir tirando o cavalinho da chuva, pois será uma entrevista serena como é a própria entrevistada

É aguardada como muita expectativa a entrevista com a suplente de deputada federal e odontóloga Rosângela Curado, que vai ao ar nesta quarta-feira, 14, pela TV Band de Imperatriz.

Muitos esperam denúncias bombásticas, revelações avassaladoras, declarações demolidoras, enfim, uma entrevista do “fim do mundo” da ex-secretária adjunta da Secretária de Estado da Saúde no governo Flávio Dino, que foi exonerada da função sob suspeita de irregularidades na pasta.

Contudo, pelo que o Blog do Robert Lobato apurou, quem estiver esperando a queda do governador Flávio Dino a partir da entrevista da Rosângela pode ir tirando o cavalinho da chuva, pois será uma entrevista serena como é a própria entrevistada, que deverá dizer: (1) que continua aliada ao grupo governista; (2) que ainda não sabe qual será o seu futuro partidário; (3) que ainda está analisando se realmente sairá candidata à deputada estadual; e (4) que só tem uma certeza: o apoio incondicional à candidatura de Weverton Rocha (PDT) ao Senado Federal.

Se aparecer algo de polêmico, no máximo será a afirmação de que tudo que fez quando estava no cargo de adjunta da Saúde é porque recebia “comando superior” de dentro e de fora da Secretaria de Saúde. Agora, se vai dar nomes aos bois é uma outra história.

De qualquer modo, vale aguardar a “entrevista do ano” que será exibida logo mais às 18:50, pela Band de Imperatriz.

Sobre a decisão política do desembargador Ney Bello Filho 8

Deve-se reconhecer que o mérito dessa decisão do competente magistrado é o fato de realmente ser verdade o dito popular: vale mais amigo na praça de que dinheiro em caixa.

Não sou amigo e nunca troquei uma palavra com o desembargador federal Ney Bello Filho. Aliás, a única lembrança que tenho do magistrado é de um filho desesperado e indignado quando da prisão do seu pai, ex-secretário de Infraestrutura do governo governo José Reinaldo Tavares, pela Operação Navalha, da Polícia Federal, em 2007

Ney Bello Filho andou reclamando das críticas que sofreu por conta do Habeas Corpus em favor da ex-secretária-adjunta da Saúde, Rosângela Curado.

Ora, não adianta “mimimis”, meu caro desembargador. Nem mesmo em forma de artigos bem escritos. Não adianta chorar sobre o leite derramando, como se diz.

O senhor é amigo histórico e fraterno de um governador cuja gestão está sendo investigada pela Polícia Federal e sob o olhos da Justiça Federal, a mesma Justiça a qual o senhor trabalha.

No mínimo, portanto, o nobre juiz deveria se dar por suspeito de meter o bedelho nessa confusão na qual o seu amigo governador está envolvido. Pior: liberta quem seria uma das “cabeças” do esquema e deixa preso subordinados seus. Como explicar tamanha contradição, meu doutor?

Não adianta reclamar ou lamentar pelos cantos.

O desembargador Ney Bello tomou uma decisão mais política do que jurídica. Não adianta citar massacres na Noruega e muito menos relatos bíblicos para justificar a sua decisão, repito, POLÍTICA, e não meramente jurídica.

Todavia, deve-se reconhecer que o mérito dessa decisão do competente magistrado é o fato de realmente ser verdade o dito popular: vale mais amigo na praça de que dinheiro em caixa.

Ney Bello Filho deu legitimidade jurídica a esse dito popular.

PEGADORES: Rosângela Curado precisará recuperar o sorriso 8

Se conseguir recuperar seu sorriso, só então Rosângela poderá pensar no resgate da sua carreira política que hoje, dia 23/11/2017, está completamente comprometida.

A ex-deputada Rosângela Curado (PDT) meteu-se numa enrascada daquelas e acabou tendo que pagar o alto custo de ser presa pela Polícia Federal após a Operação Pegadores revelar tenebrosas transações que ocorrem na estrutura da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Se fez algum malfeito, o fez a mando de superiores porque é uma mulher de grupo, embora isso não justifique a pedetista fazer besteiras.

Rosângela é apenas um elo de uma corrente forjada para manter e ampliar um projeto de poder no Maranhão sob comando do PCdoB, e tendo o PDT como linha auxiliar para fazer o que der e vier, inclusive operar aquilo que os comunistas eventualmente não têm coragem.

Rosângela não contou, ao menos publicamente, da solidariedade de nenhum dos “partidos camaradas” que orbitam em torno do Palácio dos Leões.

O próprio PDT esperou duas semanas e só ontem, 22, divulgou uma nota se solidarizando com a “companheira”. Aliás, uma nota que veio a público poucas horas antes da pedetista ser solta por meio de um Habeas Corpus concedida pelo desembargador federal Ney Bello.

De qualquer forma, o desafio posto à Rosângela Curado é resgatar aquele belo sorriso que é a marca do seu rosto, muito diferente daquele sembrante pálido e triste registrado na foto oficial da polícia quando deu entrada na prisão.

Se conseguir recuperar seu sorriso, só então Rosângela poderá pensar no resgate da sua carreira política que hoje, dia 23/11/2017, está completamente comprometida.

É a opinião do Blog do Robert Lobato.

PEGADORES: Enquanto Rosângela Curado está presa, Weverton Rocha faz festa em Timon 2

Pelo jeito, o “Maragato” não está lá muito preocupado com o que pode falar a sua correligionária para as autoridades da Polícia Federal, Ministério Público Federal e a Justiça Federal

O deputado federal e presidente estadual do PDT, Weverton Rocha, parece não estar nem aí para os infortúnios da sua companheira de partido Rosângela Curado.

Enquanto moça sofre pelo constrangimento de ter sido presa pela Polícia Federal na Operação Pagadores, o “Maragato” convida os seus amigos para um ato político amanhã, sábado, 18, na cidade de Timon em prol da sua já combalida pré-candidatura para o Senado Federal.

“É nesse sábado!
Lideranças políticas de todo o estado voltam a se reunir, em Timon, em apoio à pré-candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado Federal em 2018″, tuitou Weverton.

Vale lembrar, que Werveron Rocha fez algumas visitas ao advogado Willer Tomaz, preso na Operação Patmos da Polícia Federal (PF), conforme revelou a revista Época.

“Amigo é para bons e maus momentos”, disse Weverton na ocasião de uma das visitas que fez ao advogado.

Ué, mas isso vale para o enrolado Willer Tomaz e não vale para a “companheira” Rosângela Curado? Eu, hein!

Willer Tomaz era advogado da JBS, é acusado de repassar informações da Operação Greenfield para o empresário Joesley Batist e ainda encontra-se recolhido na Penitenciária da Papuda.

Pelo jeito, o “Maragato” não está lá muito preocupado com o que pode falar a sua correligionária para as autoridades da Polícia Federal, Ministério Público Federal e a Justiça Federal…

OPERAÇÃO PEGADORES: Os desdobramentos políticos da ação da PF no governo Flávio Dino 12

De imediato fere de morte a candidatura de Weverton Rocha ao Senado Federal. Rosângela era a ponta de lança do projeto “Tapetes Azuis” do deputado em Imperatriz e agora pode se tornar uma lança e atingir bem no coração do presidente do PDT. Já imaginaram uma “delação premiada” da mulher?

Evidente que há desdobramentos políticos da Operação Pegadores, deflagada pela Polícia Federal no âmbito do governo Flávio Dino (PCdoB), na manhã de hoje, 16.

Em primeiro lugar, a prisão da ex-deputada federal e ex-secretaria de Saúde do governo Flávio Dino, Rosângela Curado (PDT), a primeira a ocupar a pasta nessa gestão comunista, é um fato fundamental nesse caso.

Rosângela foi exonerada pelo secretário Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política) de forma humilhante em reunião ocorrida no Palácio dos Leões pouco mais de seis meses à frente do cargo.

Na época, a exoneração da pedetista teve tanta repercussão política negativa que o presidente estadual do PDT, deputado federal Weverton Rocha, licenciou-se do mandato para dar lugar à companheira.

Ato contínuo, o “Maragato” foi pra cima dos comunistas e empurrou goela abaixo a candidatura de Rosângela Curado à prefeitura de Imperatriz, causando uma crise tanto dentro dentro do PCdoB local, que queria a candidatura do deputado estadual Marco Aurélio, quanto no PSDB do ex-prefeito Sebastião Madeira que não aceitou a imposição do governador e acabou rompendo com o Palácio dos Leões. “Ora, governador, se ela não serviu para ser tua secretária de Saúde como pode servir para ser minha prefeita de Imperatriz?”, questionou Madeira na ocasião.

O projeto “Rosângela prefeita-12” foi um completo fiasco e a candidata do PDT acabou em terceiro lugar na disputa. Mais do que uma derrota da pedetista foi, sobretudo, uma derrota fragorosa para o governador Flávio Dino que hoje pena para ter reconquistar popularidade em Imperatriz e em toda a Região Tocantina.

Eleições 2018

A prisão de Rosângela Curado, portanto, pode ser considerada nitroglicerina pura com efeito devastador incalculável.

De imediato fere de morte a candidatura de Weverton Rocha ao Senado Federal. Rosângela era a ponta de lança do projeto “Tapetes Azuis” do deputado em Imperatriz e agora pode se tornar uma lança e atingir bem no coração da candidatura a senador do presidente do PDT. Já imaginaram uma “delação premiada” da mulher?

Outro consequência direta é sobre a própria campanha de reeleição de Flávio Dino ao governo do estado. E não adianta o comunista com a sua trupe tentarem tirar o corpo fora dessa crise porque as relação Rosângela Curado/Flávio Dino/Weverton Rocha/PDT/PCdoB/Governo são umbilicais.

Por fim, essa Operação Pegadores pode ainda afugentar os “neoaliados” do governo comunista porque é aquela história: quem vai querer se abrigar em casa que está caindo, não é mesmo?

Sem falar que tudo isso pode ser apenas a ponta de um grande e tenebroso iceberg…

É aguardar e conferir.

PS: O Blog do Robert Lobato deixa claro que jamais se animará com a prisão de Rosângela Curado. Pelo, contrário, só temos que lamentar por tal desfecho e desejamos que a ex-secretária consiga provar a sua inocência.

 

OPERAÇÃO PEGADORES: SES emite nota com “7” pontos para tentar explicar como recursos da pasta foram transformados em sorvete 4

Além do número “7”, outra coisa emblemática nesse caso é nome escolhido pela Polícia Federal ser “Pegadores”. Parece até uma homenagem a alguns membros do governo e da própria SES que são “pegadozinhos” que são danados

Numa nota com “7” pontos, muito emblemático esse número, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) declara que o governo Flávio Dino nada tem a ver com as maracutaias que desviram milhões de reais da pasta por meio de notas frias, segundo ação conjunta da Polícia Federal, Ministério Público Federal, do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e da Receita Federal do Brasil, denominada de “Operação Pegadores”, deflagrada na manhã de hoje, 16.

As investigações descobriram que uma sorveteria, isso mesmo!, passou por uma metamorfose ambulante e se tornou, da noite para o dia, em uma empresa técnica especializada na gestão de serviços médicos. Essa empresa foi usada para a emissão de notas fiscais frias, que teriam permitido o desvio de exatos R$ 1.254.409,37.

Dezenas de mandatos de prisão estão sendo cumpridos em São Luís, Imperatriz, Amarante e no município de Teresina (PI).

Entre os presos estaria a ex-secretaria de Saúde do governo Flávio, a odontóloga Rosângela Curado, que em 2016 disputou a prefeitura de Imperatriz com o apoio do governador comunista mas acabou em terceiro lugar naquela eleição.

Além do número “7”, outra coisa emblemática nesse caso é nome da operação escolhido pela Polícia Federal: “Pegadores”. Parece até uma homenagem a alguns membros do governo e da própria SES que são “pegadozinhos” que são danados…

Fiquem, a seguir, com a nota “7” da SES. O Blog do Robert Lobato, claro, voltará ao assunto sobre a Operação Pegadores. Que coisa!

NOTA – Operação Pegadores

Sobre a nova fase de investigação da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira (16), no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Governo do Maranhão declara que:

1. Os fatos têm origem no modelo anterior de prestação de serviços de saúde, todo baseado na contratação de entidades privadas, com natureza jurídica de Organizações Sociais, vigente desde governos passados.

2. Desde o início da atual gestão, tem sido adotadas medidas corretivas em relação a esse modelo. Citamos:

a) instalação da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), ente público que atualmente gerencia o maior número de unidades de saúde, reduzindo a participação de Organizações Sociais.
b) determinação e realização de processos seletivos públicos para contratação de empregados por parte das Organizações Sociais.
c) aprovação de lei com quadro efetivo da EMSERH, visando à realização de concurso público.
d) organização de quadro de auditores em Saúde, com processo seletivo público em andamento, visando aprimorar controles preventivos.

3. Desconhecemos a existência de pessoas contratadas por Organizações Sociais que não trabalhavam em hospitais e somos totalmente contrários a essa prática, caso realmente existente.

4. Todos os demais fatos, supostamente ocorridos no âmbito das entidades privadas classificadas como Organizações Sociais, e que agora chegam ao nosso conhecimento, serão apurados administrativamente com medidas judiciais e extra judiciais cabíveis aos que deram prejuízo ao erário.

5. A SES não contratou empresa médica que teria sido sorveteria. Tal contratação, se existente, ocorreu no âmbito de entidade privada.

6. Apenas um servidor, citado no processo, está atualmente no quadro da Secretaria e será exonerado imediatamente. Todos os demais já haviam sido exonerados.

7. A atual gestão da Secretaria de Estado da Saúde está totalmente à disposição para ajudar no total esclarecimento dos fatos.