ELEIÇÕES 2018: Roseana quer o PT de vice ou candidato a senador 12

No plano local Roseana tem vários interlocutores petistas que topam compor com o MDB, mas há arestas nacionais que dificultam uma nova aliança entre petistas e emedebistas. Mas é aí que entra o fator Sarney!

É o mestre Antônio Vieira quem diz: “Se tu não quer, tem quem queira”.

Pois é. O Blog do Robert Lobato apurou que enquanto o governador Flávio Dino esnoba e humilha o PT, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) está disposta, mais uma vez, em abrir a sua chapa majoritária ao Partido dos Trabalhadores.

Roseana enviou, na semana passada, interlocutores para dizer que deseja o PT como vice ou como candidato a senador. Aliás, a emedebista chegou a propor até a vice e uma vaga senatorial, dependendo das conversas.

No plano local Roseana tem vários interlocutores petistas que topam compor com o MDB, mas há arestas nacionais que dificultam uma nova aliança entre petistas e emedebistas. Mas é aí que entra o fator Sarney!

O ex-presidente é amigo de Lula e está tentando ajudar o líder petista a sair da prisão. Lula e Sarney são quase “compadres”. Se Sarney realmente ajudar o Lula a sair do cárcere certamente o PT deverá mais uma vez ao ex-presidente, o que pode ajudar numa aliança local com a sua filha.

Não é por acaso que já começa a surgir o nome de Mário Macieira (PT) como candidato a vice ou senador na chapa de Flávio Dino.

Só que a crise é grande no arraial petista e Macieira não tem interlocução no diretório nacional; E se realmente vier entrar na disputa deverá enfrentar prévias seja para o cargo de vice-governador, seja para senador.

É aguardar e conferir.

SENADO 2018: Petistas organizam movimento contra pré-candidatura de Eliziane Gama 18

Além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras

Há em curso no PT maranhense um movimento contra a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS) ao Senado Federal na chapa de Flávio Dino (PCdoB).

Setores expressivos do partido, principalmente o coletivo de mulheres e a corrente Resistência Socialista, todos ligados ao “Dinopetismo”, ou seja, ao braço do PT que apoia o governo, não querem nem ouvir falar na hipótese do partido estar num mesmo palanque junto de quem consideram “golpista”.

No caso das petistas, a secretária de Mulheres do Diretório Estadual, Edinalva Alves, que encontra-se em Curitiba participando de um ato em prol da liberdade do ex-presidente Lula, está articulando uma nota dura contra o apoio do PT à pré-candidatura de Eliziane.

O Blog do Robert Lobato não conseguiu contato com a dirigente Edinalva Alves, mas as informações que chegam é que não vai ser nada fácil a vida da Eliziane em relação aos petistas e às petistas, pois se existe alguma unidade no PT maranhense é justamente o veto ao apoio do partido a seu projeto de senadora.

O tom no partido é que será constrangedor, para o próprio governador Flávio Dino, estar no palanque ao lado da irmã e ter que ouvir a companheirada detonando os “golpistas”.

Para que não lembra, além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras.

Por essas, e outras, é que Eliziane Gama se tornará uma tremenda dor de cabeça para Flávio Dino. E não é por acaso que já se fala que a irmã pode, até as convenções, ser convencida pelo Palácio dos Leões de uma candidatura a deputada estadual como “puxadora de votos”.

Só Jesus!

SÃO BERNADO DO CAMPO: Um petista de luta presente num momento histórico do PT e do país

Esse valoroso militante chamado Fernando Silva acaba de enriquecer ainda mais a sua biografia política ao testemunhar o ato histórico realizado em São Bernado do Campos no último sábado, 7.

O militante e dirigente do PT no Maranhão, professor Fernando Silva, participou ativamente do ato histórico em frente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernado do Campo, no ABC paulista, quando o ex-presidente Lula reuniu uma multidão para anunciar que iria cumprir o mandado prisão expedido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Fernando Silva é um militante político e social histórico e desde a juventude cerra fileiras no Partido dos Trabalhadores.

O petista teve papel fundamental na reconstrução da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES) logo após o fim do regime militar.

Ex-assessor da ex-vereadora e ex-deputada estadual Helena Heluy, membro da executiva estadual por várias vezes, ex-presidente municipal do PT em São Luis, Fernando Silva tem uma trajetória petista marcada pela coerência e disciplinas partidárias.

Foi coordenador executivo das campanhas de Lula nas eleições de 2002 e de 2006, e atualmente exerce a assessoria política do deputado Zé Inácio e na executiva do PT coordena o setorial educação.

Esse valoroso militante, amigo leal, acaba de enriquecer ainda mais a sua biografia política ao testemunhar o ato histórico realizado em São Bernado do Campo no último sábado, 7.

Valeu, companheiro Fernando Silva!

ROBERTO ROCHA: “Não há o que comemorar com a prisão de Lula” 8

O senador Roberto Rocha (PSDB) usou as redes sociais para se manifestar sobre a prisão do ex-presidente Lula decretada pelo juiz Sérgio Moro, ontem, quinta-feira, 5.

Segundo o tucano, não há que comemorar a prisão do petista e que Lula não é apenas um político, mas representa uma legítima corrente de opinião e pensamento.

“Já me manifestei que o ex-presidente Lula não é apenas um político, mas representa uma legítima corrente de opinião e pensamento. Não há o que comemorar com a sua prisão. Os erros e os acertos do PT devem ser julgados pelo instrumento sagrado do voto soberano do povo. Que Lula responda por seus atos, dentro da Lei, mas que esse processo não se transforme num ritual de humilhação e de confronto entre brasileiros. Nossa democracia deve, acima de tudo, respeitar as diferenças”, assegurou.

O ex-presidente encontra-se em São Bernado do Campo, na Região do ABC paulista, berço político do Lula, onde avalia, ao lado de advogados e lideranças do PT, se ele se entrega à Polícia Federal, como determinou Moro, ou se força a polícia prendê-lo na sede do Sindicato dos Metalúrgicos.

Multidão abraça Lula que não deve se entregar 12

Uma multidão de apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se concentra no entorno do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), em protesto contra o mandado de prisão expedido por Sérgio Moro; “Na minha avaliação, não tem que se entregar. Se entregar é admitir culpa, não é o caso. Tem de prender o Lula no meio desse mar de gente, numa violência, com repercussão internacional, mas Lula ainda não decidiu, vai decidir só amanhã”, avisa o senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil – Uma multidão de apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se concentra no entorno do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), em protesto contra o mandado de prisão expedido pelo juiz federal Sérgio Moro. Desde as 19h, as pessoas começaram a se reunir no local e, por volta das 21h, uma marcha composta por integrantes da ocupação Povo Sem Medo – de São Bernardo do Campo – chegou à porta do sindicato.

Os manifestantes carregam faixas com mensagens de apoio a Lula e gritam “aqui está o povo sem medo de lutar”. O ex-presidente já apareceu na janela do sindicato para cumprimentar seus apoiadores, mas ainda não falou com a imprensa nem com o público. Os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias e a ex-presidente Dilma Rousseff, além do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Luiz Marinho; do coordenador do MTST e candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos; e do advogado de Lula, Cristiano Zanin, também estão no prédio.

Zanin falou com a imprensa e disse que a expedição do mandado de prisão contraria decisão proferida pelo próprio Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) de que deveria se esperar o término de todos os recursos possíveis de serem apresentados a este tribunal, o que ainda não ocorreu. Além disso, segundo o advogado, a defesa não foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida em 23 de março deste ano. A senadora Gleisi Hoffmann considerou a ordem de prisão uma “obsessão” de Moro em relação a Lula.

Conforme a decisão de Moro, Lula terá até as 17h de amanhã (6) para se apresentar em Curitiba à Polícia Federal. O senador Lindbergh Farias, entretanto, disse que Lula não definiu se vai cumprir a ordem voluntariamente. “Na minha avaliação, não tem que se entregar. Se entregar é admitir culpa, não é o caso. Tem de prender o Lula no meio desse mar de gente, numa violência, com repercussão internacional, mas Lula ainda não decidiu, vai decidir só amanhã”, disse senador Lindbergh Farias.

LULA: “Faço campanha sorrindo para Waldir Maranhão ao Senado Federal” 6

A declaração do ex-presidente foi dada na manhã de ontem, terça-feira, 3, em São Paulo.

Uma fonte com amplo trânsito na Direção Nacional do PT, e ligada ao Lula, assegurou ao Blog do Robert Lobato que o ex-presidente disse que faz “campanha sorrido para Waldir Maranhão ao Senado Federal”.

A declaração foi dada, segundo a fonte, na manhã de ontem, terça-feira, 3, em São Paulo.

A filiação de Waldir Maranhão aos quadros PT está sendo apreciada pelo comando nacional do PT e deve ter um desfecho final até sexta-feira, 6, em Brasília.

É aguardar e conferir.

Primeiros passos, como unificar a esquerda? 4

por Fernando Neto*

Chegou a hora de sairmos da teoria, o dia 28 de março de 2018 em Curitiba-Paraná, se tornou histórico e desenhou bem o que significa unificar as esquerdas: agenda comum, diálogo constante, programa com unidade mínima e ações de lutas coordenadas.

Como avançamos? Dando os primeiros passos: conversando, reunindo, encontrando, ajustando táticas, definindo estratégias e objetivos em comum. É necessário superar desavenças, discordâncias, disputas naturais e pontuais principalmente. É sentando na mesa, apertando as mãos, olhando nos olhos e ajustando conduta ou repactuando. Óbvio que fissuras da vida e da luta deixam marcas, porém, é indispensável que todos os setores progressistas, democráticos e nacionalistas dialoguem e busquem entendimento, pontual e histórico que seja, superando seus desacordos e erros, quem não se dispor neste momento da conjuntura, está do outro lado da história e que fique bem claro para todos!

Revolucionário neste momento é perdoar para aglutinar, tipificando mandamentos cristãos e espiritualistas. Sem força social efetiva, trincheira organizada e mobilização de rua e de campo em condições equivalentes às quais a direita protagonizou no Brasil de 2013 até aqui, manipulando as massas ou não, porém, com agenda e narrativa orientada, fortalecendo o conservadorismo e o retrocesso. Sem a mesma força popular, disputando narrativas e impondo uma agenda de lutas,, não teremos condições de enfrentar nenhuma batalha institucional, social e política, quiçá eleitoral, de combate e confronto físico como vem acontecendo nos dias atuais. É preciso diminuir a gana, a sina e o cinismo, sejamos francos, não estamos preparados para qualquer confronto real, temos pouca organização institucional e muito
voluntarismo.

Acumulamos força social e política e continuaremos

acumulando, mas, quem organiza e assimila a luta, quem dirige a massa? Para onde dirigiremos a massa, os trabalhadores e os movimentos sociais?

O recado é simples: centrais sindicais, dialoguem! Frentes de ocupação do campo, dialoguem! Movimentos estudantis e de juventude organizadas, dialoguem! Partidos políticos de esquerda, dialoguem! Intelectuais, professores, artistas, líderes progressistas e de esquerda, dialoguem! Aproveitemos os esforços da Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem

Medo, encontro das Fundações de esquerda, às caravanas de Lula, os
comitês em defesa da democracia, a marcha do dia 24 de janeiro em
Porto Alegre, para dialogar, fortalecer as agendas, impulsionar iniciativas e o
combate ideológico.

É imprescindível que fortaleçamos neste momento as
agendas programáticas e de lutas, tenhamos compreensão histórica de
que o ano de 2018 é o início e não o fim de toda a luta instalada no
país. Assim iniciamos a unidade das esquerdas e organizamos a tropa, olhando para frente e marchando em uníssono. Que fique mais claro
ainda: aquele que se opor ou atrapalhar é inimigo de classes!

*Fernando Neto
Militante de esquerda

PT/MA: Presidente de fato do PT, Chico Gonçalves monta barricadas contra filiação de Waldir Maranhão 6

Ao invés de reconhecer que Waldir Maranhão é uma “invenção” do próprio Flávio Dino, que honrou o parlamentar até com a placa de “Waldir, guerreiro do povo brasileiro”, Chico Gonçalves prefere fantasiar que a filiação e a defesa da pré-candidatura do deputado ao Senado Federal pelo PT é obra e graça dos “sarnopetistas”

Atende pelo nome de Chico Gonçalves o principal líder da resistência à filiação do deputado federal Waldir Maranhão aos quadros do PT maranhense.

O secretário de Direitos Humanos do governo Flávio Dino (PCdoB) é quem hoje comanda de fato o PT, elabora as principais teses que agradam o Palácio dos Leões e cumpre a tarefa de montar barricadas contra a filiação do Waldir no partido.

Radical e sectário, Chico Gonçalves vê em Waldir Maranhão uma “ameaça” ao projeto de poder de Flávio Dino sabe-se lá fundamentado em quê.

Ao invés de reconhecer que Waldir Maranhão é uma “invenção” do próprio Flávio Dino, que honrou o parlamentar até com a placa “Waldir, guerreiro do povo brasileiro”, Chico Gonçalves prefere fantasiar que filiação e a defesa da pré-candidatura do deputado ao Senado Federal pelo PT é obra e graça dos “sarnopetistas”, como ele, Chico, e sua turma, costumam denominar os petistas que integram a corrente Construindo um Novo Brasil (CNB).

VERDADE INCÔMODA

Waldir Maranhão sela acordo com Augusto Lobato para o PED/PT.

A verdade é que a CNB é uma corrente disciplinada e está sendo coerente politicamente ao obedecer o comando nacional do PT, que reconhece a legitimidade da filiação do Waldir Maranhão no partido pelo papel que o parlamentar cumpriu no processo de impeachment da presidente Dilma quado estava no exercício da presidência da Câmara dos Deputados.

A rigor, e é bom que se diga, a CNB sequer era para estar defendendo a entrada de Waldir no PT, pois, para quem não sabe ou não lembra, o parlamentar apoiou com ESTRUTURA foi a candidatura de Augusto Lobato no Processo de Eleição Direta do PT (PED/PT) ajudando a derrotar o deputado estadual Zé Inácio, o então candidato da CNB a presidente do partido.

Enfim, se tinha alguém para hoje estar defendendo com rigor a filiação de Waldir Maranhão no PT era exatamente Augusto Lobato, mas a “Rainha da Inglaterra” prefere se submeter às orientação do presidente de fato do PT, Chico Gonçalves, que na verdade são orientações do chefe deles, o governador Flávio Dino.

Pelo visto teremos uma Sexta-Feira Santa com menos milagres e mais traições.

Mas, se preciso for, o Brasil inteiro saberá quem é o Judas-mor do Maranhão.

É aguardar e conferir.