O papel do Pastor Sampaio na filiação do Pastor Gildenemir no PSL 2

O Pastor Sampaio vai consolidando sua condição de hábil articulador político, de perfil moderado e conciliador.

Pastor Sampaio ladeado pelo deputado eleito Pastor Gildenemir e pelo presidente estadual PSL, vereador Chico Carvalho.

O deputado federal eleito pelo PMN, o Pastor Gildenemir, acaba de aceitar o convite para filiar-se a PSL.

As articulações para a chegada do Pastor Gildenemir no partido do presidente Jair Bolsonaro foram feitas a quatro mãos e passou por entendimentos internos na sigla no Maranhão, já que o clima de autofagia estava bastante intenso.

Entre os articuladores para a nova filiação do Pastor Gildenemir, além, claro, do presidente estadual do PSL, vereador Chico Carvalho, destaca-se o colega do futuro parlamentar, o Pastor Sampaio, que na semana passada esteve em Brasilia justamente com a missão de selar um acordo interno no PSL maranhense e, por conseguinte, pavimentar a entrada do Pastor Gildenemir nos quadros do partido.

Pastor Sampaio, em Brasília, com a deputada eleita pelo PSL de SP, Joice Hasselmann, e o Pastor Gildenemir.

Contudo, a relação do Pastor Sampaio com o Pastor Gildenemir não se dá a partir destas articulações em Brasília que culminou na mudança de partido do deputado eleito. A relação vem de longe.

Em verdade, já nas eleições de 2018, o Pastor Sampaio foi determinante para consolidação da candidatura do Pastor Gildenemir.

Ao lado do Pastor Bel, que seria o candidato do grupo à Câmara Federal, mas abriu mão de concorrer em prol de Gildenemir, Pastor Sampaio atuou fortemente para garantir a eleição do seu amigo de congregação. E o resultado está aí: Pastor Gildenemir deputado federal eleito e vitaminando a bancada do PSL no Congresso Nacional após aceitar o convite do presidente nacional do partido, o também deputado federal eleito Luciano Bivar, e pelo vice-presidente, Antonio Rueda.

Pastor Sampaio entre o médico Allan Garcês e o o vereador Chico Carvalho: construindo a unidade no PSL maranhense.

Nesse sentido, o Pastor Sampaio vai consolidando sua condição de hábil articulador político, de perfil moderado e conciliador.

E é com este perfil que em 2020 o Pastor Sampaio pretende apresentar o seu nome, ao PSL, para concorrer à eleição de prefeito de Paço do Lumiar.

Mas isso é assunto para outra postagem.

PSL: Partido do presidente Bolsonaro caminha para unidade no MA 6

O PSL deu início a um processo de entendimento interno que deve incluir outras lideranças de peso do partido como é o caso da ex-candidata à governadora Maura Jorge e do ex-vereador por São Luis, Fábio Câmara.

A depender de uma produtiva agenda entre o presidente estadual do PSL, vereador Chico Carvalho, e o médico Allan Garcês, o partido do presidente Jair Bonsonaro caminhará unido pelos próximos anos no Maranhão.

Em encontro realizado entre dos dois líderes, ontem, terça-feira, 8, o tom foi de entendimento e conciliação interna para fortalecer o partido no estado.

Para o experiente Chico Carvalho, que está no PSL há exatos 17 anos, dono de nada menos do que 7 mandatos de vereador da capital, deve seguir firme no comando do partido com a missão de buscar outros quadros para consolidar a unidade necessária para que a sigla chegue robusta em 2020, para as eleições municipais, e, claro, para 2022 quando haverá eleições gerais.

“No que depender de mim o PSL estará unido e fortalecido no Maranhão para enfrentarmos as lutas que se aproximam, sobretudo em 2020 e em 2022. Trabalharemos para ter uma boa chapa de vereadores nas eleições municipais na capital e no interior, e não podemos descartar projetos majoritários em várias cidades, inclusive em São Luis. Mas a prioridade agora é unir o PSL e defender o governo do presidente Jair Bolsonaro”, defendeu Chico Carvalho.

“Temos tudo para fazer do PSL um grande partido no estado”

O médico Allan Garcês, que acaba de ser nomeado para o importante cargo de Diretor de Departamento de Articulação Interfederativa da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, segue na mesma linha de raciocínio defendendo a unidade partidária.

Allan Garcês é uma das lideranças da nova geração de políticos que surge no Maranhão e nas eleições de 2018 conseguiu obter mais 20 mil votos para deputado federal, feito conseguido basicamente com a força da militância do PSL e de movimentos sociais ligados ao partido e ao projeto do “capitão.

Ao Blog do Robert Lobato, o médico afirmou estar convencido de que “termos tudo para fazer do PSL um grande partido no estado, mas para isso a unidade interna será de fundamental importância. Espero que o projeto coletivo prevaleça sobre as questões de egos e vaidades pessoais”.

Pela rede social do Twitter, Allan Garcês, fez o registro da agenda com Chico Carvalho em Brasília.

“Pondo fim nas especulações e tentativas de criar discórdia entre lideranças no PSL-MA, eu e Chico Carvalho nos encontramos hoje [ontem, 8] em Brasília e selamos pacto de unidade partidária pelo Maranhão. Espero que a esquerda entenda que não conseguirá destruir a direita no nosso Estado”, tuitou.

O fato é que o PSL deu início a um processo de entendimento interno que deve incluir outras lideranças de peso do partido, como é o caso da ex-candidata à governadora Maura Jorge e do ex-vereador por São Luis, vereador Fábio Câmara.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2020: Allan Garcês trabalha para ser o nome de Bolsonaro em São Luis 4

Allan Garcês está se movimentando com olhos voltados para as eleições municipais de 2020. E mais: trabalha para ser o nome de Bolsonaro para prefeito de São Luis, se conseguirá ou não é outra história.

O médico Allan Garcês (PSL) tem projeto político em mente como todos sabemos, inclusive foi candidato a deputado federal nas eleições de 2018 saindo das urnas com cerca de 20 mil votos. Ocorre que ele está longe de querer ficar estacionado em 2018.

Convidado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para integrar a equipe de transição do governo, Allan ficou ainda mais em evidência e ganhou o noticiário local com abordagens positivas a sua imagem, mas, claro, também houve quem não gostou da notícia e fez do médico alvo de ataques, alguns considerados até injustos.

O fato, e contra os fatos podemos até correr deles, mas não podemos nos esconder porque eles não encontram, é que Allan Garcês está se movimentando com olhos voltados para as eleições municipais de 2020. E mais: trabalha para ser o nome de Bolsonaro para prefeito de São Luis, se conseguirá ou não é outra história.

Lógico que tudo mundo muito cedo quando o assunto é a eleição de 2020, mas o tempo urge e nenhum dos pretendentes a sucessor do prefeito Edivaldo Júnior vai ficar parado. Entre os quais Allan Garcês, que nesta quinta-feira ganhou o reconhecimento, em forma de artigo, da lavra do também médico João Bentivi, que o Blog do Robert Lobato reproduz a seguir. Confira.

A quem Allan Garcês incomoda?

Não falo de “qualquer alan ou de um alan qualquer”, falo de Allan Quadros Garces. Essa afirmação não guarda nenhum demérito a ninguém, mas serve para ressaltar que o cidadão, motivo desse artigo, é um ser humano diferente.

O conheço há muitos anos e tivemos a oportunidade de juntos trabalharmos, quer na atividade médica específica, quanto no magistério superior, na medicina, além da convivência pessoal e familiar. Foi e é uma salutar experiência.

Cidadão de respeito, pai de família exemplar, médico competente e professor dedicado, Allan Garces tem as qualidades que merecem ser elogiadas e na pior das hipóteses, se alguém não desejasse reconhecer essas qualidades, pelo menos um silêncio de respeito à verdade.

Não foi o que aconteceu.

Allan Garces nunca se submeteu a pusilanimidade e subserviência e isso lhe rendeu inimigos poderosos e, por serem poderosos, as perseguições se avolumaram.

Demitido tanto da rede se saúde municipal e estadual, Allan não se deixou abater e quando a candidatura do Bolsonaro nem era uma hipótese, transformou-se no maior ícone da direita maranhense, pagando o alto preço por esse posicionamento. Essa posição não guardava nenhum tipo de interesse subalterno, mas a convicção de que teria que haver mudança.

No momento que o deputado Bolsonaro se torna vitorioso, os olhos se voltaram céleres para o Allan. Quando ele é chamado para ser um colaborador da transição, a preocupação e a inveja campearam por inúmeras mentes. As razões são interessantes.

Allan é independente, correto, competente, honesto, trabalhador e não deve favores aos chefes e chefetes de nossa província. A sua importância como principal líder da direita maranhense não foi um milagre, nem indicação: foi trabalho, sangue, suor e lágrima. Sou testemunha.

Allan tem um belo futuro político. Seus mais de 20 mil votos foram seus, sérios, honestos e sem sombras de fraudes e poderio econômico. O incômodo que causa, portanto, tanto é na turma de esquerda, vinculada ao governador Dino, como dentro do seu próprio arraial, no chamado “fogo amigo”, que nada tem de amigo.

A mim, dentro da minha experiência e respeito para com o Allan, só resta torcer para que ele seja reconhecido, nesse novo momento político de nossa pátria. Caso pudesse falar com o presidente Bolsonaro, dir-lhe-ia: presidente, o Allan é um dos seus, trate-o com tal, ou seja, trate-o na altura do seu merecimento.

Isso não é favor, mas o reconhecimento do mérito, uma das diretrizes de novo governo.

A quem Allan incomoda? Não vou nominá-los, mas não são bons brasileiros.

Tenho dito.

Flávio Dino tenta polemizar com os Bolsonaros, mas eles nem ‘tchum’ para o comunista 16

A tentativa do governador maranhense em chamar os Bolsonaros para o ringue político faz parte da sua tática para se tornar o principal opositor, à esquerda, de um eventual governo do PSL.

Desde o início do segundo turno da eleição para presidente que o governador Flávio Dino (PCdoB) tenta, sem sucesso, polemizar, primeiro como o próprio candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), agora mais recentemente com o filho do presidenciável, o deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro, também do PSL.

Pelas redes sociais, o comunista tem batido pesado nas declaração e blefes da família Bolsonaro e classificando de fascistas pai e filho, como mostra a sequência de tuítes a seguir.

“Um filhote de fascista disse que um cabo e um soldado bastam para fechar o Supremo. Não sei o que os ministros acham disso. Só digo que tentem a ousadia. Estaremos lá na porta do Supremo protegendo a democracia. E seremos muitos a esperar os micróbios”, detonou Flávio Dino que também não deixa de carregar o “micróbio” do autoritarismo.

A tentativa do governador maranhense em chamar os Bolsonaros para o ringue político faz parte da sua tática para se tornar o principal opositor, à esquerda, de um eventual governo do PSL.

Contudo, os Bolsonaros nem “tchum” para as provocações do comuna-mor maranhense, o que deve irritá-lo profundamente…

Bom desempenho eleitoral de Fábio Câmara em São Luis o coloca na disputa pela sucessão de Edivaldo Jr. 24

Fábio Câmara está credenciado para dar voos mais altos em 2020 dentro de uma conjuntura que, ao que tudo indica, será com Jair Bolsonaro, também do PSL, no comando do país, o que pode, caso não se tenha maiores sobressaltos com no governo do “capitão”, favorecer uma candidatura de “Tio Fábio” a prefeito de São Luis.

Não pode ser ignorado o desempenho do ex-vereador por São Luis, Fábio Câmara nas eleições 2018.

O ex-candidato a deputado estadual pelo PSL obteve 14.838 votos (0,46% dos votos válidos), destes mais de 10 mil somente na capital maranhense, ultrapassando nomes e fortes e tradicionais como Roberto Costa e Helena do Dualibe, para citar apenas esses.

Essa votação de Fábio Câmara remete à duas questões fundamentais.

A primeira é que o ex-vereador mostra que consolidou liderança própria ao ter boa votação em São Luis e não pode ser mais considerado mero produto desse ou daquele “pai político”. Foram votos conseguidos pura e simplesmente pelo carisma, serviços prestados à população, sobretudo a mais carente, e à luta desse político negro, de origem pobre que teve os seus primeiros contatos com o mundo da política “limpando os banheiros da sede do MDB”, como Fábio costuma relembrar – ele foi filiado ao MDB por vinte anos.

A segunda questão é que Fábio Câmara está credenciado para dar voos mais altos já nas eleições de 2020 dentro de uma conjuntura que, ao que tudo indica, será com Jair Bolsonaro, também do PSL, no comando do país, o que pode, caso não se tenha maiores sobressaltos com no governo do “capitão”, favorecer uma candidatura de “Tio Fábio” a prefeito de São Luis.

É aguardar e conferir.

Maura Jorge, o alvo 2

A candidata à governadora Maura Jorge virou algo da máquina comunista de moer reputações.

Temorosos com um crescimento da ex-prefeita de Lago da Pedra a ponto de levar a eleição para o segundo turno, os comunistas liderados pelo governador Flávio Dino (PCdoB) partem com tudo pra cima da candidata do PSL que tenta subir nas pesquisas aproveitando a onda Bolsonaro.

ELEIÇÕES 2018: A quem interessa tirar Maura Jorge da disputa? 6

É bom que aqueles que acham que podem ganhar no grito, na base das pesquisas tabajaras, e principalmente no uso e abuso poder político, ir logo tirando os “dois leõezinhos” da chuva.

A candidata à governadora Maura Jorge (PSL) sempre teve a convicção de que deveria entrar na disputa pelo executivo estadual.

Não obstante ser de um partido pequeno, como pouco tempo tevê e escassos recursos do fundo eleitoral, a ex-prefeita de Lago da Pedra não se deixou intimidar ou se abater com a sua realidade partidária e entrou de corpo, alma e coragem, muita coragem, na disputa pelo Palácio dos Leões.

Contudo, parece haver forças ocultas que desejam tirar a brava loira da disputa.

Nesse sentido, uma pergunta que não quer calar é: A quem interessa tirar Maura Jorge da disputa das eleições de 2018?

O Ministério Público desenterrou um processo de 2011, ou seja, coisa de quase 15 anos atrás que agora aparece às vésperas de uma eleição em que os atuais inquilinos do Palácio dos Leões fazem de tudo para não que não haja segundo turno, inclusive com práticas de abusos do poder da máquina do Estado talvez jamais vistas antes,

Na coletiva concedida na tarde desta segunda-feira, 24, porém, Maura Jorge foi categórica ao afirmar: “No meu currículo não existe desistência. Confio na Justiça do meu estado!”.

Então é bom que aqueles que acham que podem ganhar no grito, na base das pesquisas tabajaras, e principalmente no uso e abuso poder político, ir tirando os “dois leõezinhos” da chuva.

Se depender das oposições, e principalmente do povo maranhense, vai ter segundo turno, sim!

É aguardar e conferir.