MAIS IMPOSTOS: Voto firme de Wellington do Curso e as eleições de 2020

O deputado Wellington do Curso saiu fortalecido ao votar contrário ao aumento de impostos e se consolidou como o principal oposicionista ao governo Flávio Dino no parlamento maranhense.

“Estejam vigilantes, mantenham-se firmes na fé, sejam homens de coragem, sejam fortes.”
(1 Coríntios 16:13)

Ainda repercute a sessão da Assembleia Legislativa do Maranhão que aprovou o Projeto de Lei 239/2018, de autoria do Governo do Estado, que aumenta alíquotas de impostos no estado.

Na visão do governo Flávio Dino (PCdoB) trata-se de um “Pacote Anticrise”, mas para a oposição não passa de mais um “Pacote de Maldades” comunista.

Entre os que votaram contra e a favor, além do voto solitário de Eduardo Braide (PMN) pela abstenção, há de fazer-se um reconhecimento pela posição do deputado Wellington do Curso (PSDB) que se manteve inexorável na sua condição de parlamentar oposicionista, sem ter medo ou vacilar politicamente.

Tal como o seu colega Eduardo Braide, Wellington de Curso também gravou um vídeo no plenário comentando sobre o ânimo dos seus pares em relação ao projeto governista que aprofunda a gula do Palácio dos Leões por impostos. Só que, ao contrário de Eduardo, o bravo Wellington continuou contra a proposta de aumentar impostos mesmo após a gravação do vídeo.

Ambos os parlamentares concorreram ao cargo de prefeito em 2016: Eduardo Braide ficou em segundo lugar no pleito com 45.66% dos votos, indo para o segundo turno; e Wellington do Curso saiu das urnas em terceiro lugar obtendo 19.80% dos votos válidos.

As eleições municipais de 2020 ainda estão distantes, mas as articulações já ocorrem nos bastidores e tempo passa rápido.

Não possível avaliar, com um grau de segurança razoável, se a votação do assim chamado “Pacote de Maldades” do governo terá alguma influência na campanha de prefeito daqui a dois anos, ou seja, se o eleitor levará em conta quem votou a favor, contra ou se absteve do processo na Assembleia Legislativa.

De qualquer forma, claro que o deputado Wellington do Curso saiu fortalecido ao votar contrário ao aumento de impostos e se consolidou como o principal oposicionista ao governo Flávio Dino no parlamento maranhense.

E assim deverá se posicionar até 2020.

O que não é nada mau para quem ainda acalenta o sonho de ser prefeito de capital maranhense.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2020: Allan Garcês trabalha para ser o nome de Bolsonaro em São Luis 4

Allan Garcês está se movimentando com olhos voltados para as eleições municipais de 2020. E mais: trabalha para ser o nome de Bolsonaro para prefeito de São Luis, se conseguirá ou não é outra história.

O médico Allan Garcês (PSL) tem projeto político em mente como todos sabemos, inclusive foi candidato a deputado federal nas eleições de 2018 saindo das urnas com cerca de 20 mil votos. Ocorre que ele está longe de querer ficar estacionado em 2018.

Convidado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para integrar a equipe de transição do governo, Allan ficou ainda mais em evidência e ganhou o noticiário local com abordagens positivas a sua imagem, mas, claro, também houve quem não gostou da notícia e fez do médico alvo de ataques, alguns considerados até injustos.

O fato, e contra os fatos podemos até correr deles, mas não podemos nos esconder porque eles não encontram, é que Allan Garcês está se movimentando com olhos voltados para as eleições municipais de 2020. E mais: trabalha para ser o nome de Bolsonaro para prefeito de São Luis, se conseguirá ou não é outra história.

Lógico que tudo mundo muito cedo quando o assunto é a eleição de 2020, mas o tempo urge e nenhum dos pretendentes a sucessor do prefeito Edivaldo Júnior vai ficar parado. Entre os quais Allan Garcês, que nesta quinta-feira ganhou o reconhecimento, em forma de artigo, da lavra do também médico João Bentivi, que o Blog do Robert Lobato reproduz a seguir. Confira.

A quem Allan Garcês incomoda?

Não falo de “qualquer alan ou de um alan qualquer”, falo de Allan Quadros Garces. Essa afirmação não guarda nenhum demérito a ninguém, mas serve para ressaltar que o cidadão, motivo desse artigo, é um ser humano diferente.

O conheço há muitos anos e tivemos a oportunidade de juntos trabalharmos, quer na atividade médica específica, quanto no magistério superior, na medicina, além da convivência pessoal e familiar. Foi e é uma salutar experiência.

Cidadão de respeito, pai de família exemplar, médico competente e professor dedicado, Allan Garces tem as qualidades que merecem ser elogiadas e na pior das hipóteses, se alguém não desejasse reconhecer essas qualidades, pelo menos um silêncio de respeito à verdade.

Não foi o que aconteceu.

Allan Garces nunca se submeteu a pusilanimidade e subserviência e isso lhe rendeu inimigos poderosos e, por serem poderosos, as perseguições se avolumaram.

Demitido tanto da rede se saúde municipal e estadual, Allan não se deixou abater e quando a candidatura do Bolsonaro nem era uma hipótese, transformou-se no maior ícone da direita maranhense, pagando o alto preço por esse posicionamento. Essa posição não guardava nenhum tipo de interesse subalterno, mas a convicção de que teria que haver mudança.

No momento que o deputado Bolsonaro se torna vitorioso, os olhos se voltaram céleres para o Allan. Quando ele é chamado para ser um colaborador da transição, a preocupação e a inveja campearam por inúmeras mentes. As razões são interessantes.

Allan é independente, correto, competente, honesto, trabalhador e não deve favores aos chefes e chefetes de nossa província. A sua importância como principal líder da direita maranhense não foi um milagre, nem indicação: foi trabalho, sangue, suor e lágrima. Sou testemunha.

Allan tem um belo futuro político. Seus mais de 20 mil votos foram seus, sérios, honestos e sem sombras de fraudes e poderio econômico. O incômodo que causa, portanto, tanto é na turma de esquerda, vinculada ao governador Dino, como dentro do seu próprio arraial, no chamado “fogo amigo”, que nada tem de amigo.

A mim, dentro da minha experiência e respeito para com o Allan, só resta torcer para que ele seja reconhecido, nesse novo momento político de nossa pátria. Caso pudesse falar com o presidente Bolsonaro, dir-lhe-ia: presidente, o Allan é um dos seus, trate-o com tal, ou seja, trate-o na altura do seu merecimento.

Isso não é favor, mas o reconhecimento do mérito, uma das diretrizes de novo governo.

A quem Allan incomoda? Não vou nominá-los, mas não são bons brasileiros.

Tenho dito.

ELEIÇÕES 2020: Enquete para prefeito já está no ar. Conheça quem é quem 44

(Post atualizado às 20h58 para fazer o seguinte reparo: Na verdade o recordista de votos nas eleições de 2018 para deputado federal foi Josemar do Maranhãozinho (PR) e não Eduardo Braide, que em verdade foi o mais votado de São Luis e não no estado todo) – A enquete Em quem você votaria para prefeito de São Luis em 2020?já está no ar.

Conforme o Blog do Robert Lobato anunciou ontem, apresenta-se um breve perfil de cada nome que conta na enquete para o leitor saber quem é quem no processo, muitos deles com chances reais de serem mesmo candidatos a prefeito da capital maranhense em 2020. Vamos lá.

Adriano Sarney (PV) – Economista, empresário, administrador e deputado estadual de segundo mandato, Adriano é filho do ex-deputado federal e ex-ministro Sarney Filho, portanto, neto do ex-presidente José Sarney. É uma das principais, se não a principal aposta do grupo Sarney para o futuro, que pode ser dar logo em 2020 como candidato a prefeito de São Luis. Na Assembleia Legislativa tem sido uma das poucas vozes de oposição ao governo Flávio Dino. O deputado obteve 4.977 voto em São Luis na eleição de 2018 de um total de 50.679 votos.

Alan Garcês (PSL) – Médico, natural de Belém (PA), Alan Garcês foi um dos primeiros apoiadores e organizadores, no Maranhão, do movimento em torno da candidatura do agora presidente eleito Jair Bolsonaro. Polêmico, o médico vez e outra está envolto a controvérsias seja na Ufma, onde é professor no curso de Medicina, ou na sociedade, quando ganhou notoriedade com divulgação de vídeos nas redes sociais atacando o PT e as esquerdas em geral. Alan Garcês atualmente integra a equipe de Transição de Governo indicado pelo próprio Jair Bolsonaro. Em 2018 foi candidato a deputado federal e teve 20.288 votos, sendo que 8.303 deles em São Luis.

Astro de Ogum (PR) – Atual presidente da Câmara Municipal de São Luis, já está no segundo mandato à frente da casa, o vereador Martiniano Moreira Leite, popular Astro de Ogum, já anunciou que será “candidato de qualquer jeito”. Ligado à cultura e ao mundo dos “santos”, Astro já detém quatro mandatos de vereador e em 2016 foi eleito com 9.703 votos.

Duarte Júnior (PCdoB) – Eleito deputado estadual com surpreendentes 65.144, dos quais 46.685 somente em São Luis, o advogado Duarte Júnior soube fazer bom uso da máquina do Procon-MA, do qual foi presidente até se licenciar para concorrer às eleições, e também das mídias em geral, tanto as redes sociais quanto da imprensa convencional. Pode ser considerado um “homem de mídia”. Se conseguir apoio do seu partido, Duarte Júnior pode ser dar trabalho aos adversários em 2020.

Eduardo Braide (PMN) – Recordista de votos nas eleições de 2018 na cidade de São Luis, o deputado Eduardo Braide desponta atualmente como um dos nomes favoritos para prefeito em 2020. Sua meteórica ascensão política se deu em virtude de se tornar a “zebra” na eleição para prefeito de São Luis em 2016, quando surpreendeu meio mundo da política ao chegar ao segundo turno daquele pleito com uma estrutura mínima de campanha e sem tempo no horário eleitoral. Mesmo assim, por pouco não derrotou o atual prefeito Edivaldo Júnior. Consagrou-se o deputado federal em 2018 com 189.843 votos, destes 131.553 somente em São Luis, a maior votação da capital.

Eliziane Gama (PPS) – Atual mandatária do cargo de deputada federal, Eliziane Gama já foi deputada estadual por duas vezes e também por duas vezes disputou a prefeitura de São Luis: em 2012, quando chegou em terceiro lugar; e em 2016 quando de favorita acabou amargando um quarto lugar com apenas 6.19% dos votos válidos. Dois anos depois, como uma “Fênix”, Eliziane ressurge das cinzas e elege-se senadora da República com 1.539.916 votos, sendo que 227.856 em São Luis, o que a torna uma potencial candidata à prefeita em 2020.

Empresário Janderson Landim (Sem partido) – Eis uma novidade que surge entre os possíveis candidatos a prefeito de São Luis. Empresário bem sucedido, Janderson Landim é o que costuma-se chamar de outsider da política, embora sempre esteve próximo dela e dos políticos na condição de marqueteiro. Aliás, marqueteiro bem sucedido dentro e fora do Maranhão. Janderson tem a convicção de que a gestão pública deve dar resultado tal como uma empresa, com a diferença que o lucro da gestão pública são os bons serviços prestados à população. É com essa concepção da política e dos negócios públicos que o empresário deverá se apresentar em 2020 como candidato a prefeito de São Luis.

Fábio Câmara (PSL) – Ex-vereador de São Luis, Fábio Câmara disputou uma vaga para a Assembleia Legislativa do Maranhão obtendo 14.838 votos, todo conquistas a partir do seu trabalho nas comunidades mais carentes. Na capital foram 10.520 votos, superando muitos nomes da política tradicional maranhense e ludovicense. Em 2020, Fábio assegura que estará na disputa pela sucessão de prefeito Edvaldo Júnior e aposta em concorrer pelo mesmo PSL do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Felipe Camarão (DEM) – No comando da Secretaria de Educação desde março de 2016, o procurador federal Felipe Camarão se tornou uma espécie de “coringa” do governador Flávio Dino e por pouco não foi o seu vice nas eleições de 2018 ou mesmo deputado estadual. Publicamente, o secretário nega que tenha planos eleitorais em mente, mas, de repente, pode aparecer com aquela clássica história: “Eu não quero, mas se o povo quiser…”. Tudo vai depender da conjuntura até 2020 e principalmente dos planos de Flávio Dino para o seu grupo político.

Ivaldo Rodrigues (PDT) – Pedetista histórico, vereador licenciado, atual secretário de Governo da Prefeitura de São Luis, Ivaldo Rodrigues é um dos nomes que o PDT tem na “manga” para lançar nas eleições municipais daqui a dois anos. Militante social e político desde a juventude, vereador atuante, Ivaldo ganhou maior popularidade e também prestígio político com o advento da “Feirinha de São Luis”, idealizada e coordenada por ele. Por ser do PDT, mesmo partido do prefeito, pode ajudar no projeto do líder trabalhista em 2020. Já no terceiro mandato de vereador, Ivaldo Rodrigues foi eleito com 5.115 votos em 2016.

Márcio Jerry (PCdoB) – Querido e odiado em um só tempo, o presidente estadual do PCdoB foi eleito deputado federal com 134.223 votos, uma boa votação, mas aquém do que poderia obter na condição de segundo “homem forte” do Palácio dos Leões abaixo apenas do governador Flávio Dino. Márcio Jerry nunca tratou da possibilidade de ser candidato a prefeito de São Luis, até pela responsabilidade que possui na condição de presidente do seu partido, de líder político ligado ao grupo governador e agora na condição de deputado federal. Foram 17.246 votos em São Luis. Márcio Jerry pode não ser carismático a ponto de virar candidato a prefeito de São Luis, por outro lado é um erro crasso os adversários subestimarem a capacidade política do comunista. Com certeza as eleições de 2020 passará por Márcio Jerry.

Neto Evangelista (DEM) – Uma das mais promissoras lideranças da nova geração de políticos maranhenses, o deputado estadual reeleito Neto Evangelista é um homem afeto a desafios. E deixou isso claro quando aceitou o convite do governador Flávio Dino para deixar o seu mandato de deputado estadual e assumir a gigantesca Secretaria de Desenvolvimento Social. Neto tirou de letra o exercício do cargo de secretário da Sedes, tornando-se um dos melhores secretário do atual governo do Maranhão, se não o melhor. Em 2018 obteve 49.480 votos, destes 12.510 em São Luis. A passagem pela Sedes credencia Neto Evangelista a tentar viabilizar um projeto mais ambicioso que é ser prefeito de São Luis. Mas, até 2020, há muito chão pela frente.

Pedro Lucas Fernandes (PTB) – Outra grata liderança da nova geração de políticos do Maranhão, o vereador por São Luis Pedro Lucas Fernandes teve uma excelente votação para deputado federal elegendo-se com 111.538 votos, boa parte deles divididos entre o seu trabalho exercido na Câmara Municipal e o legado do seu pai, o ainda deputado federal Pedro Fernandes. Um dos vereadores com maior prestígio tanto com o prefeito Edivaldo quanto o governador Flávio Dino, Pedro Lucas saiu das urnas de 2018, em São Luis, com 32.825 votos, nada mal para quem entrou recentemente na política. Com certeza é um nome que deve crescer até 2020.

Wellington do Curso (PSDB) – Considerado de longe um dos deputados estaduais mais atuantes, propositivos, assíduos e pontuais da Assembleia Legislativa do Maranhão, o empresário Wellington do Curso teve a sua excelente atuação parlamentar reconhecida pelo povo maranhense que o reelegeu com 24.950 votos, 17.328 votos só na capital São Luis. Incansável, Wellington deverá ser a principal voz da posição ao Palácio dos Leões na próxima legislatura. Em 2016, disputou a eleição de prefeito de São Luis ficando em terceiro lugar com 19.80% votos válidos, o que corresponde a exatos 103.951 votos. Portanto, Wellington do Curso é uma “foto” que pode reaparecer as urnas em 2020.

Zé Inácio (PT) – “Baixadeiro da Gema”, petista histórico desde os tempos de estudante, Zé Inácio é atualmente o único deputado petista com assento na Assembleia Legislativa do Maranhão e continuará sendo a partir de fevereiro de 2019. Defensor de causas dos trabalhadores do campo e da cidade, direitos humanos e minorias em geral, Zé Inácio tem pautado o seu mandato também com apresentação de bons projetos para a sociedade. Além da experiência no parlamento, Zé Inácio possui experiência administrativa relevante, como ex-delegado Regional do Desenvolvimento Agrário e ex-superientende estadual do Incra, ambos exercidos nos governos Lula e Dilma. Zé Inácio tem defendido o debate sobre candidatura própria do PT à prefeitura de São Luis, e com certeza deverá ser um nome que o partido apreciará dentro do calendário eleitoral próprio do PT.

PS: A cada seis mesesm até as eleições municipais de 2020, o Blog do Robert Lobato fará enquetes atualizando com novos nomes que forem surgindo.

Bom desempenho eleitoral de Fábio Câmara em São Luis o coloca na disputa pela sucessão de Edivaldo Jr. 24

Fábio Câmara está credenciado para dar voos mais altos em 2020 dentro de uma conjuntura que, ao que tudo indica, será com Jair Bolsonaro, também do PSL, no comando do país, o que pode, caso não se tenha maiores sobressaltos com no governo do “capitão”, favorecer uma candidatura de “Tio Fábio” a prefeito de São Luis.

Não pode ser ignorado o desempenho do ex-vereador por São Luis, Fábio Câmara nas eleições 2018.

O ex-candidato a deputado estadual pelo PSL obteve 14.838 votos (0,46% dos votos válidos), destes mais de 10 mil somente na capital maranhense, ultrapassando nomes e fortes e tradicionais como Roberto Costa e Helena do Dualibe, para citar apenas esses.

Essa votação de Fábio Câmara remete à duas questões fundamentais.

A primeira é que o ex-vereador mostra que consolidou liderança própria ao ter boa votação em São Luis e não pode ser mais considerado mero produto desse ou daquele “pai político”. Foram votos conseguidos pura e simplesmente pelo carisma, serviços prestados à população, sobretudo a mais carente, e à luta desse político negro, de origem pobre que teve os seus primeiros contatos com o mundo da política “limpando os banheiros da sede do MDB”, como Fábio costuma relembrar – ele foi filiado ao MDB por vinte anos.

A segunda questão é que Fábio Câmara está credenciado para dar voos mais altos já nas eleições de 2020 dentro de uma conjuntura que, ao que tudo indica, será com Jair Bolsonaro, também do PSL, no comando do país, o que pode, caso não se tenha maiores sobressaltos com no governo do “capitão”, favorecer uma candidatura de “Tio Fábio” a prefeito de São Luis.

É aguardar e conferir.

Eleito deputado federal, Pedro Lucas Fernandes consolida sua liderança em São Luis 2

Pedro Lucas Fernandes surge ainda como um potencial nome do grupo político do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTD) para sucedê-lo nas eleições municipais de 2020.

O vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB) foi eleito deputado federal com quase 110 mil votos.

Reconhecido como um dos melhores e mais atuantes vereadores de São Luis, Pedro Lucas terá não apenas a nobre missão de representar o legado do seu pai, o ainda deputado federal Pedro Fernandes, no Congresso Nacional, que foi um ótimo parlamentar e muito respeitado no parlamento brasileiro, mas principalmente mostrar que pode fazer um mandato ainda melhor do que faz enquanto vereador, até porque a estrutura de deputado federal irá contribuir muito para que isso seja possível.

Nesse sentido, Pedro Lucas Fernandes surge ainda como um potencial nome do grupo político do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTD) para sucedê-lo nas eleições municipais de 2020.

Nada mal se levarmos em conta um cenário que aponta para outros bons nomes dessa nova geração de políticos que emergiu das urnas no domingo, 7 de outubro de 2018.

O Blog do Robert Lobato parabeniza o vereador Pedro Lucas pela sua eleição a deputado federal, bem como o seu pai Pedro Fernandes, e deseja todo sucesso para esse promissor jovem político maranhense.

SÃO LUIS: Se eleito mais uma vez deputado estadual, Neto Evangelista se torna um forte nome para sucessão de Edivaldo Holanda Jr. 6

Ao ver o seu discurso ontem, sai com a impressão lá do local do ato que Neto Evangelista quer, claro, em primeiro lugar garantir mais uma vez um assento na Assembleia Legislativa do Maranhão e depois disso o alvo é a prefeitura de São Luis.

Nunca fui de ir em festa dos outros de penetra. Aliás, só nos tempos de juventude nos aniversários lá no bairro da Cohab. Mas isso era comum na época e tinha até algo de romântico, coisa que já não existe mais.

Pois ontem, domingo, 26, estive no lançamento da candidatura de Neto Evangelista (DEM) a deputado estadual a convite, claro, do jovem parlamentar.

Uma grande festa popular, assim pode ser descrita o ato de lançamento da campanha de Neto Evangelista, que com apenas 30 anos concorre ao terceiro mandato de deputado estadual.

O parlamentar deve conseguir sua eleição e tudo indica que estará entre os deputados estaduais mais votados nas eleições 2018.

Passado o pleito deste ano, porém, não há qualquer dúvida que Neto Evangelista estará entre os pretendentes à sucessão do atual prefeito Edvaldo Holanda Júnior (PDT) nas eleições de 2020. E caso realmente dispute a eleição municipal e se eleja prefeito, Neto Evangelista será um prefeito muito mais arrojado, ousado, criativo e competente do que o atual gestor municipal de São Luis.

Ao ver o seu discurso ontem, sai com a impressão lá do local do ato que Neto Evangelista quer, claro, em primeiro lugar garantir mais uma vez um assento na Assembleia Legislativa do Maranhão, mas depois disso o alvo é a prefeitura de São Luis.

A ter como parâmetro a experiência de gestor que Neto Evangelista teve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), não há como deixar de reconhecer que ele seria uma bom prefeito para a nossa capital.

É anotar e conferir.

CAXIAS: Fábio Gentil faz gestão bem-sucedida com recursos próprios

Em seu primeiro ano de mandato, gestor lista uma série de obras e outras ações de impacto executadas pelo Município, totalizando R$ 25 milhões em investimentos

Daniel Matos, para O Estado do Maranhão

O prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB), faz um balanço altamente positivo do seu primeiro ano de gestão e lista uma série de obras impactantes e diversas outras ações realizadas em 2017. Sem ajuda financeira do governo estadual ou de qualquer outro órgão, ele superou as dificuldades financeiras e, com recursos próprios, executou inúmeras benfeitorias, que mudaram a realidade caxiense em apenas 12 meses.

Fábio Gentil toma como referência o último mês do ano passado para demonstrar quão bem-sucedida e responsável tem sido sua gestão. Ele lembra que em dezembro cumpriu o compromisso de pagar o 13º e o salário do mês em um período recorde de 15 dias.

“Isso me deu uma segurança maior na forma de administrar. Nós percebemos que é possível fazer, apesar das dificuldades”, enfatizou, ressaltando que além de manter a folha em dia nos 12 meses de 2017, sempre pagou os vencimentos do funcionalismo antecipadamente, no máximo, até o dia 19.

Enxugamento da folha

Uma das primeiras ações adotadas por Fábio Gentil ao assumir o mandato de prefeito foi reduzir o número de secretarias municipais de 32 para 12. Outra providência foi identificar os servidores que recebiam salários da prefeitura, mas não trabalhavam, conhecidos popularmente como “fantasmas”. “Não eram poucos os funcionários nessas condições, que ganhavam salários entre R$ 2 mil e R$ 11 mil. Após fazermos os ajustes, conseguimos reduzir os gastos com a folha em R$ 1 milhão”, revela.

O prefeito atribui os bons resultados da sua administração à capacidade que sua equipe de governo tem de criar, sobressaindo-se em meio à crise. Para Fábio Gentil, a eficiência e a responsabilidade da gestão possibilitaram à Prefeitura de Caxias investir R$ 25 milhões em obras. A lista inclui a construção de avenidas, de pontes de concreto armado, aplicação de centenas de quilômetros de asfalto e sistemas de abastecimento de água, com perfuração de poços artesianos e interligação dos imóveis à rede. “Somos o único município a investir tamanha soma em obras, com recursos próprios. Desconheço outra cidade em todo o Maranhão que esteja investindo tanto quanto nós com receitas próprias”, assinala o gestor, que projeta para este ano um cenário ainda mais positivo.

Vereador por 20 anos, Fábio Gentil recorda que em seu último mandato legislativo discutiu muito na Câmara Municipal o porquê de Caxias não ter, na gestão passada, uma única placa de inauguração que indicasse que determinada obra fora executada unicamente pela prefeitura. “Em nossa administração investimos logo R$ 25 milhões e todos duvidavam de onde viriam os recursos”, pontua, assegurando que qualquer prefeito pode fazer o mesmo, desde que respeite o pensamento do povo e defina prioridades.

Perdas

Fábio Gentil relembra que no inicio do seu mandato de prefeito, Caxias amargou perda de recursos que deveriam ter sido destinados pelo Governo do Estado ao município, sobretudo na área de saúde. “Sofremos perdas, mas, não só mantivemos o atendimento, como avançamos, melhorando a assistência médica na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e aumentando o número de profissionais de saúde”. Ele recorda que recebeu o Município com um hospital de urgência e emergência fechado, que além de ter sido reaberto, está sendo ampliado em mais de dois mil metros quadrados.

Sobre as dificuldades com as quais se deparou ao assumir a prefeitura, o gestor reconheceu que tinha plena convicção das condições desfavoráveis que encontraria. “Não adianta só chorar, nós temos que resolver. E nossa equipe é preparada para dar bons resultados”, salienta.

Responsabilidade

A responsabilidade foi outra marca registrada do primeiro ano da atual gestão municipal de Caxias. Atualmente, segundo o prefeito, todas as despesas com fornecedores e prestadores de serviços estão com pagamentos em dias, restando apenas débitos da administração passada. “A nossa gestão está 100% limpa e regular”, garante Gentil. “Estamos pagando, neste mês, um abono aos professores equivalente ao 14º salário. São poucas as cidades que conseguem isso sem prejudicar o andamento legal e o funcionamento da educação”, ressalta o prefeito, que autorizou reajuste de 9% ao piso salarial dos educadores, superior aos 7% concedidos pelo Governo Federal.

Fábio Gentil afirma que está sempre em busca de convênios com órgãos federais e até mesmo com o governo estadual. Segundo ele, a prefeitura tem diversos projetos elaborados, todos com o intuito de favorecer o povo caxiense. Ele menciona o convênio assinado recentemente com a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) para a construção de estradas vicinais e para a reforma do Mercado Central.

Em relação à falta de apoio do Estado, ele lembra que os recursos que foram retirados jamais retornaram ao Município, mas frisa que o auxílio que vier será bem vindo e será revertido em prol da população. “Caxias faz parte do Maranhão. O governador tem o compromisso e a obrigação de ajudar não só Caxias, mas todos os 217 municípios maranhenses”, alerta. “Continuamos buscando caminhos para que o Governo do Estado consiga enxergar e respeitar o povo de Caxias e contribuir com convênios e outras ações voltadas à saúde pública do município, como fazia na gestão anterior”.

Município tem investimentos em várias frentes

O Natal Iluminado de Caxias, com programação alusiva ao período realizada em diferentes pontos do município, foi outro destaque do primeiro ano de gestão, de acordo com Fábio Gentil. O prefeito classificou o evento como um dos maiores e melhores natais do Nordeste, a ponto de Caxias ter sido comparada a Gramado (RS), estimulando, o turismo na cidade. Frisou, ainda, que a mão de obra contratada para as festividades foi predominantemente local, o que fez os recursos circularem dentro do próprio município.

Fábio Gentil listou diversas outras ações realizadas em seu primeiro ano de gestão, a exemplo da inauguração, em 23 de dezembro, da Praça Dom Luís Marelim, um dos maiores logradouros públicos do interior do Maranhão, tanto em termos de área física, quanto em funcionalidade. “Dotamos a praça com tudo o que há de melhor, a exemplo de anfiteatro, fonte interativa, luminosa e musical, academia ao ar livre, pista de cooper, pátio de diversões, dentre outros equipamentos”, enumera.
Livros didáticos

Outra ação inédita da gestão de Fábio Gentil foi a aquisição de livros didáticos para todos os estudantes da educação infantil da rede pública de ensino de Caxias, graças a um investimento de R$ 2 milhões em recursos exclusivos da prefeitura. “Estamos sempre fazendo algo diferente em benefício do nosso povo. No caso dos livros didáticos, nunca, na história do nosso município, os alunos haviam recebido material didático”, exalta.

Outro destaque foi a construção de 100 quilômetros de estradas vicinais, que melhoraram os acessos entre as diversas localidades de Caxias e facilitaram o escoamento da produção agrícola. Sobre essa última atividade, o prefeito informa que a própria prefeitura se encarrega de fomentar o setor, adquirindo os produtos da agricultura familiar para servir na merenda escolar, nos hospitais municipais e em repartições”.
Eleição

Política

Sobre o cenário eleitoral e os apoios políticos que, porventura, vier a dar a determinadas candidaturas, Fábio Gentil diz que levará em conta, acima de tudo, o que for melhor para Caxias. O prefeito reconhece a importância da cidade que administra como pólo da Região dos Cocais e garante que quem fizer por Caxias será recompensado. “Nós ajudaremos quem ajudar a cidade. Estou pronto para assumir compromisso político com aquele que dispuser a ajudar o município de Caxias”, afirma, apontando como única certeza em relação à eleição de outubro, neste momento, o apoio que dará à candidatura do vice-prefeito, Paulo Marinho Júnior (PMDB), a deputado federal.

Fábio Gentil lembrou, ainda, os quatro prêmios com os quais foi agraciado pelo bom desempenho da sua gestão (o segundo melhor prefeito do Maranhão, em Recife (PE); Excelência e Qualidade Brasil, em São Paulo, como o prefeito maranhense que mais investiu em saúde; uma moção de aplauso da Assembleia Legislativa e o prêmio The Best, em São Luís). Abordou também sua boa relação com a Câmara Municipal, onde 15 dos 19 vereadores fazem parte da sua base de apoio.

O prefeito promete fazer o melhor Carnaval da história de Caxias, lembrando que ano passado teve apenas um mês para planejar a folia e ainda assim fez um evento memorável.

O plano de trabalho de Fábio Gentil também contempla o transporte público, antes inexistente em Caxias. “Hoje, temos 14 ônibus no município e nossa meta para este ano é dobrar a frota”, anuncia.

EM VÍDEO, prefeito Lahesio Rodrigues dá lição a Flávio Dino: “Respeite o direito do nosso município” 2

O governador comunista parece possuir uma bronca com o prefeito, pois recentemente o tratou de forma completamente deselegante no Palácio dos Leões dando, inclusive, as costa para o gestor municipal.

São Pedro dos Crentes é um dos menores municípios maranhenses com pouco menos de 5 mil habitantes, encravada no coração do Região do Sul do estado.

E não é por ser uma cidade de pequeno porte que deve ser tratada de forma perversa e discricionária pelo governo de Flávio Dino (PCdoB).

Pois bem. Na semana passada, o prefeito Lahesio Rodrigues do Bonfim (PSDB) gravou e divulgou um vídeo nas redes sociais onde dá uma verdadeira lição de moral em Flávio Dino. Aliás, o governador comunista parece possuir uma bronca com o prefeito, pois recentemente o tratou de forma completamente deselegante no Palácio dos Leões dando, inclusive, as costa para o gestor municipal, segundo fontes do Blog do Robert Lobato.

O pecado cometido pelo prefeito Lahesio Rodrigues? Só um: exigir o pagamento dos incentivos para o hospital de 20 leitos de São Pedro dos Crentes.

Mas, por pura Birra. Flávio Dino não autoriza o repasse do recurso para o hospital construindo no governo passado, da mesma forma fazia como o município de Bequimão. administrado pelo prefeito Zé Martins (PMDB).

Confira, a seguir, o vídeo arrasador de Lahesio Rodrigues que, além de prefeito, também é médico.