Sobre no que transformaram a OAB-MA 8

Para quem acha que as últimas eleições no país foram marcadas por muitas baixarias e um festival de fake news, essa campanha pela presidência da OAB-MA supera em tudo o que não presta em termos canalhices, falta de respeito entre concorrentes, jogo sujo, manipulação, traições, trapaçarias, compra de votos e mesmo manipulação de parte da imprensa.

A Ordem dos Advogados do Brasil é uma das entidades de classe mais respeitadas do Brasil, além de muito politizada no sentido amplo e positivo do termo.

A OAB sempre esteve ao lado da sociedade quando esta encontrava-se em apuros em diversos momentos da história nacional, notadamente no período pós-golpe de 64, entre outros. Trata-se de uma instituição não somente aliada, mas fundamental para a nossa democracia.

No que a entidade é grandiosa no plano nacional e mesmo em outros estados, lamentavelmente no Maranhão a OAB foi transformada em um organismo de terceira categoria onde não desperta mais o interesse de grandes e respeitados advogados.

A seccional da Ordem no Maranhão tem sido desmoralizada dia a dia por conta da eleição para a nova diretoria que acontece nas próximas semanas.

Para quem acha que as últimas eleições no país foram marcadas por muitas baixarias e um festival de fake news, essa campanha pela presidência da OAB-MA supera em tudo o que não presta em termos canalhices, falta de respeito entre concorrentes, jogo sujo, manipulação, traições, trapaçarias, compra de votos e mesmo manipulação de parte da imprensa.

A campanha tem revelado que a defesa dos interesses dos advogados maranhenses está longe ser objetivo principal das chapas que se engalfinham nesse processo eleitoral da OAB-MA. O que está em jogo, o grande interesse em verdade, é tão somente a gestão de uma fortuna, muita grana mesmo e poder pelo poder para gozo de privilégios diversos.

Enfim, no Maranhão a OAB foi transformada num covil de “animais” que lutam entre si exalando um mau cheiro que sai da suntuosa sede da entidade. Por estas terras a coisa está mais para “Desordem dos Advogados do Maranhão”!

Nem a Lagoa da Jansen está mais fedida do que a OAB-MA, que além de fedida, a entidade parece estar, com o perdão da grosseria, fudida!

Pobre entidade rica a OAB-MA.

Advogado Alex Ferreira Borralho solicita ao TJMA o cumprimento do Estatuto da Ordem 2

O advogado Alex Ferreira Borralho requereu ao Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão que seja implementado ato administrativo interno determinando a adoção pelo Poder Judiciário Maranhense, de reserva de lugares para advogados junto à tribuna, para que se dirijam desses assentos, aos julgadores e aos Promotores e Justiça, durante as audiências e sessões.

Via blog do Luis Cardoso

Borralho explica que o requerimento foi encaminhado ao Presidente do TJMA, com cópia específica para todos os Desembargadores, visando, especificamente, a destinação ao advogado ou advogada de assento em local específico à sustentação oral ou acompanhamento de julgamentos, em igual nível e, quando possível, ao lado dos juízes de primeira instância ou do presidente do Tribunal, Câmara ou Turma.

“Já existe uma decisão do Conselho Nacional de Justiça, que recomenda aos órgãos do Poder Judiciário que sejam adotadas medidas no sentido de providenciar, junto aos púlpitos das sessões de julgamento, cadeira para que os advogados que fazem sustentação oral, possam acompanhar os julgamentos sentados. No entanto, a ausência de regulamentação interna para tal fim foi o motivo do requerimento que efetivei e que beneficia toda a classe de advogados, tanto do estado do maranhão, quanto de outras unidades da federação brasileira. Tenho certeza que o Presidente do Sodalício Estadual Maranhense, por ser originário da advocacia, assim como, todos os seus pares, que não estão medindo esforços para buscar melhorias no Poder Judiciário e para fortalecer o Estado Democrático de Direitos, irão se sensibilizar com o pleito, que é destinado a toda a classe jurídica. O advogado é um representante do cidadão. Precisamos todos atentar para a necessidade de isonomia de tratamento consagrada na Constituição Federal entre a advocacia, a magistratura e o Ministério Público e isso passa pela observância concreta do previsto no artigo 133, da Carta Republicana Federal e dos artigos 6º, caput, e 7º, inciso XII, do Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil”, expressou Alex Borralho.

ELEIÇÕES OAB-MA 2018: Oposição vai monitorar uso político-eleitoral da estrutura da entidade pela atual diretoria 3

Oposição está de olho no abuso do atual presidente da OAB-MA, Thiago Diaz.

O Blog do Robert Lobato apurou que as chapas de oposição à atual direção da OAB-MA irão monitorar uma possível utilização indevida da Assessoria de Comunicação da seccional pela candidatura do atual presidente Thiago Diaz.

Pelas informações da fonte, bem situada na OAB-MA, diga-se, já existe contrato com uma agência de publicidade, uma assessoria de comunicação e uma empresa de monitoramento, que são prestadoras de serviços da instituição e que poderão ser usadas para fins eleitoreiros e não institucionais como determina o estatuto da Ordem.

Numa reunião preliminar, as candidaturas de oposição definiram que serão rigorosos na fiscalização da Assessoria de Comunicação para evitar o uso político-eleitoral pela diretoria de Thiago Diaz.

O sinal de alerta acendeu, no último final de semana, após um diretor da Escolar Superior da Advocacia (ESA), ser o entrevistado de um programa na TV, quando nestes quase dois anos, jamais deu qualquer entrevista.

As chapas devem marcar ainda nesta semana, um novo encontro para definir novas estratégias para impedir o uso ilegal da comunicação institucional da OAB-MA. Outros setores da seccional também deverão ser monitorados para impedir abusos da estrutura da instituição para a campanha de reeleição Thiago Diaz.

As eleições para a nova diretoria da OAB-MA estão previstas para acontecer em novembro deste ano.

DECEPÇÃO E FRACASSO

Eleito com o discurso de “mudança”, “renovação”, “transparência” e tudo mais, Thiago Diaz revelou-se uma completa decepção para os seus aliados, inclusive os mais próximos como, por exemplo, o vice-presidente Pedro Alencar, que, em verdade, foi quem “inventou” Thiago Diaz e acabou criando um  monstro. Isso sem falar no fracasso retumbante que é a sua gestão.

Hoje praticamente todos o que apoiaram a sua eleição na última eleição para a OAB-MA afastaram-se do atual presidente da entidade.

É aquela velha máxima: “O poder não muda as pessoas, apenas revela quem realmente elas são”.

OAB-MA: Uma decepção chamada Thiago Diaz 7

O que se vê hoje é uma gestão desastrosa, uma entidade exposta ao ridículo e um presidente isolado na sua própria vaidade e autoritarismo

Talvez não se tenha notícia de um presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Maranhão, que tenha causado tanta decepção na categoria e mesmo na sociedade como acontece agora com o Thiago Diaz.

O jovem advogado se perdeu por completo à frente desta que é uma das entidades de classe mais respeitadas e prestigiadas do país!

A postura de Thiago Diaz no comando da OAB-MA nos faz lembrar aquela frase que diz: O poder não muda as pessoas, ele apenas revela quem as pessoas realmente são.

Lembro quando aquele advogado tímido, cheio de projetos e sonhos para mudar a OAB-MA, com discuso moderno, renovador, progressista, ético etc., mobilizou outros tantos colegas igualmente jovens todos com um único objetivo: dar vida nova à Ordem que há anos vinha sendo dirigida pelo mesmo grupo.

O movimento coordenado inicialmente por Thiago Diaz e Pedro Alencar, logo ganhou musculatura e capilaridade em todo o estado do Maranhão. E antes mesmo do processo eleitoral para escolha da nova diretoria, o movimento já havia conquistado a simpatia e o apoio de advogados das gerações mais velhas que viam naqueles garotos e garotas a energia necessária para o enfrentamento aos novos desafios impostos à entidade. E assim se deu a vitória da chapa “Renovar para Mudar”, em 2015.

Passados poucos mais de dois anos daquela data histórica, o que se vê hoje é uma gestão desastrosa, uma entidade exposta ao ridículo e um presidente isolado na sua própria vaidade e autoritarismo. E nem mesmo o seu leal parceiro de movimento antes da eleição/vitória, o advogado Pedro Alencar, sobreviveu à mudança de personalidade e de caráter de Thiago Diaz. Ou seja, nada “renovação”, pior ainda de mudança!

Se é verdade que presidente da OAB-MA entrou novo na entidade, não é menos verdade que deverá sair velho de lá.

Digo velho no sentido das práticas retrógradas, arcaicas e até mesmo reacionárias às quais o senhor Thiago Diaz resolveu adotar assim que sentou na cadeira de presidente.

Triste fim de Policarpo Quaresma…