A quem Joaquim Haickel serve? (Parte final) 30

Que Quincas mantenha-se firme em ao menos numa posição que tem defendido com rigor nas redes sociais e grupos de WhatsApp: a de ajudar derrotar Flávio Dino nas eleições de 2018

Bom, o Blog do Robert Lobato chega à última parte da trilogia A quem Joaquim Haickel serve?.

Confesso que não imaginava que faria tanto sucesso essa série de posts entre os nossos leitores. “Bombou”, para usar o jargão das redes sociais (Rsrsrs).

Entre muitos comentários, vários elogios e algumas críticas, fica a impressão de Joaquim Haickel é uma personalidade controversa no meio político. E isso não é ruim não, uma vez que mostra que o ex-deputado influencia, de alguma forma, a opinião pública.

Que fique claro que em nenhum momento este humilde blogueiro quis sacanear com Quincas, apenas tentou fazer um debate democrático com o imortal da Academia Maranhense de Letras sobre se vale apena ser tão gelatinoso politicamente falando.

Embora tenha respondido de forma malcriada, diga-se, a pergunta que dá título à trilogia afirmando que só serve a sua consciência, o velho e bom Quincas deixou algumas dúvidas no ar. Senão vejamos.

Embora ele tenha dito que é “sábio” e “sabido”, pelo menos no caso do “sabido” ele concorda comigo, Joaquim tergiversa sobre em quem votará concretamente para governador. Ou seja, defende apaixonadamente a “tese Braide”, mas evita declarar voto abertamente ao jovem deputado estadual a quem jura não conhecer direito, o que é hilário uma vez que quem é “sábio e sabido” deveria conhecer melhor o pré-candidato que ele assegura ser o único a ter chances de vencer Flávio Dino nas eleições de outubro.

Joaquim Haickel jura de pés juntos que é “sarneysista” e não se envergonha de admitir essa sua condição, apenas faz questão de fazer a devida ressalva de que não é “roseanista”. É um direito dele.

A única certeza que se tem é que o primeiro voto para senador de Quincas é o deputado federal Weverton Rocha devido a relação fraterna que construíram em nome e em torno do Ginásio Costa Rodrigues onde Quizinho praticava basquete nos tempos de juventude. O segundo voto ainda é um mistério, talvez o seu amigo Fernando Sarney o convença de votar em Zequinha. Talvez…

De qualquer forma, e pelo seu jeito “amplo” de fazer política, meu caro amigo Joaquim teria espaço em qualquer governo e possui qualidades políticas e técnicas para assumir, por exemplo, uma Secretária de Cultura seja Flávio Dino, Roseana Sarney, Roberto Rocha, Eduardo Braide, Maura Jorge ou qualquer outro ou outra que ganhar a eleição.

Por fim, que Quincas se mantenha firme pelo menos na posição que tem defendido com rigor nas redes sociais e grupos de WhatsApp: a de ajudar derrotar Flávio Dino nas eleições de 2018.

E que Joaquim Haickel continue servindo a sua consciência.

Ou consciências…