ELEIÇÕES 2018: O PT muda de sede, mas continua o mesmo! 4

O PT muda de sede, mas continua o mesmo. O “mesmo” no sentido de não conseguir aproveitar a conjuntura nacional favorável ao enfrentamento contra o governo Temer, unir as forças internas e apresentar à sociedade um projeto político-eleitoral para 2018, seja em aliança, seja em voo solo

O diretório estadual do PT está de sede nova, inaugurada ontem, segunda-feira, 13 – no mesmo dia do aniversário do Blog do Robert Lobato (Rsrsrs).

Na semana passado, é bom que se diga, a sede foi vandalizada provavelmente por setores da direita antipetista e anti-Lula, numa ação de ódio que foi repudiada não somente por dirigentes e lideranças do PT, mas também de outros partidos.

A nova sede está localizada no bairro do Cohafuma no mesmo local onde já funcionou uma ONG ligada ao deputado federal e presidente estadual do PDT, Weverton Rocha, segundo apurou o Blog do Robert Lobato – não foi possível confirmar se o “Maragato”, ou algum familiar seu, é o proprietário do imóvel.

Infelizmente, o PT nunca conseguiu realizar o sonho da casa própria! Nem mesmo agora na gestão de Augusto Lobato, que é corretor de imóveis, o partido arrumou um jeito legal de sair do aluguel. O PT ainda é, portanto, nômade no sentido de não possuir um endereço fixo.

Ato político

Augusto Lobato: Presidente do PT não conseguiu mobilizar nenhuma liderança nacional de peso para a inauguração da nova sede do partido.

Inaugurações de novas de sedes, ou melhor dizendo, de “novos endereços” do PT no Maranhão, sempre foi motivo para criar um fato político.

Nessa nova inauguração, o que era para ser um ato/fato político de grandeza considerável não passou de “mais do mesmo”. A atual direção não conseguiu trazer nenhum quadro nacional de peso para o evento – sem falar na ausência de lideranças petistas do interior do estado.

O senador Lindbergh Farias (RJ), cuja presença no ato estava prevista através de uma articulação do ex-secretário de Esporte Márcio Jardim, de última hora teria sido orientado a não vir a São Luis – há quem diga que o próprio Márcio reavaliou o convite a Lindbergh e decidiu pedir para que o senador fluminense não desembarcasse na ilha.

O fato que nem Lindbergh e muito menos Márcio Jardim marcaram presença na inauguração do novo endereço do PT.

Deram as caras por lá o deputado estadual Bira “Quero-quero” Pindaré (ainda no PSB); os deputados federais Weverton “Maragato” Rocha e Waldir “Senador” Maranhão” (PP); o presidente do PCdoB, Márcio “Mickey” Jerry; o vereador licenciado Ivaldo Rodrigues (PDT), além dos parlamentares petistas Zé Inácio e Zé Carlos, deputado estadual e deputado federal, respectivamente; e ainda o vereador Honorato Fernandes.

Ou seja, o PT muda de sede, mas continua o mesmo.

O “mesmo” no sentido de não conseguir aproveitar a conjuntura nacional favorável ao enfrentamento contra o governo Temer, unir as forças internas e apresentar à sociedade um projeto político-eleitoral para 2018, seja em aliança, seja em voo solo.

É o PT/MA sendo o PT/MA.

Até quando?

ELEIÇÕES 2018: “Candidatura própria é o melhor caminho para o PT do Maranhão”, afirma dirigente estadual do partido 6

Ganha força a tese por um projeto próprio do PT para 2018 e já começa a ser defendida abertamente por lideranças importantes do partido, tais como o deputado federal Zé Carlos; o ex-reitor do Ifma, professor Zé Costa e até por integrantes ligados à chamada “Resistência Petista”, que após a “fufucada” de Márcio Jardim da Secretaria de Esporte e Lazer resolveram repensar a aliança com os comunistas no Maranhão.

Rogério do PT: “Não tenho mais diálogo de aliança com o PCdoB”.

“Na verdade estou me distanciando do debate de aliança com o PCdoB, não vou mais defender essa aliança, minha posição é de candidatura própria, não defendo mais a Tese de aliança com o governador Flávio Dino, o PT não é subserviente de ninguém, o nosso projeto é de recuperar o protagonismo do PT e eleger Lula em 2018. (…) Presidente fraco, tá amarrado pelo cargo no estado, sem altivez o nosso PT será apenas uma extensão do PCdoB no Estado do Maranhão, nunca pensei que o Lobato aceitaria isso de ninguém.”.

As duras palavras acima são do membro da executiva estadual do PT, o ex-vereador pela cidade de Pedreiras, Francisco Rogério Sousa, o Rogério do PT.

Militante aguerrido e apaixonado pelo seu partido, Rogério fez um desabafo num grupo do PT na rede social do WhatsApp revelando o nível da crise interna que atravessa o Partido dos Trabalhadores no Maranhão sob a presidência de Augusto Lobato, que pela manhã despacha no partido e à tarde despacha no Palácio dos Leões como assessor especial do governador Flávio Dino (PCdoB).

Candidatura própria

Além de revelar a crise interna no PT maranhense, o dirigente petista também comprova o que o Blog do Robert Lobato já vem afirmado em várias postagens, ou seja, o crescente sentimento no partido de lançar candidatura própria ao Governo do Estado e ao Senado Federal.

“Eu não tenho mais diálogo de aliança com o PCdoB, minha defesa agora é de candidatura própria, esse é o melhor caminho para o PT do Maranhão, não teremos desgaste internos, pois a perspectiva de crescimento do PT do Maranhão com essa tese é muito maior do que ficar engessado no Governo do Estado”, assegura Rogério do PT.

Engana-se quem pensa que o Rogério do PT é uma voz isolada na defesa de candidatura própria do partido nas eleições de 2018.

A tese por um projeto próprio do PT já é defendida abertamente por lideranças importantes no partido, tais como o deputado federal Zé Carlos; o ex-reitor do Ifma, professor Zé Costa e até por integrantes ligados à chamada “Resistência Petista”, que após a “fufucada” de Márcio Jardim da Secretaria de Esporte e Lazer resolveram repensar a aliança com os comunistas no Maranhão.

O fato é que o PT maranhense segue no drama desgraçado de não saber o que quer e aonde quer chegar.

Enquanto isso, Rogério do PT detona:

“O PT é um partido mágico, o Lobato e sua trupe não têm como tomar o PT dos petistas e entregar para o PCdoB do Maranhão. É hora do presidente assumir a Presidência do PT do Maranhão é entregar o cargo de secretário pessoal do governador. Não é muito bom para o presidente do PT no Maranhão estar com essas algemas num momento delicado de discussão de aliança política.”

É isso aí!