SÃO JOÃO DO SÓTER: Quatro anos do “governo da mudança” e o Maranhão ainda é uma terra sem lei

Via blog Palmas e Palmadas, de Josué Moura

Não se trata aqui de aproveitar uma carnificina como a que ocorreu na até então pacata São João do Sóter – pequeno município Município (1.438,1 km²) criado em 1997, com 17.104 habitantes, localizadona região dos Cocais, à 57 quilômetros de Caxias -, para jogar a culpa no Governo Comunista de Flávio Dino, mas precisamos registrar que tudo isso aconteceu por falta se segurança pública.

O que ocorreu naquele Arraial não foi apenas o que a imprensa chamou de “tragédia”, tornando o sinistro como algo do acaso, “coisa da ignorância de homens”, como se nada fosse possível ser feito preventivamente numa festa para evitar uma matança com os desdobramentos que se seguiram culminando com um linchamento, um dos crimes mais repugnantes da humanidade, que nos dias de hoje significa o império da barbárie e o fracasso do Estado em manter a ordem pública.

Não! São João do Sóter, apesar de ser um pequeno município, não está fora do mundo, não é um caso isolado, é infelizmente o retrato do Maranhão, em especial os chamados “grotões”, onde geralmente tem três policias desaparelhados, incapazes de darem segurança a uma festa pública e depois, sem o reforço necessário, impedirem matanças e linchamentos.

Vista aérea de São João do Sóter-MA, exemplo da falta da presença do Estado na Segurança Pública.

Nesses arruados – conheço muitos em todas as regiões do estado -, pouco se sente a presença ou o poder da autoridade. Polícia quando tem não é confiável e quase todo mundo anda armado. As autoridades? São “otoridades TQQ”, ou seja: o prefeito, o delegado e o juiz – esses dois últimos quando tem – moram na capital e quando ficam no município é somente terça, quarta e quinta.

Assim é o Maranhão, onde na campanha passada um juiz era o candidato e nos prometeu uma “grande mudança”, principalmente na Segurança Pública. O Juiz, Flávio Dino de Castro e Costa se elegeu, reascendendo nossas esperanças. Mas, infelizmente, ao final de quase quatro anos do “governo da mudança”, o Maranhão ainda é uma terra de bandoleiros, sem lei, onde grupos ensandecidos fazem justiça com as próprias mãos, sob os olhares complacentes ou inertes da força pública.

Fica aqui o meu repúdio, não é esse o Maranhão que queremos. Termina logo teu mandato, Flávio Dino!!

4 comentários sobre “SÃO JOÃO DO SÓTER: Quatro anos do “governo da mudança” e o Maranhão ainda é uma terra sem lei

  1. júnior disse:

    Concordo em partes com o Josué, ma se esses maus elementos merecem ser eliminados, pois a vida de pessoas de bem para eles não vale nada, vale menos que um celular, e quando são presos, nossa justiça frouxa coloca logo em liberdade para matar novamente.

Deixe uma resposta