Uma homenagem a Agnaldo Timóteo, o boêmio, não o “boieiro”

“Na galeria do amor é assim
Muita gente a procura de
Gente
A galeria do amor é assim
Um lugar de emoções
Diferentes
Onde gente que é gente se
Entende” (A Galeria do Amor)

Cresci ouvindo Agnaldo Timóteo, um dos cantores preferidos do seu Bazinho, meu pai.

Timóteo é um dos mais talentosos intérpretes da Música Popular Brasileira, ainda que alguns ditos “intelectuais” acham que MPB é só coisa para Chico, Caetano, Gil, Zé Ramalho, Djavan etc.

Mineiro de Caratinga, Agnaldo Timóteo foi “descoberto” pela legendária Ângela Maria, de quem foi motorista. Trata-se de uma das maiores e melhores vozes do bolero brasileiro.

Só o seu nome quero gritar
Mas se eu grito todo mundo
De repente vai saber
Que eu morro de saudade
E de amor por você

Aí, que vontade de gritar
Seu nome bem alto no infinito
Dizer que o meu amor é grande
Bem maior do que meu próprio grito

Mas só falo bem baixinho
E não conto pra ninguém
Pra ninguém saber seu nome
Eu grito só meu bem. (O Grito)

Há uma cantiga de Agnaldo Timóteo que gosto muito. É meia cafona, mas, sei lá o porquê, mexe com meus sentimentos mais profundos. Talvez seja pelo fato de fazer-me lembrar de como uma ex-namorada de juventude se sentia ao subir no altar com quem ela de fato não queria.

Branca e radiante vai a noiva,
logo a seguir o noivo amado.
Quando se unirem os corações, vão destruir ilusões.

Aos pés do altar está chorando,
todos dirão que é de alegria.
Dentro sua alma está gritando,
Ave Maria…

Chorará também, ao dizer o sim,
e ao beijar a Cruz, pedirá perdão.
E eu sei que esquecer não poderia,
se era outro amor a quem queria. (A Noiva)

Como baixadeiro que viveu bons e inesquecíveis momentos nos campos alagados de Palmeirândia, não posso deixar passar batida uma canção que remota a essas minhas eternas lembranças:

O meu amor na estação a me esperar
Pegarei novamente a sua mão
E seguiremos com emoção
Pros verdes campos do lugar
E reviver os momentos de alegria
Com meu amor a passear
Nos verdes campos do meu lar. (Os Verdes Campos da Minha Terra)

E para São José de Ribamar, minha terra natal, não fica com ciúmes de Palmeirândia, vamos de “Livre”.

Livre, livre
Livre, nasci como a brisa
Que as praias alisa
E encrespa as ondas do mar
Livre de braços abertos
Os olhos desertos
Do que faz a gente chora. (Livre)

E quem nunca foi num cabaré, nos velhos cabarés, que a boemia chamava, e ainda chama, romanticamente do “puteiro”?

A casa de Irene,
De noite, de dia,
Tem gente que chega,
Tem gente que sai,
A casa de Irene, enfim alegria,
Na casa de Irene, a tristeza se vai
 (A Casa de Irene)

Há uma música de Roberto Carlos, aliás, poucos sabem que é de autoria do rei, chamada os “Brutos também amam” – as feministas que me perdoem. Agnaldo Timóteo conheceu Roberto ainda moço, nos tempos da Jovem Guarda.

Agnaldo nunca perdoou o fato de Roberto Carlos jamais tê-lo convidado para participar do seu programa de fim de ano na Rede Globo.

Que pena tudo terminar
Da maneira que acabou
O seu amor não foi bastante
Pra querer-me como eu sou
Você um dia vai saber
Que eu te amei como ninguém
Minhas lágrimas reclamam
Elas dizem no meu pranto
Que os brutos também amam (Os Brutos Também Amam)

Enfim, o Blog do Robert Lobato poderia ficar esta sexta-feira inteira comentando e relembrando as mais lindas cantigas de Agnaldo Timóteo, que são muitas. Ele merece.

Agnaldo Timóteo merece todas as honras dos maranhenses, ainda mais dos aposentados do “IPEM”.

O que Timóteo não merece é ser explorado no seu talento por um governo que deseja fazer da maior festa popular do Maranhão numa “Casa de Irene”

E para finalizar, o nosso querido e eterno boêmio, não o “boieiro”, Agnaldo  Timóteo em das suas belas canções.

A casa dos meus sonhos
É feita de ilusão
E vive sempre cheia de amor
Amor e solidão. (A Casa do Sol Nascente)

Vida Longa a Agnaldo Timóteo

O boêmio.

4 comentários sobre “Uma homenagem a Agnaldo Timóteo, o boêmio, não o “boieiro”

  1. EMANUEL DE JESUS PINHEIRO disse:

    ,,,,,, de Palmeirândia a São Jose de Ribamar indo par a UEMA ja teve muito cabaré em Bob!!! ,,,, pena que na tua adolescência\juventude tu não viveu os rachas \ os pegas promovido pelos irmãos Rochas !!! Ai sim tinha cabaré – sexo, drogas e rock and roll. …..
    Mas Agnaldo Timóteo e bom, para lembrar os chifres vindo Palmeirândia a São Jose de Ribamar indo par a UEMA, agora estacionado na Assembleia Legislativa – pega fogo cabaré !!!

Deixe uma resposta