ELEIÇÕES 2018: O futuro político de Waldir Maranhão

Não tenho a menor dúvida que o se o campo político liderado pelo senador Roberto Rocha colocar o projeto de sociedade e de Estado em primeiro lugar tudo acabará bem, não apenas para Alexandre Almeida e Waldir Maranhão, mas sobretudo para o nosso estado.

Há muita especulação sobre o presente e o futuro do deputado federal Waldir Maranhão (PSDB).

No momento em que foi traído pelo governador Flávio Dino (PCdoB), Waldir mudou de campo político e hoje é um dos mais duros opositores do governador – para quem não lembra, o comunista foi o idealizador da anulação do impeachment de Dilma quando Waldir era presidente da Câmara dos Deputados.

Deputado federal por três mandatos, Waldir Maranhão se preparou para disputar uma vaga ao Senado Federal. Confiou na palavra de Flávio Dino de que seria um dos dois nomes do Palácio dos Leões à Câmara Alta. Foi enganado de forma covarde pelo governador!

Ao escolher o PSDB, Waldir Maranhão estava consciente de que o partido já tinha uma chapa majoritária formada: Roberto Rocha pré-candidato a governador, José Reinaldo Tavares e Alexandre Almeida pré-candidatos a senador.

Só que a política tem uma dinâmica própria e o que está posto hoje pode mudar amanhã. “Política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”, ensinou o mineiro Magalhães Pinto.

Alexandre Almeida é um político jovem, independente e tem um futuro promissor pela frente. Diria até que o deputado estadual já está linha sucessória ao governo do estado. Daqui a alguns anos a eleição de governador passará por Alexandre Almeida, ainda mais depois de ser prefeito de Timon.

É preciso ficar claro que o projeto Roberto Rocha governador-45 não é um projeto pessoal, mas de grupo!

Roberto se preparou para ser governador do Maranhão. Fez o possível para ser o candidato ao governo em 2010 pelo PSDB, mas o saudoso Jackson Lago não entendeu aquele momento histórico. Assim como não quiseram entender os então prefeitos Sebastião Madeira (Imperatriz) e João Castelo (São Luis). Daí que hoje temos um monstro instalado no Palácio dos Leões.

Ora, se não há um projeto pessoal é lógico que o grupo político tem que pensar como grupo, ou seja, saber e entender o que soma mais para que o projeto coletivo dê certo. Trata-se de colocar o Maranhão em primeiro lugar!

Nesse sentido, Waldir Maranhão tem o direito de tentar construir, via o PSDB, o caminho que lhe foi negado pelo PT e principalmente por Flávio Dino.

Política é conversa, diálogo, entendimento.

Não tenho a menor dúvida que o se o campo político liderado pelo senador Roberto Rocha colocar o projeto de sociedade e de Estado em primeiro lugar tudo acabará bem, não apenas para Alexandre Almeida e Waldir Maranhão, mas sobretudo para o nosso estado.

É a opinião do Blog do Robert Lobato.

18 comentários sobre “ELEIÇÕES 2018: O futuro político de Waldir Maranhão

  1. tecio disse:

    escreveu este texto depois de coçar o saco ao lado de eri castro? ah, bob, é cada baboseira que leio por aqui. prefiro os posts bem humorados de césar bello.

    cuide desses chatos nos teus ovos.

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: Queres vir coçar? Mas, pensando bem, seria melhor mandar uma irmã ou até mesmo tua namorada, caso tenhas uma.

  2. Gargamelo disse:

    É o Roberto Rocha que vai substituir Roseana no caso de uma eventual desistência dela?
    Aí a disputa não tem graça. A gente ficou sabendo que Roberto Rocha faz parte de um acordo entre PMDB e MDB e que o mesmo seria uma espécie de candidato boneco do Sarney.
    O que a gente queria mesmo era dar uma taca bem grande na Roseana. Roberto Rocha é um coitado, não dá nem pra começar…

  3. Zé Otário da Silva disse:

    Roberto Rocha é um baita laranja do Sarney. Operador do jogo sujo da oligarquia para tentar reaver o cofre do Estado, como se isso fosse possível. Roseana vai desistir e ele será o candidato articulado pelo consórcio PSDB/MDB. Coisa dos ATOS SECRETOS do Sarney …

  4. Fernando Serna disse:

    Eu só acho engraçado que ninguém nunca entende o momento do Roberto Rocha.
    Alguma coisa errada tem…
    Sou contra Flávio Dino que faz um péssimo governo, mas não tenho coragem de votar em Roberto.

  5. Gustavo disse:

    Se não fosse projeto pessoal do senador, ele abriria mão dessa “candidatura ao governo” em favor de Braide. Se ele terá o momento certo de concorrer, esse momento não é nesta eleição não restam dúvidas. Agora todos os maranhenses sabem que por birra e dispeito ele não abrirá mão para outro entrar “no lugar dele”. Quem perde é o Maranhão.

Deixe uma resposta