O que Edivaldo Jr., Eliziane Gama e Pastor Porto acham da negativa de Flávio Dino em apoiar a Marcha para Jesus?

A se confirmar a negativa do governador Flávio Dino em colaborar com a Marcha para Jesus, será como um soco no estômago na nação evangélica maranhense em geral, e em particular nos “irmãos” aliados políticos Edivaldo Holanda Júnior, Pastor Porto e Eliziane Gama

Leio no blog do colega Diego Emir que o governador Flávio Dino (PCdoB) está negando apoio à Marcha para Jesus, tradicional ato de fé cristã que acontece anualmente e promovido por várias congregações evangélicas no estado (veja aqui).

Trata-se de um evento interdenominacional e demonstra uma comunhão entre as igrejas, proclama o evangelho de Cristo, e marca momentos de celebrações pelos 500 anos da Reforma Protestante.

A se confirmar a negativa do governador Flávio Dino em colaborar com a Marcha para Jesus/2017 será como um soco no estômago na nação evangélica maranhense em geral, e em particular nos “irmãos” aliados políticos Edivaldo Holanda Júnior (PDT), prefeito de São Luis; Pastor Porto (PPS), secretário de Relações Institucionais do Governo e da deputada federal Eliziane Gama (PPS).

Com a palavra os irmãos em Cristo.

Ou “irmãos em Flávio Dino”?

6 comentários sobre “O que Edivaldo Jr., Eliziane Gama e Pastor Porto acham da negativa de Flávio Dino em apoiar a Marcha para Jesus?

  1. Carlos Saturnino Moreira Filho disse:

    Caro jornalista:
    Não sei o que essas pessoas acham, mas eu estou plenamente de acordo com a postura do governo. Por razões de princípio: o estado é laico e, sendo assim, as atividades religiosas (que devem ser as mais livres possível) é assunto privado de cada confissão. Mais: no caso de “apoiar” evangélicos, igual tratamento teria que ser dispensado às demais crenças: espíritas, umbandistas, católicos, budistas, etc, etc,…. Nada contra os evangélicos, mas tudo a favor da separação Estado/religião, mistura que tanto mal já causou à humanidade ao longo da História.

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: Tudo bem que o estado é laico, mas quando governador quer tirar proveito dos religiosos ele sabe, né? No mais, ele voltou atrás depois da repercussão negativa e agora diz que ajudar. Ou seja, um demagogo.

Deixe uma resposta