Flávio Dino, a bancada maranhense no Congresso e o governo Temer

Ao manter uma relação apenas “varejista” com a bancada maranhense no Congresso Nacional, Flávio Dino acaba por apequenar o própria representação popular dos parlamentares

Já ficou mais do que claro que Flávio Dino (PCdoB) não tem qualquer influência política sobre a bancada maranhense no Congresso Nacional. É assim desde o início do seu governo e desta legislatura na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Mesmo durante o processo de impeachment da presidente Dilma, quando o governador maranhense ganhou a mídia nacional para defender o mandato da petista, Flávio Dino demonstrou que não consegue contar politicamente com a bancada para coisa alguma.

Afora o deputado federal Rubens Pereira Júnior, do PCdoB, Flávio não pode se dar o luxo da bater no peito e dizer “eu tenho meus deputados”, o que para o cenário político nacional passa como desprestígio do governador.

A bancada maranhense no Congresso Nacional é essencialmente governista e está pronta para votar a pauta “reformista” do governo Temer. E o pior é que o governador não consegue tirar proveito disso, pelo contrário, faz é promover e estimular a conflagração entre deputados e senadores como ocorreu no caso da emendas de bancada.

Não se tem notícias da existência de uma agenda positiva e sistemática entre o governador e a bancada maranhense de deputados e senadores.

Ao que parece, Flávio Dino prefere operar no miúdo, no varejo, chamando um deputado aqui, outro acolá, para tratar de emendas de ambulâncias, de viaturas policiais, tratores etc. Nada de projetos estruturantes para o estado!

Com a bancada de senadores então… nem se fala!

Até o único senador que poderia contar para ajudar o seu governo, Flávio Dino conseguiu a proeza de afastá-lo politicamente por razões que só o território da paranoia pode explicar. Dá para considerar minimamente razoável o governador desperdiçar a chance de ter Roberto Rocha como seu principal aliado na planície e no planalto? É preciso ser muito bom para fazer as coisas erradas!

Ao manter uma relação apenas “varejista” com a bancada maranhense no Congresso Nacional, Flávio Dino acaba por apequenar o própria representação popular dos parlamentares.

E quando abrir os olhos já poderá ser tarde demais…

2 comentários sobre “Flávio Dino, a bancada maranhense no Congresso e o governo Temer

  1. Emanuel de Jesus Pinheiro disse:

    O Governado Flavio Dino, carregar muitos estigmas, e não é de hoje, se você fizer uma garimpagem mais minuciosa chegará ao Grêmio Estudantil do Marista – verdadeiro desagregador, tanto que o processo de reconstrução após Flavio Dino, foi duríssimo!!!
    No campo do Direito, somente lhe suportam os que estão a gravitacionar em torno dos escritórios que faturam no governo!!
    Agora, essa bancada de Deputados Federal está mais para hospedes do gloriosos Complexo Penitenciário de Pedrinhas, carinhosamente denominado de Penitenciária de Pedrinhas, nada, nem de longe lembram parlamentares, alguns nem falam, e quando falam é com segundas, terceiras, milésimas intenções de fazer alguma malandragem, somente fazem para se locupletar. Temos alguns Deputados que fazem mil e uma estripulias quando vão aos Leões, tudo para não passar na porta do Palácio da Justiça (nada a ver com as HQ e Desenhos animados pura coincidência), no TJMA, e quando pegam a BR e chegam na altura do KM 14, fazem está dormindo, seja passando de carro ou mesmo de avião.
    Olha, veja, bem se todas as aguas realmente correrem para o mar, muitos desses não vai querer ser visto com Dino em 2018.
    E os novos endinheirados desse governo tem que gastar tudo que ganham com as empresas de segurança (CLASI SEGURANÇA), com as ONG que operam a saúde, (Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania -IDAC), pelas bandas do Oiteiro da Cruz não está fácil, nem com caixa reforçado da universidade ninguém ver brucutu ser simpático, nem seus assessores mais próximo, afinal os amigos de carreira profissional foram despejados, na Avenida 01 do Bequimão, ainda tem uma Santa Mãe, chorando, pois não sabia que a filha ia trabalhar no Estado para destruir casamento, e diz “minha fila podia ficar só no restaurante dela, estava bom demais!!” .
    Mas está acabando, a mãe Rússia acabou, e quem restou defendendo essa loucura são verdadeiras baratas tontas. Nada que uma boa fufucada faça voltar para a realidade!!

Deixe uma resposta