E tome porrada! “Fanfarras retóricas para intrigar a população com seus representantes”, diz Roberto Rocha sobre destempero de Flávio Dino

É impressionante a capacidade do governador Flávio Dino de afugentar aqueles que poderiam ajudar o seu já combalido governo.

Depois do senador Edison Lobão (PMDB), agora foi a vez do seu colega de bancada Roberto Rocha (PSDB) reagir ao destempero verbal do governador Flávio Dino (PCdoB).

Em nota divulgada agora a pouco, o senador tucano afirmou que as declarações do comunista sobre as emenda parlamentares para saúde afronta o bom senso, além de ser uma tentativa de indispor a bancada de senadores com a população através de “fanfarras retóricas”.

“Faço política aproximando pessoas, estreitando a distância entre os problemas e suas soluções. Com gestos e ações efetivas, e não com fanfarras retóricas para intrigar a população com seus representantes”, escreveu o senador.

Em outro trecho da nota, Roberto Rocha afirma ser “grotesco que o chefe do executivo vocifere publicamente como se o recurso estivesse sendo retirado dos cofres estaduais. O que está em discussão é o orçamento da União, e não do Estado”; e depois questiona: “Por acaso, em algum momento o governador convidou deputados federais e senadores para discutir o orçamento estadual?”.

É impressionante a capacidade do governador Flávio Dino de afugentar aqueles que poderiam ajudar o seu já combalido governo.

Fiquem com a íntegra da nota do senador Roberto Rocha.

Nota

É indigna a posição do governador ao tentar indispor a bancada de senadores com os prefeitos do Maranhão.

Afronta o bom senso e degrada as regras básicas da convivência política sugerir que os representantes do Estado na Câmara Alta estejam contra a saúde da população.

As emendas parlamentares, como bem diz o nome, são prerrogativas dos deputados e senadores do Maranhão. Cabe a eles, e somente a eles, decidir o destino das emendas. É grotesco que o chefe do executivo vocifere publicamente como se o recurso estivesse sendo retirado dos cofres estaduais. O que está em discussão é o orçamento da União, e não do Estado. Por acaso, em algum momento o governador convidou deputados federais e senadores para discutir o orçamento estadual?

Hoje mesmo, cumpri extensa agenda iniciada pela manhã em São Paulo, com o governador Geraldo Alckmin, e acertamos sua participação no dia 11/11, em Imperatriz, no nosso Seminário de Revitalização dos Rios Maranhenses e suas Nascentes. Na oportunidade, debateremos a crise hídrica do Rio Tocantins.

Em seguida, com o ministro Bruno Araújo, das Cidades, estive em Buriticupu entregando casas e Imperatriz, onde promovi o encontro do ministro com diversos prefeitos da região, em busca de soluções para os graves problemas que enfrentam os gestores municipais.

Voltei à noite para Brasília exatamente para equacionar, na sexta-feira, a questão das emendas, com diálogo e responsabilidade. Infelizmente fui surpreendido, na volta, pelo destempero incivilizado e orquestrado entre o Governo e a mídia de aluguel, com o propósito de desqualificar quem, com muito esforço, dedica-se à honrosa missão de representar o Estado.

Faço política aproximando pessoas, estreitando a distância entre os problemas e suas soluções. Com gestos e ações efetivas, e não com fanfarras retóricas para intrigar a população com seus representantes.

Roberto Rocha

Deixe uma resposta