Após análise do blog, Flávio Dino admite candidatura a presidente de República 8

Por essas e outras que o nosso blog é respeitado pela imensa maioria dos leitores, mesmo pelos críticos e adversários que não concordam as análises feitas aqui.

Foi quase que simultâneo.

Após o Blog do Robert Lobato fazer uma análise sobre a possível renuncia do prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (ainda no PSDB), renunciar ao mandato para assumir um cargo de secretário no Governo do Estado, Flávio Dino anunciou que pode ser candidato a presidente da República.

No post “CASO LUIS FERNANDO: O que estaria por trás da ida do prefeito de Ribamar para o governo Flávio Dino?, o Blog do Robert Lobato afirmou que:

“O que pode explicar toda essa engenharia politica é a virtual candidatura de Flávio Dino a presidente da República, coisa que o comunista tem em mente e já trabalha para se viabilizar, inclusive via imprensa nacional, como nome das esquerdas para enfrentar a ofensiva direitista ora em curso no país, cujos atores principais atualmente são o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria (São Paulo)”.

Não deu outra.

Numa plenária extraordinária do PCdoB do Maranhão realizada ontem, sexta-feira, 22, Flávio Dino lançou sua pré-candidatura a presidente da República.

“Estou me preparando para 2022. Vocês nem notaram, já estou até com cinco quilos a menos. Vamos enfrentar o laranjal e a turma do mal”, afirmou numa alusão ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) que enfrenta denúncias envolvendo o uso de candidaturas laranjas pelo partido dele nas eleições de 2018.

Por essas e outras que o nosso blog é respeitado pela imensa maioria dos leitores, mesmo pelos críticos e adversários que não concordam as análises feitas aqui.

Mas, é bom que se diga, o Blog do Robert Lobato não está interessado em agradar a todos, mas tão somente ser respeitado na sua independência e clareza de posições.

É isso aí.

PS: E por falar no post CASO LUIS FERNANDO: O que estaria por trás da ida do prefeito de Ribamar para o governo Flávio Dino?, o Blog do Robert Lobato cometeu um equívoco. O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão,  deputado Othelino Neto (PCdoB), assegurou que, ao contrário do que foi afirmado no referido post sobre a impossibilidade de sua reeleição, “o regimento da Assembleia permite reeleição”, informou o presidente a este blogueiro. Feito  devido reparo, a editoria desta página pede desculpas aos leitores pelo equívoco.

CASO LUIS FERNANDO: O que estaria por trás da ida do prefeito de Ribamar para o governo Flávio Dino? 17

O que pode explicar toda essa engenharia politica é a virtual candidatura de Flávio Dino a presidente da República, coisa que o comunista tem em mente e já trabalha para se viabilizar, inclusive via imprensa nacional, como nome das esquerdas para enfrentar a ofensiva direitista ora em curso no país, cujos atores principais atualmente são o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria.Ainda é medonha a repercussão da possível renúncia do prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando (PSDB), para assumir um cargo de secretário no governo Flávio Dino (PCdoB) – a renúncia pode ser anunciada neste final de semana.

O que levaria o gestor ribamarense, a mais uma vez, deixar a cidade e povo que o elegeu de forma tão abrupta? Quais os atores que estariam por trás dessa jogada de vida ou morte para Luis Fernando? O que de fato estaria por trás da ida do prefeito de Ribamar para o governo Flávio Dino? E o que o governador comunista ganharia com essa manobra política?

O Blog do Robert Lobato tentará encontrar respostas para os questionamentos acima à luz das informações que tem recebido e da conjuntura política local e nacional. Vamos lá.

Reza a lenda que o arquiteto da renúncia de Luis Fernando é o ex-governador José Reinaldo Tavares que teria usado o vice-governador Carlos Brandão e Marcelo Tavares para serem os porta-vozes da estratégia junto ao governador Flávio Dino (PCdoB).

A princípio, segundo consta, Flávio teria resistido à ideia, mas aos poucos foi se convencendo do processo e fez o convite ao ainda prefeito de Ribamar que teria aceitado.

Segundo fontes ribamarenses, a coisa só evoluiu porque o grupo de Luis Fernando e dos Cutrim teriam chegado a um acordo onde o atual vice-prefeito Eudes Sampaio (PTB) ficaria apenas dois anos no mandato e conselheiro do TCE, Edmar Cutrim, seria o candidato a prefeito dos dois grupos em 2020.

Uma vez secretário do governo Flávio Dino, Luis Fernando poderia ser o nome do comunista para o Tribunal de Contas do Estado (TCE) caso Carlos Brandão não se viabilize candidato a governador em 2022, nesse caso ele, Brandão, seria o nome para o TCE e Luis Fernando concorreria a deputado federal.

Se Carlos Brandão sair da linha de sucessão de Flávio Dino em virtude de ir para o TCE, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão fica na linha sucessória, que em 2022 poderá ser quem? O deputado Glauberth Cutrim (PDT), atual vice-presidente do parlamento maranhense e filho de Edmar Cutrim – não podemos esquecer que presidente Othelino Neto (PCdoB) já foi eleito e reeleito presidente e, em tese, não pode mais concorrer a um terceiro mandato.

O fator PDT pesa nessa conjuntura, já que o senador Weverton Rocha, presidente estadual do partido, está em campanha aberta para o governo do Maranhão, assim como o deputado federal Gil Cutrim, também do PDT, está para senador da República. Ou seja, esse movimento de tirar Luis Fernando da Prefeitura de São José de Ribamar e fazer Carlos Brandão sucessor de Flávio Dino tem que ser combinado com os “russos”, no caso os pedetistas.

A grande questão é: o que Flávio Dino ganharia com toda essa engenharia política?

Bom, a rigor o grupo do governador ficaria mais forte do que já está. Mas, forte por forte o governador já é, e não seria necessário todo esse arranjo, não é mesmo?

O que pode explicar tudo isso é a virtual candidatura de Flávio Dino a presidente da República, coisa que o comunista tem em mente e já trabalha para se viabilizar, inclusive via imprensa nacional, como nome das esquerdas para enfrentar a ofensiva direitista ora em curso no país, cujos atores principais atualmente são o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Doria (São Paulo).

Se é verdade que por um lado Flávio Dino está fazendo, digamos, o dever de casa, por outro terá que chegar em 2022 com a sua gestão bombando, apresentando resultados concretos e inquestionáveis em todas as áreas.

É aquela história: quem viver verá.

Operação da PF mira o senador Ciro Nogueira e fecha cerco contra o PP

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (22/02) a Operação Compensação, em desdobramentos de investigações decorrentes de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), tendo como investigado o senador Ciro Nogueira, entre outros. A PF investiga supostos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro.

A investigação teve como origem os depoimentos prestados por colaboradores que afirmaram terem repassado cerca de R$ 43 milhões ao Partido Progressista, em pagamentos em espécie e doações oficiais, por intermédio do citado senador, em troca de apoio político do partido na campanha eleitoral para a eleição presidencial de 2014.

Cerca de trinta policiais federais cumprem 07 mandados de busca e apreensão, autorizados pela Ministra Rosa Weber, nas cidades de Teresina/PI, Brasília/DF e São Paulo/SP, além de intimações para fins de depoimentos dos envolvidos.

(Fonte: Blog do Donny Silva)

BAIXADA MARANHENSE: Documentos comprovam desleixo do governo Flávio Dino em relação à Barragem do Pericumã 2

A Barragem do Pericumã tem sido uma das pautas mais debatidas na Assembleia Legislativa do Maranhão nos últimos dias, principalmente pela bancada da Baixada Maranhense.

Voltando à questão da Barragem do Pericumã.

O Blog do Robert Lobato publicou vídeo em que o governador Flávio Dino (PCdoB) reconhece disponibilização de recursos através de emenda parlamentar para obras de recuperação e manutenção da Barragem do Rio Pericumã (reveja aqui)

Ocorre que mesmo com todo o esforço da bancada maranhense, em particular do então deputado federal Victor Mendes, de disponibilizar R$ 4 milhões para os serviço na Barragem do Pericumã, o Governo do Maranhão não apresentou projeto junto aos órgãos competentes em Brasília e o dinheiro acabou indo para o beleléu.

A Barragem do Pericumã tem sido uma das pautas mais debatidas na Assembleia Legislativa do Maranhão nos últimos dias, principalmente pela bancada da Baixada Maranhense, com destaque para o deputado Dr. Leonardo Sá que, inclusive, esteve recentemente em Brasília para tratar sobre o assunto.

Fiquem com prints de documentos que montam uma linha do tempo comprovando o que pode ser considerado um desleixo do Governo do Estado em relação à Barragem do Pericumã e, consequentemente, com o povo baixadeiro. Confira.

 

 

 

IMPERATRIZ: Em vídeo, prefeito Assis Ramos reconhece ações parlamentares do senador Roberto Rocha em prol do município 2

O gestor imperatrizense foi agradecer as inúmeras ações parlamentares, entre obras estruturantes e sociais, que Roberto tem realizado em prol da segunda maior cidade do estado.

O prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (MDB), foi recebido pelo senador Roberto Rocha (PSDB) no seu gabinete em Brasília. O encontro ocorreu na tarde de ontem, terça-feira, 19.

O gestor imperatrizense foi agradecer as inúmeras ações parlamentares, entre obras estruturantes e sociais, que Roberto tem realizado em prol da segunda maior cidade do estado.

Participaram da reunião ainda os senadores tucanos Antônio Anastasia e Plínio Valério, representes dos estados de Minas Gerais e Amazonas, respectivamente, além da primeira-dama de Imperatriz Janaína Ramos.

Confira o vídeo de agradecimento e reconhecimento do prefeito Assis Ramos ao trabalho do senador Roberto Rocha com imagens do jornalista jornalista Ênio Borgmann.

VÍDEO DA TRAGÉDIA ANUNCIADA: Governo Flávio Dino não fez projeto e verba para Barragem Pericumã foi pro beleléu 9

Em janeiro de 2017, chegaram recursos da ordem de R$ 4 milhões para a recuperação da Barragem do Rio Pericumã, emenda do então deputado federal Victor Mendes que foi para a conta do governo do Maranhão, mas por birra ou incompetência, o governador Flávio Dino deixou voltar o dinheiro para Brasília por falta de projeto.

Muito tem se falado sobre as barragens localizadas no estado do Maranhão, principalmente depois de mais uma tragédia em Minas Gerais, desta feita na cidade de Brumadinho, onde houve mais um rompimento de barragem pertencente à mineradora Vale do Rio.

Com o retorno das atividades parlamentares na Assembleia Legislativa do Maranhão, o tema ganhou a pauta na casa com foco na Barragem do Rio Pericumã, localizada na cidade de Pinheiro, na Baixada Maranhense.

Em janeiro de 2017, chegaram recursos da ordem de R$ 4 milhões para a recuperação da Barragem do Rio Pericumã, emenda do então deputado federal Victor Mendes (PSD) que foi para a conta do governo do Maranhão, mas por birra ou incompetência, o governador Flávio Dino deixou voltar o dinheiro para Brasília por falta de projeto.

A seguir o vídeo em que o comunista reconhece a alocação do recurso, fala em fazer o projeto, mas ao final das contas tudo ficou no já conhecido e clássico “gogó”. Confira.

MUITO RECURSO: Josimar Maranhãozinho entre os 20 mais ricos do Congresso Nacional

Vale lembrar que Maranhãozinho não somente elegeu-se o deputado federal mais votado das eleições de 2018, como elegeu ainda a sua esposa Detinha, também do PR, a deputada estadual mais votado.

Levantamento feito pelo site de política Congresso em Foco acaba de apontar os ricaços instalados no Congresso Nacional.

O Levantamento foi feito com base na declaração patrimonial dos 513 deputados e 81 senadores no exercício do mandato e mostra que os 20 mais ricos acumulam mais da metade de todos os bens informados à Justiça eleitoral por todos os parlamentares. Juntos, os nove senadores e 11 deputados mais ricos somam mais de R$ 1,18 bilhão, o equivalente a 56% dos R$ 2,09 bilhões acumulados pelos 594 congressistas.Veja quais são os 20 parlamentares mais ricos, conforme declaração à Justiça eleitoral, do atual Congresso:

O deputado federal Josimar Maranhãozinho (PR) aparece na lista “Forbes” da política brasileira entre os parlamentares mais ricos do Brasil com R$ 14.591.074,31 em patrimônio declarado, só o declarado, diga-se.

Vale lembrar que Maranhãozinho não somente elegeu-se o deputado federal mais votado das eleições de 2018, como elegeu ainda a sua esposa Detinha, também do PR, a deputada estadual mais votado. Te mete!

Veja quais são os 20 parlamentares mais ricos, conforme declaração à Justiça eleitoral, do atual Congresso:

1º – Tasso Jereissati (PSDB-CE) – R$ 389.019.698,60 – Senador eleito em 2014 para o seu segundo mandato, é empresário e foi governador do Ceará.

2º – Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), senador – R$ 239.709.825,12
Economista e empresário do ramo da educação, exerce seu primeiro mandato político.

3º – Luiz Flávio Gomes (PSB-SP), deputado – R$ 119.810.503,06
Fundador da rede de ensino telepresencial LFG, Luiz Flávio Gomes foi promotor de justiça e juiz de direito, tendo atuado também como advogado. Estreia na política.

4º – Hercílio Araújo Diniz Filho (MDB-MG), deputado – R$ 38.844.003,09
Estreante na política, é empresário no ramo varejista supermercadista.

5º – Eduardo Girão (Podemos-CE), senador – R$ 36.397.417,26
Estreante na política, é empresário no ramo de hotelaria, transporte de valores e segurança privada. Fundou entidade sem fins lucrativos de atuação na área social.

6º – Jayme Campos (DEM-MT), senador – R$ 35.284.444,05
Pecuarista e ex-prefeito de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, foi senador entre 2007 e 2015.

7º – Eduardo Braga (MDB-AM), senador – R$ 31.624.764,31
Engenheiro eletricista, é empresário no ramo automobilístico. Ex-governador do Amazonas, foi reeleito em outubro.

8º – Alexis (Novo-SP), deputado – R$ 28.802.788,01
Calouro na política, é engenheiro mecânico e empresário no ramo de pisos e revestimentos industriais.

9º – Magda Mofatto (PR-GO), deputada – R$ 28.192.320,76
Deputada reeleita, é a única mulher entre os mais ricos do Congresso. É dona de hotéis e de clubes em Caldas Novas, cidade conhecida pelas águas termais.

10º – Vanderlan Cardoso (PP-GO), senador – R$ 26.664.659,57
Empresário dos ramos alimentício e de higiene, foi prefeito de Senador Canedo, município da região metropolitana de Goiânia.

11º – Ciro Nogueira (PP-PI), senador – R$ 23.314.081,45
Empresário e advogado, foi reeleito senador em outubro de 2018.

12º – Rodrigo Pacheco (DEM-MG), senador – R$ 22.834.764,00
Advogado, era deputado federal na legislatura passada.

13º – Afonso Motta (PDT-RS), deputado – R$ 21.345.369,25
Deputado reeleito, é advogado.

14º – Lucas Gonzalez (Novo-MG), deputado – R$ 21.140.240,06
Graduado em direito, é empresário no setor de logística. É estreante na política.

15º – Fernando Collor (Pros-AL), senador – R$ 20.308.318,48
Empresário do ramo da comunicação, foi governador e presidente da República, afastado do cargo em processo de impeachment, em 1992.

16º – Misael Varella (PSD-MG), deputado – R$ 20.075.223,44
Bacharel em administração, é pós-graduado em economia.

17º – Genecias Noronha (SD-CE), deputado – R$ 19.044.315,00
Deputado reeleito, é empresário do ramo de motos.

18º – Luciano Bivar (PSL-PE), deputado – R$ 17.980.493,66
Presidente do PSL, é empresário. Bacharel em direito, é pós-graduado em educação financeira.

19º – Haroldo Alves Campos (PSD-RR), deputado – R$ 14.822.011,10
Estreante na política, é empresário do ramo da educação, professor e doutor em Ciências Sociais.

20º – Josimar Maranhãozinho (PR-MA) – R$ 14.591.074,31
Empresário, foi prefeito de Maranhãozinho

Morre aos 95 anos marinheiro da célebre foto do beijo em Nova York

Imagem de homem beijando enfermeira correu o mundo e é uma das mais famosas do século 20

Foto de Alfred Eisenstaedt que retrata beijo de marinheiro George Mendonsa e enfermeira Greta Friedman em exposição em Roma Foto: GABRIEL BOUYS / AFP

O marinheiro que beija uma enfermeira na Times Square enquanto as pessoas comemoravam o fim da 2ª Guerra nas ruas de Nova York, protagonista da icônica foto conhecida como “O Beijo”, morreu aos 95 anos, informou sua filha ao Providence Journal.

Em 14 de agosto de 1945, as pessoas foram para as ruas de Nova York celebrar as notícias, quando George Mendonsa beijou Greta Friedman, que ele nunca conhecera. Na imagem, uma das quatro de Alfred Eisenstadt para a revista Life, Mendonsa é visto curvando-se sobre Greta Zimmer Friedman, uma assistente de dentista que vestia um uniforme de enfermeira.

Mendonsa serviu em um destroier durante a guerra e estava de licença quando o fim da guerra foi anunciado. Durante muito tempo, ele garantiu que era o marinheiro da foto, mas isso só foi confirmado recentemente com o uso da tecnologia de reconhecimento facial.

A imagem tornou-se uma das mais famosas fotografias do século 20.

Greta Zimmer Friedman, a mulher da foto, morreu em 2016 aos 92 anos.

Bebianno não resiste e é exonerado após acusações e embate com filho de Bolsonaro

Floriano Peixoto é o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência

O ministro da Secretaria-Geral da Presidencia, Gustavo Bebianno, durante entrevista Foto: Daniel Marenco/Agência O Globo/05-02-2019.

BRASÍLIA — O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, confirmou nesta segunda-feira a demissão do ministro da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno . Em um pronunciamento à imprensa, o porta-voz leu uma nota na qual comunicou oficialmente que Bolsonaro decidiu pela exoneração de Bebianno. Perguntado sobre a razão da demissão, o porta-voz explicou que foi uma questão de “foro íntimo” do presidente. O general Floriano Peixoto Vieira Neto assumirá o cargo . Ele será o oitavo militar no primeiro escalão do governo.

Em nome do presidente Jair Bolsonaro, Rêgo Barros agradeceu ao ministro Bebianno:

— O presidente agradece sua dedicação à frente da pasta e deseja sucesso na nova caminhada — afirmou o porta-voz.

PERFIL : Bebianno, um fã que chegou ao coração da família Bolsonaro

Agora, fora do governo, Bebianno diz que voltará a advogar . Segundo o empresário Paulo Marinho, um dos mais próximos aliados do ex-ministro, ele não descarta seguir na política.

A demissão ocorre após uma crise ao longo de toda a última semana. O ex-ministro foi chamado de mentiroso pelo vereador Carlos Bolsonaro, na última quarta-feira. No Twitter, o filho mais próximo do presidente disse que Bebianno mentiu ao falar ao GLOBO que havia conversado três vezes com o presidente no dia anterior. A declaração foi dada para negar que ele estava protagonizando a crise. Na ocasião, Bebianno disse que só havia tratado de assuntos institucionais e não sobre uma possível instabilidade no governo.

Carlos chegou a compartilhar um áudio do presidente para Bebianno como forma de comprovar que não o houve uma conversa entre os dois. As mensagens foram posteriormente compartilhadas pelo próprio Bolsonaro.

O processo de desgaste de Bebianno começou com denúncias envolvendo supostas irregularidades na sua gestão à frente do caixa eleitoral do PSL, partido dele e de Bolsonaro, publicadas na “Folha de S. Paulo”. Bolsonaro e os filhos, no entanto, acusam o ex-coordenador da campanha de vazar informações para a imprensa.

(Fonte: O Globo)