Liderança e cultura organizacional

Os líderes do século 21 precisam entender o impacto de suas atitudes na construção de uma cultura conectada ao espírito do nosso tempo.

por Kaio Serrate, via administradores.com.br

A liderança no século 21 está cada vez menos fundamentada em poderes formais derivados da posição que o líder ocupa na cadeia de comando e controle.

A liderança exercida a partir da capacidade de articular uma visão de futuro por meio de relacionamentos significativos tende a ser cada vez mais valiosa. Em um contexto como esse, a execução está acima dos cargos; ser reconhecido como referência pelo time vale mais que autoridade; e, liderança circunstancial se sobrepõe à hierarquia.

A cultura organizacional, entendida como a ordem social invisível que molda comportamentos e atitudes de um grupo, é uma variável de importância crescente para as organizações que operam em uma lógica pós-digital.

Os líderes, mais do que nunca, precisam construir culturas que façam sentido no mundo de hoje, além de atuar como embaixadores dessas culturas em múltiplos níveis.

De acordo com um artigo publicado no início de 2018 pela Harvard Business Review, líderes que entendem profundamente os padrões complexos de comportamento em uma organização têm mais possibilidade de:

Avaliar a cultura da organização e seus efeitos intencionais e não intencionais.

Avaliar a consistência da visão dos funcionários sobre a cultura.

Identificar subculturas que expliquem desempenhos melhores e piores entre diferentes equipes.

Localizar diferenças culturais herdadas de fusões e aquisições.

Orientar os novos executivos sobre a cultura em que eles estão ingressando e ajudá-los a encontrar a melhor forma de liderar.

Perceber o grau de alinhamento entre estilos pessoais de liderança e a cultura organizacional para entender o impacto que cada líder pode ter.

Criar uma cultura aspiracional, traduzir e comunicar as mudanças necessárias para chegar lá.

Obviamente estas não são as únicas vantagens de um líder que chama para si o papel de articulador da cultura organizacional. O melhor é sempre considerar peculiaridades de cada organização e estar aberto às constantes transformações. Contudo, entender que a cultura é uma alavanca para os objetivos estratégicos ajuda a explicar o desempenho das empresas normalmente citadas como referências em inovação.

Dentre outros motivos, uma cultura alinhada ao espírito do nosso tempo libera energia criativa (que seria gasta com processos gerenciais inúteis e controles excessivos) para a construção da visão de futuro compartilhada.

Se você é ou deseja ser líder deveria entender que a cultura é o código-fonte das estratégias empresariais.

Ou, como disse Peter Drucker:

Cultura come estratégia no café da manhã.

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR: Município vai sediar a I Assembleia IOV das Américas, em cooperação com a UNESCO

Pela primeira vez o evento é realizado no Brasil e o município ribamarense foi escolhido em razão do potencial religioso e cultural.

O município de São José de Ribamar sedia nos próximos de 24 a 27 de janeiro a I Assembleia IOV das Américas, em cooperação com a UNESCO. O evento, que será realizado pela primeira vez no Brasil, tem o objetivo de discutir mecanismo de proteção, preservação e promoção de formas de atuação e ampliação da arte popular e cultura folclórica como elementos do Patrimônio Cultural Imaterial.

Para o prefeito Luis Fernando, sediar um importante evento que reúne membros dos países das américas e até do mundo inteiro, na condição de convidados, além de uma grande responsabilidade também amplia ainda mais a visibilidade do município nos mercados nacional e internacional.

“Estamos muito felizes pela escolha da IOV, que decidiram realizar a assembleia com seus membros de vários países, em terras ribamarenses. Na verdade, pela segunda vez em menos de um ano, São José de Ribamar vai ganhar uma grande notoriedade. A primeira, por ocasião do desfile da escola de samba do Tatuapé, e agora com o encontro internacional”, explicou o prefeito.

“E o resultado disso, naturalmente” completou o prefeito, “é uma atração de turista cada vez maior durante todo o ano”.

A cidade ribamarense foi escolhida para sediar o evento em razão da forte cultura e potencial religioso. De acordo com o diretor executivo da IOV Brasil, Clerton Vieira, o município reúne todas as características para ampliação da promoção e apreciação da diversidade cultural entre todos os povos. “São José de Ribamar além de toda a história cultural, forte apelo folclórico, também chama a atenção pela religiosidade, elemento inclusive levado para avenida durante desfile da escola de Samba Tatuapé. Foi exatamente todo esse contexto que a credenciou para que decidíssemos por sua escolha”, explicou o membro do IOV.

O IOV foi credenciado pela Unesco como um Centro de Experiência para o Patrimônio Cultural Imaterial.

Assembleia IOV das Américas

Estão sendo esperado cerca de 50 representantes de vários países da américa latina. O evento será realizado no auditório do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia, IFMA, campus de São José de Ribamar.

A programação terá início quinta-feira (24), a partir das 17h com a solenidade de abertura oficial do evento, que vai contar com a presença do governador do Maranhão, Flávio Dino, do presidente da IOV Mundial, Ali Abdullah, entre outras autoridades. Além da língua portuguesa, o evento também vai contar com tradução simultânea nos idiomas Inglês e Espanhol.

Entre os temas abordados, ‘Desafios para os novos tempos’, Missão da IOV como propagador da cultura dos povos’, ‘Criando um futuro para preservar o passado’, entre outras abordagens. Durante o evento também será realizado o intercambio da cultura, com apresentação de grupos folclóricos locais e representantes de vários países.

E para finalizar a programação, os participantes vão plantar árvores simbolizando a participação de cada país. O plantio será feito no Parque da Cidade.
Área de anexos

As três questões mais importantes da vida

Se você tem a resposta para as três questões mais importantes da sua vida, é meio caminho andado, caso contrário, procure descobrir o quanto antes e abrevie o caminho para uma vida mais rica, mais digna e mais produtiva.

Jerônimo Mendes, administradores.com.br

Quem não sabe para onde vai, qualquer lugar serve. Será mesmo?

O provérbio é antigo, porém atual. Entra ano e sai ano, vale para todas as cores, classes, credos e culturas. Alguns estão mais avançados na resposta, mas a maioria não; é uma questão de empenho, propósito, determinação, otimismo e muita persistência, ou seja, uma conjunto de forças que devem ser trabalhadas constantemente.

Mais da metade das pessoas que conheço ainda não se encontrou na vida. Algumas nunca conseguirão se encontrar proque estão presas ao refrão imortalizado por Zeca Pagodinho: “deixa a vida me levar“.

A realidade é que se isso for levado ao pé-da-letra, a vida vai acabar te levando para um lugar que você não quer ir e, acredite, será difícil voltar. É quase impossível mudar alguém depois de certa idade, pois, como diz um velho provérbio japonês, é difícil desentortar um bonsai.

Para alguns, isso não é bom nem ruim, pois depende do que se quer da vida, do seu grau de ambição, dos seus objetivos e metas, se é que existem. Há quem queira viver um dia de cada vez, sem qualquer pretensão em relação ao futuro. Cada um sabe de si.

Potanto, enquanto o ano está apenas começando, dá tempo de fazer uma breve reflexão e exercitar a resposta para três questões importantes que vão fazer uma diferença enorme na sua vida em menos tempo do que se espera.

A primeira questão é a mais difícil, afinal, como foi dito antes, são poucas as pessoas que conseguem encontrar a resposta para um dos principais dilemas da vida profissional. Abraham Maslow dizia que “não é normal saber o que queremos; é uma realização psicológica rara e difícil”, portanto, é para poucos.

Então, vamos para as questões mais importantes da sua vida pessoal e profissional:

1) Quem você é? Diz respeito aos seus valores, às suas crenças (em que você acredita, o que você defende), aos seus pontos fortrs e aos seus pontos fracos. Diz respeito à pessoa em que você se transformou até agora.

2) O que você quer? Diz respeito à clareza quanto aos seus objetivos e metas, sua causa, suas paixões, aquilo que lhe dá sentido de contribuição e de realização ou a palavra do momento: o seu mindset. Quando você possui um mindset forte, claro e poderoso, as chances de sucesso são maiores. Diz respeito à pessoa em que você quer ser transformar a partir de agora.

3) Como você vai conseguir? Diz respeito ao plano, ao caminho a ser seguido, ao mapa que o levará a encurtar o caminho para uma jornada menos dolorosa. Na prática, você tem um mapa, um coach, um mentor, um método que o ajude a colocar em prática o que você tem em mente? Suas ideias estão minimamente estruturadas no papel?

De maneira simples e direta, quanto mais cedo você obtiver as respostas para essas questões intrigantes, maior a chance de você se dar bem na vida. E não estou falando do ponto de vista financeiro somente, mas do ponto de vista econômico, social e esperitual, o último estágio da Pirâmide de Maslow: autorrealização.

Portanto, dá tempo ainda de fazer uma boa reflexão a respeito. Estude com mais carinho do que faria para seu empregador, pense um pouco mais em você, busque no fundo da sua alma as respostas que poderão definir o caminho para uma vida inteira.

Depois dos setenta ou oitenta anos, somente duas questões vão martelar a sua cabeça sem dó nem piedade: por que eu não fiz isso antes? Costumo dizer que a resposta é mais cruel: eu poderia ter feito isso.

Desejo-lhe toda sorte do mundo ao longo da vida, mas não se esqueça de que a sorte é uma mera convergência entre preparação e oportunidade.

Sucesso, sempre!

O carisma da primeira-dama Michelle Bolsonaro 2

Se é verdade que o Brasil está sob comando de um governo conservador nos costumes, não é menos verdade que ontem, durante a cerimônia de posse presidencial, Michelle Bolsonaro roubou a cena e mandou um recado para a nação brasileira de que não será uma mera primeira-dama e muitos menos fará o estilo “recatada e do lar”

Entre os principais momentos da posse do presidente Jair Bolsonaro, não há como deixar de mencionar o discurso da primeira-dama Michelle Bolsonaro feito em libras, que é linguagem brasileira de sinais para comunicação com deficientes auditivos.

Para além de quebra de protocolos, o gesto protagonizado pela esposa do novo presidente, além de inédito, sinaliza que a Michelle poderá ter um papel de destaque no novo governo pelo seu engamento em causas sociais, como a da inclusão de portadores de deficiência física e, claro, pelo carisma marcante da primeira-dama.

Em tempos de narrativas sobre empoderamento feminino, o que se viu ontem em Brasilia foi um gesto que dá força a tal narrativa, hoje quase um monopólio das esquerdas. Aliás, uma das posturas arrogantes das esquerdas é exatamente achar que o processo de emancipação da mulher só pode ser dado em governos situados no espectro político-ideológico esquerdista. Ledo engano.

Se é verdade que o Brasil está sob comando de um governo conservador nos costumes, não é menos verdade que ontem, durante a cerimônia de posse presidencial, Michelle Bolsonaro roubou a cena e mandou um recado para a nação brasileira de que não será uma mera primeira-dama e muitos menos fará o estilo “recatada e do lar”. É aguardar e conferir.

A seguir, o discurso em libras de Michelle Bolsonaro.

O governo Jair Bolsonaro e a hora da verdade 2

O presidente Jair Bolsonaro e seu seu governo não vão demorar para descobrir que lua de mel de novos governos são efêmeras. 

Tudo muito bonito, organizado e emocionante, principalmente o momento protagonizado pela primeira-dama Michele Bolsonaro ao discusar em libras, a posse do presidente Jair Bolsonaro dá início a um outro momento político não somente para o país, mas para a sua própria trajetória do capitão.

Daqui em diante é Bolsonaro mostrar para que veio e colocar o seu programa de governo em curso para que possa apaziguar o clima político nacional, manter a estabilidade econômica, atrair investimentos internacionais, incrementar a microeconomia com reformas estruturantes, principalmente com uma reforma tributária que dê um basta a esse sistema tributário atual sacana que penaliza o povo, trava economia, impede geração de mais empregos e concentra renda.

O desafio do novo presidente é mostrar que pode ser mais do que um presidente da República, mas, sobretudo, um estadista que coloque os interesses do país acima de questiúncula políticas, partidárias, ideológicas e mesmo das suas próprias concepções sobre temas que não podem, e nem devem, ser resolvidos na base de “canetadas”, mas a partir do debate democrático com o Congresso Nacional e setores organizados da sociedade.

O presidente Jair Bolsonaro assume o comando do país com grande apoio popular, com a confiança do mercado, com o interesse de grandes países e vários conglomerados privados internacionais de investirem no Brasil.

Por outro lado, Bolsonaro vai ter que enfrentar uma oposição barulhenta e sistemática que não lhe dará um dia de trégua seja no planalto, seja na planície – sem falar de setores da grande imprensa que não vão lá muito com a cara e a postura do “mito”.

De qualquer forma, o momento é de acreditar no país! Que vamos continuar trilhando nos marcos da democracia, do Estado de Direito, da liberdade de expressão e que a instituições serão cada vez valorizadas e fortalecidas.

O presidente Jair Bolsonaro e seu seu governo não vão demorar para descobrir que lua de mel de novos governos são efêmeras.

É quando chega a hora da verdade.

Sorte ao novo presidente do Brasil e ao povo brasileiro.

Em 2019, Brasil será o país que mais tributa empresas

França, que hoje lidera o ranking feito pela OCDE, anunciou uma queda na alíquota de imposto sobre o lucro dos atuais 34,4% para 25% até 2022; no Brasil, taxa é de 34%

BRASÍLIA – O Brasil vai entrar 2019 no topo da lista dos países com a maior alíquota de imposto sobre o lucro das empresas em todo o mundo. A França, que hoje lidera o ranking, promoverá um corte já anunciado pelo presidente Emmanuel Macron, que prevê queda dos atuais 34,4% para 25% até 2022. A alíquota que incide sobre o lucro das empresas no Brasil (cobradas pelo Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) é de 34%.

O levantamento foi feito pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo de países com economias mais desenvolvidas do mundo e que tem as alíquotas mais elevadas globalmente. O Brasil não faz parte da organização, mas pleiteia uma vaga.

A ventania global de redução da carga tributária das empresas ganhou velocidade ao longo de 2018 com a adoção de uma política mais agressiva por Estados Unidos, Bélgica e França. A equipe econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro já adiantou que mudanças nessa área estão em estudo para aumentar a produtividade e o crescimento da economia.

O assunto é tema do mais amplo estudo especial que está sendo elaborado pela Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado Federal e será divulgado em breve para servir de subsídio ao debate da reforma tributária.

Para o diretor executivo da IFI, Felipe Salto, o Brasil tem um sistema tributário muito complexo, com carga elevada, que dificulta a vida de quem produz. “A IFI não sugere o menu. Nada impede que a gente opine sobre o cardápio que está na mesa.”

Historicamente, a queda das alíquotas vem ocorrendo desde as décadas de 70 e 80 em função de competição dos países por investimentos internacionais. Foi uma forma também de os países lidarem com o movimento das multinacionais de “mover lucros” para paraísos fiscais, o que reduz a arrecadação.

Com a crise internacional e a necessidade de ajustes fiscais, os países que adotaram essa prática, entre 2008 e 2015, compensaram a redução da carga tributária nas empresas com o aumento da tributação nas pessoas físicas para não terem grande perda de arrecadação.

Segundo Rodrigo Orair, especialista no tema e diretor da IFI, a partir de 2016, muitos desses países já resolveram o problema fiscal e passaram a se preocupar com o crescimento econômico, adotando uma política mais agressiva de queda.

A Irlanda puxou a fila ao jogar a alíquota para 12,5%. E depois vários países anunciaram mudanças para patamares mais baixos. A maior queda foi verificada nos Estados Unidos, que reduziu abruptamente a alíquota do Imposto de Renda cobrado das empresas de 35% para 21% em 2018.

Reforma tributária
Para Orair, os países estão reduzindo a alíquota chamada estatutária (que não considera as deduções previstas na legislação), mas ao mesmo tempo estão limitando algumas deduções do IR das pessoas jurídicas, ampliando a base de incidência ou fazendo uma série de revisão dos benefícios tributários. Segundo ele, a reforma tributária do presidente dos EUA, Donald Trump, reduziu um volume grande de deduções que as empresas podiam fazer.

A expectativa é que o Brasil siga a política de Trump. “A grande dúvida é se o time de Paulo Guedes vai compensar total ou parcialmente tributando dividendos na pessoa física ou limitando os juros sobre capital próprio”, diz Orair.

A equipe econômica do governo Temer chegou a elaborar uma proposta de mudança, mas não houve tempo de enviar ao Congresso. “O tempo acabou e não tivemos ambiente político para encaminhada essa discussão. Agora cabe ao próximo governo”, diz Eduardo Guardia, ministro da Fazenda. Segundo ele, a proposta foi apresentada à equipe de Paulo Guedes, seu sucessor no cargo.

(Fonte: Estadão)

SANTA RITA: Prefeito Hilton Gonçalo realiza várias inaugurações

O trabalha não para em Santa Rita. Na manhã de 25 de dezembro, dia em que mundialmente é comemorado o nascimento de Jesus Cristo, o prefeito Hilton Gonçalo realizou uma série de inaugurações na região do Oiteiro dos Pires. Acompanhado dos secretários, vereadores e da população, o gestor municipal entregou novos equipamentos que visam melhorias urbanas e sociais a população.

As inaugurações foram marcadas inicialmente com um café da manhã servido no restaurante cidadão do município (ao lado da Prefeitura) em seguida a comitiva inaugurou uma quadra esportiva e uma rede de distribuição de água no povoado Carionguinho.

Também foram inaugurados – um novo sistema de abastecimento de água e habitações no Centro de Dona – um sistema de abastecimento de água no Vaca Morta – varias habitações, rede de abastecimento de água, iluminação do campo de futebol e calçamento no Oiteiro dos Pires.

Os povoados Sítio do Meio, Mata/São João da Mata, Mata dos Pires e Padre Josino, também foram contemplados por obras da administração municipal neste ano de 2018, dentre essas obras é importante destacar várias habitações, sistemas de abastecimento de água, recuperação de estradas e campo de futebol.]

Hilton Gonçalo destacou as inaugurações, “o nosso trabalho não para, não vamos descansar um dia sequer, esse foi o meu compromisso ao assumir o mandato no dia 1º de janeiro de 2017 e hoje é uma prova disto. Vamos seguir melhorando a vida das pessoas em Santa Rita”.

Não basta ser criativo

Muita gente confunde criatividade com imaginação. Enquanto a criatividade é a capacidade de conectar pontos, a imaginação é a capacidade de criar pontos, não necessariamente conectá-los

Marcos Hashimoto*, via administradores.com.br

Vários alunos me procuram com ideias ‘inovadoras’ de negócio, mas o fato é que a maioria destas ideias não são verdadeiramente diferentes. Ou eles não procuram o suficiente para saber que existem ideias semelhantes ou suas ideias são apenas pequenas variações do que já existe, não o suficiente para ser considerado ‘inovação’ pelo mercado. Muitas ideias, entretanto, são tão diferentes, tão criativas, que provavelmente não darão em nada, pois não se sustentam no quesito viabilidade.

A verdade é que os alunos não conseguem ter grandes ideias de ruptura porque a maioria deles não tem a experiência e conhecimento mínimos em uma determinada área para ter ideias realmente inovadoras, não importa o quão criativo eles sejam.
No entanto, esta experiência e conhecimento tem dois lados. Se por um lado, a falta de experiência e conhecimento não dá nenhuma credibilidade e argumento para sustentar as ideias propostas, por outro lado, quanto mais experiência e conhecimento adquirirmos por meio de cursos, livros, trabalhando na área, com especialistas, mais difícil passa a ser pensar de forma diferente do que já existe hoje, pois nosso cérebro já está cheio de certezas, a chamada ‘xícara cheia’, não dando espaço para novas abordagens e pensamento crítico. Portanto, é importante ter conhecimento e experiência para sabermos do que estamos falando, mas ter um espírito questionador e crítico, que dê espaço para as novas ideias.

Muita gente confunde criatividade com imaginação, por isso cabe uma breve explicação da diferença. Enquanto a criatividade é a capacidade de conectar pontos, a imaginação é a capacidade de criar pontos, não necessariamente conectá-los. A imaginação é natural do cérebro humano e, se alimentada desde criança, continua fértil enquanto adulto.

Basicamente, a criatividade é a arte de ligar os pontos. Existem dois tipos de pontos a ser ligados. O primeiro que são gerados a partir de nossa imaginação e o segundo que são gerados a partir destes conhecimentos e experiências. Quanto mais diversificados forem esses pontos mais criativas são as nossas ideias.

Vamos usar como metáforas as bombas e pontes. As bombas explodem, rompem, criam rupturas, bagunçam e espalham tudo. As pontes conectam, ligam, unem duas partes. A imaginação é como as bombas, são necessárias para romper com o padrão existente, enquanto a criatividade é como a ponte, estabelece uma conexão entre dois ou mais pontos de forma a fazer sentido, uma ideia. Quando você lança uma bomba, você está usando sua imaginação, gerando coisas loucas que mudam completamente o que está acontecendo agora. Quando você usa a sua criatividade, você está tentando dar um sentido à bagunça que a bomba gerou, ligando os pontos e conectando fatos, experiências, conhecimento, dados, tudo o que estava espalhado, de forma a gerar algo que seja realmente grande. Portanto, a imaginação é a matéria-prima que alimenta o processo de criatividade.

Portanto, se você quiser ser mais criativo, aprenda duas coisas: Primeiro, fazer conexões. Quanto mais incomuns e estranhas, melhor. Você deve saber como criar uma ligação entre o funeral de sua tia querida com a nova marca escova de dentes lançada no mercado. Grandes conexões criativas unem duas ou mais coisas em sua memória que não tem nada a ver uma com a outra. Segundo, aumentar o número e a variedade destes pontos em sua mente, ou seja, o seu repertório de bombas. Para isso, viva diferentes experiências, aprenda outros idiomas, conheça pessoas de outras culturas, viaje para países exóticos, visite museus de arte ou museus históricos, leia sobre assuntos incomuns, saia para mochilar em outro país e várias outras coisas que não tem nada a ver com sua vida atual, nem a sua ideia de negócio futuro, mas vai ajudar a preparar seu cérebro pronto para o próximo passo: a inovação.

A inovação acontece quando percebemos que por trás de algumas dessas conexões existe algum valor, um propósito, uma causa, um resultado tangível. É este valor que diferencia a criatividade artística da criatividade inovadora. As artes expressam os sentimentos e visões do próprio artista, enquanto a inovação sempre tem um valor percebido pelos outros.

Quando a inovação acontece, os pontos conectados abrem caminhos para inúmeras possibilidades de gerar valor. É por isso que a maioria das inovações vêm de laboratórios científicos. Estes são os lugares onde novos conhecimentos estão sendo gerados, portanto, com mais possibilidades de gerar novas conexões relevantes. Quando temos imaginação e conhecimento novo e desenvolvemos nossa capacidade de conectar estes pontos, um mundo de novos caminhos para serem explorados se descortinam.

Por fim, os negócios inovadores acontecem quando surge um caminho para transformar este valor percebido em uma corrente contínua de receitas e crescimento. É importante saber que todo esse fluxo de negócios inovador não está necessariamente em uma única pessoa ou empreendedor. Pode-se ser imaginativo, mas sem experiência ou conhecimento, não conseguirá fazer conexões significativas. Se você tem tudo isso, mas não tiver habilidades de negócios, sua inovação vai ficar presa em um laboratório ou no máximo em uma patente e você vai se contentar com os royalties recebidos de uma grande corporação que utiliza sua patente. Protagonismo se dá com um conjunto de pessoas com essas habilidades diferentes que se unem para construir este projeto inovador, cada um deles contribuindo com sua própria maestria que complementa a de outras pessoas.

Se a sua equipe tiver: 1 pessoa com rica imaginação (bomba), 1 pessoa com muito conhecimento (um pesquisador), 1 pessoa com muita experiência prática, 1 pessoa criativa (ponte) e 1 pessoa com visão de negócio (administrador), então você está pronto para liderar a próxima inovação de ruptura que vai mudar o mundo!

Marcos Hashimoto*
Professor de Empreendedorismo da Universidade de Indianapolis e co-fundador da Polifonia, escola de Protagonismo Criativo de São Paulo. Serviços de consultoria em Estratégia Empresarial, Liderança e Empreendedorismo Corporativo: http://www.marcoshashimoto.com

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR: Fim de semana marcado por entrega de obras e reconstruções

Dando prosseguimento à programação do fim de ano da Prefeitura de São José de Ribamar, o prefeito Luis Fernando cumpriu extensa agenda de entrega de obras, ações e confraternizações no último fim de semana.

Na manhã de sexta-feira (21), a comunidade do São Raimundo recebeu totalmente reconstruída, ampliada e modernizada a Unidade Básica de Saúde do Bairro. À tarde foi a vez da região do Miritiua, que recebeu uma Unidade de Apoio à Segurança Pública, uma iniciativa pioneira que serve como instrumento de auxílio à polícia estadual no combate ao crime e na segurança preventiva por meio, também, da Guarda Civil Municipal. Já no sábado, além da Ordem de Serviço para a reconstrução da quadra Zé de Zandra, na Matinha, o prefeito reuniu funcionários numa confraternização muito descontraída com direito a distribuição de prêmios e diversão.

“Mesmo com todas as dificuldades que estamos enfrentando, não deixamos de trabalhar, seguir com a reconstrução e, ao mesmo tempo, evoluir com novas obras” disse o prefeito, que, durante a entrega da UBS do São Raimundo, ainda destacou: “A população de São José de Ribamar vai ter acesso aos serviços de saúde num lugar amplo, mais bonito e organizado. Estamos transformando a saúde de nossa cidade, que infelizmente já foi muito maltratada num passado recente”, garantiu o prefeito.

Além do vice-prefeito, Eudes Sampaio, também participaram da solenidade, os vereadores Cristiano Pinheiro, Osvaldo Brandão, Nádia Barbosa e o vereador Manoel do Nascimento, presidente da Comissão de Saúde da Câmara que destacou a importância da obra para a comunidade. “Esta reforma é mais um compromisso cumprido do Luis Fernando, várias unidades foram reformadas e a população agradece”, pontuou.

De acordo com o secretário de saúde, Tiago Fernandes, serão ampliados os atendimentos odontológicos, atendimentos em grupo, educação em saúde e imunização. Além dos pequenos procedimentos que já são realizados na unidade.
O novo espaço tem novas salas, entre consultório médico, odontológico, sala de vacina, sala de enfermagem, sala de curativo, arquivo, banheiros, auditório, almoxarifado. A equipe da unidade é composta por profissionais dentre médico, dentista, enfermeiro, técnico de enfermagem, auxiliar de enfermagem, agentes comunitários de saúde e recepcionista.

UASP – No período da tarde, Luis Fernando realizou visita técnica à sede da Unidade de Apoio a Segurança Pública (UASP) que vai funcionar no bairro do Miritiua. O local que serve como base da segurança pública, vai abrigar a Guarda Municipal, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar.

“Esta é uma base que vai servir como ponto de apoio para a segurança pública e não posto policial. É importante que a comunidade entenda que aqui vamos disponibilizar dois homens da guarda e o efetivo tanto da polícia militar quando do corpo de bombeiros também fará uso da unidade, porém como base para as ações que serão realizadas pelas polícias”, explicou.

A previsão é que até o final de janeiro de 2019, a unidade, de um total de três, seja entregue a população. Também estão sendo beneficiados com unidades de segurança, os bairros do Araçagy e Parque Vitória.