Flávio Dino, a bancada maranhense no Congresso e o governo Temer

Ao manter uma relação apenas “varejista” com a bancada maranhense no Congresso Nacional, Flávio Dino acaba por apequenar o própria representação popular dos parlamentares

Já ficou mais do que claro que Flávio Dino (PCdoB) não tem qualquer influência política sobre a bancada maranhense no Congresso Nacional. É assim desde o início do seu governo e desta legislatura na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Mesmo durante o processo de impeachment da presidente Dilma, quando o governador maranhense ganhou a mídia nacional para defender o mandato da petista, Flávio Dino demonstrou que não consegue contar politicamente com a bancada para coisa alguma.

Afora o deputado federal Rubens Pereira Júnior, do PCdoB, Flávio não pode se dar o luxo da bater no peito e dizer “eu tenho meus deputados”, o que para o cenário político nacional passa como desprestígio do governador.

A bancada maranhense no Congresso Nacional é essencialmente governista e está pronta para votar a pauta “reformista” do governo Temer. E o pior é que o governador não consegue tirar proveito disso, pelo contrário, faz é promover e estimular a conflagração entre deputados e senadores como ocorreu no caso da emendas de bancada.

Não se tem notícias da existência de uma agenda positiva e sistemática entre o governador e a bancada maranhense de deputados e senadores.

Ao que parece, Flávio Dino prefere operar no miúdo, no varejo, chamando um deputado aqui, outro acolá, para tratar de emendas de ambulâncias, de viaturas policiais, tratores etc. Nada de projetos estruturantes para o estado!

Com a bancada de senadores então… nem se fala!

Até o único senador que poderia contar para ajudar o seu governo, Flávio Dino conseguiu a proeza de afastá-lo politicamente por razões que só o território da paranoia pode explicar. Dá para considerar minimamente razoável o governador desperdiçar a chance de ter Roberto Rocha como seu principal aliado na planície e no planalto? É preciso ser muito bom para fazer as coisas erradas!

Ao manter uma relação apenas “varejista” com a bancada maranhense no Congresso Nacional, Flávio Dino acaba por apequenar o própria representação popular dos parlamentares.

E quando abrir os olhos já poderá ser tarde demais…

Deixe uma resposta