O carnaval do Maranhão não se resume à pessoa do governador Flávio Dino 8

O comportamento do governador maranhense pode ser muito bem resumido num trecho da cantiga “Sampa”, de Caetano Veloso, que diz assim: “É que Narciso acha feio o que não é espelho”

Narcisismo é algo complicado e dependendo do nível pode ser muito perigoso, tanto para para o próprio narcisista quando pessoas próximas a ele.

Ao reclamar de forma que beira o patológico contra o fato de não aparecer na TV Mirante, afiliada da Globo, durante o carnaval, o governador Flávio Dino comete vários equívocos, todos originados na sua personalidade narcisista.

Em primeiro lugar, é estranho alguém se martirizar porque não consegue aparecer na “telinha” de uma emissora que integra um sistema de comunicação que é tratado costumeiramente de forma desrespeitosa pelo governador e o seus auxiliares mais próximos. Aliás, desrespeitos que não se limitam ao sistema em si, mas também a alguns dos seus profissionais de jornalismo.

Em segundo lugar, fica feio para um governador jovem ficar o tempo inteiro atacando o ex-presidente Sarney, um idoso de quase 90 anos, e acusando-o de ser a mente por traz do hipotético boicote da TV Mirante a sua pessoa.

Em terceiro lugar, quem acompanha os telejornais da TV Mirante sabe que houve, sim!, um registro diário do carnaval não apenas de São Luis, mas de diversas cidades do Maranhão em todas as regiões do estado.

Ocorre que para Flávio Dino só vale se durante as reportagens miranteanas o comunista aparecer tocando tambor com uma claque palaciana, sob o comando do diretor do Procon, Duarte “Shoktox” Júnior, gritando “Dino, eu te amo”. Aí não dá, né?

Esse tipo de comportamento do governador maranhense pode ser muito bem resumido num trecho da cantiga “Sampa”, de Caetano Veloso, que diz assim: “É que Narciso acha feio o que não é espelho”.

Mas nada que uma boa terapia não resolva ou animize o transtorno…

Flávio Dino e sua sofrência em relação a Sarney e à Mirante 10

O governador comunista tem mais é que procurar se tratar dessa sua sofrência em querer ser José Sarney de qualquer jeito e ainda por cima ter a TV Mirante como propagadora da sua “gogozada”.

O jornalista e blogueiro Marco D’Eça afirmou, em editoral no seu blog, que o governador Flávio Dino sonha em ser um José Sarney (veja aqui).

“Este blog sempre disse que o governador Flávio Dino tem um sonho: ser igual ao ex-presidente José Sarney (PMDB). Filho do ex-deputado e poeta sarneysista Sálvio Dino, o comunista cresceu nas cercanias do Palácio dos Leões, convivendo com Sarney desde criança”, postou o velho e bom Sarará.

Depois veio o amigo e também jornalista Diego Emir, e faz uma análise dando conta de que o comunista anda implorando para que TV Mirante faça uma entrevista com ele. Assim.

“O governador Flávio Dino (PCdoB), anda obcecado para ser entrevistado pela Tv Mirante afiliada da Rede Globo no Maranhão. Em uma postagem na sua página pessoal do Facebook, o comunista reclama: ‘A TV Globo no Maranhão jamais me entrevista ou acompanha atos do governo. No vizinho Piauí é diferente. Por que será?'”, escreveu Diego (veja aqui).

Tanto no post de  D’Eça quanto no do Diego fica cristalina a sofrência que Flávio Dino enfrenta em relação a Sarney e à TV Mirante.

Ora, governador, o senhor é entrevistado pela “Globo do Piauí” porque lá o governo e o governador têm uma relação de respeito com a imprensa, independente de correntes de pensamentos políticos. Aliás, o governador Wellington Dias (PT) é um democrata, um gestor de Estado e não apenas militante político e partidário como acontece no caso do Maranhão.

Não se tem notícias, por exemplo, do governador petista do estado vizinho ir a seminários e palestas para combater emissoras de rádio e tevê como fez Flávio Dino recentemente em audiência pública promovida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando foi falar mal da TV da família Sarney e seus aliados.

O engraçado, não fosse ridículo, é que Flávio vive descendo o sarrafo na TV dos Sarney, considerada por ele “uma repartição do DOPS, do DOI-CODI”, órgãos da ditadura militar, mas não perde tempo em “vender o peixe” do seu governo no sistema sarneysista de Comunicação.

Isso sem falar, como bem lembrou o Diego Emir, que a rádio Timbira AM, emissora pública do Governo do Maranhão, não entrevista quaisquer adversários do governo, seja Adriano Sarney, Andréa Murad, Edison Lobão, João Alberto, Roberto Rocha, entre outros.

E como se não bastasse tudo isso, o governador Flávio Dino ainda sustenta, via Secom, uma rede de intrigas, maldades e safadezas contra quem se meter no seu caminho ou ameaçar o seu projeto de poder.

Flávio Dino tem mais é que procurar se tratar dessa sua sofrência em querer ser José Sarney de qualquer jeito e ainda por cima ter a TV Mirante como propagadora da sua “gogozada” sem fim.

Ou se trata ou se acaba na “kriptonita”!

Não entendeu? Entenda AQUI.