TERCEIRA VIA: A ousadia dos “cabeças brancas” e experiência dos “cabeças pretas” 2

Que essa união sadia entre “cabeças brancas” e “cabeças pretas” possa ser o embrião de algo realmente novo para o Maranhão

O Maranhão passa por uma visível renovação dos quadros da classe política local.

Seja por razões naturais ou porque o povo sinaliza que deseja tal renovação, o fato é que muitos “cabaças pretas” estão ganhando protagonismo na política maranhense, e as eleições de 2012, 2014 sinalizam para esta tendência, que deve avançar ainda mais nas eleições de 2018.

Ocorre, que não basta apenas um bom número de novos políticos “novos”, ou seja, não é apenas a quantidade de “cabeças pretas” que fará a diferença na construção de um Maranhão mais promissor. A qualidade dos quadros mais jovens também é fundamental!

Percebe-se, por exemplo, que o governador Flávio Dino, que está na fase transição de “cabeça preta” para “cabeça branca”, até esforça-se para apresentar ao Maranhão novos quadros políticos, mas parece errar em não se preocupar muito com a qualidade dos mesmos.

Salvo nomes como Edivaldo Júnior, Felipe Camarão, Neto Evangelista, Rubens Pereira Júnior, Eliziane Gama, deixa eu ver quem mais…. Só me vem à mente esses; outros nomes novos já surgem como práticas antigas, só pensando em vantagens imediatas, no negócio fácil, em se dar de bem etc.

Nesse sentido, a chamada terceira via, principalmente a liderada pelo senador e pré-candidato a governador Roberto Rocha (PSDB), tem apresentado uma fórmula interessante na medida que tenta juntar a ousadia dos “cabeças pretas” com a experiência dos “cabeças brancas”.

Ao contrário da concepção de Flávio Dino, o tucano não deseja renegar os mais velhos como se fossem desnecessários ou secundários na construção de uma sociedade mais digna e humana para o nosso estado.

Isso ficou bem claro após o fim do prazo da chamada janela partidária quando Roberto Rocha e o seu partido, o PSDB, saíram reconhecidamente mais fortalecidos do processo.

O senador conseguiu levar para o seu campo político “cabeças pretas” como Wellington do Curso, Alexandre Almeida, Estevão Aragão, Eduardo Bruno, Guilherme Paz, entre outros. Lideranças que se destacam pela qualidade, postura, ética e que não têm apenas votos, mas principalmente “modos”.

A esses “cabeças pretas” juntaram-se aos “cabeças brancas”, entre os quais o mais destacado é o ex-governador e deputado federal José Reinaldo Tavares, político de larga experiência política, administrativa e que será uma referência para muitos dos “cabeças pretas” no PSDB. Isso sem falar também na experiência de Graça Paz e de Waldlr Maranhão, que ainda que tenham a coloração preta nos cabelos, a trajetória de vida dos dois os colocam mais próximos do “cabeças brancas” (Rsrsrs).

O fato é que esse setor da terceira liderado por Roberto Rocha, que também está na fase de transição entre os “cabeças pretas” e “cabeças brancas”, constitui-se num campo político muito bom, possuindo não apenas quantidade, mas, sobretudo, qualidade.

Por fim, que fique claro que há muita gente boa e séria em outros setores da terceira via, como os liderados por Eduardo Braide, ele mesmo um “cabeça preta”; e por Maura Jorge, outra na fase de transição e que muito tem a ensinar aos mais jovens.

Que essa união sadia entre “cabeças brancas” e “cabeças pretas” possa ser o embrião de algo realmente novo para o Maranhão.

É como cantou o poeta: “O novo sempre vem”.

PS. Não é demais lembrar que na segunda via, no Maranhão representada pelo grupo Sarney, tem muita gente boa tanto de “cabeça branca” quanto de “cabeça preta”. Só para registrar.

TERCEIRA VIA: PSDB segue com disposição de projeto próprio com Roberto Rocha pré-candidato 12

Segundo informações apurada pelo Blog do Robert Lobato, os tucanos permanecem com a disposição de apresentar um projeto de candidatura própria para o julgamento popular nas eleições de 2018

Desde que o senador Roberto Rocha (PSDB) passou a defender com afinco um projeto político e de sociedade que reúna diversas forças políticas da chamada terceira via, setores da imprensa, sabe-se lá fazendo qual jogo, tentam colocar o PSDB como linha auxiliar de partidos que sequer têm estrutura, logística e mesmo tempo no horário de rádio e tevê durante a campanha propriamente dita.

Nesse contexto, aparecem análises para todo gosto, umas de boa-fé, outras nem tanto e mesmo fake news que tentam tirar o Roberto do jogo eleitoral como se o tucano tivesse caído de paraquedas ontem na política maranhense.

Ora, Roberto Rocha vem de longe e sempre se colocou num campo político de mudanças, e algumas vezes saindo candidato a cargos majoritários com a intenção de resguardar não somente esse campo no qual milita, como o seu próprio partido, o PSDB, para que não se tornasse mero “puxadinho” de legendas menores como, por exemplo, o PCdoB do governador Flávio Dino. Aliás, coisa que um partido igualmente grande, tal como o PT, era para ter coragem e ousadia de fazê-lo.

O fato é que, segundo informações apuradas pelo Blog do Robert Lobato, os tucanos permanecem com a disposição de apresentar um projeto de candidatura própria para o julgamento popular nas eleições de 2018.

Projeto esse a ser liderado pelo senador Roberto Rocha…

ELEIÇÕES 2018: A importância da candidatura Braide 30

Se tem alguém a temer um cenário com vários candidatos da terceira via é Flávio Dino, que pode ver o seu sonho de eleição polarizada entre ele e Roseana ir por água abaixo.

É um equívoco quem pensar que a candidatura de Eduardo Braide é ruim para a chamada terceira via. Pelo contrário, o pré-candidato pelo PMN será importante para o debate eleitoral ao lado de Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (MDB), Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (Podemos) e outros que podem entrar na disputa.

A presença de todos esses candidatos podem inaugurar uma nova fase política no Maranhão e acabar de uma vez por todas com essa história que o estado está condenado a ficar refém apenas de duas alternativas, ou seja, Sarney e anti-Sarney.

Que venha a candidatura de Eduardo Braide, que ele consiga viabilizar mais partidos para o sua projeto de governador e ajude para que e a eleição tenha segundo turno com ou sem ele na disputa final.

Se tem alguém a temer um cenário com vários candidatos da terceira via é Flávio Dino, que pode ver o seu sonho de eleição polarizada entre ele e Roseana ir por água abaixo.

É aguardar e conferir.