ELEIÇÕES 2018: O drama de Eliziane Gama 2

Não se sabe se o presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire, dará mais um “habeas corpus” para a moça, que já saiu e voltou para partido fazendo juras de amor e quase cantando aquela música de Roberto Carlos que diz assim: “eu voltei, agora pra ficar porque aqui, aqui é meu lugar”

A deputada federal e pré-candidata a senadora Eliziane Gama (PPS) enfrenta um drama daqueles que só Jesus na causa.

A irmã acalenta o sonho de ser a anunciada como o segundo nome do governador Flávio Dino ao Senado Federal e fazer parelha com o também deputado federal Weverton Rocha (PDT), já anunciado como candidato número um do governador, no que seria uma chapa do sagrado com o profano.

Ocorre que Eliziane é do PPS, partido que dificilmente ficará no palanque de reeleição de Flávio Dino (PCdoB). E não se sabe se o presidente nacional do partido, deputado Roberto Freire, dará mais um “habeas corpus” para a moça, que já saiu e voltou para partido fazendo juras de amor e quase cantando aquela música de Roberto Carlos que diz: “eu voltei, agora pra ficar porque aqui, aqui é meu lugar”.

O fato é que, além de Flávio Dino já ter dito para vários interlocutores que não confia em Eliziane Gama, a pré-candidata ainda enfrenta, repito, o drama de não saber qual partido pode viabilizar o seu projeto de senadora da República.

Ao final do processo, nossa amada irmã pode ficar sem mel e sem cabaça…

Flávio Dino tenta constranger José Reinaldo “plantando” boatos de suposto realinhamento do ex-governador com o comunista 2

O governador comunista tenta de todas as maneiras constranger Zé Reinaldo “plantando” boatos na mídia alugada, com prazo de validade determinado, diga-se, de que o ex-governador vai se realinhar ao comando do Palácio dos Leões

Chega ser vergonhoso o que Flávio Dino (PCdoB) está fazendo com o deputado federal José Reinaldo (sem partido).

O governador comunista tenta de todas as maneiras constranger o Zé Reinaldo “plantando” boatos na mídia alugada, com prazo de validade determinado, diga-se, de que o ex-governador vai se realinhar ao comando do Palácio dos Leões. Até reunião na sede do Governo do Estado entre Flávio Dino e José Reinaldo, para manhã deste sábado, 10, andaram inventando.

Ocorre que José Reinaldo já está careca de afirmar e reafirmar que o seu rompimento com o governador comunista é ir-re-ver-sí-vel! E neste final de semana deixou bem claro isso em um entrevista concedida ao jornalista Bendito Buzar, onde disse que perdeu a confiança em Flávio Dino (a entrevista está publicada na edição de hoje do jornal O Estado do Maranhão.No mais, é deixar o ex-governador José Reinaldo em paz para que siga o caminho que achar melhor e mais viável para garantir a sua eleição para o Senado Federal.

Quanto à mídia alugada, com prazo de validade para 31/12/2018, cabe se conformar com a decisão do deputado.

“Desespero dos adversários”, diz Waldir Maranhão sobre sua suposta desistência ao Senado 6

Waldir não somente reafirmou que é pré-candidato como classificou de desespero dos adversários que, segundo o deputado, sabem que ele aparece bem nas pesquisas realizadas em vários municípios

O deputado federal Waldir Maranhão (Avante) negou que tenha desistido da sua pré-candidatura ao Senado Federal, conforme noticiado em blogs da cidade.

Em contato com o Blog do Robert Lobato, Waldir não somente reafirmou que é pré-candidato como classificou de desespero dos adversários que, segundo o deputado, sabem que ele aparece bem nas pesquisas realizadas em vários municípios.

“Não existe essa história de desistência de disputar o Senado. Continuo pré-candidato e nada fará com que eu saia desse caminho, pois é um projeto que não é apenas do Waldir Maranhão, mas de várias forças políticas, prefeitos e de lideranças locais e nacionais. Essa é o tipo de notícia que demonstra apenas o desespero dos meus adversários porque sabem que estou bem nas pesquisas em vários municípios”, assegurou o parlamentar.

Waldir Maranhão ainda aguarda o cumprimento do acordo feito com Flávio Dino na época que o deputado, então presidente da Câmara Federal, anulou o impeachment da presidente Dilma. A iniciativa de Waldir Maranhão, inclusive, teria sido ideia e orientação do próprio governador comunista.

Mas, até agora, Flávio Dino não dá quaisquer sinais de que pretende honrar o compromisso assumido com Waldir Maranhão, que segue pré-candidato a senador da República.

É aguardar e conferir se o homem resistirá às pressões para desistir do projeto.

ELEIÇÕES 2018: José Reinaldo é uma espécie de “partido político” 12

Comete um erro pueril quem achar que o ex-governador vai ficar apenas vendo a “banda eleitoral” passar sem reagir a eventuais “golpes” de aliados

Parece que estão subestimando o potencial do ex-governador e atual deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido).

Político experiente, articulado e com excelente trânsito na classe política, sem falar na interlocução que possui em Brasília, Zé Reinaldo pode ser considerado, no Maranhão, uma espécie de partido político à parte, tal como José Sarney o é no plano nacional.

Comete um erro pueril quem achar que o ex-governador vai ficar apenas vendo a “banda eleitoral” passar sem reagir a eventuais “golpes” de aliados.

Pré-candidato ao Senado Federal, cujo lema é “senador municipalista”, José Reinaldo conta com o apoio declarado e público do prefeito de Tuntum e presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Clemar Tema.

É de Tema, aliás, a concepção do projeto Encontros da Gratidão, eventos que tem como objetivo fazer um reconhecimento a José Reinaldo pelo respeito e prestígio com os quais tratava os prefeitos maranhenses quando governador.

Especula-se que o Palácio dos Leões trabalha nos bastidores para fazer de Cleomar Tema o vice-governador e, dessa forma, lançar por terra o apoio do prefeito à candidatura de José Reinaldo Tavares ao Senado. Isso seria possível?

Bom, estamos falando de política logo tudo é uma questão de conjuntura e de interesses. Mas, repito: Zé Reinaldo tem valor de um partido partido e toda ação produz uma reação.

Contudo, o Blog do Robert Lobato custa acreditar que Cleomar Tema deixe o amigo e companheiro José Reinaldo Tavares à beira da estrada para ser vice de Flávio Dino.

A conferir.

ELEIÇÕES 2018: Professor Nonato Chocolate protocola pré-candidatura ao Senado 10

O dirigente petista tem se mostrado bastante animado com a pré-candidatura à Câmara Alta e está articulando uma série atividades para dar não somente maior musculatura, mas também estadualizar o projeto Chocolate Senador

O professor Nonato Chocolate protocola amanhã, sábado, 13, a sua pré-candidatura ao Senado Federal pelo PT.

O registro será feito na sede do partido, localizada no bairro do Cohafuma, durante ato de “13 Dia de Luta”, em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato a presidente do Brasil.

O dirigente petista tem se mostrado bastante animado com a pré-candidatura à Câmara Alta e está articulando uma série atividades para dar não somente maior musculatura, mas também estadualizar o projeto Chocolate Senador.

“Amanhã irei oficializar a minha pré-candidatura ao Senado Federal na sede do PT junto ao presidente Augusto Lobato. Vamos aproveitar o ato do 13 Dia de Luta, em defesa da democracia e do direito do companheiro Lula ser candidato a presidente. A ideia é fazermos uma grande festa democrática na sede do nosso partido”, disse o pré-candidato.

O registro da pré-candidatura do professor Chocolate será acompanhada de uma vasta programação carnavalesca promovida pelo próprio PT.

Entre as atrações estão: a “Jardineira”, comandada pelo maestro Augusto Bastos; apresentação do bloco da juventude petista Tô com Lula, coordenador pelo aguerrido Carlos Augusto Filho, o Gugu, além de uma deliciosa feijoada batizada de “Feijão-13”

É o PT movimentando o pré-carnaval maranhense e, claro, a pré-campanha 2018 no estado.

ELEIÇÕES 2018: Flávio Dino planta vento em relação a José Reinaldo. E quem planta vento… 6

Observadores da cena política avaliam que a tática do governador é levar com a barriga a pré-candidatura de José Reinaldo ao Senado e em cima da hora, caso não seja o escolhido, o ex-governador encontrar dificuldades de voltar a concorrer a reeleição de deputado federal

O governador Flávio Dino (PCdoB) parece não perceber que pode estar caminhando para o precipício eleitoral em 2018.

O Blog do Robert Lobato poderia muito bem ficar de camarote apenas olhando a débacle política do comunista e não escrever este post que pode acabar ajudando-o a desfazer a lambança que está em curso em relação à disputa pelo Senado Federal dentro do grupo governista. Mas a esta página cabe, entre outras coisas, analisar conjunturas e cenários políticos, logo não importa se as análises ajudam ou atrapalham quem quer que seja. O que importa é debate democrático. Então vamos lá.

Como bem sabe o Maranhão inteiro, Flávio Dino já escolheu o seu primeiro candidato a senador.

O agraciado com tamanha honraria foi o deputado federal Weverton Rocha, que com o PDT no bolso e uma faca em punho, obrigou o governador a anunciar de forma bastante antecipada o apoio à candidatura do pedetista, ainda que tenha gente que garante que Flávio não acredita que o “Maragato” chegue muito longe com o seu projeto de senador.

Pois bem. Desde que Flávio Dino se viu eleito resolveu afastar antigos amigos e aliados de campanha, e conduzir sozinho a política do governo. Aí só perdeu. Perdeu Roberto Rocha, perdeu Madeira e o PSDB, perdeu Eduardo Braide, perdeu Wellington do Curso, perdeu Hilton Gonçalo e muitos outros.

Agora, o comunista corre o sério e mortal risco de perder aquele que jamais poderia se dar o luxo de perdê-lo: o ex-governador e atual deputado federal José Reinaldo Tavares (ainda no PSB).

É que Flávio Dino reuniu, nesta semana, a imprensa amiga do Palácio do Leões e afirmou que o somente no mês de maio de 2018 irá anunciar o segundo nome de senador na sua chapa.

Alguns observadores da cena política, porém, avaliam que a tática do governador é levar com a barriga a pré-candidatura de José Reinaldo ao Senado e em cima da hora, caso não seja o escolhido, o ex-governador encontrar dificuldades de voltar a concorrer a reeleição de deputado federal. A mesma leitura serve para a também para a deputada Eliziane Gama (PPS).

“Flávio Dino acha que José Reinaldo e Eliziane Gama estarão tão fracos politicamente lá por volta de abril e maio do ano que vem que só lhes restarão a opção de apoiá-lo. Será mesmo? Eles, na verdade, estarão com ódio do governador e virarão terríveis inimigos. Aqui vai um conselho ao governador, que não pediu : Se prometeu a Waldir Maranhão apoiá-lo para senador, por que não o confirma? Daria uma bela chapa: Flávio, Weverton e Maranhão. Por que não?”, provocou uma liderança governista do interior com forte credibilidade na classe política.

Enfim, está claro que o governador Flávio Dino está plantando vento quando o assunto é a eleição de senador no seu grupo político, principalmente em relação a José Reinaldo.

E quem planta vento, como bem ensina a sabedoria popular, colhe tempestade.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: José Reinaldo, um pequeno passo para um candidato, mas um salto gigantesco para o Senado 4

José Reinaldo fez um movimento muito bem calculado nesta fase da sua pré-campanha ao Senado Federal ao convidar a família Macedo para integrar o seu projeto. Fecha o ano com chave de ouro.

O ex-governador José Reinaldo Tavares (ainda no PSB) calcula cada movimento que deve dar na política. Até porque, como engenheiro de formação, entende de cálculos diferenciais e integrais, e os têm aplicado no território da política.

Na segunda-feira, 11, por exemplo, o agora deputado federal fez um movimento que pode ter consolidado de uma vez por todas o seu projeto para o Senado Federal.

Durante almoço realizado, em Teresina (PI), um território neutro, portanto, José Reinaldo reuniu-se com a família Macedo.

No cardápio, além de um bode no vinho de coco, o convite para o que o clã Macedo indique o primeiro suplente de senador na sua chapa, provavelmente o patriarca Dedé Macedo. Ou seja, Zé Reinaldo matou vários coelhos com uma cajadada só.

Em primeiro lugar, o pré-candidato a senador chama para perto de si um dos principais fiadores políticos e financeiros da campanha de 2014 do então candidato a governador Flávio Dino (PCdoB). Uma saia justa do “caramba” no comunista.

Em segundo lugar, Dedé Macedo é pai do deputado estadual Fábio Macedo, do PDT, mesmo partido do também pré-candidato a senador Weverton Rocha, presidente estadual do legenda trabalhista e que já recebeu o apoio declarado do governador Flávio Dino.

Por fim, Zé Reinaldo contou com o apoio de ninguém menos do que o ex-prefeito de Timon e ex-deputado estadual, o pedetista histórico Chico Leitoa, nessa empreitada política de chamar a família Macedo para compor no projeto de senador do agora deputado federal – comenta-se que Chico está de olho na segunda suplência, mas ele nega.

Detalhe importante: o almoço da segunda-feira, 11, em Teresina, foi à revelia do Palácio dos Leões e do PDT de Weverton Rocha.

O fato é que José Reinaldo fez um movimento muito bem calculado nesta fase da sua pré-campanha ao Senado Federal. Fechou o ano com chave de ouro.

Parodiando a frase do astronauta americano Neil Armstrong ao pisar na lua, Zé Reinaldo de “um pequeno passo para um candidato, mas um salto gigantesco para o Senado”.

É aguardar e conferir.

PS: Chico Leitoa, assim como José Reinaldo Tavares, é engenheiro, logo entende de cálculos também.  🙂

IMAGEM DO DIA: Waldir Maranhão amplia conversas sobre candidatura ao Senado

O deputado federal Waldir Maranhão (Avante) fez uma produtiva agenda política nesta terça-feira, 12, em Brasília. Na pauta, os possíveis cenários das eleições de 2018. Pré-candidato a senador, Waldir tem intensificado e ampliado as conversações políticas sobre a sua candidatura à Câmara Alta. Além do deputado Hildo Rocha (PMDB), participaram também da agenda o ex prefeito de Magalhães de Almeida, João Cândido Carvalho Neto, e João Igor, atual prefeito de São Bernardo.

É aquela história: está chegando a hora de vaca desconhecer bezerro…

ELEIÇÕES 2018: A esperteza de Flávio Dino em relação ao projeto “Werverton senador” 14

Caso Weverton venha a ter complicações com Justiça e a Polícia Federal, o gesto de Flávio Dino, ontem, servirá para o governador continuar tendo o PDT do seu palanque, pois terá o crédito pra dizer: “Fiz a minha parte, se não deu, não é culpa minha”.

O governador Flávio Dino (PCdoB) é esperto pra caramba!

E ontem, sábado, 2, deu mais uma demonstração dessa sua esperteza.

Ao aparecer no ato do PDT para declarar apoio à pré-candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado Federal, mais do que um gesto de companheirismo e lealdade ao “dono” da legenda trabalhista no Maranhão, Flávio apresentou, digamos assim, uma “carta de seguro”. Explico.

É que o governador comunista sabe que o “Maragato” pode se ferrar lá frente e sequer ser candidato à reeleição de deputado e muito menos a senador. Tem muito rolo de Weverton Rocha e isso pode tirá-lo das eleições de 2018 como candidato a qualquer cargo.

Ou seja, caso realmente Weverton venha a ter complicações com Justiça e a Polícia Federal, o gesto de Flávio Dino, ontem, servirá para o governador continuar tendo o PDT no seu palanque, pois terá o crédito pra dizer: “Fiz a minha parte, se não deu, não é culpa minha”.

É ou não é esperto o governador?