DEBATE TV MIRANTE: Roseana Sarney não se deixou intimidar pelo machismo de Flávio Dino 6

Nem de longe lembrou o Flávio Dino dos tempos que bajulava os Sarney para ser prefeito de São Luis em 2008.

Bem que Flávio Dino (PCdoB) tentou, mas não conseguiu constranger a candidata Roseana Sarney (MDB) com o seu machismo. Pelo contrário, no auge da sua experiência a ex-governadora enfrentou o comunista e acabou por mostrar que realmente o atual governo só existe porque recebeu o estado saneado do ponto de vista financeiro e fiscal.

Roseana Sarney conseguiu mostrar para o Maranhão que o governo Flávio Dino realmente é a continuidade do seu governo, na medida que todas as principais obras em curso no estado, nas mais diversas áreas, são heranças do governo anterior.

Nem mesmo enquadrar a candidata emedebista na condição de “golpista” Flávio Dino foi competente. Quando tentou, teve que escutar da ex-governadora que ela não é mais deputada federal e não poderia estar na Câmara para votar o impeachment da Dilma, ao contrário dos muitos aliados do governador que votaram pelo afastamento da petista e que hoje estão no seu palanque.

Flávio Dino, sim, foi enquadrado por Roseana Sarney quando tentou, mais uma vez, constrangê-la em relação ao dinheiro do BNDES afirmando que os recursos não são dela, mas do governo federal.

“Deixei dinheiro em caixa no BNDES para concluir escolas, estradas e hospitais, e muitas dessas obras estão até paradas (…) Na minha gestão, construímos 55 hospitais de 20 leitos, 10 de 50 leitos e cinco de 100 leitos, e 11 UPAS. Realizamos o maior programa de infraestrutura da história. Hoje o que acontece é que a saúde está na UTI, detonou a candidata da coligação “Maranhão quer mais”.

O fato é que Roseana Sarney soube esquivar-se dos surtos machistas de Flávio Dino, sempre tentando desconstruir a imagem da candidata do “15”.

Nem de longe lembrou o Flávio Dino dos tempos que bajulava os Sarney para ser prefeito de São Luis em 2008.

Mas, isso é assunto para outra postagem.

Em artigo, jurista petista repudia ataques de Flávio Dino à Roseana Sarney 28

O advogado Marcos Lobo, um dos mais respeitados juristas do Maranhão, publicou um contunde artigo repudiando os ataques machistas do governador Flávio Dino (PCdoB) dirigidos à candidata Roseana Sarney (MDB), que concorre mais uma vez ao cargo de chefe do executivo estadual.

Confira a “pancada” do advogado Marcos Lobo, que é filiado do PT, no comuna-mor do Maranhão.

“Eu cá com meus botões, fico a me indagar: a campanha do “ele não” vale para um candidato que “bate-boca” com mulheres, diz isso e aquilo etc. (sempre às claras e tête-à-tête), mas não vale para outro candidato que, de forma covarde, escondido num programa eleitoral, pratica atos semelhantes e até pior, já que se utiliza do subterfúgio e do submundo de uma propaganda para atacar a condição de mulher de uma adversária?”

A onda do “ele não” e a propaganda do governador do Maranhão

por Marcos Lobo

Nas redes sociais está sendo veiculada a onda (campanha) “Ele não” contra um candidato a presidente por ele apresentar, segundo as campanhas, dentre outros, comportamento agressivo, machista etc. contra mulheres.

Soube também que até no Maranhão será criada a mesma campanha.

Esses fatos me levaram a recordar fato ocorrido nas atuais eleições na propaganda eleitoral desse ano.

A propaganda eleitoral do atual governador do Maranhão veicula uma espécie de novela com o nome “não vale a pena ver de novo” que visa degradar e ridicularizar a candidata a governadora Roseana Sarney.

Os personagens divulgados na novela são dois. Um, que seria o pai da candidata, e, outra, a própria candidata.

Interessante notar, para os fins do presente post, é o conteúdo das falas dos personagens.

O que se ouve das falas dos personagens é como se Roseana, por ser mulher, fosse incapaz, submissa e, por isso, precisa de um homem para praticar atos simplórios.

Ora, da capacidade de Roseana ninguém duvida. Como diz o ditado popular, “quem não tem competência não se  estabelece”. E o que se tem, da história de Roseana, é que já foi deputada federal, senadora e quatro vezes governadora. Se ela fosse o que diz a campanha eleitoral do atual governador do Maranhão não teria sido eleita quatro vezes governadora. Roseana não teria alcançado uma única reeleição se não tivesse sido competente, boa administradora e capaz. Este é um fato incontroverso.

E o que resta apurar da propaganda do atual governador do Maranhão, a tal novela? O desprezo, a degradação e a ridicularização da Roseana como mulher, ou seja, a novela quer dizer o seguinte: mulheres, para ser governadoras, administradoras públicas, dependem de um homem para que possa se eleger e governar.

Eu cá com meus botões, fico a me indagar: a campanha do “ele não” vale para um candidato que “bate-boca” com mulheres, diz isso e aquilo etc. (sempre às claras e tête-à-tête), mas não vale para outro candidato que, de forma covarde, escondido num programa eleitoral, pratica atos semelhantes e até pior, já que se utiliza do subterfúgio e do submundo de uma propaganda para atacar a condição de mulher de uma adversária?

O que é ainda mais grave é que o atual governador do Maranhão, para veicular uma espécie de feminicídio verbal (que uma mulher sempre é depende em tudo de um homem), utiliza dinheiro público, pois o programa eleitoral e os fundos eleitorais que custeiam a produção da novela, que ataque uma candidata pela sua condição de mulher, é tudo proveniente de dinheiro público.

Esse post é um repúdio, veemente, aos ataques à candidata Roseana Sarney pelo simples fato de ela ser mulher, ataques estes praticados na campanha eleitoral do atual governador do Maranhão, com uso de dinheiro público.

Também é uma homenagem a todas as mulheres, pelo simples fato de ser mulheres, capazes, inteligentes, trabalhadores etc. tanto quanto, ou até mais, que os homens.

LULA “DESPRIVATIZADO”: Justiça libera uso de imagens do ex-presidente na propaganda de Roseana 12

A vitória da coligação liderada por Roseana Sarney é simbólica, pois comprova que Lula não é mais apenas o “Lula”, mas “uma ideia”, como o próprio líder petista afirmou em discurso histórico em frente do Sindicado dos Metalúrgicos em São Bernado do Campo (SP), antes de ser preso.

A juíza Camilla Rose Ewerton Ferro Ramos, do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), disse um “não” a uma representação protocolada pelo PCdoB que pedia o veto do uso da imagem do ex-presidente Lula (PT) no programa eleitoral da candidata à governadora Roseana Sarney (MDB).

Ao julgar o mérito da representação comunista, nesta quarta-feira (12), a magistrada entendeu que a presença de Lula no programa de Roseana é tão somente “uma referência histórica e está associada à demonstração da atuação política da representada [Roseana Sarney], evidenciando que o fato apresentado é de natureza pública e notória”, destacou.a referência feita por Roseana sobre Lula em seu programa – informando ter sido ela líder do governo Lula”.

Essa vitória da coligação liderada por Roseana Sarney é simbólica, pois comprova que Lula não é mais apenas o “Lula”, mas “uma ideia”, como o próprio líder petista afirmou em discurso histórico em frente do Sindicado dos Metalúrgicos em São Bernado do Campo (SP), antes de ser preso em Curitiba (PR).

E uma ideia não se aprisiona.

E muito menos se privatiza…

ELEIÇÕES 2018: Roseana promete fim de confisco de carros e motos no MA e devolver os já apreendidos por Flávio Dino 14

Além de prometer uma outra política de governo para tratar sobre os veículos com o IPVA atrasado, a emedebista garantiu que, uma vez eleita, vai devolver todos os carros e motos já apreendidos ou confiscados, como queiram, por débitos de IPVA que ainda não tenham sido leiloados pelo governo comunista.

A candidata à governadora Roseana Sarney (MDB) foi pra cima da política de confisco de carros e motos instituída pelo governador Flávio Dino (PCdoB), candidato à reeleição.

Foi durante o seu programa eleitoral na tevê, ontem, 10, quando anunciou uma medida para minimizar o que considera “perseguição” e “perversidade” da gestão comunista contra o cidadão maranhense.

“Eu queria tranquilizar os maranhenses que tiveram seus carros e motos apreendidos por esse governo. Eleita governadora, eu vou dar um ponto final nesse absurdo: vou devolver todos os veículos que ainda não foram leiloados”, declarou.

Além de prometer uma outra política de governo para tratar sobre os veículos com o IPVA atrasado, a emedebista garantiu que, uma vez eleita, vai devolver todos os carros e motos já apreendidos ou confiscados, como queiram, por débitos de IPVA que ainda não tenham sido leiloados pelo governo comunista.

“Renegociar as dívidas de IPVA em até oito vezes, como acontece com o IPTU. O nome de ninguém vai para o Serasa enquanto a dívida não for renegociada. Isso é respeito com o cidadão.Chega de perseguição e perversidade com o povo”, disse Roseana.

Confira as palavras da candidata Roseana Sarney:

 

ELEIÇÕES 2018: Afinal, Flávio Dino merece mais quatros anos de governo? 20

Para quem votou no comunista apostando numa profunda mudança nos conceitos e práticas políticas e de gestão é impossível não estar decepcionado com o balanço final do governo comunista.

Em 2014, nesta época da campanha, a vitória de Flavio Dino (65) era praticamente uma certeza. O comunista virou governador porque estava na hora certa e no momento histórico certo da vida política local.

Beneficiado, em primeiro lugar, pelo desgaste do grupo Sarney e depois pelas sucessivas barbeiragens políticas do grupo cinquentão que culminou na troca de Luis Fernando por Lobão Filho, a eleição de Flávio Dino foi um marco histórico sem qualquer dúvida.

Quatro anos depois, no que a esta altura da campanha era ser dada como uma reeleição fácil e tranquila, tal como foi a de Roseana Sarney (MDB) em 1998, Flávio Dino se apega a um vale tudo para não ser derrotado em outubro próximo.

O pior é que o governador se comporta como se ainda fosse a sua primeira eleição, prometendo mais do que prestar contas do que realmente foi feito pelo seu governo e não obras herdadas pela sua sucessora.

O deputado federal Waldir Maranhão (PSDB) costuma dizer que “Flávio é ladrão de sonhos”. Faz sentido!

Ora, para quem votou no comunista apostando numa profunda mudança nos conceitos e práticas políticas e de gestão é impossível não estar decepcionado com o balanço final do governo comunista.

Não vieram mudanças, muito menos transformações profundas no nosso estado, pelo contrário, houve um aumento da sensação do medo, perseguições, retrocessos em áreas sensíveis como a saúde, nenhuma uma obra estruturante nem mesmo na capital, enfim, Flávio Dino termina o seu mandato sem uma marca como aconteceu com outros governadores.

Amanhã, quinta-feira, 6, como anunciado, será publicada mais uma pesquisa de intenção de voto cujo instituto não está sob as patas do Leões.

Contudo, não são as pesquisas dos institutos contratados pelos comunistas e muito menos pela oposição que darão o veredito se Flávio Dino merecerá ou não mais quatro anos de mandato.

Isso será uma tarefa única e exclusiva do voto popular.

Que pode dar um fim na experiência de 2014…

ELEIÇÕES 2018: Roseana Sarney reconhece que Flávio Dino a colocou no jogo eleitoral 20

O que o comunista não contava era com a presença de candidatos de outros campos políticos na disputa, tirando processo eleitoral do “bipartidarismo” sarneysistas versus anti-sarneysistas, o que deve levar a eleição para o segundo turno e com isso comprometer de morte o projeto de reeleição de Flávio Dino.

No seu primeiro programa eleitoral na tevê, a candidata Roseana Sarney (MDB), reconhece que Flávio Dino (PCdoB) é o grande responsável pelo seu retorno à política e a concorrer a mais um mandato de governadora do Maranhão.

“Eu achei que tinha pendurado as chuteiras, e fiquei em silêncio. Fiquei observando o que estava acontecendo como o meu estado. Eu fui vendo os erros, e o Maranhão não andava; e era um discurso diferente da prática. Meu sonho era outro”, afirmou.

De fato, Roseana Sarney não demonstrava qualquer interesse em disputar um quinto mandato de governadora, tanto que em 2014 sequer resolveu concorrer ao Senado Federal. Quando a emedebista diz que o “meu sonho era outro”, ela se refere ao planos de cuidar da família e “pendurar a chuteira”.

Foi o fraco desempenho de Flávio Dino e do o seu governo que trouxe a Roseana Sarney o jogo eleitoral. Foi criada uma forte expectativa de mudança em 2014, e passados 4 anos descobriu-se que essa mudança não veio, ficou só no “gogó”.

O que o comunista não contava era com a presença de candidatos de outros campos políticos na disputa, tirando processo eleitoral do “bipartidarismo” sarneysistas versus anti-sarneysistas, o que deve levar a eleição para o segundo turno e com isso comprometer de morte o projeto de reeleição de Flávio Dino.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: No Maranhão, o PT deve ir de “triplex” 6

Mesmo com todo a força do governo, Flávio Dino terá que amargar o fato do PT em 2018 não se dividir em apenas dois campos políticos como de outras vezes, mas em três.

Por não ter conseguido viabilizar um projeto próprio para as eleições 2018, o PT deverá se dividir em ao menos três posição no pleito de outubro.

Oficialmente o partido está na aliança pela reeleição de Flávio Dino (PCdoB), mas haverá petista pedindo e apoiando também as candidatura de Roseana Sarney (PSDB) e Roberto Rocha (PSDB).

Em conversas com militantes e dirigentes petistas fica claro a “tríplice” divisão do PT no estado, numa demonstração de que o partido está longe de se seguir unido em mais uma eleição por estas terras.

Pior que na atual conjuntura, sequer o PT participará de uma chapa majoritária, nem mesmo na liderada por Flávio Dino que apenas vai se utilizar do tempo e do fundo partidário da sigla, como se fosse um “gigolô” político-eleitoral.

De qualquer, e mesmo com todo a força do governo, Flávio Dino terá que amargar o fato do PT em 2018 não se dividir em apenas dois campos políticos como de outras vezes, mas em três.

É a terceira via também movimentando o Partido dos Trabalhadores..

Enfim, é o “triplex” do PT no Maranhão.

ELEIÇÕES 2018: Repercute bem anúncio de Fernando Sarney para coordenação da campanha de Roseana 8

A favor de Fernando Sarney tem a o fato de não ser um burocrata, centralizador e não gostar de “grupelhos” que nada agregam e só afugentam aliados e, acima de tudo, ouve as pessoas.

Repercutiu bem no meio político o anúncio de que o empresário e vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Fernando Sarney, será o coordenador da campanha de Roseana Sarney (MDB) ao governo do Maranhão;.

Não obstante sempre ter presente nas campanhas da irmã, será a primeira vez que Fernando atuará diretamente nas articulações, conversas e operacionalizações da campanha de Roseana.

Com bom trânsito em todas as correntes políticas, da direta à esquerda, Fernando Sarney deve dar um ritmo pra lá de profissional na campanha da “Branca” fazendo da mesma como se fosse uma “empresa” que tem que dar resultado.

A favor de Fernando Sarney tem a o fato de não ser um burocrata, centralizador e não gostar de “grupelhos” que nada agregam e só afugentam aliados e, acima de tudo, ouve as pessoas.

Por esse perfil é que Fernando Sarney foi escolhido por unanimidade pelo grupo e certamente deverá dar uma vitaminada no projeto Roseana governadora-15.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: Discurso de Adriano Sarney em Vargem Grande incomodou mesmo os comunistas 12

A figura de retórica do jovem parlamentar de que “Roseana é a Lula do Maranhão” deixou os comunas tontos até hoje, a ponto do deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB) acusar o golpe através da rede social do Twitter, como se menino de recado fosse

Não tem jeito: o discurso do deputado Adriano Sarney (PV) incomodou mesmo meio mundo comunista no Maranhão.

No último sábado, 21, em Vargem Grande, durante ato que contou com a participação de da pré-candidata à governadora Roseana Sarney (MDB) e lideranças estaduais e locais de vários partidos que apoiam a emedebista, o deputado Adriano Sarney (PV) disse que “Roseana é Lula do Maranhão” (veja aqui). Detalhe: Zé Adriano, como também é chamado, fez a declaração ao lado e segurando as mãos do ex-candidato a prefeito de Vargem Grande pelo PT, Edmilson Carneiro.

A figura de retórica do jovem parlamentar deixou os comunas tontos até hoje, a ponto do deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB) acusar o golpe através da rede social do Twitter, como se menino de recado fosse, afirmando que “Roseana Sarney é a Temer do Maranhão, isso sim. Mesmo partido, mesma forma de governar. Xô!” (Rsrs).

Se depender das declarações elogiosas do pessoal do grupo Sarney à Lula e ao PT durante toda a campanha de 2018 os comunas vão pirar de vez.

Que coisa, não?!