ELEIÇÕES 2018: PT pode ter a vice e indicar dois suplentes na chapa de Roseana Sarney

Curiosamente, esses movimentos surgem exatamente após a volta do ex-presidente José Sarney ao Brasil, depois de passar umas semanas nos Estados Unidos acompanhado da esposa, dona Marly

Enquanto o governador relaxa e esnoba o PT, uma fonte bem posicionada no tabuleiro político maranhense e ligadíssima ao grupo Sarney, que reside em Brasília, afirmou ao Blog do Robert Lobato que a pré-candidata à governadora Roseana Sarney (MDB) está disposta a ceder um bom espaço ao PT na sua chapa para as eleições de 2018.

Segundo essa fonte, Roseana já está tratando “no planalto e planície para convidar o PT para ocupar a vice e duas suplências de senador”.

O Blog do Robert Lobato quis saber da fonte se tal movimento não encontraria resistência na cúpula nacional do PT, no que respondeu: “Pelo contrário. A relação de Roseana e principalmente do presidente Sarney com o PT continuam boas, inclusive o ex-presidente tem mantido contato diário com interlocutores do PT, principalmente para tratar sobre a liberdade do Lula”.

Curiosamente, esses movimentos surgem exatamente após a volta do ex-presidente José Sarney ao Brasil, depois de passar umas semanas nos Estados Unidos acompanhado da esposa, dona Marly.

Será que vem coisa por aí?

A conferir.

“Não estou fazendo barganha”, diz Márcio Jardim sobre suplência de senador 4

O dirigente Márcio Jardim disse ao Blog do Robert Lobato que não é pré-candidato a suplente de senador de nenhum dos nomes apresentados pelo governador Flávio Dino (PCdoB), leia-se Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT).

“Não sou pré-candidato a suplente. Não estou fazendo barganha”, disse Jardim após alguns blogs de São Luis ventilarem essa possibilidade,

Márcio Jardim ainda luta para ser candidato a senador na chapa liderada por Flávio Dino ou ainda numa chapa do PT sem candidato a governador, a chamada “chapa camarão”.

Nacional

A principal corrente do PT, a Construindo um Novo Brasil (CNB), movimenta-se para pressionar o conjunto do partido e fazer com que o governador Flávio Dino entenda a importância do PT na chapa majoritária liderada pelo comunista.

Nesse sentido, não será surpresa se o Palácio dos Leões anunciar a participação de um petista em alguma posição na majoritária.

É aguardar e conferir.

SUCESSÃO PRESIDENCIAL: Lula será lançado candidato nesta noite 2

Candidatura de Lula será lançada nesta sexta-feira, em Contagem (MG); vídeo da campanha defende a tese de que o Brasil pode voltar a ser feliz, depois do caos econômico e social trazido pelo governo golpista de Michel Temer e FHC; por meio de uma carta, que vem preparando há alguns dias, Lula dirá que quer voltar a ser presidente para “acabar com o sofrimento do povo brasileiro”; confira o vídeo

BRASÍLIA (Reuters), VIA 247 – O principal personagem não estará presente de carne e osso, mas o PT aposta na magia que ainda envolve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para mobilizar a militância no lançamento da pré-candidatura dele, nesta sexta-feira, em Contagem (MG), na tentativa de demonstrar unidade sobre a ideia de Lula candidato.

O tom do evento é emocional, uma convenção do partido sem o candidato, mas com o espírito de Lula. O carismático ex-presidente, preso há dois meses em Curitiba, falará aos militantes por meio de uma carta, que está sendo chamada de “Manifesto ao Povo Brasileiro”.

No texto, que vem preparando há alguns dias, Lula dirá que quer voltar a ser presidente para “acabar com o sofrimento do povo brasileiro”, contou à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto. Esse será o mote da campanha lulista, que tem como slogan “O Brasil Feliz de Novo”.

“Na carta ele diz porque quer ser presidente de novo, para acabar com o sofrimento do povo brasileiro, vai falar dos processos, dirá que é um preso político”, disse a fonte.

Essa não é a primeira vez que a candidatura de Lula é lançada pelo PT. Duas reuniões da executiva do partido e duas do diretório nacional já apresentaram o ex-presidente como o candidato, quando Lula ainda estava em liberdade.

O PT tentou autorização para gravar um vídeo com o ex-presidente para o evento desta sexta, mas a resposta da Justiça não chegou a tempo. As palavras de Lula serão ouvidas em outra voz —ainda não se sabe de quem— mas o ex-presidente estará presente no vídeo de seu primeiro jingle de campanha.

No tom emocional que o PT bem sabe fazer, o vídeo —já apresentado na quinta-feira nas redes sociais do partido— começa com um tom de tristeza, com a música cantando “Meu querido Brasil o que fizeram com você, estou sofrendo tanto por te ver assim”.

Em seguida, com imagens de Lula em encontros com o povo, coloca junto da ideia da eleição a campanha pela libertação do ex-presidente, e encerra com a foto de Lula sendo carregado pela multidão no dia em que foi preso, em São Bernardo do Campo (SP).

“Olha lá, uma ideia ninguém pode aprisionar, um sonho cada vez mais livre, acesa a esperança vive, olha Lula lá”, diz a música, que continua com “Chama que o povo quer, chama que o homem dá jeito, chama que eu volto. É Lula nos braços do povo. É o Brasil Feliz de novo”.

“É cênico, emocional, é como uma convenção. O sentido é afirmar que a candidatura Lula é concreta, não é só uma estratégia”, disse a fonte.

SEM PLANO B
Em meio às cada vez mais frequentes especulações de que o partido poderia apresentar um plano B e desistir da candidatura de Lula, o lançamento nacional —em vez de atos regionais menores, como se pensou inicialmente— é uma forma de mostrar que o partido continua firme no propósito de registrar Lula como candidato.

“Não há nenhuma divergência quanto a isso, não há intenção de fazer qualquer mudança na candidatura do partido”, disse à Reuters o deputado Carlos Zarattini, um dos membros do diretório nacional do PT.

O lançamento deve reunir todas as bancadas federais, dirigentes estaduais, todo o diretório nacional e os cinco governadores do partido, os mesmos que, há algumas semanas, começaram a levantar dúvidas sobre a estratégia de manter a candidatura de Lula até provavelmente ser impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral, na metade de agosto.

Preocupados com os palanques estaduais, as dificuldades em formar alianças em cima de uma candidatura praticamente descartada e com suas próprias candidaturas nos Estados, os governadores chegaram a defender que o PT antecipasse a adoção de um plano B, contou à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto, mas foram rechaçados pela direção do partido.

“Não há espaço para isso hoje no PT e o próprio Lula está convicto da sua candidatura”, disse uma segunda fonte, que também pediu para não ser identificada.

A primeira fonte ouvida pela Reuters confirmou que, mesmo com algumas poucas vozes que questionam a validade da decisão de levar a candidatura Lula até onde for possível, a unidade do partido é imensa.

“Não há uma tendência que diga o contrário. O que o partido teria a ganhar desistindo de Lula agora, que está em primeiro lugar nas pesquisas, e lá na frente, se for o caso, pode passar esses votos para um indicado por ele?”, questionou.

“O lançamento é uma reafirmação da unidade do PT, de que esta é uma decisão unitária do partido, e uma demonstração de solidariedade”, afirmou.

SENADO 2018: Eliziane Gama, Weverton Rocha e o PT 22

Se parte dos petistas acha que a “golpista” Eliziane Gama não serve para ser candidata ao Senado apoiada pelo PT, também deveria fazer uma leitura crítica sobre o nome do pré-candidato Weverton Rocha que se for colocado numa balança ética ao lado da irmã ele perde é feio

Weverton Rocha, Eliziane Gama; E Eliziane Gama e Helena Heluy.

Ainda há uma disputa por dentro do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) pelas vagas ao Senado Federal.

Ainda que tecnicamente esteja fechada com os deputados federais Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT), politicamente persiste uma pedra no meio do caminho governista até as convenções: o PT.

O partido de Lula possui dois pré-candidatos ao Senado, os professores Márcio Jardim e Nonato Chocolate. Há um terceiro nome petista que é a presidente da CUT-MA, Adriana Oliveira, mas, segundo comenta-se, é apenas para fazer prevalecer o velho canibalismo interno.

Pois bem. Se o PT deseja mesmo ter uma vaga na majoritária na chapa de senador, por que o partido centra fogo somente na pré-candidata Eliziane Gama?

Ora, o correto seria o partido fazer uma leitura crítica da chapa Eliziane Gama/Weverton Rocha a partir do conjunto da obra e não somente colocar os olhos sobre a irmã.

Se é verdade que o maior “pecado” de Eliziane foi ter votado a favor do impeachment da presidente Dilma, criticado Lula e o PT durante a CPI da Petrobras, não é menos verdade que a parlamentar sempre se colocou contra as reformas do presidente Temer, esteve o tempo todo do lado dos direitos humanos, dos movimentos sociais e quando era deputada estadual trabalhou frequentemente algumas agendas com quadros do PT como a ex-deputada Helena Heluy e a professora Mary Ferreira, só para citar esses dois exemplos qualificadíssimos.

Ademais, não há registro de que Eliziane Gama seja envolvida em casos de corrupção ou que é ou está ameaçada de virar uma ficha suja a qualquer momento ou quiçá perder o mandato e pior: ser presa!

Já o seu colega de chapa ao Senado Federal pelo grupo de Flávio Dino é exatamente o oposto.

Weverton Rocha vive em briga com a Justiça no âmbito dos altos tribunais do país respondendo denúncias de corrupção. Tanto que não se pode garantir 100% de que o “Maragato” conseguirá levar a cabo a sua pré-candidatura de senador até fim.

O fato é que se Weverton Rocha votou contra o impeachment da Dilma, “deseja” ver Lula livre e tem uma boa relação com o PT no Congresso Nacional, é fato também que o seu partido tem candidato a presidente da República, um sujeito bipolar chamado Ciro Gomes que quando está sem tomar o seu remédio controlado parte pra cima do PT e do Lula com gosto de gás.

Nesse sentido, se parte dos petistas acha que a “golpista” Eliziane Gama não serve para ser candidata apoiada pelo PT, também deveria, repito, fazer uma leitura crítica sobre o nome do pré-candidato Weverton Rocha que se for colocado numa balança ética ao lado da irmã ele perde é feio.

No mais, nesse jogo todo fica feio mesmo é para o PT.

Que a cada dia se apequena sem conseguir mostrar uma personalidade politicamente forte que exija respeito, inclusive do governador Flávio Dino que, no fundo, é o maior carrasco do petismo no Maranhão por saber que tem o PT nas mãos. Aliás, nas mãos não, na folha.

Uma lástima!

LULA LIVRE E PRESIDENTE: Acontece amanhã a I Conferencia Estadual da Esquerda Popular Socialista 16

Acontece amanhã, sexta-feira, 18, e vai até sábado, 19, a I Conferencia Estadual da Esquerda Popular Socialista-EPC, corrente interna do PT que no Maranhão está sendo articulada e coordenada pelo publicitário e jornalista Eri Castro.

Durante a conferência realizado também o ato público “Brasil Urgente Lula Presidente”, com a participação de várias lideranças locais e nacionais do PT, entre deputados estaduais, federais, dirigentes, sindicalistas, juventude, negros, mulheres e gestores públicos petistas.

SENADO 2018: Para o deputado Zé Carlos, Eliziane não é mais problema no PT 16

A posição do parlamentar petista foi elogiada pelo vereador Honorato Fernandes, que também é da tese de que o PT tem que tem apoiar a reeleição de Flávio Dino de qualquer jeito

Começa a diminuir no PT a resistência à candidatura da deputada federal Eliziane Gama ao Senado Federal.

Antes “demonizada” em todas as correntes do partido, o nome da parlamentar do PPS não é mais tão desagregador assim nas hostes petistas.

Colega de Eliziane na Câmara Federal, o deputado Zé Carlos deixou claro, na reunião de lideranças petistas maranhenses com a presidente Gleisi Hoffmann, realizada na última terça, 15, que o PT está aberto a acolher a candidatura da irmã.

Segundo apurou o Blog do Robert Lobato, Zé Carlos não só admitiu que o PT pode apoiar Flávio Dino sem o partido compor a chapa majoritária, como foi categórico ao afirmar que a candidatura de Eliziane Gama não é mais problema no PT.

A posição do parlamentar petista foi elogiada pelo vereador e presidente municipal do PT, Honorato Fernandes, que também é da tese de que o partido tem que apoiar a reeleição de Flávio Dino de qualquer jeito.

O fato é que Eliziane Gama, ao que parece, está pavimentando bem a sua candidatura rumo ao Senado da República, inclusive no Partido dos Trabalhadores.

A conferir.

Em nota, petistas voltam exigir vaga na chapa majoritária de Flávio Dino (OU: Unidade no PT ainda está longe) 22

Foi dada tão somente uma trégua, sabe-se lá até quando, ao “canibalismo” que tem marcado o petismo maranhense já por um bom tempo.

Em uma nota à militância petista, que poderia ter sido “dura, mas sem perder a ternura”, lideranças do PT Maranhão optaram apenas pela ternura, digamos.

Assinada pela presidente Nacional do PT, Gleisi Hoffmann; pelo secretário nacional Institucional, deputado federal José Guimarães (CE); pelos presidentes do Diretório Estadual do Maranhão e da Capital, Augusto Lobato e Honorato Fernandes, respectivamente;  pelos membros do Diretório Nacional, Marcio Jardim e Raimundo Monteiro; e ainda pelos deputados José Inácio e Zé Carlos, estadual e federal, respectivamente, a nota ratifica a posição politica tirada em encontro do partido de que aliança pela reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB) somente se o PT tiver vaga garantida na chapa majoritária liderada pelo comunista.

A nota

Mesmo assinada por alguns membros de diferentes correntes, o documento ainda não expressa um quadro unidade partidária como querem fazer crer os chamados “dinopetistas”. Pelo contrário, ela apenas joga, mais pra frente, debates que deverão ser duros entre as forças internas cada uma defendendo aquilo que acha ser mais importante e estratégico para o PT e para os seus projetos enquanto agrupamentos.

No fundamental, a nota é uma vitória da fração da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), liderada principalmente pelo deputado Zé Inácio, pelo ex-presidente estadual do PT Raimundo Monteiro, pelo dirigente Mundico Teixeira, entre outros. Esse setor da CNB que sempre cobrou com firmeza o estabelecido pelo encontro do partido, isto é, presença do PT na chapa majoritária ou nada de aliança com o PCdoB.

Já a ala da CNB representada pelo vereador Honorato Fernandes, a corrente Mensagem ao Partido, do presidente Augusto Lobato e do deputado federal Zé Carlos, e expoentes  governistas como Chico Gonçalves saem fragilizados porque a nota das lideranças petistas não expressam aquilo que defendem de fato: aliança com Flávio Dino de qualquer jeito, com ou sem espaço na majoritária.

Fator Eliziane Gama

A nota das liderança petistas não tocou num ponto nevrálgico que hoje é consiste no “pomo da discórdia” do PT maranhense: a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama ao Senado na chapa de Flávio Dino.

Pelo que conseguiu apurar o Blog do Robert Lobato, o fator Eliziane Gama não foi tratado porque há uma avaliação, entre os participantes da reunião com a presidente Gleisi Hoffmann, de que a irmã e o seu PPS não ficam na coligação com o PCdoB até o final das convenções partidárias. Será?

Concluindo

Além da firmeza de setores da CNB, que não se deixaram levar pela covardia e benesses palacianas de “coligação a qualquer custo”, do PT ir “pelo beiço”; a posição vacilante de Flávio Dino em defender a candidatura de Ciro Gomes em detrimento a de Lula; e ainda a manutenção das pré-candidaturas de Márcio Jardim e de Nonato Chocolate ao Senado Federal, contribuíram para que saísse uma nota exaltando que “o Partido dos Trabalhadores no Maranhão, definirá sua tática eleitoral, diretamente vinculada a estratégia nacional de eleição do presidente Lula”.

Ainda não há, hoje,16 de maio de 2018, unidade partidária suficiente que garanta ao PT um projeto político-eleitoral mínimo que faça o partido sair maior do que entrou quando resolveu apoiar o governo Flávio Dino.

Foi dada tão somente uma trégua, sabe-se lá até quando, ao “canibalismo” que tem marcado o petismo maranhense já por um bom tempo.

A seguir a íntegra da nota da lideranças petistas.

Em reunião realizada no dia de 15 de março de 2018, na sede do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, em Brasília, com a presença da Presidente Nacional do PT, Gleisi Hoffmann, do Secretário Institucional do PT, Deputado Federal (PT/CE) José Guimarães, dos presidentes do Diretório Estadual e da Capital, Augusto Lobato e Honorato Fernandes, dos membros do Diretório Nacional, Marcio Jardim e Raimundo Monteiro e dos Deputados Estadual e Federal José Inácio e Zé Carlos encaminham de comum acordo as seguintes orientações políticas ao conjunto da militância do Partido dos Trabalhadores no Maranhão:

1. Organização imediata da campanha à presidência, do companheiro Lula no Maranhão. Lula livre, Lula Inocente, Lula Presidente;

2. O Partido dos Trabalhadores no Maranhão, definirá sua tática eleitoral, diretamente vinculada a estratégia nacional de eleição do presidente Lula com objetivo de ampliação de suas bancadas parlamentares em nível estadual e federal;

3. Reafirma a aliança política para garantir a reeleição do governador Flávio Dino;

4. A Direção Nacional e Estadual do PT, de forma conjunta, viabilizará diálogos com o PCdoB e o governador Flávio Dino para construir de comum acordo a participação do PT na chapa majoritária (Senado ou Vice) liderada pelo Governador Flávio Dino.

Senadora Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores

Deputado Federal José Guimarães PT/CE
Secretário Institucional do PT – DN

Augusto Lobato
Presidente Estadual do PT

Vereador Honorato Fernandes
Presidente do PT – São Luís / MA

Deputado Federal José Carlos

Raimundo Monteiro
Membro do Diretório Nacional do PT / MA

Márcio Jardim
Membro do Diretório Nacional do PT / MA

Deputado Estadual José Inácio

Relação do PT nacional com Flávio Dino “azeda” e o comunista já avalia ceder vaga na majoritária aos petistas 10

Para tentar se limpar, o governador já avalia ceder uma vaga na chapa majoritária ao PT que seria a vice. Mas a presença da deputada federal Eliziane Gama na condição de pré-candidata a senadora continua causando muito resistência no partido de Lula.

Azedou a relação do PT nacional com o governador Flávio Dino (PCdoB) desde que o comunista surgiu do nada, numa entrevista à Folha de São Paulo, defendendo a candidatura de Ciro Gomes (PDT) a presidente da República em substituição a Lula.

A tese pró-Ciro deixou Flávio Dino mais queimado do pau de assar castanha junto à cúpula nacional petista onde ele até gozava de boa admiração.

Para tentar se limpar, o governador comunista já avalia ceder uma vaga na chapa majoritária ao PT nas eleições de 2018 que seria a vice. Mas a presença da deputada federal Eliziane Gama (PPS), na condição de pré-candidata a senadora, continua causando muito resistência no partido de Lula.

Na tarde desta terça-feira, 15, a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmam, vai reúne-se com dirigentes e parlamentares petistas maranhenses para decidir o rumo da tática eleitoral do partido no estado.

A tendência é de que o PT não apoie candidato algum oficialmente e lance apenas chapa de senadores, deputados federais e deputados estaduais.

A conferir.

ELEIÇÕES 2018: Negativa de Flávio Dino ao PT na majoritária pode levar o partido a uma “chapa camarão”

Os “dinopetistas” não descartam o lançamento apenas de candidatos ao Senado Federal sem apoio formal a candidato a governador. Essa posição é defendida por lideranças como Márcio Jardim, Honorato Fernandes e Zé Carlos.

Continua melindrosa a situação do PT maranhense em relação às eleições de 2018 no que diz respeito à composição com o PCdoB do governador Flávio Dino.

Os comunistas já deixaram claro que não pretendem dar espaço para os petistas na chapa majoritária, nem como vice e muito menos para o Senado Federal. Aliás, a chapa palaciana para a Câmara Alta já estaria formada com Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), isso dizendo Flávio Dino. A conferir até as convenções.

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, convocou o presidente estadual do partido Augusto Lobato, os parlamentares Zé Carlos, Zé Inácio, Honorato Fernandes e os membros do Diretório Nacional, Raimundo Monteiro e Marcio Jardim, para uma reunião em Brasília, amanhã, terça-feira, 15. Na pauta, o realinhamento da tática eleitoral do partido no Maranhão.

Chapa camarão

O PT já condicionou o seu apoio ao projeto de reeleição de Flávio Dino à participação na coligação majoritária do comunista, posição que deverá ser ratificada na reunião de amanhã, inclusive pela presidente Gleisi.

Ocorre, que os “dinopetistas” não descartam o lançamento apenas de candidatos ao Senado Federal sem apoio formal a candidato a governador. Essa posição é defendida por lideranças como Márcio Jardim, Honorato Fernandes e Zé Carlos.

Nesse caso, a “chapa camarão” não teria a “cabeça”, ainda que possa haver uma “indicação política” de voto a Flávio Dino.

Pelo que o Blog do Robert Lobato apurou, será essa a posição que os petistas encostados no Palácio dos Leões irão defender junto a presidente, ou melhor, à presidenta Gleisi Hoffmann.

É agudar e conferir o descascar desse abacaxi.

PS: Embora a tendência maior no PT ainda seja de coligação com o PCdoB, a tese de candidatura própria e mesmo aliança com outras forças fora do arco dinista ainda pulsa no partido.