ELEIÇÕES 2018: Mais um dirigente do PT defende o desembarque do partido do governo Flávio Dino

Natural da cidade de Caxias, Mundico Teixera é mais um, entre muitos petitas, que defendem a tese da candidatura própria do PT nas eleições de 2018. Sentimento que só tem aumentado no partido dia após dia

Mundico Teixeira (de vermelho) com Zé Dirceu e seu filho Ney Jerfferson.

O dirigente estadual do PT, Raimundo Teixeira, conhecido no partido como “Mundico Teixeira”, é mais um petista que propõe candidatura própria do partido nas eleições de 2018.

Membro histórico da corrente CNB (Construindo um Novo Brasil) desde os tempos da antiga “Articulação”, Mundico integra a Comissão Executiva Estadual do PT e nesta semana publicou um texto na rede social em que faz uma reflexão sobre a atual conjuntura política no estado. Confira (sem edição).

Em nosso debate de candidatura própria devemos destacar, afirmar, que o centro de nossa tática é elegermos novamente Lula presidente do Brasil, re-elegermos nossos deputados estaduais, federais, ampliarmos nossas bancadas, e recolocar o PT do Maranhão como um partido que quer governar o nosso estado! O PT, desde sua fundação sempre, afirma sua vocação para governar o Brasil, os estados e municípios, as alianças serão bem vindas, desde que, elas tenham propósitos de nos fortalecermos, e nunca para nos deixar menor. E a atual conjuntura, por incrível que pareça, (se levarmos em conta que fomos impeachmado) favorece a tática de candidatura própria, temos o maior tempo de tv, temos os recursos do fundo eleitoral, um recurso com um valor que nunca tivemos em eleições anteriores, e Lula com mais de 60% de aprovação no estado. Podemos além do governador apresentar candidaturas de vice, e dois senadores. Nomes com cara novas, diferentes de Zé Reinaldo, Roberto Rocha, Madeira…etc…., o que queremos mais da conjuntura? Será que estamos pensando a política a partir de nossas barrigas? Não foi isso que motivou nos à fundação do PT!

Natural da cidade de Caxias, Mundico Teixera é mais um, entre muitos petistas, que defende a tese da candidatura própria do PT nas eleições de 2018. Aliás, sentimento esse que só tem aumentado no partido dia após dia.

Resta saber se o petismo maranhense terá a coragem de desembarcar do governo corrupto do senhor Flávio Dino e procurar seu próprio rumo como propõe o dirigente Mundico Teixeira.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: O PT muda de sede, mas continua o mesmo! 4

O PT muda de sede, mas continua o mesmo. O “mesmo” no sentido de não conseguir aproveitar a conjuntura nacional favorável ao enfrentamento contra o governo Temer, unir as forças internas e apresentar à sociedade um projeto político-eleitoral para 2018, seja em aliança, seja em voo solo

O diretório estadual do PT está de sede nova, inaugurada ontem, segunda-feira, 13 – no mesmo dia do aniversário do Blog do Robert Lobato (Rsrsrs).

Na semana passado, é bom que se diga, a sede foi vandalizada provavelmente por setores da direita antipetista e anti-Lula, numa ação de ódio que foi repudiada não somente por dirigentes e lideranças do PT, mas também de outros partidos.

A nova sede está localizada no bairro do Cohafuma no mesmo local onde já funcionou uma ONG ligada ao deputado federal e presidente estadual do PDT, Weverton Rocha, segundo apurou o Blog do Robert Lobato – não foi possível confirmar se o “Maragato”, ou algum familiar seu, é o proprietário do imóvel.

Infelizmente, o PT nunca conseguiu realizar o sonho da casa própria! Nem mesmo agora na gestão de Augusto Lobato, que é corretor de imóveis, o partido arrumou um jeito legal de sair do aluguel. O PT ainda é, portanto, nômade no sentido de não possuir um endereço fixo.

Ato político

Augusto Lobato: Presidente do PT não conseguiu mobilizar nenhuma liderança nacional de peso para a inauguração da nova sede do partido.

Inaugurações de novas de sedes, ou melhor dizendo, de “novos endereços” do PT no Maranhão, sempre foi motivo para criar um fato político.

Nessa nova inauguração, o que era para ser um ato/fato político de grandeza considerável não passou de “mais do mesmo”. A atual direção não conseguiu trazer nenhum quadro nacional de peso para o evento – sem falar na ausência de lideranças petistas do interior do estado.

O senador Lindbergh Farias (RJ), cuja presença no ato estava prevista através de uma articulação do ex-secretário de Esporte Márcio Jardim, de última hora teria sido orientado a não vir a São Luis – há quem diga que o próprio Márcio reavaliou o convite a Lindbergh e decidiu pedir para que o senador fluminense não desembarcasse na ilha.

O fato que nem Lindbergh e muito menos Márcio Jardim marcaram presença na inauguração do novo endereço do PT.

Deram as caras por lá o deputado estadual Bira “Quero-quero” Pindaré (ainda no PSB); os deputados federais Weverton “Maragato” Rocha e Waldir “Senador” Maranhão” (PP); o presidente do PCdoB, Márcio “Mickey” Jerry; o vereador licenciado Ivaldo Rodrigues (PDT), além dos parlamentares petistas Zé Inácio e Zé Carlos, deputado estadual e deputado federal, respectivamente; e ainda o vereador Honorato Fernandes.

Ou seja, o PT muda de sede, mas continua o mesmo.

O “mesmo” no sentido de não conseguir aproveitar a conjuntura nacional favorável ao enfrentamento contra o governo Temer, unir as forças internas e apresentar à sociedade um projeto político-eleitoral para 2018, seja em aliança, seja em voo solo.

É o PT/MA sendo o PT/MA.

Até quando?

ELEIÇÕES 2018: “É factoide”, diz dirigente petista sobre convite para Flávio Dino se filiar ao PT

Para quem não está lembrado, Honorato Fernandes é aquele que apareceu, nas eleições de 2014, primeiro no programa de TV de Lobão Filho-15, e poucos dias antes do pleito no programa de Flávio Dino-65.

Não surtiu efeito o movimento promovido pelo presidente municipal do PT/São Luis, vereador Honorato Fernandes, convidando o governador Flávio Dino (PCdoB), para filiar-se ao PT.

O petista apareceu na blogosfera da capital alegando que a filiação de Flávio no PT “representaria um fortalecimento do projeto da esquerda com diálogo na construção de uma verdadeira ampla aliança política com os que defendem o povo brasileiro e combatem o atraso” (veja aqui).

O movimento do vereador foi interpretado, por um dirigente do PT, como ato para abafar o péssimo momento político pelo qual atravessa o governador Flávio Dino.

“Isso é um factoide para desfocar do péssimo momento político enfrentado pelo governador Flávio Dino com o lançamento da pré-candidatura de Roseana Sarney à governadora, depois a pré-candidatura  de Manuela D’Ávia a presidente pelo PCdoB, e agora a intervenção no PSDB que tirou Brandão [vice-governador Carlos Brandão] da presidência do partido e entregou para Roberto Rocha”, segundo um petista de estrela grande ao Blog do Robert Lobato.

Para quem não está lembrado, Honorato Fernandes é aquele que apareceu, nas eleições de 2014, primeiro no programa de Lobão Filho-15, e poucos dias antes do pleito no programa de Flávio Dino-65.

Oportunismo? Não!

Talvez apernas excesso de senso de oportunidade do vereador…

PT/MA: Quando o Bob Lobato incomoda “dinopetistas”, malandros e porra-loucas 2

Poderia revelar mais traços do mau-caratismo dessa turma, mas aprendi com a minha doce vovó Deliz que: “quem tem vergonha não envergonha os outros”.

A rigor o titular do Blog do Robert Lobato não deveria nem comentar tamanhos despautérios, até porque os elementos que os cometeram não são lá, digamos, gente da melhor referência política, ideológica, ética e, em alguns casos, nem para a moral e os bons costumes.

“De quem ou de que você está falando, Bob”, pergunta o leitor curioso ou leitora curiosa. Explico.

Chegou até o nosso humilde, mas sempre firme Blog do Robert Lobato, um print de um ‘conversê’ desqualificado ocorrido num dos vários grupo do PT no WhatsApp.

Ora, se é um “conversê” desqualificado, evidentemente é protagonizado por pessoas desqualificadas, “Sementes mal plantadas/Que já nascem com caras de abortadas/Pessoas de alma bem pequena/Remoendo pequenos problemas/Querendo sempre aquilo que não têm”, como canta o nosso eterno Cazuza na antológica “Blues da Piedade”.

Os “dinopetistas”, malandros e porra-loucas

Não considero – e jamais admitirei considerar -, que petistas como Pétala Monteiro e Paulo Romão tenham quaisquer autoridades para sequer tentarem avaliar a minha militância de anos no PT, inclusive de dirigente que chegou a vice-presidente e tesoureiro estadual do partido, membro do Diretório Municipal/São Luis, além de um dos quadros do chamado “Campo Majoritário” com inúmeras participações em fóruns nacionais do partido.

E quem são esses agressores e detratores do Bob Lobato? Vamos lá, primeiro as “damas”.

Pétala Monteiro é uma doidinha que quando chegou pelo PT não fazia a menor ideia da dinâmica do partido. Era militante do PSDB, mas andava, na época que nos conhecemos, flertando com a esquerda com o “coração vagabundo” – politicamente falando – dividido entre o PT e o PSB.

Como sempre fui um cara articulado e bem relacionado com pessoas de bem, graças a Deus, sugeri que ela pensasse direitinho mas antes a levaria para conversar com dois amigos, um do PT e outro do PSB. E quem foram esses amigo? Simples, simples: o petista Washington Oliveira, então vice-governador do Maranhão, e o na época socialista Roberto Rocha.

Depois de algumas semanas “pensando”, Pétala escolhe o PT. Está no partido até hoje e até hoje, ao que parece, é apaixonada por mim talvez por nunca ter esquecido das nossas “prosas” e otras cositas más, daí que não me esquece e ao invés de agradecer tudo o que de bom lhe proporcionei, prefere unir-se a outros trastes para me atacar.

Mas, enfim, quem quiser conhecer melhor o perfil e a personalidade da “Petys”, como gosta ser chamada, basta visitar suas redes sociais – mas não vale me xingar depois pela decepção. Rsrsrsrs.

Já o famigerado Paulo Romão, nacionalmente conhecido como “Paulinho da Fapema” em virtude do recebimento, “por fora”, de recursos dessa entidade de amparo à pesquisa no Maranhão, quando era um “faz tudo” na Vice-Governadoria, gestão Roseana Sarney/Washington Oliveira, é apenas um tolo e nunca deixará de sê-lo.

Contudo, tenho que reconhecer, “Paulinho da Fapema” melhorou um pouco a sua conturbada personalidade depois que resolveu “sair do armário” e se encontrar com o seu “eu verdadeiro”. Mas, infelizmente, ainda é um tolo, uma “coisinha”.

Esses são os traços de personalidade dos que me agridem por publicar notícias sobre o PT que chegam ao Blog do Robert Lobato por fontes e companheiros petistas qualificados e de bem.

São “dinopetistas”, na verdade “ex-sarnopetistas”, malandros de toda espécie e porra-loucas. E poderia revelar mais sobre o mau-caratismo dessa turma, mas aprendi com a minha doce vovó Deliz que: “quem tem vergonha não envergonha os outros”.

No mais, como diria Zagalo: “Vocês vão ter que me engolir!”.

PS: Peço desculpas aos leitores pela perda de tempo em dar confiança para essa turma de idiotas. Mas, não o fizesse, não seria o velho e bom Robert Lobato.

ELEIÇÕES 2018: Petistas e comunistas criticam candidatura da “Manu” 6

No Maranhão, petistas também não receberam de bom grado a decisão do PCdoB de lançar candidatura própria a presidente num momento em que Lula está liderando todas asa pesquisas e Manuela D’Ávila, a “Menu” sequer conseguiria se reeleger deputada estadual no seu estado.

O senador Lindbergh Farias (PT/RJ) criticou a candidatura da deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D’Ávila (PCdoB), à Presidência da República.

Pela rede social do Facebook, o petista afirmou que tem respeito pela comunista e pelo PCdoB, mas entende que a conjuntura exige unidade em tornou da pré-candidatura do ex-presidente Lula.

Tenho muito respeito pelo PCdoB e por Manuela Dávila. Eles têm todo o direito de lançar candidato à presidência. Agora, eu acho um erro. Não estamos em um momento de normalidade democrática. Houve um golpe. Sou contra qq aliança com o PMDB e outros golpistas. Defendo uma aliança do nosso campo de esquerda. Acho que a posição correta seria o PCdoB estar com Lula desde agora defendendo sua candidatura. Só Lula pode parar essa destruição que está acontecendo no país. É por isso que tentam tirar Lula do jogo. É preciso de UNIDADE dos setores de esquerda para garantir a candidatura e a vitória de Lula. Lançar candidatos no nosso campo, infelizmente, passa Idéia de fragilização da candidatura Lula. O caminho correto é apostar na UNIDADE”, postou Lindbergh que, aliás, já foi do PCdoB.

Quem também criticou o voo solo dos comunistas para presidente da República foi o jornalista Eduardo Guimarães, editor do Blog da Cidadania.

Filiado ao PC do B, Eduardo também considera um erro o seu partido enveredar por um projeto próprio para o Planalto. O blogueiro, assim como o senador Lindbergh, postou no Facebook a sua contrariedade com a decisão da cúpula comunista e disse que independente da candidatura da Manuela D’Ávila votará em Lula ou em quem o líder petista indicar.

Por ser filiado ao PC do B, estou sendo cobrado a me posicionar sobre a candidatura do partido a presidente, na pessoa da eminente Manuela D’Ávila. Vou ser bem direto: acho um erro. O PC do B enveredou por esse caminho por conta da cláusula de barreira, mas tenho minhas dúvidas se uma candidatura a presidente vai ampliar suficientemente a representação comunista no congresso. Além de poder vir a não adiantar nada, a decisão ainda divide o campo progressista. Em tempo: meu candidato a presidente é Luiz Inácio Lula da Silva. Ou quem ele indicar”, garantiu.

No Maranhão, petistas também não receberam de bom grado a decisão do PCdoB de lançar candidatura própria a presidente num momento em que Lula está liderando todas asa pesquisas e Manuela D’Ávila, a “Manu”, sequer conseguiria se reeleger deputada estadual no seu estado.

Ontem, por exemplo, o pré-candidato a senador pelo PT, professor Nonato Chocolate declarou ao Blog do Robert Lobato (vide postagem abaixo) que “o PCdoB se sai de Lula e o PT sairá do PCdoB”, numa alusão à possibilidade dos petistas deixarem a base do governo Flávio Dino e partirem para candidatura própria.

Pré-candidato a senador pelo PT afirma: “PCdoB se sai de Lula e o PT sairá do PCdoB” 4

Na avaliação do professor Chocolate é um equívoco dos comunistas abandonarem a candidatura do Lula no momento de grande luta e resistência contra o “golpe” e contra a ofensiva conservadora no país.

O pré-candidato a senador pelo PT, professor Raimundo Nonato Chocolate, afirmou ao Blog do Robert Lobato que a decisão do PCdoB de lançar candidatura própria à Presidência da República poderá ter desdobramentos no Maranhão, único estado em que os comunistas têm governador.

Em comunicado à imprensa divulgado neste domingo (5), a presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, informou que a deputada estadual Manuela D’Avila será a pré-candidata do partido à presidência da República.

Segundo o dirigente petista, o fato do PCdoB decidir por um voo solo no plano nacional desobriga o PT a caminhar com o PCdoB nos estados, incluindo, claro, o Maranhão.

Na avaliação de Chocolate é um equívoco dos comunistas abandonarem a candidatura do Lula no momento de grande luta e resistência contra o “golpe” e contra a ofensiva conservadora no país.

“Essa decisão por candidatura própria do PCdoB a Presidência do República nos causa estranheza, até porque o partido pode comprometer o apoio do PT à reeleição de Flávio Dino, o único governador dos comunistas. Nos parece, portanto, um equívoco esse voo solo no plano nacional num momento onde Lula aparece muito bem nas pesquisas e a luta contra o golpe e contra a ofensiva conservadora no país ganha força e apoio popular. Então, penso que PCdoB se sai de Lula e o PT sairá do PCdoB”, avaliou.

Nonato Chocolate é membro da Executiva Estadual do PT onde ocupa o cargo de secretário Estadual de Combate ao Racismo; integra também o Diretório Municipal de São Luis e deve ocupar assento no Diretório Nacional no Coletivo Nacional de Combate ao Racismo.

O petista já disputou duas campanhas de vereador (2008/2016) e uma como candidato a deputado federal (2010). Foi ainda chefe de gabinete da Secretaria de Igualdade Racial no governo Jackson Lago e subsecretário da Casa Civil, no governo Roseana Sarney (PMDB) quando PT tinha o então vice-governador Washington Oliveira.

ELEIÇÕES 2018: “Inchaço” do grupo governista já irrita aliados de Flávio Dino 2

A reclamação com o governador Flávio Dino é grande nos bastidores políticos. Mas, claro, ninguém vai admitir em público e talvez amem esta postagem do Blog do Robert Lobato.

É de irritação, para dizer o mínimo, o ânimo de alguns aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) em virtude do “inchaço” do grupo governista. Explica-se.

Temendo uma derrota eleitoral fragorosa nas eleições de 2018, os comunistas passaram a convidar, investir, cooptar, e que o mais o valha, lideranças políticas de tudo que é coloração partidária e ideológica.

A reclamação é tamanha que até o deputado federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB), um dos mais leais defensores do governo e do governador, tem reclamado horrores da forma como aliados têm perdidos espaço importantes para os “neogovernistas”.

Numa roda de conversa em Brasília, semana passada, por exemplo, Rubens Júnior lamentou que para poder abrigar os novos aliados, o governador sacrifique quem esteve com ele “desde o começo”, segundo uma fonte que estava presente no bate-papo.

Não ficou claro, porém, se o deputado comunista estava se referindo exatamente ao seu tio Paulo Cruz Pereira, auditor do Tribunal de Contas do Estado, que foi catapultado do cargo de Ouvidor-Geral do Estado do Maranhão para dar lugar ao advogado Marcos Caminha, filho do também advogado Valdenio Caminha, destacado dirigente do PPS maranhense.

No PT mesmo, a insatisfação é crescente.

Depois que Márcio Jardim foi “fufucado” da Secretaria de Esporte e Lazer (Sedel), para dar lugar a um aliado do deputado Federal André Fufuca (PP), a fração petista que também esta com Flávio Dino “desde o começo”, não gostou nadica de nada pelo tratamento dispensado ao professor Márcio.

Tanto que a tese de candidatura própria do PT a governador e a senador já defendida abertamente dentro partido e conta com a simpatia até dos chamados “dinopetistas”.

REGIÃO SUL

Lá para as bandas da Região Sul do estado a “chiadeira” dos aliados que estão “desde o começo” com Flávio Dino também é grande.

A reclamação é principalmente entre pedetistas e comunistas que estão sendo obrigados a dar a “janela do ônibus” para antigos adversários, que chagaram agora, sentarem.

O caso mais emblemático é do ex-prefeito Ildon Marques, que após romper com o grupo Sarney, se filiou ao PSB a convite do senador Roberto Rocha (PSDB), disputou a eleição para prefeito de Imperatriz em 2016 pelo “40” e por pouco não foi eleito.

Agora é o empresário aparece ao lado do governador Flávio Dino indicando o seu parceiro Frederico Ângelo para o cargo de presidente da Agência Metropolitana do Sudoeste.

Detalhe: A filiação de Ildon Marques no PSB foi um dos motivos alegados por Flávio Dina para se aborrecer com Roberto Rocha, sob alegação de que o senador não o comunicou sobre a tal filiação de “Pisada”, como Ildon é carinhosamente chamado em Imperatriz. É mole?

Ontem…

(…) Hoje.

O fato é que reclamação dos aliados com o governador Flávio Dino é grande nos bastidores políticos. Mas, claro, ninguém vai admitir em público e talvez amem esta postagem do Blog do Robert Lobato.

Agora em coisa os “insatisfeitos” têm razão: nada garante que os “neogovernistas” estejam no palanque de Flávio Dino em 2018. #Fato!

ELEIÇÕES 2018: “Primeiro apoiaria uma candidatura própria do PT. Depois votaria em qualquer candidato, exceção de Flávio Dino”, diz ex-candidato do PT 4

Júnior Esperança afirma que a eleição do governador comunista não passou de uma “ilusão” e que os “Os Sarneys demonstram robustez e podem voltar ao poder”.

O ex-candidato a prefeito da cidade de São Bernado nas eleições de 2008 e de 2012, está última pelo PT, engenheiro agrônomo Bernardo de Oliveira Lima Junior, o “Júnior Esperança” publicou um texto em que expressa sua decepção com o governador Flávio Dino (PCdoB).

“Passados quase três anos, entretanto, percebe-se que tudo que rondou nosso imaginário não passou de uma ilusão. Os Sarneys demonstram robustez e podem voltar ao poder. O Governador não foi capaz de transformar minimamente a realidade sociopolítica do Estado”, escreveu Júnior Esperança.

O engenheiro é irmão do ex-delegado regional do Ministério de Desenvolvimento Agrário no Maranhão (MDA-MA) e ex-coordenador do programa “Terra Legal” do Governo Federal, Jowbert Alves, que atualmente comanda a Assessoria Política do deputado federal Zé Carlos.

O parlamentar petista é outro que anda nada satisfeito com o tratamento dispensado poe Flávio Dino ao conjunto do PT, no geral, a ele em particular. Aliás, Zé Carlos tem engrossado o coro pela tese de candidatura própria de partido para as eleições de 2018.

Veja a seguir as considerações de Júnior Esperança sobre o governador de Flávio Dino.

As eleições 2014 para governador, no Maranhão, despertaram no imaginário da Classe Política maranhense dois sentimentos que merecem reflexão: primeiro, de que alí seria o fim da força política dos Sarneys; segundo, que o governador eleito imporia um ritmo de trabalho nos mais diversos campos de Políticas Públicas com impacto direto na transformação da realidade maranhense. Também, e mais importante, que o Governador fosse um desses amigos firmes, companheiro, fiel, que não deixaria quem lhe ajudou em campanha fora do projeto de consolidação da vitória nas urnas em 2014, o que naturalmente lhe valeria a reeleição em 2018.

Passados quase três anos, entretanto, percebe-se que tudo que rondou nosso imaginário não passou de uma ilusão. Os Sarneys demonstram robustez e podem voltar ao poder. O Governador não foi capaz de transformar minimamente a realidade sociopolítica do Estado e pior: demonstra ser um desses amigos.

indesejável numa caminhada, ainda mais quando o assunto é política.

Diante do desconforto de presenciar com desprazer esse cenário, hoje me dei conta de perguntar a mim  mesmo! – E se as eleições fossem hoje como votaria Junior Esperança?

Sem conhecer os futuros candidatos não foi difícil responder-me: 1º Apoiaria uma candidatura própria do PT. Depois votaria em qualquer candidato, exceção: FLÁVIO DINO. Falei!

JÚNIOR ESPERANÇA.