ESPERTEZA A SHOKTOKS: Duarte Jr. tenta “surfar” em iniciativa de Neto Evangelista

O candidato pelo PCdoB resolveu fazer uma espécie de plágio do programa concebido por Neto Evangelista e passou a divulgar uma peça de campanha onde afirma que, eleito deputado, apresentará um projeto de lei criando um tal “Prato Cheio”

Esse Duarte Jr. de besta não tem nem a fuça!

Invocado com factoides e estripulias midiáticas das mais diversas, o ex-diretor do Procon-MA, e candidato a deputado estadual pelo PCdoB, agora quer pegar uma carona, ou melhor, “surfar” numa proposta que originalmente é do deputado estadual Neto Evangelista (DEM), que disputa mais um mandato para Assembleia Legislativa. Explica-se.

Quando secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista iniciou o programa Banco de Alimentos, que visa articular toda uma política de arrecadação e doação de alimentos, inclusive com a previsão de constituir uma rede de ensino e capacitação de segurança alimentar para que a política não fique só no equipamento, mas que possa passar para dentro das comunidades –  o programa deve ser lançado após as eleições.

Trata-se, na prática, de uma política pública de segurança alimentar que irá atender milhares de pessoas, sobretudo os indivíduos em situação de vulnerabilidade social.

Pois bem. Esperto, o candidato Duarte Jr. resolveu fazer uma espécie de plágio do programa concebido por Neto Evangelista e passou a divulgar uma peça de campanha onde afirma que, eleito deputado, apresentará um projeto de lei criando um tal “Prato Cheio”, cujos objetivos são justamente os mesmíssimos já contemplados pelo Banco de Alimentos idealizado pelo ex-secretário Neto Evangelista. Aliás, programas desse tipo têm que ser de origem do Executivo e não do Legislativo. Ou seja, o ex-chefe do Procon-MA comete mais um ato de propaganda enganosa junto aos eleitores maranhenses ao prometer um projeto que é inconstitucional na origem.

Muito esperto esse nosso querido ShokToks.

Só que esperteza demais faz mal à saúde.

E pode fazer, também, perder votos…