Ao falar em “caçada à liberdade de imprensa”, diretor da Rádio Timbira atinge em cheio o governador Flávio Dino 8

Ao falar em “caçada à liberdade de imprensa”, o senhor Robson Paz esqueceu que o comandante do Palácio dos Leões talvez seja o maior recordista na tentativa de calar a imprensa local a partir de processos e mais processos contra profissionais de comunicação, incluindo blogueiros.

Sabem aquele adágio que diz “atirou no que viu e acertou o que não viu”?

Pois é. Foi exatamente o que fez o secretário-adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Rádio Timbira AM, Robson Paz, em artigo publicado nesta terça-feira, 29.

No afã de atacar o jornal O Estado do Maranhão, de propriedade do ex-senador José Sarney, alegando que o grupo liderado pelo emedebista deseja fechar a Timbira, o ex-secretário de Comunicação, que foi “promovido pra baixo” no ano passado, acabou, ainda que involuntariamente, criticando o próprio chefe, o governador Flávio Dino.

Robson Paz fala em “caçada à liberdade de imprensa” e se surpreende com o que considera “inusitado que o grupo que detém o maior conglomerado de comunicação do estado proponha fechar a única emissora de rádio pertencente ao povo do Maranhão”.

Ora, meu caro, a Rádio Timbira pode ser tudo atualmente, menos um veículo “pertencente ao povo do Maranhão”. A emissora nunca foi tão estatal e menos pública quanto é atualmente. Aliás, ela poderia perfeitamente ser chamada de “Rádio PCdoB AM”.

Ninguém que pensa diferente, seja político ou não, tem acesso à Rádio Timbira, logo não há de nada de novo nela, pelo contrário: virou um aparelho partidário que faz campanha antecipada 24h por dia.

E ao falar em “caçada à liberdade de imprensa”, o senhor Robson Paz esqueceu que o comandante do Palácio dos Leões talvez seja o maior recordista na tentativa de calar a imprensa local a partir de processos e mais processos contra profissionais de comunicação, incluindo blogueiros.

Enfim, se há uma “caçada à liberdade de imprensa” no Maranhão sem dúvida alguma é patrocinada pelo chefe de Robson Paz, a quem ele acabou acertando ao atirar em Sarney.

Fiquem com a íntegra do artigo do futuro capelão da PM, segundo comenta-se, Robson Paz.

Caçada à liberdade de imprensa

Na semana em que o Brasil lamentou a perda de Alberto Dines, um dos mais notáveis jornalistas do país, o Maranhão foi surpreendido com anúncio feito pelo jornal “O Estado do Maranhão”, de propriedade do ex-senador José Sarney, de que o grupo político por ele liderado quer fechar a Rádio Timbira AM por até seis meses.

Com injustificado ar de regozijo, o jornal afirma que há quatro representações contra a emissora estatal na Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e no Ministério das Comunicações, sob inconsistenteargumento de que o veículo estaria sendo indevidamente usado com fins eleitorais.

Embora não seja novidade, é inusitado que o grupo que detém o maior conglomerado de comunicação do estado proponha fechar a única emissora de rádio pertencente ao povo do Maranhão.

Não há registro de qualquer desrespeito à legislação pela Nova 1290 Timbira AM. No período préeleitoral, a lei veda aos veículos de comunicação pedido explícito de voto, fato que jamais ocorreu na emissora.

Pelo contrário, a linha estabelecida na rádio é explícita para que todo o esforço da equipe seja voltado à prática de jornalismo ético, democrático e responsável.

O jornal do ex-senador Sarney faz referência a fato comprovadamente inexistente. A transmissão do ato político do ex-presidente Lula pela Timbira. O monitoramento da rádio exigência da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) demonstra que tal evento público jamais foi transmitido. Naquele ato, houve sim cobertura jornalística, pois se tratava de fato de interesse público. Conduta adotada pela emissora em atos de outros líderes presidenciáveis que visitaram o Maranhão, como Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), João Dória (PSDB), Guilherme Boulos (PSol), Rodrigo Maia (DEM). Aliás, pluralidade de vozes proporcionada também em nível estadual com reportagens que tiveram como protagonistas políticos de diferentes correntes ideológicas.

A Rádio Timbira, antes proibida pelo governo anterior de colocar ouvintes no ar, hoje se constitui no mais democrático espaço para a livre manifestação independentemente de ideologia, credo ou gênero em toda a programação. Isto resguardados os marcos da civilidade e do respeito ao regramento constitucional. Não cabem, pois, os argumentos das quatro representações que tentam colocar mordaça na primeira rádio do Maranhão. Isto posto, só resta uma explicação para que a emissora estatal incomode poderosos do estado: o jornalismo.

Sim, em pleno século 21, praticar jornalismo sério no Maranhão, dar voz a quem antes não tinha, é ato impensável para censuradores. Talvez porque seus arsenais midiáticos não informem a população sobre ações de interesse público nas mais diversas áreas.

A censura que tentam impor à Timbira é prática diária dos meios de comunicação sob controle daqueles que ora acusam a emissoraPor tudo isto, convido publicamente os autores das representações, os deputados Eduardo Braide (PMN), Adriano Sarney(PV), Andreia Murad (PRP) e Hildo Rocha (MDB),para entrevistas, ao vivo, em nossos estúdios. Oportunidade para demonstrar uma vez mais o caráter democrático e plural da Rádio Timbira. A Rádio de todos nós. 

Por Robson Paz

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

ELEIÇÕES 2018: Os discursos dos sarneysistas sobre Flávio Dino 14

Mas saiu da boca do deputado federal Sarney Filho talvez a maior das verdades entre os discursos proferidos na “Sarneyland”, mansão da família localizada ali, no bairro do Calhau.

Ontem, 21, durante anúncio oficial da pré-candidatura de Roseana Sarney ao governo do Maranhão, as principais lideranças do grupo disseram algumas verdades sobre o governador Flávio Dino e o sua gestão.

A própria Roseana, o mano Sarney Filho e o senador Edison Lobão, foram duros nos seus pronunciamentos, mas não faltaram com a verdade ao avaliar a personalidade política do governador comunista.

A agora pré-candidata afirmou em alto e bom tom que Flávio Dino é um “ditador”.

“Ele tem uma rejeição muito grande, porque ele não é essa pessoa que se fez passar na eleição passada. Que era um ex-juiz, uma pessoa honesta, um deputado, um democrata, que trabalhava pelo Maranhão. Não existe isso. Ele é um ditador, ele persegue as pessoas. Persegue as pessoas humildes e os grandes também”, disparou.

O senador Edison Lobão, por sua vez, afirmou que ““O Maranhão elegeu uma mentira. Erramos, e porque erramos estamos pagando o preçotira”. E depois arrematou: “o povo foi iludido uma vez [por Flávio Dino], mas não será iludido uma segunda”.

Mas saiu da boca do deputado federal Sarney Filho talvez a maior das verdades entre os discursos proferidos na “Sarneyland”, mansão da família localizada ali, no bairro do Calhau. Disse Zequinha: “A entrada da Roseana na disputa é culpa do governador Flávio Dino. Quem fez Roseana candidata foi o péssimo governo Flávio Dino”. Perfeito, o mano!

De fato, os planos de Roseana Sarney, depois que deixou o governo em 2014, era curtir as brisas do litoral Leste dos Estados Unidos na companhia do maridão Jorge Murad e dos netos.

Contudo, como o atual governador nunca desceu do palanque, nunca focou no presidente e apontou para o futuro, preferindo governar olhando fundamentalmente para o passado e todo ato oficial de governo o nome mais citado é dos Sarney, claro que Roseana, seus familiares e o grupo como um todo se sentiram convidados a entrar para disputa de 2018 ao Palácio dos Leões.

E para animar ainda mais o espírito da “Branca”, eis que chega as suas mãos uma pesquisa que a coloca no centro da disputa com chances reais de levar a eleição de governador para o segundo turno.

Agora Flávio Dino que se segure…

SENADO 2018: Petistas organizam movimento contra pré-candidatura de Eliziane Gama 18

Além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras

Há em curso no PT maranhense um movimento contra a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS) ao Senado Federal na chapa de Flávio Dino (PCdoB).

Setores expressivos do partido, principalmente o coletivo de mulheres e a corrente Resistência Socialista, todos ligados ao “Dinopetismo”, ou seja, ao braço do PT que apoia o governo, não querem nem ouvir falar na hipótese do partido estar num mesmo palanque junto de quem consideram “golpista”.

No caso das petistas, a secretária de Mulheres do Diretório Estadual, Edinalva Alves, que encontra-se em Curitiba participando de um ato em prol da liberdade do ex-presidente Lula, está articulando uma nota dura contra o apoio do PT à pré-candidatura de Eliziane.

O Blog do Robert Lobato não conseguiu contato com a dirigente Edinalva Alves, mas as informações que chegam é que não vai ser nada fácil a vida da Eliziane em relação aos petistas e às petistas, pois se existe alguma unidade no PT maranhense é justamente o veto ao apoio do partido a seu projeto de senadora.

O tom no partido é que será constrangedor, para o próprio governador Flávio Dino, estar no palanque ao lado da irmã e ter que ouvir a companheirada detonando os “golpistas”.

Para que não lembra, além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras.

Por essas, e outras, é que Eliziane Gama se tornará uma tremenda dor de cabeça para Flávio Dino. E não é por acaso que já se fala que a irmã pode, até as convenções, ser convencida pelo Palácio dos Leões de uma candidatura a deputada estadual como “puxadora de votos”.

Só Jesus!

Os “demônios” de Flávio Dino 18

Tecnicamente o governo Flávio Dino acabou! E acabou de forma mais vexatória possível, com um governador metido moralista, a vestal, sendo comparado a um “Demóstenes Torres”.

Desesperado pelo inferno astral que enfrenta, o governador Flávio Dino (PCdoB) agora tratou de classificar como “demônios” a imprensa e seu adversários políticos.

Endiabrado, Flávio Dino não consegue observar que os tais “demônios”, se existirem, estão abrigados no seu próprio governo, que, ao que tudo indica, foi tomado pelo inferno da corrupção e da incompetência.

A verdade é que esse governo foi consumido pelo enxofre dos quintos dos infernos. Fede à podridão da mentira, demagogia, hipocrisia, populismo e maracutaias de toda forma.

Tecnicamente o governo Flávio Dino acabou! E acabou de forma mais vexatória possível, com um governador metido moralista, a vestal, sendo comparado a um “Demóstenes Torres”.

Não vai ser de admirar se aparecer “presos políticos” no Maranhão por conta do escândalo das espionagens da Polícia Militar ordenadas pelo Palácio dos Leões.

Informações que chegam do ao Blog do Robert Lobato dão conta de que oficiais da PM/MA correm risco de serem presos ou colocados arbitrariamente na reserva.

Enfim, o governador Flávio Dino transformou o estado do Maranhão em um caldeirão desgraçadamente diabólico.

E os demônios estão estão instalados na sede do Governo.

Ou desgoverno, se preferirem.

PT/MA: Dirigente Estadual solicita transparência nas filiações no partido. Sinome Limeira e Rosângela Curado estariam na lista 7

Há expectativa quanto à novas filiações de personalidades públicas no PT mas setores da direção partidária estariam escondendo o jogo, quando não dificultando entrada no partido de quem não é bem visto aos olhos do Palácio dos Leões

Fernando Silva: Dirigente quer mais transparência nas filiações no PT.

O dirigente estadual e membro da coordenação estadual da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), Fernando Silva, cobrou maior transparência nas filiações previstas para ocorrer nos próximos dias no Diretório Estadual do PT.

Além de pedir transparência no processo de filiação, o dirigente petista pediu também transferência data da reunião para tratar da entrada de novos quadros no PT, já que o presidente do partido, o polêmico Augusto Lobato, convocou extraordinariamente a Comissão Executiva Estadual para participarem de reunião, amanhã, 22, às 15h, na sede do partido.

“Nós da CNB Maranhão queremos saber a lista de solicitação de filiação e a qual dirigente devemos encaminhar o pedido das filiações. Entendemos que a Sorg [Secretaria de Organização] em conjunto com a Secretaria de Comunicação poderiam divulgar para o conjunto do partido eventual lista”, sustentou Fernando Silva.

Há expectativa quanto à novas filiações de personalidades públicas no PT mas setores da direção partidária estariam escondendo o jogo, quando não dificultando entrada no partido de quem não é bem visto aos olhos do Palácio dos Leões, já o PT pode exigir uma vaga na chapa majoritária e a área política do governo não quer nem ouvir de falar sobre o assunto.

De agrado dos Leões estariam, entre outros, as senhoras Sinome Limeira e Francisca Primo, ambas ainda no PCdoB, e Rosângela Curado (ex-PDT).

Já não teria o “de acordo” dos comunistas de juba grande a filiação, por exemplo, do deputado federal Waldir Maranhão, pré-candidato ao Senado Federal.

Agora é aguardar e conferir como acabará mais esse rolo no PT maranhense.

ELEIÇÕES 2018: Zé Carlos recua da posição de candidatura própria do PT, revela fonte 13

Uma fonte do Blog do Robert Lobato informou que o parlamentar petista esteve no Palácio dos Leões para aparar arestas e teria não apenas fumado o cachimbo da paz com o governador, como também recuado na posição de candidatura própria

O deputado Zé Carlos, o único do PT na Câmara Federal, andou falando grosso semanas atrás e saiu em defesa da candidatura própria do partido nas eleições de 2018 no Maranhão.

Em um áudio que compartilhou nos grupos do WhatsApp, o parlamentar petista deixou clara a sua insatisfação quanto ao tratamento dispensado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) ao PT e chegou a sugerir o rompimento com os comunistas.

“O governo não nos trata como aliado, mas como um partido que se encontra em um patamar inferior. […] O nosso partido tem a maior aceitação popular, que tem o maior tempo de TV e, principalmente, tem o maior líder político do país. […] Queremos respeito. […] Por tudo isso, eu entendo que se encontram exauridas todas as tentativas, olha que não foram poucas, de consolidar essa aliança. Sendo assim não nos resta outra alternativa do que lutar por uma candidatura própria”, declarou.

Pois bem. Ontem o Blog do Robert Lobato apurou através de uma fonte, que também anda insatisfeita com Flávio Dino, afirmou que Zé Carlos esteve, ontem, 6, no Palácio dos Leões para aparar arestas e teria não apenas fumado o cachimbo da paz com o governador, como também recuado na posição de candidatura própria.

“Custo acreditar que Zé Carlos tenha feito um recuo de forma tão rápida e sem combinar sequer com os interlocutores do PT que vinham construindo uma posição em conjunto com ele”, disse um dirigente petista agora pouco para o Blog do Robert Lobato.

De fato vai ficar muito feio para Zé Carlos, depois de ter falado grosso com os comunistas, de uma hora pra outra passar a falar fino após sair do Palácio dos Leões.

O Blog do Robert Lobato procurou o deputado Zé Carlos para saber sobre o assunto, mas o mesmo não retornou o contato.

Fracassam todas as embaixadas do governo para demover José Reinaldo do rompimento com Flávio Dino 4

O Palácio dos Leões tem que virar a página quando o assunto é José Reinaldo Tavares, pois insistir nessas embaixadas chega a ser constrangedor para muita gente

Pelo menos três interlocutores do governo que desembarcaram em Brasília com a missão dada pelo Palácio dos Leões para demover o deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido) da decisão de romper com Flávio Dino (PCdoB) fracassaram.

O último desses interlocutores governistas a escutar de Zé Reinaldo que “não tem volta” foi o vice-governador Carlos Brandão (PRB) que na tarde de ontem, 28, além de fracassar no convencimento de levar o ex-governador de volta para o colo de Flávio Dino, ainda teve que ouvir que será o próximo a ser abandonado pelo comunista. Saiu arrasado da conversa.

Ao que parece os governistas ainda não se deram conta que José Reinaldo está em outra “vibe” como dizem os mais jovens, qual seja a de estar trabalhando na consolidação de um novo campo político que possa apresentar um projeto alternativo para a sociedade maranhense, além, claro, de criar as condição para que ele se eleja Senador da República.

O Palácio dos Leões tem que virar a página quando o assunto é José Reinaldo Tavares, pois insistir nessas embaixadas junto ao parlamentar chega a ser constrangedor para muita gente.

Já era!

Rompido com Flávio Dino, José Reinaldo deve mostrar que tem grupo para enfrentar a fúria do Palácio dos Leões 13

Zé Reinaldo que se cuide e parta para montar urgentemente o seu novo campo político com humildade, coragem e olhando para a frente ou será triturado pela máquina de propaganda comunista

Ao romper com o governador Flávio Dino (PCdoB), o deputado federal José Reinaldo Tavares (ainda sem partido) tem um desafio pela frente que não é dos mais fácies.

O ex-governador deverá mostrar que tem grupo político para manter o seu projeto de senador com viabilidade de sucesso. E mais do que isso: ter a habilidade para fazer a coisa certa e ampliar o leque de apoios a sua candidatura à Câmara Alto do Congresso Nacional.

Uma coisa era o pré-candidato José Reinaldo com apoio de prefeitos e entidades como a Famem, outra completamente diferente é partir agora para a luta rompido com o governo e ainda assim convencer os aliados a manterem-se leais a ele.

Numa outra ponta, Zé Reinaldo terá ainda que enfrentar é fúria do Palácio dos Leões que não vai poupar ataques e agressões abaixo da linha de cintura via mídia amilhada, que a essa altura já deve estar sendo orientada por narrativas que visam tratá-lo como alguém que não é de grupo e coisas do tipo. Aliás, já há sinais nesse sentido na blogosfera palaciana, por exemplo.

O fato é que mesmo jornalistas que até um dia desses amavam e respeitavam José Reinaldo, e a ele devem muito do que são hoje, tendem a obedecer cegamente as ordens da Secom governamental.

Com certeza as masmorras dos Leões devem estar a todo vapor na produção maldades, fake news e o escambau contra o ex-aliado.

Zé Reinaldo que se cuide e parta para montar urgentemente o seu novo campo político, com humildade, coragem e olhando para a frente ou será triturado pela máquina de propaganda comunista.

É aguardar e conferir.

Flávio Dino demite aliado do presidente do PT da Caema e nomeia “sarnopetista” para o Agência de Mobilidade Urbana 6

A princípio pode parecer um movimento contraditório do governo, mas, ao final, revelar-se como uma forma dos comunistas manterem o PT sob cabresto com vista à reeleição do governador

O governador Flávio Dino (PCdoB) deu uma mexidinha básica no seu governo envolvendo diretamente membros do PT.

O engenheiro Ricardo Ferro, compadre e aliado histórico do presidente estadual PT, Augusto Lobato, foi exonerado da Diretoria Comercial da Caema. A exoneração pegou muita gente de surpresa no PT e talvez até o próprio Ricardo Ferro.

Segundo apurou o Blog do Robert Lobato, Ferro deve ir para uma lugar mais qualificado, provavelmente a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), mas a sua exoneração fez com o presidente do PT falasse mais grosso com o governo, já admitindo, inclusive, candidatura própria do partido ao Governo do Estado.

Nomeação de “sarnopetista”

Ato contínuo à exoneração do engenheiro Ricardo Ferro, que é da corrente “Mensagem ao Partido”, o governador Flávio Dino nomeou Francimar de Melo para o cargo de vice-presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos, que é presidida pelo delegado de polícia e neopetista Lawrence Melo Pereira.

Francismar de Melo é secretário de Organização do Diretório Estadual do PT, membro da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB) e ligado ao ex-vice-governador Washington Luiz e ao vereador Honorato Fernandes, portanto, uma “sarnopetista” como os comunas gostam de dizer. Foi candidato a presidente do partido no último PED numa estratégia para dificultar a vitória do deputado estadual Zé Inácio, também da CNB e mais articulado com o comando nacional da corrente. O fato é que a candidatura de Francimar acabou ajudando na intenção do Palácio dos Leões de fazer Augusto Lobato presidente do PT.

Enfim, o governo faz um movimento que, a princípio, pode parecer contraditório, mas, ao final, vir a revelar-se como uma forma de manter o PT sob cabresto com vista à reeleição de Flávio Dino.

É aguardar e conferir.

Grupo Sarney aposta em “plebiscito” entre Flávio Dino e Roseana Sarney. Melhor para o comunista! 4

Ao defender uma eleição plebiscitária a meses do início efetivo da campanha, onde muita coisa ainda pode acontecer, o jornal da família Sarney parece que prefere perder de vez a eleição, e o poder que ainda resta ao grupo, a fazer com que outras forças alternativas ajudem derrotar os atuais inquilinos do Palácio dos Leões.

Em editorial intitulado “Cenário Consolidado”, da coluna Estado Maior, do jornal O Estado do Maranhão, edição desta terça-feira, 6, revela que o próprio grupo Sarney parece apostar num “plebiscito” entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Curiosamente, isso é tudo o que sonham os comunistas para garantir a reeleição do atual chefe do executivo estadual já em primeiro turno.

Flávio Dino e todo o seu grupo político torcem para que o pleito de 2018 seja polarizado entre “sarneysistas” versos “antissarneysistas” como forma manter o debate em torno de uma dicotomia que só tem feito mal ao estado, na medida que empobrece uma discussão mais de fundo sobre os reais problemas que emperram o desenvolvimento do Maranhão.

Ao defender uma eleição plebiscitária a meses do início efetivo da campanha, onde muita coisa ainda pode acontecer, o jornal da família Sarney parece que prefere perder de vez a eleição, e o poder que ainda resta ao grupo, a fazer com que outras forças alternativas ajudem derrotar os atuais inquilinos do Palácio dos Leões.

Uma visão mesquinha e tacanha de um grupo que pode evaporar de vez do cenário político maranhense caso insista em eleição plebiscitária entre Flávio e Roseana.

Fiquem com o editorial do Estado Maior.