IBOPE: O que teme o Palácio dos Leões? 10

O engraçado, não fosse ridículo, é que os comunistas vivem desdenhando do desempenho do IBOPE no Maranhão acusando o instituto de sempre errar nos números, mas demonstram medo, sofrem por antecipação com o que pode vir por aí

O Palácio dos Leões está polvorosa com a divulgação da pesquisa IBOPE de intenção de voto para o Governo do Maranhão que deve ocorrer nesta quinta-feira, 23.

A aflição governista é tamanha que tentaram, pasmem!, impedir, na Justiça, que a pesquisa fosse divulgada. Mas, felizmente, o juiz Alexandre Lopes de Abreu, membro do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), indeferiu o pedido da coligação “Todos pelo Maranhão”, encabeçada pelo PCdoB de Flávio Dino, e os números serão do conhecimento do eleitorado maranhense.

O engraçado, não fosse ridículo, é que os comunistas vivem desdenhando do desempenho do IBOPE no Maranhão acusando o instituto de sempre errar nos números, mas demonstram medo, sofrem por antecipação com o que pode vir por aí.

No Maranhão de tempos sombrios sob Flávio Dino, só valem números dos famosos institutos tabajaras, alguns de fundo de quintal surgidos às vésperas das eleições, e outros que são institutos quase “oficiais” por terem contrato permanente com o governo.

O medo que leva a esse desespero dos comunistas pode ser o fato de que os números do IBOPE podem revelar o que as pesquisas internas deles mesmos, mas que não podem ser divulgadas, já apontam: uma eleição ao governo disputadíssima e longe de ser decidida em primeiro turno com a vitória de Flávio Dino.

“Mas, Bob Lobato, e se os números do IBOPE parecem com os dados dos institutos tabajaras do governo?”, pode perguntar o leitor atento.

Bom, nesse caso mostra apenas o quanto esse governo é covarde, inseguro, enfim, um governo bunda mole.

A conferir.

Em 2016, Roberto Rocha já havia alertado para o abuso de poder de Flávio Dino 4

As declarações do senador na época ajudam entender um pouco a decisão da juíza Anelise Nogueira Reginato, que no início desta semana pediu a impugnação da candidatura de Flávio Dino tornando-o inelegível justamente por abuso de poder político.

“Sinal vermelho para o Natal”.

Esse foi o título de uma postagem publicada pelo senador Roberto Rocha, em outubro de 2016, na rede social do Facebook.

No texto, parlamentar tucano já denunciava o abuso de poder político praticado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) para vencer as eleições municipais daquele ano.

“O governador Flávio Dino fez um esforço muito grande nestas eleições, a ponto de quase pintar o Palácio dos Leões de vermelho”, escreveu na época.

As declarações do senador, que é candidato ao Governo do Maranhão, ajuda entender um pouco a decisão da juíza Anelise Nogueira Reginato, que no início desta semana pediu a impugnação da candidatura de Flávio Dino tornando-o inelegível para as eleições de 2018 justamente por abuso de poder político, ou seja, uso da máquina administrativa para beneficiar eleitoralmente os candidatos apoiados pelo Palácio dos Leões.

Fiquem com a íntegra das palavras de Roberto Rocha:

SINAL VERMELHO PARA O NATAL

Governo é governo, partido é partido.

Nenhum partido no Brasil consegue chegar ao governo sozinho, porque não tem 50% + 1. Para isso, precisa fazer alianças.

Mesmo o PT e o PSDB, com a presidência da República, tiveram que fazer coligações.

Eleito, o governante não pode governar para metade mais um, ou seja, para sua coligação. Ele tem que governar para todos.

Desta forma, não se pode confundir governo com coligação. Muito menos, governo com partido.

Esse é o atalho mais fácil para um fracasso administrativo, pois quando o governante confunde governo com partido, ele também passa a confundir partido com Estado. É o começo do fim!

O pensamento de certa ‘esquerda’, tributário dessa lógica, costuma fazer essa confusão, fruto de interditos ideológicos e de uma auto proclamada superioridade moral.

O país viveu isso com o PT, e o governo caiu.

A população sofre os duros efeitos dessa psicopatologia política, mas, neste domingo, deu o troco nas urnas.

No Maranhão, o governador Flávio Dino, do PC do B, fez um esforço muito grande nestas eleições, a ponto de quase pintar o Palácio dos Leões de vermelho.

Ao contrário do que pregou em sua posse, soltou os leões para rugirem com estridência, Maranhão adentro.

Assim mesmo, saiu da campanha menor do que entrou.

Em dezembro, o sinal vermelho poderá acender para os servidores públicos. Infelizmente, caso aconteça, será um péssimo agouro para as dezenas de prefeitos neo-comunistas que no mês seguinte tomam posse alimentados pela esperança de virtuosas parcerias.

FLÁVIO DINO INELEGÍVEL: Narrativa de que Sarney quer fazer com o comunista o que foi feito com Jackson Lago não cola 18

O que a juíza Anelise Reginato fez foi tão somente dizer para Flávio Dino algo mais ou menos assim: “Olha moço, ninguém pode ser considerado inalcançável pela Justiça. Até o senhor deve obediência às instituição da República e não pode sair por aí usando a máquina estatal de forma abusiva politicamente achando que tudo pode”.

O Palácio dos Leões ensaia uma narrativa para desqualificar a inelegibilidade de Flávio Dino nas eleições de 2018, após decisão corajosa da juíza Anelise Nogueira Reginato, da 8ª Zona Eleitoral.

Trata-se da tentativa de comparar a condenação do governador comunista com o processo de cassação do governador Jackson Lago, de saudosa memória, e que tudo, pra variar, seria mais um ardil do Sarney. Tem nada a ver o fiofó com as calças. Essa não cola!

Em primeiro lugar, os comunistas, a começar pelo próprio Flávio Dino, não têm condições morais e políticas para fazer a comparação entre os dois casos.

Em 2010, a campanha do então candidato a governador pelo PCdoB fez misérias contra a candidatura de Jackson. Entre elas, a mais sacana foi espalhar pelo Maranhão afora que o líder pedetista era “ficha suja” e mesmo que ganhasse a eleição não tomaria posse porque a Justiça Eleitoral cassaria o seu diploma.

Ora, como é que agora Flávio Dino vai querer tirar proveito de um lamentável episódio da política maranhense, que foi “golpe judicial” contra Jackson Lago, se ele e seu PCdoB tripudiaram sobre o ex-governador num momento histórico em que o pedetista deseja resgatar a sua honra política tentando voltar ao Palácio dos Leões?

A inelegibilidade de Flávio Dino em nada se parece com a cassação de Jackson Lago, nem de longe! Não é por acaso que os familiares do ex-governador querem distância dele.

Ocorre é que o comunista, sendo um ex-juiz, de personalidade arrogante e de uma soberba de fazer inveja a Mussolini, acha que está acima da lei e das instituições.

O que a juíza Anelise Reginato fez foi tão somente dizer para Flávio Dino algo mais ou menos assim: “Olha moço, ninguém pode ser considerado inalcançável pela Justiça. Até o senhor deve obediência às instituição da República e não pode sair por aí usando a máquina estatal de forma abusiva politicamente achando que tudo pode”.

Foi esse o recado que a magistrada mandou para governador do Maranhão.

Resumo da opereta: com a decretação de inelegibilidade, Flávio Dino virou um “cabra marcado para morrer”.

Nas urnas, claro!

ELEIÇÕES 2018: Flávio Dino dá sinais de que sabe que pode ser derrotado em outubro 52

É lógico que a quantidade de postagens em diferentes blogs que atuam a favor do projeto de poder de Flávio Dino mostra que eles, os governistas, não estão mais na condição de completo favoritismo. Sabem que vai ter jogo e jogo duro!

Um bom termômetro para saber o grau de confiança de Flávio Dino (PCdoB) na sua reeleição é o conteúdo que está sendo publicado na blogosfera alugada pelo Palácio dos Leões.

São ataques e mais ataques aos candidatos da oposição e mais uma indústria de fake news montada para tentar desconstruir a imagem dos adversários do comuna-mor no Maranhão.

Não apenas Roseana Sarney (MDB), considerada a principal adversária do comunista, mas também Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge são alvos contínuos dos delírios da curriola comunista na blogosfera.

É lógico que a quantidade de postagens agressivas e desqualificadas publicadas em diferentes blogs que atuam a favor do projeto de poder de Flávio Dino mostra que eles, os governistas, não estão mais na condição de pleno favoritismo. Sabem que vai ter jogo e jogo duro!

Se antes era dado como certa uma vitória do “Bucho Grande” já no primeiro turno, agora está cada claro que o pleito para o Governo do Maranhão vai se dar em dois turnos.

E a continuar a tendência de queda em pesquisas que o Blog do Robert Lobato teve acesso, olha lá se Flávio Dino sequer irá para o segundo turno.

Vamos acompanhar até as eleições o comportamento dos blogs palacianos.

Eles, repito, são o termômetro para conhecer o grau de desespero de Flávio Dino, autointitulado “Euzinho”.

ELEIÇÕES 2018: Clima ameno e de unidade marca vésperas da convenção do PSDB 4

Não há ambiente de hostilidade e muito menos margem para traições contra quem quer que seja no tucanato local. O que existe, pelo menos foi o que o Blog do Robert Lobato conseguiu constatar em uma visita feita na manhã desta terça-feira, 31, na sede do partido, é muita movimentação de lideranças políticas e articulações para agregar mais partido na coligação liderada por Roberto Rocha.

Embora o Palácio dos Leões tente passar, através da mídia alugada com prazo de validade para o dia 31 de dezembro de 2018, de que há uma disputa beligerante no âmbito do PSDB por conta da disputa ao Senado Federal, o clima no ninho tucano é ameno e da mais absoluta tranquilidade nestas vésperas de convenção tucana que acontece no próximo sábado, 4, na Batuque Brasil.

Os deputados federais José Reinaldo Tavares e Waldir Maranhão, além do deputado estadual Alexandre Almeira, estão sempre conversando, trocando opiniões sobre a conjuntura e dialogando constantemente na sede do PSDB junto com o senador Roberto Rocha, que é o pré-candidato do partido ao Governo do Maranhão.

Não há ambiente de hostilidade e muito menos margem para traições contra quem quer que seja no tucanato local. O que existe, pelo menos foi o que o Blog do Robert Lobato conseguiu constatar durante visita feita na manhã desta terça-feira, 31, na sede do partido, é muita movimentação de lideranças políticas e articulações para agregar mais partido na coligação liderada por Roberto Rocha.

E pelo que este humildade blogueiro viu na manhã de hoje podem aguardar, pois vem novidade quente por aí.

Daí a explicação para um certo desespero do Palácio dos Leões e sua camarinha comunista.

ACUSARAM O GOLPE: Palácio dos Leões usa o PDT para tentar proibir gabinete móvel do senador Roberto Rocha 12

A ação na Justiça era para ser impetrada pelo PCdoB, mas ficaria muito evidente o incômodo dos comunistas com o projeto Roberto Rocha governador-45. Foi aí que acionaram o PDT de Weverton Rocha que passou a fazer qualquer coisa para agradar o comuna-mor em nome da sua improvável eleição de senador.

Estrutura show do senador Roberto Rocha que incomodou a corriola “comuno-maragatista”.

O Partido Democrático Trabalhista (PDT), presidido pelo deputado federal e pré-candidato a senador Weverton Rocha, foi atendido, liminarmente, em representação formulada pela sigla do Maragato que pede a retirada do gabinete móvel do senador Roberto Rocha (PSDB) das estradas maranhenses.

O desembargador que tem nome de personagem do desenho animado Backyardigans, Tyrone José Silva, foi quem concedeu a liminar para o PDT –  a sigla sustentou que o gabinete móvel caracteriza propaganda eleitoral antecipada, já que o senador Roberto Rocha é pré-candidato ao governo do estado.

Através de um governista bem posicionado no grupo de Flávio Dino, O Blog do Robert Lobato soube que a ação era para ser impetrada pelo PCdoB, mas ficaria muito evidente o incômodo dos comunistas com o projeto Roberto Rocha governador-45. Foi aí que acionaram o PDT de Weverton Rocha que passou a fazer qualquer coisa para agradar o comuna-mor em nome da sua improvável eleição de senador.

O senador Roberto Rocha já recorreu da decisão do juiz Tyrone e deve ter, em breve, o seu gabinete móvel liberado para levar os serviços prestados pelo seu mandato a todos cantos e recantos do estado.

Em tempo: O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão de 08/2017 diante um caso parecido com esse que o PDT alega, sustentou o seguinte:

“Ademais, como explicou a recorrente, o material em comento não se trata de um outdoor, mas sim de painel móvel, com sua fotografia, utilizado como fundo para as apresentações, nunca superior a trinta minutos, nos deslocamentos efetivados pela cidade” .

“Das premissas fáticas delineadas no decisum regional, verifico que na publicidade impugnada não constaram elementos capazes de configurar a existência de propaganda eleitoral extemporânea. Isso porque não houve pedido expresso de votos no teor da mensagem divulgada do artefato publicitário, mas sim informação que está albergada pelas liberdades de expressão e informação, que ostentam uma posição preferencial (preferred position) dentro do arquétipo constitucional das liberdades.”

Tudo indica, portanto, que o factoide jurídico do partido do Maragato vai parar no aquivo morto da Justiça maranhense.

É aguardar e conferir.

VEJA ISSO: Camarilha comunista parte pra cima de Aníbal Lins 8

Aníbal Lins não é qualquer um e muito menos se deixa servir a terceiros como é o caso dos que tentam lhe agredir. Em postagens repletas de cretinices, misturam verdades com mentiras para desconstruir a imagem do pré-candidato petista.

É sempre assim!

Basta aparecer alguém para contrariar o ego e os interesses do governador Flávio Dino (PCdoB) para que a máquina de triturar reputações do Palácio dos Leões entre em ação.

A bola da vez, ou melhor, o alvo da vez, é economista e sindicalista Aníbal Lins.

Tudo porque Aníbal ousou em colocar o seu nome como pré-candidato ao governo pelo PT, contrariando os anseios dos comunistas de fazer do partido de Lula um mero puxadinho do PCdoB.

Aníbal Lins não é qualquer um e muito menos se deixa servir a terceiros como é o caso dos que tentam lhe agredir. Em postagens repletas de cretinices, misturam verdades com mentiras para desconstruir a imagem do pré-candidato petista.

Mas, é como ensina o sábio ditado árabe: Os cães ladram, a caravana passa.

É de luta

O que não sabem, ou fingem não saber, é que Aníbal Lins é um pessoa forjada nas lutas sociais, políticas e sindicais.

Em 2014, por exemplo, Aníbal Lins representou criminalmente a então governadora Roseana Sarney (MDB) por retardar o cumprimento das decisão obtida pelo Sindicato dos Servidores da Justiça do Maranhão (Sindjus-MA) no Supremo Tribunal Federal (STF), que garantiu o direito aos 21.7% para a categoria dos trabalhadores da Justiça. A então governadora Roseana Sarney determinou, imediatamente, os repasses necessários para o cumprimento das decisão judicial, que no ano seguinte Flávio Dino tentou revogar no mesmo STF e foi derrotado três vezes por Aníbal Lins via o Sindjus-MA.

A maldade é tamanha, que tentam jogar a base do Sindjus-MA contra o seu presidente licenciado através da eleição simulada para presidente e corregedor do Tribunal de Justiça promovida pelo sindicato.

Ora, a eleição simulada espelha-se em igual experiência promovida pela Associação dos Magistrados do Maranhão – AMMA. Porém, os escribas dos Palácios dos Leões, pagos a peso de ouro, esquecem que os trabalhadores do judiciário são pessoas adultas e conscientes, e não autômatos como os blogueiros palacianos querem fazer a opinião pública acreditar que sejam.

PROS

A blogosfera chapa branca utiliza-se ainda do fato de Aníbal Lins ter sido filiado ao PROS para, mais uma vez, tentar desqualificá-lo. Quebram a cara novamente.

O PROS é presidido pelo ex-ministro da presidente Dilma Rousseff, o ex-deputado federal Gastão Vieira, ou seja, um partido parceiro do PT na época! Não custa lembrar que o PROS, já com Gastão Viera rompido com o grupo Sarney, apoiou o mesmo candidato do PT em 2016, que foi Edvaldo Holanda Júnior (PDT), além de atualmente o partido fazer parte da base do governo Flávio Dino.

Aníbal Lins poderia, portanto, ter escolhido qualquer outra legenda para disputar as eleições de 2018, mas preferiu o PT e retornou a convite do presidente estadual Augusto Lobato, pois como o próprio pré-candidato costuma dizer “entendi que não posso deixar qualquer equívoco de qual lado estou que é da libertação de Lula e de resistência firme e intransigente ao golpe”.

Enfim, quem achar que o velho e bom Aníbal Lins de guerra vai se deixar intimidar com patrulhamentos de blogs a mando do Palácio dos Leões é bom ir logo tirando “fumo” da chuva, pois essas tentativas de desqualificação não roubam o sono e o sonho dos justos.

É a opinião do Blog do Robert Lobato.

Flávio Dino e o DNA da incoerência (e também da demagogia e da hipocrisia) 6

Ao anunciar em público, no início do seu governo, que abriria mão de residir no Palácio dos Leões, mas nas entocas fazer o contrário, mostra que Flávio Dino não traz apenas o DNA da incoerência nos seus mais de 130 quilos de  massa corporal, mas também o DNA da demagogia e da hipocrisia.

O governador Flávio Dino não é lá um grande exemplo de coerência e os exemplos estão aí aos montes (o colega Jorge Aragão tem vários posts no seu blog tratando do assunto).

Na verdade, o comunista-mor do Maranhão parece trazer o gene da incoerência no seu DNA. Senão vejamos.

O ano é 2015, início do governo da “mudança”. O recém-empossado governador do Maranhão, Flávio Dino de Castro e Costa, anuncia que vai abrir mão de vários ‘privilégios’, entre eles o de residir no Palácio dos Leões.

Pois bem. Eis que na aurora desta quarta-feira, 27, o Blog do Robert Lobato é despertado com um ofício do Gabinete do Governador, n.93/2018-GG, de 29 de maio de 2018, encaminhado ao conselheiro Joaquim Washington Luiz de Oliveira, do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, informando à corte de contas que “desde meados de 2015” o excelentíssimo chefe do executivo estadual mudou-se do seu lar doce lar, no bairro do Renascença, para residir nos nobres aposentos do Palácio dos Leões. Confira:

Ao anunciar em público, no início do seu governo, que abriria mão de residir no Palácio dos Leões, mas nas entocas faz o contrário, conforme mostra o documento acima, fica claro que Flávio Dino não traz apenas o DNA da incoerência nos seus mais de 130 quilos de  massa corporal, mas também o DNA da demagogia e da hipocrisia.

E olhem lá se na intimidade da residência oficial, o governador, familiares e amigos mais próximos, não se empanturraram de lagostas, caviares e bebidas nobres…

Ao falar em “caçada à liberdade de imprensa”, diretor da Rádio Timbira atinge em cheio o governador Flávio Dino 8

Ao falar em “caçada à liberdade de imprensa”, o senhor Robson Paz esqueceu que o comandante do Palácio dos Leões talvez seja o maior recordista na tentativa de calar a imprensa local a partir de processos e mais processos contra profissionais de comunicação, incluindo blogueiros.

Sabem aquele adágio que diz “atirou no que viu e acertou o que não viu”?

Pois é. Foi exatamente o que fez o secretário-adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Rádio Timbira AM, Robson Paz, em artigo publicado nesta terça-feira, 29.

No afã de atacar o jornal O Estado do Maranhão, de propriedade do ex-senador José Sarney, alegando que o grupo liderado pelo emedebista deseja fechar a Timbira, o ex-secretário de Comunicação, que foi “promovido pra baixo” no ano passado, acabou, ainda que involuntariamente, criticando o próprio chefe, o governador Flávio Dino.

Robson Paz fala em “caçada à liberdade de imprensa” e se surpreende com o que considera “inusitado que o grupo que detém o maior conglomerado de comunicação do estado proponha fechar a única emissora de rádio pertencente ao povo do Maranhão”.

Ora, meu caro, a Rádio Timbira pode ser tudo atualmente, menos um veículo “pertencente ao povo do Maranhão”. A emissora nunca foi tão estatal e menos pública quanto é atualmente. Aliás, ela poderia perfeitamente ser chamada de “Rádio PCdoB AM”.

Ninguém que pensa diferente, seja político ou não, tem acesso à Rádio Timbira, logo não há de nada de novo nela, pelo contrário: virou um aparelho partidário que faz campanha antecipada 24h por dia.

E ao falar em “caçada à liberdade de imprensa”, o senhor Robson Paz esqueceu que o comandante do Palácio dos Leões talvez seja o maior recordista na tentativa de calar a imprensa local a partir de processos e mais processos contra profissionais de comunicação, incluindo blogueiros.

Enfim, se há uma “caçada à liberdade de imprensa” no Maranhão sem dúvida alguma é patrocinada pelo chefe de Robson Paz, a quem ele acabou acertando ao atirar em Sarney.

Fiquem com a íntegra do artigo do futuro capelão da PM, segundo comenta-se, Robson Paz.

Caçada à liberdade de imprensa

Na semana em que o Brasil lamentou a perda de Alberto Dines, um dos mais notáveis jornalistas do país, o Maranhão foi surpreendido com anúncio feito pelo jornal “O Estado do Maranhão”, de propriedade do ex-senador José Sarney, de que o grupo político por ele liderado quer fechar a Rádio Timbira AM por até seis meses.

Com injustificado ar de regozijo, o jornal afirma que há quatro representações contra a emissora estatal na Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e no Ministério das Comunicações, sob inconsistenteargumento de que o veículo estaria sendo indevidamente usado com fins eleitorais.

Embora não seja novidade, é inusitado que o grupo que detém o maior conglomerado de comunicação do estado proponha fechar a única emissora de rádio pertencente ao povo do Maranhão.

Não há registro de qualquer desrespeito à legislação pela Nova 1290 Timbira AM. No período préeleitoral, a lei veda aos veículos de comunicação pedido explícito de voto, fato que jamais ocorreu na emissora.

Pelo contrário, a linha estabelecida na rádio é explícita para que todo o esforço da equipe seja voltado à prática de jornalismo ético, democrático e responsável.

O jornal do ex-senador Sarney faz referência a fato comprovadamente inexistente. A transmissão do ato político do ex-presidente Lula pela Timbira. O monitoramento da rádio exigência da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) demonstra que tal evento público jamais foi transmitido. Naquele ato, houve sim cobertura jornalística, pois se tratava de fato de interesse público. Conduta adotada pela emissora em atos de outros líderes presidenciáveis que visitaram o Maranhão, como Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), João Dória (PSDB), Guilherme Boulos (PSol), Rodrigo Maia (DEM). Aliás, pluralidade de vozes proporcionada também em nível estadual com reportagens que tiveram como protagonistas políticos de diferentes correntes ideológicas.

A Rádio Timbira, antes proibida pelo governo anterior de colocar ouvintes no ar, hoje se constitui no mais democrático espaço para a livre manifestação independentemente de ideologia, credo ou gênero em toda a programação. Isto resguardados os marcos da civilidade e do respeito ao regramento constitucional. Não cabem, pois, os argumentos das quatro representações que tentam colocar mordaça na primeira rádio do Maranhão. Isto posto, só resta uma explicação para que a emissora estatal incomode poderosos do estado: o jornalismo.

Sim, em pleno século 21, praticar jornalismo sério no Maranhão, dar voz a quem antes não tinha, é ato impensável para censuradores. Talvez porque seus arsenais midiáticos não informem a população sobre ações de interesse público nas mais diversas áreas.

A censura que tentam impor à Timbira é prática diária dos meios de comunicação sob controle daqueles que ora acusam a emissoraPor tudo isto, convido publicamente os autores das representações, os deputados Eduardo Braide (PMN), Adriano Sarney(PV), Andreia Murad (PRP) e Hildo Rocha (MDB),para entrevistas, ao vivo, em nossos estúdios. Oportunidade para demonstrar uma vez mais o caráter democrático e plural da Rádio Timbira. A Rádio de todos nós. 

Por Robson Paz

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

ELEIÇÕES 2018: Os discursos dos sarneysistas sobre Flávio Dino 14

Mas saiu da boca do deputado federal Sarney Filho talvez a maior das verdades entre os discursos proferidos na “Sarneyland”, mansão da família localizada ali, no bairro do Calhau.

Ontem, 21, durante anúncio oficial da pré-candidatura de Roseana Sarney ao governo do Maranhão, as principais lideranças do grupo disseram algumas verdades sobre o governador Flávio Dino e o sua gestão.

A própria Roseana, o mano Sarney Filho e o senador Edison Lobão, foram duros nos seus pronunciamentos, mas não faltaram com a verdade ao avaliar a personalidade política do governador comunista.

A agora pré-candidata afirmou em alto e bom tom que Flávio Dino é um “ditador”.

“Ele tem uma rejeição muito grande, porque ele não é essa pessoa que se fez passar na eleição passada. Que era um ex-juiz, uma pessoa honesta, um deputado, um democrata, que trabalhava pelo Maranhão. Não existe isso. Ele é um ditador, ele persegue as pessoas. Persegue as pessoas humildes e os grandes também”, disparou.

O senador Edison Lobão, por sua vez, afirmou que ““O Maranhão elegeu uma mentira. Erramos, e porque erramos estamos pagando o preçotira”. E depois arrematou: “o povo foi iludido uma vez [por Flávio Dino], mas não será iludido uma segunda”.

Mas saiu da boca do deputado federal Sarney Filho talvez a maior das verdades entre os discursos proferidos na “Sarneyland”, mansão da família localizada ali, no bairro do Calhau. Disse Zequinha: “A entrada da Roseana na disputa é culpa do governador Flávio Dino. Quem fez Roseana candidata foi o péssimo governo Flávio Dino”. Perfeito, o mano!

De fato, os planos de Roseana Sarney, depois que deixou o governo em 2014, era curtir as brisas do litoral Leste dos Estados Unidos na companhia do maridão Jorge Murad e dos netos.

Contudo, como o atual governador nunca desceu do palanque, nunca focou no presidente e apontou para o futuro, preferindo governar olhando fundamentalmente para o passado e todo ato oficial de governo o nome mais citado é dos Sarney, claro que Roseana, seus familiares e o grupo como um todo se sentiram convidados a entrar para disputa de 2018 ao Palácio dos Leões.

E para animar ainda mais o espírito da “Branca”, eis que chega as suas mãos uma pesquisa que a coloca no centro da disputa com chances reais de levar a eleição de governador para o segundo turno.

Agora Flávio Dino que se segure…