Dr. Pêta dá “puxão de orelha” em Flávio Dino 6

Dr. Pêta foi no âmago da questão! E olha que não se tem notícias de que o Palácio dos Leões está em atraso com o glorioso Jornal Pequeno…

O colunista dominical, legendário Dr. Pêta, do Jornal Pequeno, deu o que no popular a gente costuma chamar de “puxão de orelha” no governador Flávio Dino (PCdoB).

O motivo do puxavão é a insistência do comunista maranhense de tentar chamar a atenção do presidente eleito Jair Bolsonaro fazendo críticas dia após dias, pelas redes sociais, mas o “capitão” até agora nem “tchum” para o governador reeleito.

A “penúltima” provocação de Flávio Dino foi esta aqui:

Na avaliação do Dr. Peta, “a postura adotada [por Flávio Dino] contra o futuro ocupante do Palácio do Planalto, dois meses antes de ele assumir o governo, não parece a mais correta”. E continua: “Justamente por não ‘esperar para ver o que acontece’ foi que Flávio Dino fez uma previsão equivocada ao afirmar, algum tempos atrás, que a candidatura Bolsonaro era coisa muito residual, que não vai crescer porque é uma criatura, que não é uma proposta política que deve ser levada a sério”.

Ou seja, Dr. Peta foi no âmago da questão! E olha que não se tem notícias de que o Palácio dos Leões está em atraso com o glorioso Jornal Pequeno…

Fiquem com a íntegra da equilibrada avaliação do Dr. Peta sobre as meninices de Flávio Dino em relação a Bolsonaro.

ELEIÇÕES 2018: Estratégia de Alckmin no Nordeste passa por programa concebido por Luis Fernando 2

O ex-governador Geraldo Alckmin: De olho no Nordeste (Foto: Ernesto Rodrigues / Folhapress).

O pré-candidato ao ao Palácio do Planalto pelo PSDB, Geraldo Alckmin, promete adotar programas voltados a crianças de 0 a 6 anos como uma das prioridades do seu programa de governo. Trata-se de uma tentativa de conseguir votos numa região em que o ex-presidente Lula reina: o Nordeste.

Durante ao programa Roda Viva (TV Cultura), exibido na última segunda, 23,  Geraldo Alckmin citou o projeto Criança Feliz, elaborado pelo atual prefeito de São José de Ribamar quando era secretário no governo José Reinaldo.

“Esse programa que eu e o Luis Fernando, prefeito de São José de Ribamar, montamos com apoio de técnicos recrutados por ele, é baseado nos ensinamentos do professor James Reckman, Nobel em Economia e professor de economia da Universidade de Chicago, que preconiza que cuidar das crianças de zero a seis anos desenvolverá o país”, enfatizou o deputado e pré-candidato a senador em recente artigo para o Jornal Pequeno.

A declaração de Geraldo Alckmin mostra que o tucano vai focar no Nordeste durante a campanha e o Maranhão pode ser dar bem com essa estratégia do presidenciável. Aliás, o senador Roberto Rocha (PSDB), pré-candidato a governador, já havia dito que uma vez Alckmin eleito presidente o Maranhão vai ter tratamento diferenciado.

A conferir.

 

Flávio Dino não perdoa Lula e por isso deseja Ciro Gomes, que é “um babaca”, segundo o petista Francisco Soares 12

O governador comunista passou a defender o nome de Ciro Gomes (ex-PDS, legenda sucessora da Arena; ex-PMDB, ex-PSDB; ex-PPS; ex-PSB, ex-Pros e agora PDT) porque não quer um nome do PT pelo simples fato de saber que uma candidatura petista ao Palácio do Planalto é mais forte do que a de Ciro e isso pode jogar água chope do comunista que ficaria cada vez longe de se tornar uma alternativa no plano nacional.

Flávio Dino não perdoa Lula. Flávio Dino se acha dono dos votos no Maranhão e que atualmente é o petista que precisaria dele e não o contrário.

Flávio Dino não perdoa Lula porque o ex-presidente, forçado pela conjuntura concreta e para garantir governabilidade em 2010, teve que fazer uma aliança local com o MDB mesmo com o Encontro Estadual do PT ter deliberado por coligação com o PCdoB.

Flávio Dino é mais um politiqueiro da esquerda um que torce para Lula ficar preso o suficiente para não nunca mais concorrer a presidência da República porque sonha em ser um dos “herdeiros” do legado do lulismo e da esquerda de uma forma geral. Mas, como o dizem os dirigentes do PSOL e do PCO “herdeiro só existe depois da pessoa morta”. No mínimo, quem faz essa tratativa são os contumazes falastrões e oportunistas, tais como Flávio e Ciro.

Flávio Dino passou a defender o nome de Ciro Gomes (ex-PDS, legenda sucessora da Arena; ex-PMDB, ex-PSDB; ex-PPS; ex-PSB, ex-Pros e agora PDT) porque não quer um nome do PT pelo simples fato de saber que uma candidatura petista ao Palácio do Planalto é mais forte do que a de Ciro e isso pode jogar água chope do comunista que ficaria cada vez longe de se tornar uma alternativa no plano nacional.

Flávio Dino não cumpriu o acordo com o deputado federal Waldir Maranhão para fazê-lo um dos seus candidatos a senador porque isso era da vontade do Lula, mas Flávio não perdoa o Lula.

Prefere, portanto, o “babaca” do Ciro Gomes, como bem diz, no vídeo abaixo, o engenheiro Francisco Soares, o Chicão, competente técnico em trânsito, mobilidade urbana e energia.

Diga aí, grande Chicão!