Petistas acreditam que suposta pré-candidatura de Mário Macieira é “invenção” de Chico Gonçalves

Se Mário Macieira realmente quiser entrar na disputa eleitoral, não for mais uma vez um “balão de ensaio”, uma “invenção” terá que disputar as prévias.

“Balão de ensaio”, “invenção”.

São com esses predicados que alguns petistas avaliam a suposta pré-candidatura do advogado Mário Macieira nas eleições de 2018.

E mais: esses mesmos petistas creditam na conta do secretário Chico Gonçalves (Direitos Humanos) o factoide de lançar Macieira ao Senado Federal ou vice de Flávio Dino (PCdoB).

“Desde 2010 inventam a candidatura de Mário Macieira e sempre o idealizador desse projeto é Chico Gonçalves. 2010 foi assim como Mário de vice de Flávio; 2012 o lançaram a prefeito; 2014 para deputado federal e agora, claramente diversionista, como senador ou vice de Dino. Ou seja, mais uma vez um balão de ensaio, uma invenção da mesma pessoa” [no caso Chico Gonçalves], disse um petista companheiro do Blog do Robert Lobato.

De fato, há no PT essas “invenções” de ocasião.

Atualmente há apenas dois pré-candidatos a senador registrados oficialmente no partido: Márcio Jardim e Nonato Chocolate, ambos professores.

Ocorre que os dois petistas não fazem parte da “plutocracia” do PT, não têm “pedigree”, logo “não servem” para ser candidatos, segundo o lógica de gente como Chico Gonçalves e outros de mesma concepção.

De qualquer modo, tanto Márcio como Chocolate não abrem mão das suas candidaturas, mesmo que tenham que ir para prévias, como é previsto no estatuto do PT.

E se Mário Macieira realmente quiser entrar na disputa eleitoral, não for mais uma vez um “balão de ensaio”, uma “invenção” terá que disputar as prévias.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: Pré-candidato a senador pelo PT, Nonato Chocolate rechaça apoio do partido a Weverton Rocha. Márcio Jardim silencia 4

Não existe apoio automático por conta dessa mudança da liderança da oposição no Câmara dos Deputados. Sou pré-candidato a senador pelo PT e o partido não  vai a reboque de ninguém”

O pré-candidato a senador pelo PT, Nonato Chocolate rechaçou a possibilidade do partido e a militância petista embarcarem no projeto de Weverton Rocha (PDT), também pré-candidato ao Senado Federal.

Blogs alugados pelo Palácio dos Leões andaram produzindo, como de costume, fake news de que a indicação de Weverton para a liderança da minoria na Câmara dos Deputados seria a senha para o PT engrossar a pré-campanha de senador do “Maragato”, que até um dia desses era chamado de “Maragatuno” por esses mesmos blogs.

Para o professor Nonato Chocolate, não existe apoio automático do PT a Weverton Rocha só porque o pedetista substituiu o deputado José Guimarães (PT-CE) na liderança da oposição. O petista questionou ainda se Ciro Gomes vai apoiar Lula ou outro candidato do PT, numa clara provocação já que Ciro é pré-candidato a presidente pelo PDT.

“Não existe apoio automático por conta dessa mudança da liderança da oposição no Câmara dos Deputados. Sou pré-candidato a senador pelo PT e o partido não  vai a reboque de ninguém. Estamos amadurecendo um candidatura própria que sirva de apoio a candidatura do Lula aqui no Maranhão. O Ciro Gomes vai declarar apoio ao Lula e ao PT? Ademais, a falta de cumprimento da palavra do PDT, de Weverton Rocha e do prefeito Edivaldo Holanda Jr. conosco, a partir da reeleição em 2016 , nos deixa deveras preocupados e desconfiados”, disse o petista.

Já o outro pré-candidato pelo PT, Márcio Jardim, preferiu não fazer quaisquer declarações sobre assunto limitando-se a dizer que se sente “contemplado” com as palavras do seu colega Nonato Chocolate.

Seria cautela para não desagradar os Leões?

ELEIÇÕES 2018: Professor Nonato Chocolate protocola pré-candidatura ao Senado 10

O dirigente petista tem se mostrado bastante animado com a pré-candidatura à Câmara Alta e está articulando uma série atividades para dar não somente maior musculatura, mas também estadualizar o projeto Chocolate Senador

O professor Nonato Chocolate protocola amanhã, sábado, 13, a sua pré-candidatura ao Senado Federal pelo PT.

O registro será feito na sede do partido, localizada no bairro do Cohafuma, durante ato de “13 Dia de Luta”, em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato a presidente do Brasil.

O dirigente petista tem se mostrado bastante animado com a pré-candidatura à Câmara Alta e está articulando uma série atividades para dar não somente maior musculatura, mas também estadualizar o projeto Chocolate Senador.

“Amanhã irei oficializar a minha pré-candidatura ao Senado Federal na sede do PT junto ao presidente Augusto Lobato. Vamos aproveitar o ato do 13 Dia de Luta, em defesa da democracia e do direito do companheiro Lula ser candidato a presidente. A ideia é fazermos uma grande festa democrática na sede do nosso partido”, disse o pré-candidato.

O registro da pré-candidatura do professor Chocolate será acompanhada de uma vasta programação carnavalesca promovida pelo próprio PT.

Entre as atrações estão: a “Jardineira”, comandada pelo maestro Augusto Bastos; apresentação do bloco da juventude petista Tô com Lula, coordenador pelo aguerrido Carlos Augusto Filho, o Gugu, além de uma deliciosa feijoada batizada de “Feijão-13”

É o PT movimentando o pré-carnaval maranhense e, claro, a pré-campanha 2018 no estado.

ELEIÇÕES 2018: Petistas e comunistas criticam candidatura da “Manu” 6

No Maranhão, petistas também não receberam de bom grado a decisão do PCdoB de lançar candidatura própria a presidente num momento em que Lula está liderando todas asa pesquisas e Manuela D’Ávila, a “Menu” sequer conseguiria se reeleger deputada estadual no seu estado.

O senador Lindbergh Farias (PT/RJ) criticou a candidatura da deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D’Ávila (PCdoB), à Presidência da República.

Pela rede social do Facebook, o petista afirmou que tem respeito pela comunista e pelo PCdoB, mas entende que a conjuntura exige unidade em tornou da pré-candidatura do ex-presidente Lula.

Tenho muito respeito pelo PCdoB e por Manuela Dávila. Eles têm todo o direito de lançar candidato à presidência. Agora, eu acho um erro. Não estamos em um momento de normalidade democrática. Houve um golpe. Sou contra qq aliança com o PMDB e outros golpistas. Defendo uma aliança do nosso campo de esquerda. Acho que a posição correta seria o PCdoB estar com Lula desde agora defendendo sua candidatura. Só Lula pode parar essa destruição que está acontecendo no país. É por isso que tentam tirar Lula do jogo. É preciso de UNIDADE dos setores de esquerda para garantir a candidatura e a vitória de Lula. Lançar candidatos no nosso campo, infelizmente, passa Idéia de fragilização da candidatura Lula. O caminho correto é apostar na UNIDADE”, postou Lindbergh que, aliás, já foi do PCdoB.

Quem também criticou o voo solo dos comunistas para presidente da República foi o jornalista Eduardo Guimarães, editor do Blog da Cidadania.

Filiado ao PC do B, Eduardo também considera um erro o seu partido enveredar por um projeto próprio para o Planalto. O blogueiro, assim como o senador Lindbergh, postou no Facebook a sua contrariedade com a decisão da cúpula comunista e disse que independente da candidatura da Manuela D’Ávila votará em Lula ou em quem o líder petista indicar.

Por ser filiado ao PC do B, estou sendo cobrado a me posicionar sobre a candidatura do partido a presidente, na pessoa da eminente Manuela D’Ávila. Vou ser bem direto: acho um erro. O PC do B enveredou por esse caminho por conta da cláusula de barreira, mas tenho minhas dúvidas se uma candidatura a presidente vai ampliar suficientemente a representação comunista no congresso. Além de poder vir a não adiantar nada, a decisão ainda divide o campo progressista. Em tempo: meu candidato a presidente é Luiz Inácio Lula da Silva. Ou quem ele indicar”, garantiu.

No Maranhão, petistas também não receberam de bom grado a decisão do PCdoB de lançar candidatura própria a presidente num momento em que Lula está liderando todas asa pesquisas e Manuela D’Ávila, a “Manu”, sequer conseguiria se reeleger deputada estadual no seu estado.

Ontem, por exemplo, o pré-candidato a senador pelo PT, professor Nonato Chocolate declarou ao Blog do Robert Lobato (vide postagem abaixo) que “o PCdoB se sai de Lula e o PT sairá do PCdoB”, numa alusão à possibilidade dos petistas deixarem a base do governo Flávio Dino e partirem para candidatura própria.

Pré-candidato a senador pelo PT afirma: “PCdoB se sai de Lula e o PT sairá do PCdoB” 4

Na avaliação do professor Chocolate é um equívoco dos comunistas abandonarem a candidatura do Lula no momento de grande luta e resistência contra o “golpe” e contra a ofensiva conservadora no país.

O pré-candidato a senador pelo PT, professor Raimundo Nonato Chocolate, afirmou ao Blog do Robert Lobato que a decisão do PCdoB de lançar candidatura própria à Presidência da República poderá ter desdobramentos no Maranhão, único estado em que os comunistas têm governador.

Em comunicado à imprensa divulgado neste domingo (5), a presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, informou que a deputada estadual Manuela D’Avila será a pré-candidata do partido à presidência da República.

Segundo o dirigente petista, o fato do PCdoB decidir por um voo solo no plano nacional desobriga o PT a caminhar com o PCdoB nos estados, incluindo, claro, o Maranhão.

Na avaliação de Chocolate é um equívoco dos comunistas abandonarem a candidatura do Lula no momento de grande luta e resistência contra o “golpe” e contra a ofensiva conservadora no país.

“Essa decisão por candidatura própria do PCdoB a Presidência do República nos causa estranheza, até porque o partido pode comprometer o apoio do PT à reeleição de Flávio Dino, o único governador dos comunistas. Nos parece, portanto, um equívoco esse voo solo no plano nacional num momento onde Lula aparece muito bem nas pesquisas e a luta contra o golpe e contra a ofensiva conservadora no país ganha força e apoio popular. Então, penso que PCdoB se sai de Lula e o PT sairá do PCdoB”, avaliou.

Nonato Chocolate é membro da Executiva Estadual do PT onde ocupa o cargo de secretário Estadual de Combate ao Racismo; integra também o Diretório Municipal de São Luis e deve ocupar assento no Diretório Nacional no Coletivo Nacional de Combate ao Racismo.

O petista já disputou duas campanhas de vereador (2008/2016) e uma como candidato a deputado federal (2010). Foi ainda chefe de gabinete da Secretaria de Igualdade Racial no governo Jackson Lago e subsecretário da Casa Civil, no governo Roseana Sarney (PMDB) quando PT tinha o então vice-governador Washington Oliveira.