“A indicação dele foi por mérito”, diz Roberto Rocha ao site O Antagonista sobre indicação de Fábio Gondim para Ministério

“A indicação dele foi por mérito. Meu gabinete perde um excelente servidor, mas o país ganha um extraordinário técnico.”

O site de notícias O Antagonista anunciou, no início da tarde desta quinta-feira,20, post intitulado “Cotado para ser o ‘número 2’ de Minas e Energia se candidatou pelo PT em 2014”.

A postagem foi uma alusão a eventual nomeação do ex-secretário de Planejamento no governo Roseana Sarney (MDB) e atual chefe de gabinete do senador Roberto Rocha (PSDB), Fábio Gondim, para assumir posto de destaque no Ministério de Minas e Energia.

Após a publicação do post, O Antagonista fez uma outra nota com declarações do senador maranhense sobre a indicação de Gondim, que o Blog do Robert Lobato reproduz na íntegra. Confira:

“A indicação dele foi por mérito”

Mais cedo, registramos que o consultor legislativo Fábio Gondim, cotadíssimo para ser o “número 2” do Ministério de Minas e Energia no governo de Jair Bolsonaro, tem no currículo, por exemplo, o fato de ter sido candidato a deputado federal, em 2014, pelo PT no Maranhão.

Atualmente, Gondim é chefe de gabinete do senador Roberto Rocha, do PSDB, que disse o seguinte a O Antagonista, dando como certa a indicação do funcionário:

“A indicação dele foi por mérito. Meu gabinete perde um excelente servidor, mas o país ganha um extraordinário técnico.”

Rocha acrescentou que Gondim foi chefe da consultoria de orçamento do Senado e entrou na política após ter sido apresentado por José Sarney à sua filha Roseana, de quem foi secretário no Maranhão.

“Ele fez o ajuste das contas do governo do Maranhão e, ao final, o estado foi reconhecido pela melhor gestão fiscal do país. Tanto que a Roseana pegou 4 bilhões de reais de empréstimo no BNDES.”