Em defesa de Gleisi Hofmmann 6

O jornalista Ricardo Noblat vai morrer louco, doido, varrido e não entenderá nada sobre as coisas que realmente dão sentindo à vida.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, foi chamada de “Maria Louca” pelo jornalista e blogueiro Ricardo Noblat no post intitulado “Gleisi Maria Louca” (leia aqui).

Noblat tem a má-fama de escrever e ofender a soldo. Não sei se foi esse caso em relação à petista, cuja “loucura” cometida por ela foi tão somente defender o ex-presidente Lula e afirmar, com a firmeza que lhe é peculiar, que se não vingar “Lula livre”, voltará à cena “Eleição sem Lula é fraude”. Como é sabido de todos, a presidente do PT é uma guerreira na defesa da liberdade e candidatura de Lula a presidente da República.

Com serenidade e sensibilidade femininas de quem se sentiu ofendida na sua condição de mulher, Gleisi respondeu a Noblat pela rede social do Twitter com as seguintes palavras:

“Como mulher, na minha caminhada de lutas, não foram poucas as vezes em que me deparei com situação semelhante. Quando perdem o argumento, partem para a desqualificação. Homem branco, machista e com poder de fala pública contribuindo para intolerância e preconceito!”

É verdade que tenho minhas diferenças políticas com a presidente do PT, principalmente se tratando da situação do Maranhão.

Porém, senti-me na obrigação de sair em sua defesa depois que li as grosserias de Noblat contra a companheira. Aliás, um dos piores textos já escrito pelo “moralista” que, em 2009, foi pego com a boca na botija ao ser revelado que possuía contrato “secreto” com o Senado Federal no valor de cerca de 50 mil reais para apresentar um programa de jazz na Rádio Senado.

O jornalista Ricardo Noblat sim, deve ser uma espécie de “Maria Louca”, mas a sua “loucura” é diferente da presidente do PT certamente, posto que Gleisi Hoffmann é motivada por outros tipos de “loucuras”, entre elas a justiça social, equidade econômica, soberania nacional e democracia.

Noblat vai morrer louco, doido, varrido e não entenderá nada sobre as coisas que realmente dão sentindo à vida.

À Gleisi Hoffmann a solidariedade do Blog do Robert Lobato.