ELEIÇÕES 2018: Márcio Jerry pode ser “sacrificado” em nome do projeto maior de reeleição de Flávio Dino 8

A solução seria deletar o projeto “Márcio Jerry deputado federal” e deixá-lo somente na coordenação geral da campanha de Flávio Dino e ao mesmo tempo suplente de senador de quem o chefe indicar, provavelmente o deputado estadual Bira do Pindaré

São fortes as conversas de bastidores da política dando conta de que o secretário Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política) pode ter sua pré-candidatura de deputado federal “sacrificada” em nome do projeto maior que é a reeleição do governador Flávio Dino.

Aos aliados, Márcio Jerry assegura que sua pré-candidatura ainda está de pé, firme e forte, mas a coisa não é bem assim na vida real.

O problema é que se o arco conservador de alianças pensado por Flávio Dino realmente se confirmar até as convenções, o comunista terá que abrigar muitos deputados federais de mandato e candidatos com grande potencial de elegerem-se. É bem aí que começa complicar as coisas para Márcio Jerry.

Além de causar muita ciumeira entre os aliados durante a campanha, já que Jerry é muitíssimo ligado ao governador, e com isso afugentar os ‘bons de voto” do palanque de Flávio Dino, pesa contra a pré-candidatura do supersecretário a fama dele ser desagregador, complicado e que é “só papo” – não é por acaso que vários prefeitos já desistiram de apoiá-lo.

A solução, portanto, seria deletar o projeto “Márcio Jerry deputado federal” e deixá-lo somente na coordenação geral da campanha de Flávio Dino e ao mesmo tempo como suplente de senador de quem o chefe indicar, provavelmente o deputado estadual Bira do Pindaré, o que, cá pra nós, não seria pouca coisa.

Por fim, Márcio Jerry poderia ainda vir a ser vice de Flávio Dino, caso o governador mude de partido até abril.

Mas isso é assunto para outra postagem…

ELEIÇÕES 2018: PCdoB no comando do Executivo e Legislativo do MA 2

Tudo leva a crer que daqui pra frente a relação entre os poderes Executivo e Legislativo maranhenses será dada em outro patamar

O PCdoB está no comando político-institucional dos poderes Executivo e Legislativo do Estado do Maranhão, o que está longe de ser pouca coisa ainda mais em um ano eleitoral.

O Executivo sob a égide do governador Flávio Dino e o Legislativo comandado pelo deputado Othelino Neto, que não é apenas um parlamentar do PCdoB, mas um soldado do projeto de reeleição do “65”, é algo significativo num estado com as características do Maranhão.

Evidente que na condição de presidente, Othelino Neto terá que ter a sabedoria e a habilidade não fazer do Assembleia Legislativa uma espécie de “comitê eleitoral” de Flávio Dino, mas é lógico que trata-se de uma instituição cujo peso político e capilaridade estrutural são inquestionáveis.

Na manhã desta quarta-feira, por exemplo, o secretário de Márcio Jerry (Articulação Política e Comunicação) fez uma visita de cortesia a Othelino Neto, coisa que não se via na gestão Humberto Coutinho, o que leva a crer que daqui pra frente a relação entre os poderes Executivo e o Legislativo maranhenses será dada em outro patamar.

Othelino Neto agradeceu a visita e disse que essa harmonia entre os Poderes é boa para a população. “Existe harmonia entre o Legislativo e o Executivo, estendida ao Judiciário, e isso tem sido muito bom para o Maranhão. Com essa relação respeitosa, articulada e harmônica, com cada Poder com suas prerrogativas constitucionais, quem ganha mais é a população, que recebe os serviços públicos de melhor qualidade, pontou.

Márcio Jerry, que além de secretário de Estado é presidente PCdoB, reconheceu a lealdade do novo presidente do Legislativo lembrando que Othelino “tem dado uma grande contribuição na condução do Maranhão antes mesmo de ser presidente da Casa, na medida em que é um colaborador muito eficiente e incessante do governador Flávio Dino, nas questões que o Executivo manda para o Legislativo”.

É com esse quadro político-institucional que o PCdoB entra o ano de 2018.

E com ele enfrentar as urnas em outubro…

Ainda a miséria e o PCdoB 6

O fato oficial – que nem eles podem questionar – mostrando que o Maranhão teve um aumento de 2% nos índices de pobreza extrema no período de governo do comunista Flávio Dino mexeu fortemente com o Palácio dos Leões. De férias na Europa, Flávio Dino comentou o assunto por alto, em seus perfis de redes sociais. A tarefa de agredir, atacar e tentar desqualificar quem publicou o fato coube ao seu lugar-tenente, o bi-secretário – de Comunicação e de Articulação Política -, Márcio Jerry.

Jerry tem atacado O Estado há pelo menos quatro dias. Ataca nas contas pessoais em redes sociais e usa blogs e jornais vinculados ao Palácio dos Leões para atacar o jornal, que apenas tem reproduzido o fato oficial revelado pelo IBGE.

Nem Jerry, nem Dino, nem nenhum outro aliado deles consegue contrapor a verdade, qual seja: o Maranhão, sob a égide do comunista, gerou uma população de 312 mil miseráveis. Esses cidadãos, que passaram a viver abaixo da linha da pobreza, não são frutos da história e muito menos resultado da cultura do estado. São, sim, resultado direto de três anos de mandato de Flávio Dino, como deixou claro o IBGE.

Essa população foi gerada nos anos de 2015, 2016 e 2017, exatamente quando o comunista passou a comandar o Maranhão.

Sem argumentos, Márcio Jerry só pode atacar, como sempre faz. Mas nem os seus ataques vão poder esconder o fato oficial:a extrema pobreza no Maranhão aumentou nos anos em que Flávio Dino está no poder. Fato incontestável.

(Da coluna Estado Maior, O Estado do Maranhão)

BRIGA NO PALÁCIO: Brandão e Jerry teriam ido às vias de fato. Ambos negam 6

Tanto Carlos Brandão quanto Márcio Jerry negam que tenham “engatado”, e não há testemunhas que comprovem o episodio, então resta acreditar nas palavras dos dois governistas. Sem esquecer de que: “Onde há fumaça, há fogo”.

A sabedoria popular nos ensina: “Onde há fumaça, há fogo”.

Pois bem. Nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 1º, o Blog do Robert Lobato recebeu a seguinte mensagem por WhatsApp.

O “telequete” entre o vice-governador Carlos Brandão (ainda no PSDB) e o secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry (PCdoB), teria ocorrido na noite de ontem, 30, nas dependências do Palácio dos Leões.

É do conhecimento público que Brandão e Jerry não morrem de amores um pelo outro. Contenciosos políticos na cidade de Colinas, terra natal de ambos os governistas, impedem relações mais amistosas.

A princípio o Blog do Robert Lobato chegou a acreditar na história, até porque, além das broncas provincianas lá pras bandas de sertão, a Operação Pegadores deixou muita gente no governo com os nervos a flor da pele. Logo, não seria difícil que o vice-governador e o assim chamado “supersecretário” tivessem “engatado” por alguma razão muito séria.

Negativas

O Blog do Robert Lobato entrou em contato com ambos os supostos brigadores e “pegadores”. Os dois negam a informação.

Márcio Jerry, como de costume, tratou logo de desqualificar as fontes dizendo: “Jamais. Nem é meu estilo tampouco o dele. Não temos motivo algum para briga e se tivéssemos não brigaríamos. Invenções tão ficando malucas”.

Já o Carlos Brandão, o Blog do Robert Lobato não conseguiu contato direto, mas através de um secretário muito próximo do vice-governador, ele, Brandão, afirmou: “Eu nem vi Márcio Jerry ontem”.

Bom, se tanto Carlos Brandão quanto Márcio Jerry negam que tenham “engatado”, e não há testemunhas que comprovem o episodio, então resta acreditar nas palavras dos dois governistas.

Sem esquecer de que: “Onde há fumaça, há fogo”.

PS: O Blog do Robert Lobato pesquisou no Google uma imagem apenas com “Márcio Jerry e Carlos Brandão”, mas não encontrou. Por que será? 

PEGADORES: Saiba que são os secretários que Flávio Flávio já deveria ter afastado 12

Segundo a humilde e despretensiosa opinião do Blog do Robert Lobato, alguns secretário de Estado deveriam ser afastados pelo governador Flávio Dino para o bem da imagem do seu governo

Não adianta o governador Flávio Dino (PCdoB) espernear, zangar, xingar, atacar a Polícia Federal etc. A Operação Pegadores é uma realidade posta que deve encarada e enfrentada de frente, pois expôs um lado necrosado do governo.

Se tivesse a altivez de reconhecer os erros, sacudir a poeira e dar a volta por cima, Flávio Dino deveria afastar alguns dos seus secretários pelo até o momento em que tudo fosse esclarecido, pois a rede corrupção que veio à tona com a Pegadores envolve algumas pastas que não somente a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“Então quais os secretários que deveriam ser afastados na tua opinião, blogueiro?”, pegunta o leitor agoniado para saber que são os cabras.

Então vamos lá, por ordem alfabética.

Carlos Lula (Saúde) – O advogado Carlos Lula está no olho do furação nesse caso até porque todo o rolo se desenvolveu operacionalmente no âmbito da SES. Ainda que tenha chegado ao cargo para “pôr ordem na casa”, está claro que não conseguiu, pelo contrário, do que se viu a partir das investigações, Lula sabia de tudo e, ao que parece, não teve força política e autoridade administrativa suficientes para dar um basta na bandalheira. Sem falar que também é tido como “pegador”. Portanto, deve ser afastado.

Marcelo Tavares (Casa Civil) – Ainda que não seja um secretário forte, ou seja, um autêntico Secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares assina todos os atos do governo e provavelmente assinou alguns que têm a ver com as maracutaias reveladas pelo Operação Pegadores, mesmo que indiretamente. Por sinal, há um parente do secretário que foi preso pela Polícia Federal por estar envolvido na tal “Lista dos 400”. Embora não seja considerado um “pegador”, pelo contrário, é conhecido como “ferrolho”, Marcelo Tavares é um dos secretários que o governador deveria afastar, podendo até aproveitar o fato de que o Marcelo será candidato nas eleições de 2018.

Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política) – Até o maranhensezinho que acabou de nascer pelas mãos de alguma parteira nos rincões deste Maranhão sabe que nada, nada, nada, acontece no governo de Flávio Dino sem o conhecimento do supersecretário Márcio Jerry. Corre até a brincadeira de que o Maranhão é o único estado brasileiro “parlamentarista”, onde tem-se Flávio Dino como chefe de Estado e Márcio Jerry como primeiro-ministro. Ora, é de imaginar que não tinha como um sofisticado esquema de corrupção como esse revelado pela Operação Pegadores não tivesse o conhecimento do “primeiro-ministro”. E se efetivamente ele não soubesse, aí mesmo que deve ser afastado, pois como é que o principal homem do governador deixa um troço desse correr frouxo no governo? Márcio Jerry, outro reconhecido “pegador”, deveria ser afastado também.

Rodrigo Lago (Transparência e Controle) – Igualmente advogado como o seu colega da Saúde, Rodrigo Lago era para ser o “vigia estratégico” do governo e o alarme para gritar “pega ladrão, pega!”, quando identificasse malversação dos recursos públicos. Contudo, contentou-se em ser uma espécie de “chefe de captura” focado tão somente no que aconteceu nos governos anteriores, perseguindo ex-gestores escolhidos a dedo pelo núcleo duro do Palácio dos Leões. E outro que possui a fama de “pegador”. Deveria ser afastado.

Estes são os secretários de Estado, segundo a humilde e despretensiosa opinião do Blog do Robert Lobato, que deveriam ser afastados pelo governador Flávio Dino para o bem da imagem do seu próprio governo.

E se não os afasta é porque sabe que é tão ou mais responsável pelos malfeitos quanto eles.

Vida e luta que seguem!

Roberto Rocha assume comando do PSDB no MA (OU: Carlos Brandão cavou a própria cova) 2

O vice-governador pode até ser descartado pelos comunistas por, ao perder o PSDB, não ter mais serventia alguma ao projeto de manutenção de poder de Flávio Dino.

O vice-governador Carlos Brandão cavou a própria cova, como se diz.

Submisso aos caprichos dos comunistas do PCdoB, Brandão corre o risco de “ficar sem mel nem cabaça”, como também se diz.

Além de perder a presidência estadual do PSDB no Maranhão para o senador Roberto Rocha, Carlos Brandão pode ficar sem a vaga de vice de Flávio Dino em 2018 e sem qualquer mandato, já que é missão quase impossível, a essa altura, o governador conseguir dar um mandato, seja qual for, para o futuro “ex-tucano”, a não ser que o chefão comunista sacrifique, por exemplo, a candidatura de deputado federal do seu pupilo do coração Márcio Jerry.

O fato é que Carlos Brandão paga, desgraçadamente, um preço alto por ser tão subserviente ao governador Flávio Dino sabendo que o seu patrão não tem quaisquer compromisso como o projeto dos tucanos seja no plano estadual, pior ainda no plano nacional.

No mais, Brandão pode até ser descartado pelos comunistas por, ao perder o PSDB, não ter mais serventia alguma ao projeto de manutenção de poder de Flávio Dino.

Triste fim!

ELEIÇÕES 2018: Márcio Jerry como suplente de senador de Bira do Pindaré???? 2

Flávio Dino precisa de um senador “para chamar de seu” e nenhum dos pré-candidatos a senador lançados até agora, ligados ao Palácio dos Leões, pode ser considerado dessa forma, e  único que poderia sê-lo, o ex-governador José Reinaldo (ainda no PSB), é relaxado pelo comunista

Leia nota publicada na coluna Estado Maior, do jornal O Estado do Maranhão, edição desta segunda-feira, 30. Volto em seguida.

Alternativa
O governador Flávio Dino tenta criar uma alternativa para evitar que o seu principal auxiliar, Márcio Jerry, seja candidato a deputado federal em 2018.
Ele tenta encontrar formas de fazer do deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) um dos candidatos a senador em sua chapa,com Jerry de primeiro suplente.
Assim, garantiria um futuro mandato para o auxiliar e ainda o teria como coordenador de campanha no ano que vem.

Comigo novamente
Não é de hoje que há rumores de que o governador Flávio Dino (PCdoB) pensa em sacrificar o projeto “Márcio Jerry deputado federal”.

Além de ser considerado um candidato “muito pesado” eleitoralmente, a candidatura do homem forte do governo incomoda aliados da base que já estão no mandato ou outros candidatos de maior densidade eleitoral que poderiam somar mais no projeto de reeleição de Flávio Dino.

Contudo, Márcio Jerry avalia que sua candidatura de deputado federal é viável e mesmo necessária para o fortalecimento político não só do seu chefe, mas principalmente do PCdoB – em recente conversa com o titular deste blog, Jerry disse ser perfeitamente plausível ser candidato e ao mesmo tempo coordenador da campanha de Flávio Dino em 2018.

Quanto ao deputado estadual Bira do Pindaré (ainda no PSB) ser candidato ao Senado Federal, bom, isso é uma possibilidade real uma vez que Flávio Dino precisa de um senador “para chamar de seu” e nenhum dos pré-candidatos a senador lançados até agora, ligados ao Palácio dos Leões, pode ser considerado dessa forma, e  único que poderia sê-lo, o ex-governador José Reinaldo (ainda no PSB), é relaxado pelo governador comunista.

Procurado pelo Blog do Robert Lobato se gostaria de comentar a nota da coluna Estado Maior, o secretário Márcio Jerry limitou-se a dizer: “Apenas o óbvio: especulação criativa e ficcional. Sem menor sentido.

Vale aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: A expressão do desespero comunista 2

Como sabem que não terão vida fácil em 2018, que o sonho de disputar apenas contra Roseana Sarney (PMDB) foi por água abaixo, agora os comunistas resolveram colocar todos os seus adversários no mesmo cofo sarneysista.

O secretário de Estado da Articulação Política e da Comunicação, Márcio Jerry, amanheceu a sua segunda-feira de trabalho (?) compartilhando, em grupos de WhatsApp, esse material aqui:

Mais uma pesquisa “Tabajara”: o desespero comunista aumenta a cada dia.

A peça, produzida nas masmorras do Palácio dos Leões, visa, claro, confundir a população através da surrada narrativa de que qualquer candidatura que se meter no meio das pretensões de releição de Flávio Dino (PCdoB) é considerada “do Sarney”.

Logo, não será de surpreender quando o PSTU, PSOL, PCB, PCO etc lançaram seus nomes para governador em 2018, a lista dos “candidatos do Sarney” aumente consideravelmente. O nome disso é canalhice que, aliás, uma das marcas da comunicação desse governo.

Como sabem que não terão vida fácil em 2018, que o sonho de disputar a eleição apenas contra Roseana Sarney (PMDB) foi por água abaixo, agora os comunistas resolveram colocar todos os seus adversários no mesmo cofo sarneysista.

No que pode ser considerada a máxima expressão do desespero comunista.

Que só tende a aumentar até outubro de 2018…

Sedel é negociada com o PP e o petista Márcio Jardim, atordoado, vira candidato a senador 8

Renegado por Flávio Dino e Márcio Jerry, e não pelo presidente do PT Augusto Lobato, como avalia, Márcio Jardim jura que vai voltar para a sala de aula e articular a sua campanha para o Senado Federal.

Conforme o Blog do Robert Lobato já havia antecipado meses atrás que aconteceria, o petista Márcio Jardim foi defenestrado sem dó e sem piedade da Secretaria do Esporte e Lazer do governo Flávio Dino.

O governador comunista há tempos vinha tentando arrumar uma desculpa para limpar o “jardim” da Sedel, que na gestão de Márcio estava enfestada de “malas” fazendo miseras em alguns programas da pasta, entre os principais um ex-policial civil, um “sufista” e os dois irmãos Barbosa.

Márcio Jardim foi um dos petistas mais entusiasmado pela candidatura de Flávio Dino nas eleições de 2014, e atuou como “ponta de lança” do projeto comunista lançando-se até candidato a deputado federal carregando o número “65” no material de campanha, já que o seu número era “1365”, “entendeu, né?”.

No PT, a avaliação é de que o Palácio dos Leões poderia ter negociado outra Secretaria com o PP do deputado federal André Fufuca e preservado Márcio Jardim dessa situação vexatória não apenas para ele, mas para o campo político da tal Resistência Petista, do qual faz parte.

Material de campanha para o Senado.

Agora, renegado por Flávio Dino e Márcio Jerry, e não pelo presidente do PT Augusto Lobato, como avalia, Márcio Jardim jura que vai voltar para a sala de aula e articular a sua candidatura para o Senado Federal. Dá pra acreditar?

Por fim, o que mais deixou Márcio Jardim triste foi a crueldade palaciana de não deixar sequer que o petista reinaugurasse o ginásio Costa Rodrigues…

Enquanto isso, nos grupos do PT, no WhatsApp, a companheirada zoa: “Ô jardineira porque estás tão triste/Mas o que foi que aconteceu/Foi a SEDEL que caiu no ralo e o Miguelito que te comeu”.

Falta de aviso não foi, não é mesmo “Babilônia”?

São João dos Patos: Chico Arara desafia Márcio Jerry a encontrar eleitores de Flávio Dino no Médio Sertão 2

O radialista patoense desafiou o todo-poderoso secretário de Flávio Dino a procurar eleitores na região do Médio Sertão. O comunista não curtiu.

Polêmico, irreverente, estiloso e profissional de comunicação respeitado, o radialista Henrique Augusto de Miranda, popularmente conhecido como “Chico Arara”, apresentador do Programa “A Verdade” (Sertão FM), líder isolado de audiência em São João dos Patos e Região, fez um desafio inusitado ao todo-poderoso secretário Márcio Jerry (Articulação Política e Comunicação).

No grupo de WhatsApp “A Voz do Povo de SJP” (abreviatura para São João dos Patos), Chico Arara fez a seguinte postagem: “Eu gostaria era de encontrar um cidadão comum, que não faça parte do governo dizendo ser eleitor do governador Flávio Dino”. E, sem seguida, lançou um desafio: “Aqui mesmo no Médio Sertão eu desafio, qualquer casa, qualquer comércio, qualquer lugarejo, de dez visitas se encontrar três eleitores do Flávio Dino, é fácil de resolver isso”.

Foi quando o secretário Márcio Jerry saiu da entoca e retrucou com a empáfia costumeira: “Sério ? Ah, @Chico Arara , não faça papel de bobo…Logo tu que aparenta ser tão arguto e inteligente. Okay, se é esta a verdade, fique com ela. E se não se confirmar tenha a humildade de reconhecer o erro lá na frente.”.

Chico Arara, por sua vez, não se deixou intimidar com o “primeiro-ministro” e fez um segundo desafio para complementar o primeiro: “E ainda vamos gravar as visitas, podem escolher a rua, ou o lugar, ou o município”.

Márcio Jerry, claro, não aceitou o desafio proposto por Chico Arara, preferindo acreditar nas pesquisas que ele faz, através da Secom, para enganar o povo e a si mesmo.

E assim segue o Maranhão sob o julgo do comunismo anacrônico do governo Flávio Dino/Márcio Jerry.

PS: No final deste mês, o Blog do Robert Lobato vai até São João dos Patos a convite do colega Chico Arara, para conhecer a cidade e bater saudáveis papos sobre o Maranhão, a política, a vida e tomar umas “geladas”, pois ninguém é de ferro não é mesmo?.