SÃO BERNADO DO CAMPO: Um petista de luta presente num momento histórico do PT e do país

Esse valoroso militante chamado Fernando Silva acaba de enriquecer ainda mais a sua biografia política ao testemunhar o ato histórico realizado em São Bernado do Campos no último sábado, 7.

O militante e dirigente do PT no Maranhão, professor Fernando Silva, participou ativamente do ato histórico em frente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernado do Campo, no ABC paulista, quando o ex-presidente Lula reuniu uma multidão para anunciar que iria cumprir o mandado prisão expedido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Fernando Silva é um militante político e social histórico e desde a juventude cerra fileiras no Partido dos Trabalhadores.

O petista teve papel fundamental na reconstrução da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES) logo após o fim do regime militar.

Ex-assessor da ex-vereadora e ex-deputada estadual Helena Heluy, membro da executiva estadual por várias vezes, ex-presidente municipal do PT em São Luis, Fernando Silva tem uma trajetória petista marcada pela coerência e disciplinas partidárias.

Foi coordenador executivo das campanhas de Lula nas eleições de 2002 e de 2006, e atualmente exerce a assessoria política do deputado Zé Inácio e na executiva do PT coordena o setorial educação.

Esse valoroso militante, amigo leal, acaba de enriquecer ainda mais a sua biografia política ao testemunhar o ato histórico realizado em São Bernado do Campo no último sábado, 7.

Valeu, companheiro Fernando Silva!

ROBERTO ROCHA: “Não há o que comemorar com a prisão de Lula” 8

O senador Roberto Rocha (PSDB) usou as redes sociais para se manifestar sobre a prisão do ex-presidente Lula decretada pelo juiz Sérgio Moro, ontem, quinta-feira, 5.

Segundo o tucano, não há que comemorar a prisão do petista e que Lula não é apenas um político, mas representa uma legítima corrente de opinião e pensamento.

“Já me manifestei que o ex-presidente Lula não é apenas um político, mas representa uma legítima corrente de opinião e pensamento. Não há o que comemorar com a sua prisão. Os erros e os acertos do PT devem ser julgados pelo instrumento sagrado do voto soberano do povo. Que Lula responda por seus atos, dentro da Lei, mas que esse processo não se transforme num ritual de humilhação e de confronto entre brasileiros. Nossa democracia deve, acima de tudo, respeitar as diferenças”, assegurou.

O ex-presidente encontra-se em São Bernado do Campo, na Região do ABC paulista, berço político do Lula, onde avalia, ao lado de advogados e lideranças do PT, se ele se entrega à Polícia Federal, como determinou Moro, ou se força a polícia prendê-lo na sede do Sindicato dos Metalúrgicos.

Multidão abraça Lula que não deve se entregar 12

Uma multidão de apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se concentra no entorno do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), em protesto contra o mandado de prisão expedido por Sérgio Moro; “Na minha avaliação, não tem que se entregar. Se entregar é admitir culpa, não é o caso. Tem de prender o Lula no meio desse mar de gente, numa violência, com repercussão internacional, mas Lula ainda não decidiu, vai decidir só amanhã”, avisa o senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil – Uma multidão de apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se concentra no entorno do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), em protesto contra o mandado de prisão expedido pelo juiz federal Sérgio Moro. Desde as 19h, as pessoas começaram a se reunir no local e, por volta das 21h, uma marcha composta por integrantes da ocupação Povo Sem Medo – de São Bernardo do Campo – chegou à porta do sindicato.

Os manifestantes carregam faixas com mensagens de apoio a Lula e gritam “aqui está o povo sem medo de lutar”. O ex-presidente já apareceu na janela do sindicato para cumprimentar seus apoiadores, mas ainda não falou com a imprensa nem com o público. Os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias e a ex-presidente Dilma Rousseff, além do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Luiz Marinho; do coordenador do MTST e candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos; e do advogado de Lula, Cristiano Zanin, também estão no prédio.

Zanin falou com a imprensa e disse que a expedição do mandado de prisão contraria decisão proferida pelo próprio Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) de que deveria se esperar o término de todos os recursos possíveis de serem apresentados a este tribunal, o que ainda não ocorreu. Além disso, segundo o advogado, a defesa não foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida em 23 de março deste ano. A senadora Gleisi Hoffmann considerou a ordem de prisão uma “obsessão” de Moro em relação a Lula.

Conforme a decisão de Moro, Lula terá até as 17h de amanhã (6) para se apresentar em Curitiba à Polícia Federal. O senador Lindbergh Farias, entretanto, disse que Lula não definiu se vai cumprir a ordem voluntariamente. “Na minha avaliação, não tem que se entregar. Se entregar é admitir culpa, não é o caso. Tem de prender o Lula no meio desse mar de gente, numa violência, com repercussão internacional, mas Lula ainda não decidiu, vai decidir só amanhã”, disse senador Lindbergh Farias.

FLÁVIO DINO: “O deputado Waldir Maranhão teve a coragem que poucos tiveram. Tem meu respeito.” 6

Uma sequência de tweets do governador Flávio Dino postados na época que Waldir Maranhão acatou a tese do “jurista” Flávio Dino, não deixa qualquer sombra de dúvida de que o comunista não só convenceu o então ex-presidente da Câmara a anular o impeachment da Dilma, como tinha mesmo um acordo de fazê-lo seu candidato a senador.

Muitos governistas, aliados dos comunistas e também a imprensa alugada com prazo determinado para terminar no dia 31/12/2018, tentam desqualificar a insistência do deputado federal Waldir Maranhão em fazer com que o governador Flávio Dino (PCdoB) cumpra o acordo firmado com o parlamentar de tê-lo como um dos seus candidatos a senador.

O acordo existe e foi fechado na época que Waldir era o então presidente da Câmara dos Deputados e aceitou acatar uma “tese jurídica” do governador maranhense de que era perfeitamente legal anular o impeachment da presidente Dilma.

A sequência de tweets do governador Flávio Dino, postados na época que Waldir Maranhão acatou a tese do “jurista” Flávio Dino e que o Blog do Robert Lobato reproduz a seguir, não deixa qualquer sombra de dúvida de que o comunista não só convenceu o ex-presidente da Câmara de anular o impeachment, como havia mesmo um acordo político com o aliado. Confira.

Graças a Deus ainda estão vivos o Lula, Dilma, José Eduardo Cardozo, Orlando Silva, Ricardo Capeli, entre outros que agora são cobrados pela história.

IMAGENS DO DIA: Militância petista abraça Waldir Maranhão 6

Militância petista, representada por várias correntes e coletivos internos, abraçam a chegada do deputado federal Waldir Maranhão nos quadros do Partido dos Trabalhadores para defender a democracia, o presidente Lula e ser o candidato do PT ao Senado Federal nas eleições de 2018.

Em livro, Lula se diz pronto para ser preso e que o preço a ser pago historicamente é a mentira contada agora 2

‘A Verdade Vencerá – o povo sabe por que me condenam’ será lançado na próxima sexta-feira

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que está pronto para ser preso. O ex-presidente lança na sexta-feira o livro “A Verdade Vencerá – o povo sabe por que me condenam”, assinado por ele, no qual se defende das acusações da Operação Lava Jato e faz um balanço a atual conjuntura política. Lula nega a intenção de se exilar para fugir da condenação de 12 anos e 1 mês de prisão, imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, e faz críticas à presidente cassada Dilma Rousseff, admite que o presidente Michel Temer, chamado de “traidor” soube resistir melhor do que a petista.

“Eu não preparo o espírito. Eu sou um homem de espírito leve. Tudo isso faz parte da história (…) Há duas instâncias superiores que a gente pode recorrer e vamos recorrer. Eles vão tomar a decisão e estou pronto para ser preso. É uma decisão deles”, diz o petista.

No livro, que é assinado pelo próprio Lula e será lançado sexta-feira, 16, em São Paulo, o ex-presidente adianta o discurso político que será usado para seus seguidores, o do preso político, injustiçado, que um dia será absolvido pela história.

“O preço que vai ser pago historicamente é a mentira contada agora”, diz Lula. “Eles querem prender? Prendam, paguem o preço”.

O livro da editora Boitempo é fruto de três entrevistas feitas pelos jornalistas Juca Kfouri, Ivana Jinkings, Gilberto Maringoni e Maria Inês Nassif em fevereiro deste ano.

(Fonte: Estadão)

Da direita à esquerda, todos querem Lula fora da disputa de 2018, inclusive Flávio Dino 4

Não é segredo para ninguém que o governador maranhense sonha em ocupar um espaço na esquerda brasileira ao custo do infortúnio do ex-presidente petista.

Na semana passada, durante um evento com petistas e aliados, o ex-presidente Lula fez um desabafo que incomodou muitos dos presentes.

Na avaliação do líder petista, não somente os setores mais conservadores e de direita o querem ver preso e fora da disputa eleitoral de 2018, mas o próprio campo das esquerdas e aliados históricos do PT.

“Não me iludo de que somente a direita quer me ver preso e fora da disputa pela presidência da República em 2018. A esquerda também deseja isso porque quer apresentar alguém para ocupar o vácuo deixado pela minha ausência na eleição e tirar proveito do legado do Lula”, disparou. Aliás, na quinta-feira, 1º de maio, Lula deixou bem claro isso na longa entrevista concedida à Folha de SP, mas não tão bem claro quanto na reunião com lideranças e aliados políticos em portas fechadas.

Um petista maranhense presente ao evento, assegurou ao Blog do Robert Lobato que a declaração de Lula incomodou muitos aliados, inclusive do PCdoB, que tem a deputada Manuela D’Ávila como pré-candidata a presidente da República.

Segundo o petista, o vice-presidente nacional do PCdoB, Walter Sorrentino, resmungou para um camarada ao lado: “Porra, agora o Lula exagerou”. Mas, será que Lula exagerou mesmo?

O Blog do Robert Lobato entende que não, pelo contrário, Lula está certíssimo e gente, da direita à esquerda, realmente o querem fora da disputa de 2018, inclusive Flávio Dino, do mesmo PCdoB de Sorrentino,

Ora, não é segredo para ninguém que o governador maranhense sonha em ocupar um espaço na esquerda brasileira ao custo do infortúnio do ex-presidente petista.

Só que, de besta, Lula não tem nada…

Lula: “Se for preso sem prova, serei preso político” 6

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (6) que aqueles que insistem em inviabilizar seu nome na disputa eleitoral temem que ele ganhe já no primeiro turno. Em entrevista à rádio Metrópole, de Salvador (BA), o ex-presidente ressaltou que seus opositores não conseguiram construir um candidato com credibilidade para disputar contra ele.

“Eles estão em uma situação complicada. Não conseguem achar um candidato que tenha credibilidade. O que deixa eles preocupados, irados, é que só tem uma unanimidade agora. Estão todos tentando evitar que eu seja candidato por uma razão: é que se eu for candidato posso ganhar no primeiro turno”, avaliou.

Para o ex-presidente, sua candidatura cresce à medida que representa a capacidade de reconstrução do país. “Não conseguiram construir uma candidatura porque eles não tem o que falar para o povo brasileiro. Só falam em corte, corte, corte e sempre em prejuízo dos pobres. Sou o único que pode consertar o estrago que fizeram a esse país. Se for preso sem prova, serei considerado preso politico, destacou Lula.

O ex-presidente afirmou que confia que sua condenação será revertida em instâncias superiores. “Tanto eu acredito que estou recorrendo”, disse, ao afirmar que espera ser inocentado até o “dia do registro da candidatura.”

Confira a íntegra da entrevista.