José Trajano: “Esse PDT é uma mentira. Não confiem nele!”

O texto do jornalista expressa um pouco da crise que os principais partidos da esquerda e centro-esquerda atravessam, que não é de agora, mas parece ter se intensificado com a onda conservadora que tomou conta do país nas eleições de 2018.

Considerado um dos mais respeitados jornalistas do Brasil, José Trajano bateu forte no PDT sob o comando de Carlos Lupi. Sobrou para muita gente.

Publicado no seu blog com o título “Esse PDT é uma mentira. Não confiem nele!”, o artigo de Trajano é uma espécie de desabafo de um pedetista “quem vem de longe”, mas que atualmente expressa decepção com o partido fundado por Leonel Brizola.

“O verdadeiro PDT morreu. Brizola, Darcy, Doutel, Abdias e tantos outros companheiros teriam vergonha do PDT de agora. Fernando Brito com certeza. Hoje é um partido cínico e sem caráter.”, escreveu.

O texto do jornalista expressa um pouco da crise que os principais partidos da esquerda e centro-esquerda atravessam, que não é de agora, mas parece ter se intensificado com a onda conservadora que tomou conta do país nas eleições de 2018.

Confira a íntegra do artigo de José Trajano.

Esse PDT é uma mentira. Não confiem nele!

Cara de pau, o PDT querer se passar por partido de esquerda ou centro-esquerda e de oposição ao ex-capitão, conforme discurso do seu presidente

Não estou falando do Ciro e sim do partido. O Ciro é outra conversa, não é pedetista histórico. Não vem de longe como muito de nós. Só que fala uma coisa e o partido faz outra. Dizem que se entendem, não é verdade.

Afirmo que é uma mentira porque fui orgulhosamente pedetista, ao lado de Brizola e Darcy Ribeiro, nos anos 1980. Aquele, sim, era um partido, com erros e acertos, é verdade.

Agora, vejam só:

Seis deputados federais votaram pelo impeachment da Dilma.
Três candidatos a governador no segundo turno apoiaram o ex-capitão. Não se elegeram.
O deputado que entra na vaga do Onyx , o ex-jogador gaúcho Washington, se diz fechado com o coiso.O candidato a governador no Rio fará parte da equipe do Witzel.
O líder na Câmara Federal promete fazer ‘oposição propositiva’, se é que isso é oposição.
Os dois únicos dois senadores que possui votaram a favor do aumento do Judiciário.
O líder na Assembleia Estadual do Rio é preso na propinolândia.

Cara de pau, o PDT querer se passar por partido de esquerda ou centro-esquerda e de oposição ao ex-capitão, conforme discurso do seu presidente.

Não é de hoje que me envergonho ao ver gente eleita pela sigla se aliar ao que há de pior e votar contra o trabalhador brasileiro, se encostando no PDT, partido trabalhista, inspirado no PTB de Getúlio, Jango, Alberto Pasqualini e Brizola.
‬ E é o partido que quer levar Ciro ao poder.

O verdadeiro PDT morreu. Brizola, Darcy, Doutel, Abdias e tantos outros companheiros teriam vergonha do PDT de agora. Fernando Brito com certeza. Hoje é um partido cínico e sem caráter.

Brizola, como você faz falta!

O gesto de Brizola em 1989 que vale para 2018 2

O líder trabalhista teve a ousadia de pedir aos brasileiros que não quisessem votar nele, que votassem em Lula, Mário Covas, Ulisses Guimarães, Roberto Freire, “candidatos dignos que estão na disputa”.

Na primeira eleição para presidente da República pós-golpe de 64, no ano de 1989, Leonel Brizola, o velho e bom “Briza”, não fez campanha e muito menos pediu voto apenas para si.

Um dos maiores políticos que o Brasil já teve, Brizola sabia dos riscos que significava para o país a eleição de homens como Collor de Melo e Silvio Santos, que chegou a ensaiar uma candidatura presidencial mas acabou se perdendo pelo meio do caminho.

Foi então que o eterno líder trabalhista teve a ousadia de pedir aos brasileiros que não quisessem votar nele que votassem em Lula, Mário Covas, Ulisses Guimarães, Roberto Freire, “candidatos dignos que estão na disputa”. Algo mais ou menos assim.

Esse gesto de Brizola serve perfeitamente para 2018, na medida que há candidatos como Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PSL) e Cabo Daciolo (Patriotas), por exemplo.

Ciro é uma farsa política! Mente e mente bem com a cara mais dura do mundo, daí que é perigoso, pois convence com a sua retórica demagógica os eleitores menos atentos.

Bolsonaro e Cabo Daciolo, bom, esses dispensam comentários.

Nesse sentido, e lembrando o ensinamento de Brizola, há candidatos dignos nestas eleições de 2018 para presidente, tais como Fernando Haddad (PT) – caso o Lula seja impedido de disputar o pleito -, Marina Silva (Rede), João Amoêdo (Novo), Álvaro Dias (Pode), Geraldo Alckimin (PSDB), além dos outros candidatos situados na esquerda mais radical.

Mas, na avaliação do Blog do Robert Lobato, é erro colossal votar em candidatos como Ciro Gomes, Cabo Daciolo ou Jair Bolsonaro.

Que os brasileiros mirem e sigam o exemplo de Leonel de Moura Brizola.