SENADO 2018: Entenda por que para o Palácio dos Leões serve qualquer senador menos Waldir Maranhão 11

Como Waldir Maranhão está colado em Roberto Rocha e convencido da eleição do pré-candidato a governador do PSDB, claro que isso o torna um adversário dos Leões a ser derrotado de qualquer jeito, de qualquer forma e seja por quem for!

O Palácio dos Leões teve orgasmos múltiplos com um vídeo que circulou em blogs e redes sociais onde o ex-governador de São Paulo e pré-candidato a presidente da República, Geraldo Alckimin (PSDB), aparece manifestando apoio à pré-candidatura do deputado federal José Reinaldo ao Senado Federal.

Ora, é lógico que enquanto presidente nacional do PSDB, e ainda mais na condição de presidenciável, o Geraldo gravaria e grava vídeos para qualquer pré-candidato tucano no país inteiro. Faria o mesmo para Alexandre Almeida e para Waldir Maranhão, também pré-candidatos a senador.

Ocorre que os comunistas, embora já tenham escolhidos os seus pré-candidatos à Câmara Alta do Congresso Nacional, aceitam a vitória de qualquer um: José Reinaldo, Lobão ou Sarney Filho, mas não aceitam jamais a de Waldir Maranhão.

Isso porque Waldir colocou o dedo na ferida dos comunistas em especial na de Flávio Dino quando revelou ao Brasil o ato de traição do governador maranhense ao então presidente da Câmara dos Deputados no episódio do impeachment de Dilma.

Com o ego ferido e vaidade ofendida depois de ser chamado por Waldir Maranhão de “maior traidor do país”, Flávio Dino quer ver o diabo no Senado Federal menos o seu ex-aliado, o homem que foi orientado, pelo próprio Flávio Dino, a anular o ato de afastamento de uma presidente honesta do Palácio do Planalto em 2016.

O fator Roberto Rocha

Mas não é só o fato de Waldir Maranhão expor as vísceras de traidor de Flávio Dino ao país que faz do pré-candidato a senador tucano um alvo a ser abatido pelo Palácio dos Leões.

Um outro aspecto fundamental é a lealdade que Waldir tem demonstrado ao projeto Roberto Rocha governador-45. Isso tem tirado o sono do comuna-mor do Maranhão!

Como Waldir Maranhão está colado em Roberto Rocha e convencido na eleição do pré-candidato a governador do PSDB, claro que isso o torna um adversário a ser derrotado de qualquer jeito, de qualquer forma e seja por quem for!

São esses fatos acima que explicam toda a euforia dos comunistas e sua camarilha com o vídeo pró-José Reinaldo gravado pelo Geraldo Alckimin.

Vídeo, repito, que o presidenciável tucano gravaria para qualquer correligionário seu no Maranhão e no resto do país.

Sobre a “implicância” de Roberto Rocha com José Reinaldo 22

É lenda essa narrativa que José Reinaldo tem relação direta com o ex-governador Geraldo Alckmin a ponto de resolver seu problema no Maranhão. Não existe isso!

Leio no blog do meu amigo Marco D’Eça que o senador Roberto Rocha teria uma “implicância” com deputado federal José Reinaldo, ambos do PSDB.

Ora, se há alguma implicância nessa história é de D’Eça com o senador (Rsrsrs).

Não há implicância alguma de Roberto com o Zé Reinaldo.

Roberto Rocha na condição de presidente estadual do PSDB escancarou as portas do partido para o ex-governador depois dele ter sido rejeitado por todos os partidos, tanto do campo de Flávio Dino quanto do campo do grupo Sarney.

José Reinaldo era para estar “reinando” no ninho tucano, mas preferiu subestimar o projeto do partido no estado que tem Roberto Rocha como pré-candidato ao governo. Se Zé Reinaldo não acredita no projeto do seu partido não pode se achar no direito de ser candidato a senador por esse mesmo projeto.

E olhem que escrevo essas mal traçadas linhas com muita tranquilidade porque sou testemunha da história e queria muito ver José Reinaldo Tavares senador da República. Mas ele não está fazendo por onde, infelizmente.

Outra: É lenda essa narrativa de que José Reinaldo tem relação direta com o ex-governador Geraldo Alckmin a ponto de resolver seu problema no Maranhão. Não existe isso!

Geraldo Alckmin não faz nada no Maranhão sem combinar com o senador Roberto Rocha. Nada!

Meu amigo José Reinaldo tem é que criar juízo e se enquadrar no projeto do único partido que o acolheu.

Não adianta achar que a classe política lhe garantirá apoio, até porque não há um único prefeito que diz votar em José Reinaldo que afirma votar também em Geraldo Alckmin, por exemplo. Nem os “encontros pela gratidão” sobreviveram porque Flávio Dino proibiu.

Enfim, José Reinaldo está jogando fora a possibilidade de ser senador da República.

No auge dos seus cabelos brancos, pode estar perdendo uma oportunidade de ouro.

Por pura implicância.

Dele com o senador e pré-candidato a governador Roberto Rocha.

Isso sim!

ELEIÇÕES 2018: Algumas considerações sobre a disputa para o Senado Federal 14

A pré-candidata ao governo Roseana Sarney é a única que não enfrenta maiores problemas com a composição da chapa ao Senado Federal.

(Foto: Roberta Aline)

Dos pré-candidatos ao governo do Maranhão colocados, somente Roseana Sarney (MDB) não enfrenta problemas com a formação da chapa ao Senado Federal. Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV) serão os nomes para Câmara Alta pelo lado da ex-governadora.

Por outro lado, tanto os pré-candidatos Flávio Dino (PCdoB) e quanto Roberto Rocha (PSDB) parecem ainda não terem 100% certo sobre quais os nomes que apresentarão aos maranhense como candidatos a senador. Senão vejamos.

Tecnicamente, o governador tem seus dois nome anunciados: Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT), ambos deputados federais. A chapa que o Blog do Robert Lobato chama de “o sagrado e o profano”.

Entretanto, estar “tecnicamente” anunciada não quer dizer que a chapa governista esteja politicamente fechada.

É que ainda há indefinições na composição partidária do lado governista com o PT, DEM e PP de olhos numa vaga na majoritária. Desses três partidos, o PT possui dois pré-candidatos a senador e está jogando duro para emplacar um dois dois, no caso os professores Márcio Jardim e Nonato Chocolate.

Isso sem falar que, lá na frente, o próprio Flávio Dino pode tirar um nome do bolso e indicá-lo para o Senado Federal. Ou alguém tem a coragem de duvidar dessa possibilidade? Óbvio que não!

Outra: não se pode ignorar o fato de Weverton Rocha se incomodar com o crescimento de Eliziane Gama nas pesquisas, sua condição de evangélica e de ficha limpa. Não é por acaso que começa aparecer vários “memes” nas redes sociais tentando desqualificar a irmã no que leva ao mais dos inocentes observadores perceber que trata-se de fogo amigo. De onde? Os “maragatistas” como a palavra.

Já em relação ao grupo liderado pelo pré-candidato Roberto Rocha, até poucas semanas atrás estava praticamente tudo resolvido em relação à chapa para o Senado Federal com o deputado estadual Alexandre Almeida e o deputado federal José Reinaldo Tavares protagonizando a cena tucana.

Acontece, que de repente o experiente ex-governador reaparece com teses que já haviam sido superadas dentro do PSDB. Pior: inicia uma série de articulações à revelia do partido e do pré-candidato ao governador Roberto Rocha lançando até primeiro suplente, precipitando, assim, uma séria de dúvidas sobre o seu futuro político e eleitoral no PSDB.

E nesse, digamos, descuido do deputado José Reinaldo, surge o também deputado federal Waldir Maranhão, que, assim como o ex-governador, foi covardemente defenestrado do grupo de Flávio Dino e agora desponta como uma possibilidade real e concreta de ser um dos senadores na chapa do projeto Roberto Rocha governador-45.

Esse é o quadro atual da chapa de pré-candidatos ao Senado Federal no campo político de Flávio Dino e no de Roberto Rocha.

E que deve permanecer assim até as convenções.

Ou não!

Flávio Dino, no que falta diálogo sobra “gogó” 6

O governador e seus asseclas agiram, nos últimos anos, como se não necessitassem de base de apoio alguma para a consolidação de um grupo ainda neófito no jogo político. Os prefeitos são os que relatam as maiores queixas.

Todos sabem que um dos grandes problemas do governador Flávio Dino (PCdoB) é que ele nunca desceu do palanque. Governa como se estivesse numa eterna campanha eleitoral.

Tem sido assim desde 2014 quando se embrenhou pelo estado com o tal “Diálogos pelo Maranhão” que naqueles tempos até que fazia sentido, já que o então pré-candidato a governador estava buscando chegar no Palácio dos Leões como de fato acabou conseguindo.

Ocorre que uma coisa é percorrer o Maranhão falando, prometendo, enrolado etc. Outra completamente diferente é, uma vez eleito e empossado, prestar contas da gestão, mostrar resultados. Campanha pode ser “gogó”, mas governar requer dialogar de verdade. E foi exatamente na arte de dialogar que Flávio Dino acabou perdendo aliados importantes a ponto da sua reeleição passar de um sonho para se transformar num pesadelo.

Faltou diálogo principalmente com a classe política!

O governador e seus asseclas agiram, nos últimos anos, como se não necessitassem de base de apoio alguma para a consolidação de um grupo ainda neófito no jogo político. Os prefeitos são os que relatam as maiores queixas, que variam desde o não recebimento em audiências solicitadas até mesmo “sermões” do governador diante de pedidos dos administradores municipais. Por outro lado, quando as obras do governo chegam aos municípios, os gestores são surpreendidos por uma tropa de choque que se apressa em divulgar, aos quatro cantos, que o benefício não é da Prefeitura, mas do Estado.

O exemplo mais emblemático da falta de trato e de diálogo foi o que culminou no rompimento do ex-governador Zé Reinaldo Tavares com o grupo governista. Dezenas de políticos, amigos em comum e jornalistas alinhados ao governo chegaram a pedir para que o deputado voltasse atrás na decisão. Mas Dino nunca deu um único telefonema ao padrinho político de seu ingresso na política. Sem Zé Reinaldo, o então Dr. Flávio Dino, juiz federal, não teria a mínima chance de êxito eleitoral, em 2006.

O próprio Tavares chegou a alertar, em matéria de capa do Jornal Pequeno, há quase dois anos: “Flávio Dino tem pecado demais na articulação política”. A frase não foi perdoada pelos Leões, mas funcionou como uma profecia. A cada dia aumenta mais a lista de ex-aliados do governador maranhense.

O mais recente deles, o deputado Waldir Maranhão, chegou a adotar um discurso com viés psicanalítico que talvez explique as razões da falta de diálogo ao diagnosticar o “ego quase doentio” do chefe do Executivo estadual.

Uma lástima!

ELEIÇÕES 2018: DEM ainda em disputa 6

Fortes movimentos de bastidores nesta semana, em Brasília, pode ocasionar numa reviravolta surpreendente nessa disputa partidária com reflexos políticos devastadores nas hostes dinistas

Engana-se quem pensa que a questão do Democratas no Maranhão já está resolvida. Não está!

A disputa pela legenda direitista ainda segue em disputa entre os deputados federais Juscelino Resende, atual presidente do partido e pró-aliança com o PCdoB de Flávio Dino, e o também deputado federal José Reinaldo Tavares, que deseja ver o DEM longe do colo comunista.

Os “demos vermelhos”, que desejam estar no palanque de reeleição do governador, já estiveram mais fortes e certos de que entregariam a mercadoria para o Palácio dos Leões.

Porém, fortes movimentos de bastidores nesta semana, em Brasília, pode ocasionar numa reviravolta surpreendente nessa disputa partidária com reflexos políticos devastadores na seara dinista.

Vale aguardar e conferir.

Flávio Dino tenta constranger José Reinaldo “plantando” boatos de suposto realinhamento do ex-governador com o comunista 2

O governador comunista tenta de todas as maneiras constranger Zé Reinaldo “plantando” boatos na mídia alugada, com prazo de validade determinado, diga-se, de que o ex-governador vai se realinhar ao comando do Palácio dos Leões

Chega ser vergonhoso o que Flávio Dino (PCdoB) está fazendo com o deputado federal José Reinaldo (sem partido).

O governador comunista tenta de todas as maneiras constranger o Zé Reinaldo “plantando” boatos na mídia alugada, com prazo de validade determinado, diga-se, de que o ex-governador vai se realinhar ao comando do Palácio dos Leões. Até reunião na sede do Governo do Estado entre Flávio Dino e José Reinaldo, para manhã deste sábado, 10, andaram inventando.

Ocorre que José Reinaldo já está careca de afirmar e reafirmar que o seu rompimento com o governador comunista é ir-re-ver-sí-vel! E neste final de semana deixou bem claro isso em um entrevista concedida ao jornalista Bendito Buzar, onde disse que perdeu a confiança em Flávio Dino (a entrevista está publicada na edição de hoje do jornal O Estado do Maranhão.No mais, é deixar o ex-governador José Reinaldo em paz para que siga o caminho que achar melhor e mais viável para garantir a sua eleição para o Senado Federal.

Quanto à mídia alugada, com prazo de validade para 31/12/2018, cabe se conformar com a decisão do deputado.

Pela primeira vez José Reinaldo se sente valorizado durante todo o governo Flávio Dino 8

Livre do domínio do monstro que criou e em seguida o devorou, José Reinaldo agora precisa ir pensando num plano B caso se confirme a sua não filiação ao DEM

Pela primeira vez, em todo o período do governo Flávio Dino (PCdoB), o deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido) se sente valorizado.

Não pelo governador, é claro, mas por grande parte da classe política que o apoiou na sua decisão de romper com Flavio Dino após ser humilhado desde o início do governo pelos comunistas. Aliás, até antes mesmo do governo começar, já que Zé Reinaldo foi vetado duas vezes para assumir um posto no primeiro escalão do governo, primeiro para a pasta da Infraestrutura e depois a da Saúde.

Após se afastar do governador comunista, Zé Reinaldo passou a ser prestigiado e recebeu reconhecimento de forças e lideranças políticas de todas as correntes de pensamento, inclusive de governistas que estão decepcionados com Flávio Dino, mas não têm a coragem de fazer o que ex-governador fez.

José Reinaldo agora tenta ajudar na construção de um novo campo politico no Maranhão que tire o estado do bipartidarismo Sarney versus anti-Sarney, mas, antes disso, o deputado terá que resolver a questão partidária já que o Palácio dos Leões está operando mundos e fundo$ para deixá-lo sem legenda para concorrer ao Senado Federal.

Livre do domínio do monstro que criou e em seguida o devorou, José Reinaldo agora precisa ir pensando num plano B caso se confirme a sua não filiação ao DEM.

Falta de alternativa não falta do parlamentar.

Basta agir com racionalidade e inteligência.

E como diria o saudoso Cazuza: “Saiba que ainda estão rolando os dados, porque o tempo, o tempo não para…”

ROMPIMENTO: Tema é escalado pelos Leões para demover Zé Reinaldo da sua posição 14

O prefeito Cleomar Tema foi um idealizadores dos ‘Encontros da Gratidão’, evento político que visa apoiar e consolidar o apoio dos prefeitos e demais lideranças municipalista à candidatura de José Reinaldo ao Senado Federal

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), prefeito de Tuntum, Cleomar Tema (PSB), foi escalado pelo Palácio dos Leões para demover o deputado federal José Reinaldo Tavares(sem partido) da sua posição de rompimento com o governador Flávio Dino (PCdoB).

Segundo uma fonte muito próxima a Tema, o prefeito embarcou agora a pouco para Brasília para se encontrar com Zé Reinaldo com a missão inglória de fazer o ex-governador voltar para o grupo governista.

“E por que missão inglória, meu caro Bob Lobato?“, perguntaria um leitor-torcedor pela reaproximação Tavares/Dino.

A resposta é simples: o Zé Reinaldo já deixou clara e publicamente que sua decisão não tem mais volta e que já está empenhado na construção de um novo campo político no Maranhão para disputar as eleições de 2018.

E quem acompanhou o rompimento de José Reinaldo com o grupo Sarney em 2005 sabe que quando homem decide uma coisa dessa magnitude… Já era!

Em tempo: O prefeito Cleomar Tema foi um dos idealizadores dos ‘Encontros da Gratidão’, evento político que visa apoiar e consolidar o apoio dos prefeitos e demais lideranças municipalistas à candidatura de José Reinaldo ao Senado e que deverá continuar mesmo após o rompimento do deputado com Flávio Dino. Ou não?