SENADO 2018: Petistas organizam movimento contra pré-candidatura de Eliziane Gama 18

Além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras

Há em curso no PT maranhense um movimento contra a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS) ao Senado Federal na chapa de Flávio Dino (PCdoB).

Setores expressivos do partido, principalmente o coletivo de mulheres e a corrente Resistência Socialista, todos ligados ao “Dinopetismo”, ou seja, ao braço do PT que apoia o governo, não querem nem ouvir falar na hipótese do partido estar num mesmo palanque junto de quem consideram “golpista”.

No caso das petistas, a secretária de Mulheres do Diretório Estadual, Edinalva Alves, que encontra-se em Curitiba participando de um ato em prol da liberdade do ex-presidente Lula, está articulando uma nota dura contra o apoio do PT à pré-candidatura de Eliziane.

O Blog do Robert Lobato não conseguiu contato com a dirigente Edinalva Alves, mas as informações que chegam é que não vai ser nada fácil a vida da Eliziane em relação aos petistas e às petistas, pois se existe alguma unidade no PT maranhense é justamente o veto ao apoio do partido a seu projeto de senadora.

O tom no partido é que será constrangedor, para o próprio governador Flávio Dino, estar no palanque ao lado da irmã e ter que ouvir a companheirada detonando os “golpistas”.

Para que não lembra, além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras.

Por essas, e outras, é que Eliziane Gama se tornará uma tremenda dor de cabeça para Flávio Dino. E não é por acaso que já se fala que a irmã pode, até as convenções, ser convencida pelo Palácio dos Leões de uma candidatura a deputada estadual como “puxadora de votos”.

Só Jesus!