Professor Hilton Franco errou e reconheceu o erro porque é uma pessoa do bem 8

O professor errou, reconheceu o erro e não pode ser alvo da máquina comunista de moer reputações apenas por ser amigo do deputado Wellington do Curso

Em tempos de redes sociais todo o cuidado é pouco com aquilo que postamos.

Uma brincadeira de mal gosto, uma polêmica mal construída, texto publicado açodadamente etc., pode custar caro para o internauta descuidado.

Em dezembro de 2013, por exemplo,  a relações públicas Justine Sacco, de 30 anos, esperava no aeroporto de Heathrow (Londres) por um voo à Cidade do Cabo, na África do Sul. Pouco antes de embarcar, compartilhou um tuíte com seus 170 seguidores: “Estou indo para a África. Espero não pegar HIV. Brincadeira. Sou branca”.

A jovem nunca imaginou que a sua vida se tornaria um inferno após tão infeliz tuitada!

O tuíte de Sacco foi compartilhado milhares de vezes durante as horas em que ela estava dentro do avião – e enquanto usuários das redes sociais a xingavam e pediam que ela fosse demitida da empresa onde trabalhava, algo que acabou acontecendo. E Sacco só soube de tudo isso quando seu voo pousou.

A história de Sacco é uma das contadas pelo escritor galês Jon Ronson no recém-lançado livro “So You’ve Been Publicly Shamed” (“Então você foi envergonhado publicamente”, em tradução livre), com depoimentos de pessoas que tiveram suas reputações destruídas na internet.

Pois bem. No Maranhão acaba de acontecer algo parecido com o caso da Sacco.

Hilton Franco é professor de rede municipal e estadual de ensino, além do Curso Wellington, especializado em concursos e vestibulares. Aliás, esse torcedor do Moto Clube (ninguém é perfeito) é considerado um dos melhores docentes de Geografia do estado do Maranhão.

O professor, conhecido por ser polêmico nas redes sociais, pisou na bola e disparou uma postagem no Facebook que gerou  uma verdadeira campanha, cujo principal objetivo é liquidar com a sua reputação.

A postagem completamente infeliz do professor foi esta aqui:

Lógico, claro e evidente que, além de infelizes, foram palavras grosseiras usadas por alguém que está longe de ser grosseiro, ainda mais com as mulheres e basta dar uma passada pelas escolas que Hilton Franco leciona para comprovar essa realidade.

No mais, o professor restirou a postagem estúpida, pediu desculpas públicas e publicou uma nota de retratação nas redes sociais.

Contudo, os carniceiros da reputação alheia preferem tripudiar sobre o cara de forma covarde e hipócrita, inclusive usando a mídia amilhada dos Leões para afirmar que Hilton Franco é assessor do deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) o que é uma mentira deslavada e só visa atingir, de revestrés, o parlamentar que é um adversário fidagal do governador Flávio Dino (PCdoB), mas atua com muita lealdade na oposição.

O fato é que o professor Hilton Franco errou, reconheceu o erro e não pode ser alvo da máquina comunista de moer reputações apenas por ser amigo de um deputado da oposição.

Por fim, o Blog do Robert Lobato hipoteca solidariedade à Manuela D’Ávila, que foi agredida na sua condição de mulher por uma declaração infeliz, repito, mas também se solidariza com o amigo Hilton Franco que teve a humildade de reconhecer que cometeu um erro grave, mas ainda assim sofreu (e ainda está sofrendo) toda sorte de bullying cibernético.

Que fique a lição!