Gleisi Hoffmann responde a Ciro Gomes 4

“Não Ciro, o PT não é uma estrutura odienta! Muito pelo contrário! O PT é vítima do preconceito e do ódio da elite atrasada do país e de seu sistema de disseminação de ideias e notícias”.

Com as palavras acima a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, respondeu aos ataques do candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), que ontem, sexta-feira, 28, afirmou que o PT transformou-se em uma “organização odienta de poder” e disse que não deve se aliar ao partido no segundo turno.

Confira a íntegra do que disse Gleisi Hoffmann:

O PT nasceu do sonho de homens e mulheres que lutam e acreditam que podem mudar a realidade de injustiças e indiferenças.

Nasceu da solidariedade entre trabalhadores e trabalhadoras de diversos níveis sociais, operários, professores, profissionais liberais, intelectuais.

Nasceu em comunhão com os movimentos sociais do campo e da cidade, com os sindicatos, com as comunidades de base. O PT tem uma história sólida de luta e em defesa da classe trabalhadora e do povo brasileiro! É o maior partido progressista e popular do Brasil e o de maior preferência do eleitorado!

Por ter sempre se posicionado e defendido os direitos dos mais pobres, o PT é combatido por aqueles que não aceitam a justiça social.

Não Ciro, o PT não é uma estrutura odienta! Muito pelo contrário! O PT é vítima do preconceito e do ódio da elite atrasada do país e de seu sistema de disseminação de ideias e notícias.

Entendemos o calor da disputa eleitoral. Mas ter estratégia política e disputar as eleições é um direito, mais que isso, um dever que temos. E o fazemos sempre na expectativa de vitória.
Esperamos estar incluídos na ampla capacidade de diálogo que você afirmou ter para pacificar o Brasil. De nossa parte você estará.

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT

ELEIÇÕES 2018: Flávio Dino implora para Gleisi Hoffmann mudar data do encontro do PT 11

A pergunta que não quer calar é: Por que será que a presidenta do PT atendeu o pedido desesperado de Flávio Dino?

Que o presidente estadual do PT Augusto Lobato é uma “rainha da Inglaterra” tudo que é petista e não petista sabe. Quem preside o PT de fato no Maranhão é o secretário Francisco Gonçalves (Direitos Humanos e Participação Popular).

Essa história de que o encontro do PT, que estava marcado para o dia 27 de julho, foi mudado porque o Augusto Lobato pediu para presidenta Nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, é pura balela, conversa fiada!

Na verdade foi o governador Flávio Dino (PCdoB) que ligou pessoalmente para Gleisi Hoffmann implorando pela mudança da data do encontro petista sob a alegação de que o PCdoB ainda definiu qual rumo seguirá para a eleição de presidente, ou seja, se vai com Ciro, Bolsonaro, Alckmin, Lula ou se vai de candidatura própria com a bela mas fraquinha (eleitoralmente) Manuela d’Ávila.

Flávio Dino mente e mente muito. Mas, pior, que convence.

Mentiu para a presidenta Gleisi Hoffmann, que tem a consciência da mentira do governador maranhense, só que não teve como ela dizer não.

A pergunta que não quer calar é: Por que será que a presidenta do PT atendeu o pedido desesperado de Flávio Dino?

Cedo ou mais tarde saberemos.

Em defesa de Gleisi Hofmmann 6

O jornalista Ricardo Noblat vai morrer louco, doido, varrido e não entenderá nada sobre as coisas que realmente dão sentindo à vida.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, foi chamada de “Maria Louca” pelo jornalista e blogueiro Ricardo Noblat no post intitulado “Gleisi Maria Louca” (leia aqui).

Noblat tem a má-fama de escrever e ofender a soldo. Não sei se foi esse caso em relação à petista, cuja “loucura” cometida por ela foi tão somente defender o ex-presidente Lula e afirmar, com a firmeza que lhe é peculiar, que se não vingar “Lula livre”, voltará à cena “Eleição sem Lula é fraude”. Como é sabido de todos, a presidente do PT é uma guerreira na defesa da liberdade e candidatura de Lula a presidente da República.

Com serenidade e sensibilidade femininas de quem se sentiu ofendida na sua condição de mulher, Gleisi respondeu a Noblat pela rede social do Twitter com as seguintes palavras:

“Como mulher, na minha caminhada de lutas, não foram poucas as vezes em que me deparei com situação semelhante. Quando perdem o argumento, partem para a desqualificação. Homem branco, machista e com poder de fala pública contribuindo para intolerância e preconceito!”

É verdade que tenho minhas diferenças políticas com a presidente do PT, principalmente se tratando da situação do Maranhão.

Porém, senti-me na obrigação de sair em sua defesa depois que li as grosserias de Noblat contra a companheira. Aliás, um dos piores textos já escrito pelo “moralista” que, em 2009, foi pego com a boca na botija ao ser revelado que possuía contrato “secreto” com o Senado Federal no valor de cerca de 50 mil reais para apresentar um programa de jazz na Rádio Senado.

O jornalista Ricardo Noblat sim, deve ser uma espécie de “Maria Louca”, mas a sua “loucura” é diferente da presidente do PT certamente, posto que Gleisi Hoffmann é motivada por outros tipos de “loucuras”, entre elas a justiça social, equidade econômica, soberania nacional e democracia.

Noblat vai morrer louco, doido, varrido e não entenderá nada sobre as coisas que realmente dão sentindo à vida.

À Gleisi Hoffmann a solidariedade do Blog do Robert Lobato.

ELEIÇÕES 2018: Negativa de Flávio Dino ao PT na majoritária pode levar o partido a uma “chapa camarão”

Os “dinopetistas” não descartam o lançamento apenas de candidatos ao Senado Federal sem apoio formal a candidato a governador. Essa posição é defendida por lideranças como Márcio Jardim, Honorato Fernandes e Zé Carlos.

Continua melindrosa a situação do PT maranhense em relação às eleições de 2018 no que diz respeito à composição com o PCdoB do governador Flávio Dino.

Os comunistas já deixaram claro que não pretendem dar espaço para os petistas na chapa majoritária, nem como vice e muito menos para o Senado Federal. Aliás, a chapa palaciana para a Câmara Alta já estaria formada com Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), isso dizendo Flávio Dino. A conferir até as convenções.

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, convocou o presidente estadual do partido Augusto Lobato, os parlamentares Zé Carlos, Zé Inácio, Honorato Fernandes e os membros do Diretório Nacional, Raimundo Monteiro e Marcio Jardim, para uma reunião em Brasília, amanhã, terça-feira, 15. Na pauta, o realinhamento da tática eleitoral do partido no Maranhão.

Chapa camarão

O PT já condicionou o seu apoio ao projeto de reeleição de Flávio Dino à participação na coligação majoritária do comunista, posição que deverá ser ratificada na reunião de amanhã, inclusive pela presidente Gleisi.

Ocorre, que os “dinopetistas” não descartam o lançamento apenas de candidatos ao Senado Federal sem apoio formal a candidato a governador. Essa posição é defendida por lideranças como Márcio Jardim, Honorato Fernandes e Zé Carlos.

Nesse caso, a “chapa camarão” não teria a “cabeça”, ainda que possa haver uma “indicação política” de voto a Flávio Dino.

Pelo que o Blog do Robert Lobato apurou, será essa a posição que os petistas encostados no Palácio dos Leões irão defender junto a presidente, ou melhor, à presidenta Gleisi Hoffmann.

É agudar e conferir o descascar desse abacaxi.

PS: Embora a tendência maior no PT ainda seja de coligação com o PCdoB, a tese de candidatura própria e mesmo aliança com outras forças fora do arco dinista ainda pulsa no partido.

Em um só tempo, Flávio Dino descarta Lula e Manuela d’Ávila 16

Flávio Dino usa contra Lula do mesmo artifício que usou na campanha de 2010 quando saiu espalhando pelo Maranhão afora que Jackson Lago estava “ficha suja” e, mesmo que disputasse e fosse eleito governador, não assumiria o cargo porque seria cassado pelo Justiça Eleitoral.

Menos de uma semana após a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann afirmar que o nome de Ciro Gomes (PDT) “não passa no PT nem com reza brava”, eis que aparece Flávio Dino (PCdoB) para defender o justamente o pedetista como alternativa a uma candidatura petista a presidente.

Para o governador maranhense, “insistir em candidatura de ex-presidente [Lula] é derrotismo” e considera que o líder petista “está inabilitado” e que “o PT não tem nome capaz de unir nesse momento”.

Flávio Dino usa contra Lula do mesmo artifício que usou na campanha de 2010 quando saiu espalhando pelo Maranhão afora que Jackson Lago (PDT) estava “ficha suja” e, mesmo que disputasse e fosse eleito governador, não assumiria o cargo porque seria cassado pelo Justiça Eleitoral. Essa, digamos, “contra-campanha” do comunista contra Jackson prejudicou e muito o saudoso líder trabalhista.

Seja para aparecer na imprensa nacional como liderança das esquerdas brasileiras e tirar o foco de tanta pauta negativa do seu governo, ou apenas para criar um factoide político, o fato é que com a defesa do nome de Ciro Gomes para substituir Lula ou outro candidato do PT na corrida presidencial, Flávio Dino descarta, em só tempo, Lula e a pré-candidata Manuela d’Ávila, do seu partido.

Esse é o senhor Flávio Dino de Castro e Costa.

Filiação de Waldir Maranhão ainda está sendo debatida no PT 2

Não está nada fechado sobre a filiação ou não de Waldir Maranhão nos quadros do PT. Qualquer coisa diferente desta realidade é fake news dos blogs palacianos.

A filiação do deputado federal Waldir Maranhão (Avante) no Partido dos Trabalhadores ainda está sendo debatida pelo partido tanto no plano local quanto nacional.

Tanto aqui quanto lá, há os que desejam e defendem a entrada do parlamentar no PT, porém setores mais radicalizados do partido resistem a sua filiação.

Waldir Maranhão conta com o apoio de muitos dirigentes e parlamentares petistas ligados à corrente Construindo um Novo Brasil (CNB) e mesmo o ex-presidente Lula tem dito que é importante ter o deputado nos quadros do PT para concorrer ao Senado Federal.

É que há um acordo, pendente de ser cumprido, entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e Waldir Maranhão que consiste do comunista oferecer uma das duas vagas de senador ao deputado. Ocorre que o governador parece ter esquecido do acordo e passou a fazer cara de paisagem sempre que tocam no assunto.

A Direção Nacional do PT quer ampliar sua bancada no Senado que está sob ameaça de encolher, principalmente pelas dificuldades de releição dos senadores Lindberg Farias
(RJ) e Gleisi Hoffmann (PR).

De qualquer modo, não está nada fechado sobre a filiação ou não de Waldir Maranhão nos quadros do PT.

Qualquer coisa diferente desta realidade é fake news dos blogs palacianos…