MIGUELAGEM: Juventude comunista lança Flávio Dino presidente do Brasil, mas barra petistas e outras forças políticas 10

Um militante do PT conta a história sobre o que de fato aconteceu no tal “lançamento” de Flávio Dino presidente.

Dias atrás, parte da imprensa maranhense repercutiu o que seria a manifestação de estudantes lançando o governador Flávio Dino (PCdoB) a presidente do país.

O “apelo” estudantil ocorreu durante a 11ª Bienal da UNE, na quinta-feira, 7, na cidade de Salvador, capital da Bahia.

Pois bem. Nem tudo que parece é, como diz o adágio popular.

Em verdade, Flávio foi “ovacionado” por militante da União da Juventude Socialista (UJS), braço juvenil de quem? Oras, do PCdoB!

Um militante do PT conta a história sobre o que de fato aconteceu no tal “lançamento” Flávio Dino de presidente do Brasil. Ou seja, só miguelagem…

ELEIÇÕES 2020: Flávio Dino estaria estimulando a candidatura de Edmar Cutrim para prefeito de Ribamar 2

Tal como em São Luis, Flávio Dino deverá ter um “consórcio” de candidatos a prefeito de São José de Ribamar, incluindo, claro, o atual prefeito Luis Fernando (PRB), que não se sabe vai gostar dessa ideia do comunista lançar Edmar Cutrim a gestor municipal nas eleição de 2020.

O Blog do Robert Lobato apurou que o governador Flávio Dino (PCdoB) estaria estimulando a candidatura do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro, Edmar Cutrim, para concorrer à Prefeitura de São José de Ribamar.

O estratagema do comunista tem como objetivo pavimentar o caminho do vice-governador Carlos Brandão (PRB) para o TCE no lugar de Edmar.

Ocorre que Carlos Brandão não tem demonstrado lá muito interesse de ser conselheiro preferindo assumir o cargo de governador em 2022 quando Flávio Dino terá que se desincompatibilizar para se candidatar a senador da República.

Tal como em São Luis, Flávio Dino deverá ter um “consórcio” de candidatos a prefeito de São José de Ribamar, incluindo, claro, o atual prefeito Luis Fernando (PRB), que não se sabe vai gostar dessa ideia do comunista em lançar Edmar Cutrim para gestor da cidade balneária nas eleições de 2020.

É aguardar e conferir.

Allan Garcês dá uma enquadrada em Flávio Dino: “Comunista demagogo”

Uma das principais lideranças da direita no Maranhão, Allan Garcês foi nomeado recentemente para o cargo de diretor de Articulação Interfederativa da Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde.

O médico e professor Allan Garcês deu uma enquadrada legal no governador Flávio Dino (PCdoB) via rede social do Twitter.

Ao comentar uma postagem do comunista sobre o programa Mais Médico “lamentando” o saída dos profissionais cubanos do Brasil após a vitória de Jair Bolsonaro (PSL), Allan Garcês lembrou que o governo do Maranhão não tem lá muito zelo pela saúde.

“Engraçado o Governador do Maranhão fazer este post agora. Demonstra uma falsa preocupação para quem demite médicos, fecha maternidade, atrasa os salários dos funcionários da Saúde e ainda sucateou a saúde de todo Estado, típico de um comunista demagogo”, tuitou Allan.

Uma das principais lideranças da direita no Maranhão, Allan Garcês foi nomeado recentemente para o cargo de diretor de Articulação Interfederativa da Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde, cuja função principal é articular gestores municipais e estaduais do país inteiro em torno das políticas públicas para a saúde.

E, nas horas vagas, enquadra o governador comunista do Maranhão…

Flávio Dino, o sabido, e a “Pedra no Sapato” 1

Vai ficando claro que Flávio Dino continuará dando uma de “tigrão” contra o governo Bolsonaro pelas redes sociais, enquanto parte da sua bancada, inclusive a “Pedra no Sapato“, farão o papel de “gatinhos”.

O governador Flávio Dino (PCdoB) vive chamando o presidente Jair Bolsonaro para o ringue político. Até aqui tem sido ignorado pelo “capitão”.

A tática do comunista é criar um ambiente em que seja visto, nacionalmente, como um dos principais opositores ao novo presidente do país não importando a sua condição de chefe do Executivo de um dos estados mais pobres da Federação que depende muito do Governo Federal.

Porém, ao mesmo tempo que Flávio Dino insiste em polemizar com Jair Bolsonaro pelas redes sociais, estimula a sua bancada no Congresso Nacional para fazer gestos e embaixadas lá para as bandas do Esplanada dos Ministérios e mesmo no Palácio do Planalto.

Foi o que ocorreu, por exemplo, na semana passada quando parte da bancada federal e o então governador em exercício, Carlos Brandão (PRB), fizeram uma agenda com o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas.

Na comitiva, ninguém menos do que o homem forte do governo Flávio Dino, o deputado federal eleito e presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, autointitulado a “pedra no sapato de Bolsonaro”, doravante simplesmente a “Pedra no Sapato”.

Nesse sentido, vai ficando claro que Flávio Dino continuará dando uma de “tigrão” contra Bolsonaro via redes sociais, enquanto seus parlamentares no Congresso Nacional, inclusive a “Pedra no Sapato”, farão o papel de “gatinhos”. Tudo combinado com o comunista-mor.

Sabido esse Flávio Dino, não é mesmo?

Só que sabedoria demais pode fazer mal à saúde.

Inclusive à saúde do Estado do Maranhão…

QUERO-QUERO: Bira do Pindaré ataca de novo 10

Bira não aceita a possibilidade de assumir a SEMA, mas não abre mão de manter Marcelo Coelho no cargo. Ou seja, não quer ser secretário, mas quer manter o atual e ainda por cima quer ser candidato a prefeito de São Luis com o apoio do Palácio dos Leões!

O deputado federal eleito Bira do Pindaré (PSB), chamado carinhosamente pelos amigos de “Quero-quero”, por ter a mania de querer tudo ao mesmo tempo agora, voltou a ser motivo de comentário nos bastidores do governo Flávio Dino (PCdoB).

Um passarinho “vermelho” contou ao Blog do Robert Lobato que Bira foi sondado pelo governador para assumir a Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) porque Flávio Dino não estaria satisfeito com o desempenho do atual secretário Marcelo Coelho.

Além disso, caso assumisse a SEMA, Bira do Pindaré abriria vaga para que o ex-deputado Simplício Araújo (SDD) assumisse sua cadeira na Câmara dos Deputados, já que é o primeiro-suplente da coligação.

Ocorre que Bira não aceita a possibilidade de assumir a SEMA, mas não abre mão de manter Marcelo Coelho no cargo. Ou seja, não quer ser secretário, mas quer manter o atual e ainda por cima quer ser candidato a prefeito de São Luis com o apoio do Palácio dos Leões!

Isso sem falar que ainda quer emplacar o aliado e fiel escudeiro Nelsinho Brito na Secretaria de Cultura de São Luis (reveja aqui).

E assim caminha Bira do Pindaré, nosso querido “Quero-quero”.

“Quero-quero vai voando e os esporões vai batendo.Quero-quero quando grita alguma coisa está vendo”.
(Folclore popular)

GOVERNO: Servidores públicos revoltados com Flávio Dino por corte em gratificação 2

Há uma revolta silenciosa, por assim dizer, no seio do servidores públicos estaduais. Ocorre o seguinte.

Por anos, os “banabés” têm direito a um abono de 20% sobre suas renumerações, que em média gira em torno de pouco mais de R$ 300,00.

Agora os servidores efetivos terão que procurar a Empresa Maranhense de Administração de Recursos Humanos e Negócios Públicos – EMARHP, caso não queiram que governo dê uma “garfada” no contracheque deles.

O curioso é que o governador Flávio Dino e o seu PCdoB criticam o valor do salário mínimo anunciado pelo governo Jair Bolsonaro, mas se acham no direito de “surrupiar” uma gratificação que dá um reforço no defasado ordenado do funcionalismo público estadual, conforme comentário de um servidor enviado, via WhatsApp, para o Blog do Robert Lobato:

“É meu caro Robert Lobato, contamos com divulgação do blog do amigo sobre a tentativa do Flávio Dino de tirar 20% dos nossos já míseros salários, se comparados com o dele e dos valores que ele surrupiou do FEPA” [Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria].

Vale ressaltar que o referido abono tem base numa decisão judicial, mas, como sabe-se, o governo comunista não gosta de cumprir decisões da Justiça e até decreto já foi publicado sobre a questão (veja aqui).

Pelo que o Blog do Robert Lobato apurou, a “maldade” sobre a gratificação dos servidores estaduais é obra do secretário Rodrigo Lago (Transparência e Controle).

E assim começa 2019 para o funcionalismo estadual.

SEGUNDO MANDATO: Novas promessas e críticas a Bolsonaro marcam posse de Flávio Dino 4

Para não perder o costume de tentar chamar a atenção da mídia nacional, Flávio Dino fez críticas indiretas ao presidente Jair Bolsonaro e ainda tirou onda com o governo do “capitão”.

Novas promessas, muitas das quais que poderiam ter sido implementadas no primeiro mandato, e críticas ao presidente Jair Bolsonaro deram a tônica dos discursos de posse de Flávio Dino para o segundo mandato de governador do Maranhão.

O comunista garantiu que no segundo mandato terá mais zelo com o “equilíbrio fiscal de receitas e despesas”, avançará nos quesitos transparência e honestidade, além de que manterá respeito aos direitos humanos.

No geral, os discursos de Flávio Dino, tanto no ato de posse na Assembleia Legislativa do Maranhão quanto da sacada do Palácio dos Leões, pareciam mais que o governador reeleito estava assumindo um primeiro mandato, já que ouviu-se mais promessas de “boas novas” do que uma prestação de contas, ainda que sumária, sobre o que foi feito de grandioso nos primeiros quatro anos de sua gestão.

Indiretas a Bolsonaro

Para não perder o costume de tentar chamar a atenção da mídia nacional, Flávio Dino fez críticas indiretas ao presidente Jair Bolsonaro e ainda tirou onda com o governo do “capitão” afirmando que está disposto a emprestar dinheiro do estado para finalizar construções de creches remanescentes do governo Dilma, mas que encontram-se paralisadas nos municípios.

“Sou defensor da democracia, não acredito em guerra, em ódio ou em armas (…) Amanhã  [hoje, quarta-feira, 2] vou dirigir ofício ao Ministério da Educação oferecendo ajuda financeira para a conclusão de creches federais paradas em nosso Estado”, discursou,.

E assim foi, em síntese, a festa de posse do segundo mandato do governador Flávio Dino. Que, aliás, já vazou do Maranhão para curtir merecidas férias até porque ninguém é de ferro.

Nem o gordinho comunista.

Deu no DO: Decreto do governo Dino minimiza decisão judicial 1

Além dos aspectos jurídicos levantados em relação ao polêmico Decreto, há componentes políticos uma vez que o ato governamental dá super poderes à SEPLAN.

“Está decretado: No Maranhão o Poder Executivo está acima do Poder Judiciário”.

Assim um conhecido operador do direito maranhense resumiu o teor de um Decreto assinado pelos governador Flávio Dino, de 30 de novembro de 2018, e publicado no Diário Oficial do Estado do Maranhão, edição de 3 de dezembro de 2018.

É que no texto do referido Decreto fica estabelecido, já no seu artigo 1ª, que: “A implantação de qualquer vantagem oriunda de decisão judicial será cumprida mediante existência de dotação orçamentária e financeira atestada pela Secretaria de Estado de Planejamento e Orçamento – SEPLAN”. E encerra com artigo 2º que determina: “A Secretaria de Estado da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores – SEGEP e demais órgãos, uma vez intimados deverão encaminhar previamente a qualquer outro ato, a citada intimação para consulta à SEPLAN e à Procuradoria-Geral do Estado – PGE.”.

Na opinião do jurista, que questionou a legalidade do Decreto de Flávio Dino é como se o governador mandasse dizer que não cumpre decisão judicial, estivesse acima de tudo e de todos, inclusive dos demais poderes, e questionou ainda se o presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, irá aceitar o que ela considera uma “submissão imposta pelo governador”.

“O teor desse decreto é como se o governador dissesse que não cumpre decisão judicial, que está acima de tudo e de todos, enfim, que os demais poderes estão abaixo de dele. O presidente do TJ-MA vai aceitar essa submissão imposta pelo governador? O Poder Judiciário está agora, com base nesse decreto, abaixo do Poder Executivo”, assegurou ao Blog do Robert Lobato o jurista que preferiu não se identificar “por quanto”.

Além dos aspectos jurídicos levantados em relação ao polêmico Decreto, há componentes políticos uma vez que o ato governamental dá super poderes à SEPLAN, já que todas as demais secretaria de Estado terão que encaminhar as intimações para a pasta, hoje comandada pela senhora Cynthia Celina de Carvalho Mota Lima.

Só uma ousada política de investimentos privados pode tirar o MA da pobreza extrema 5

Desgraçadamente, ao invés de atentar para essa realidade, temos um governante que prefere procurar culpados no passado (José Sarney) e já começa projetar culpados no futuro (Jair Bolsonaro).

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Em apenas um ano, o Brasil passou a ter quase 2 milhões de pessoas a mais vivendo em situação de pobreza. A pobreza extrema também cresceu em patamar semelhante. É o que mostra a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre os estados, o Maranhão possui o maior percentual de pessoas em situação de pobreza extrema . Segundo o IBGE, cerca de 54,1% dos maranhenses vivem com menos de R$ 406 por mês.

Os dados do IBGE sobre o Maranhão revelam que a nossa classe dirigente ainda não entendeu o nosso estado, desconhece, ignora ou simplesmente não se interessa pelas potencialidades e riquezas naturais deste grande e virtuoso pedaço de chão brasileiro. Ou é muita incompetência.

Quando ganhou a eleição para o governo em 2014, o agora governador Flávio Dino (PCdoB) prometeu “inaugurar o capitalismo no Maranhão” uma vez que, segundo ele, estaríamos ainda na idade média do ponto de vista econômica.

Passados quatro anos de gestão, hoje governador reeleito, e o comunista ao invés ter pegado efetivamente as rédeas do governo e imprimido um novo modelo de governança moderno, criativo e eficaz, não! Optou por uma gestão tímida, apequenada, fraca e que não apresenta quaisquer resultados reais que apontem para um mudança socioeconômica do Maranhão.

Flávio Dino tem revelado-se apenas um bom “chefão” que impõe o medo entre os seus colaboradores ao cobrar trabalho deles e somente isso. Não consegue liderar equipes focadas em resultados e, por conseguinte, incapaz de liderar o processo de desenvolvimento do Maranhão porque não há um plano, não há planejamento de nenhum tipo.

De toda essa mediocridade que habita o Palácio dos Leões o que sobra são os abusos no aumento de impostos; a farra do uso da máquina administrativa em tempos de eleição; nomeações sem critério algum como no caso dos capelães; dinheiro público torrado na fogueira da propaganda/publicidade, enfim, um conjunto de malversações dos recursos do povo não para um projeto de sociedade ou de Estado, mas tão somente para projeto de poder!

Não há milagre: só uma ousada e arrojada política de investimentos de capital privado pode tirar o Maranhão desse quadro de pobreza extrema, caso contrário não haverá um ambiente de justiça social aceitável e digno para o povo maranhense.

Mas, desgraçadamente, ao invés de atentar para essa realidade, temos um governante que prefere procurar culpados no passado (José Sarney) e já começa projetar culpados no futuro (Jair Bolsonaro).

Olhar-se no espelho que é bom…