ELEIÇÕES 2018: Roberto Rocha sugere desfiliação de Luis Fernando do PSDB

Com a posição de Roberto Rocha em relação ao prefeito Luis Fernando, que é o mais importante do PSDB devido a cidade que administra, é de se supor que o recado cabe a todos os demais prefeitos tucanos que não seguirem o projeto do partido a nível local e nacional

O senador e pré-candidato ao Governo do Maranhão, Roberto Rocha, usou a rede social do Facebook para sugerir que o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando, se desligue dos quadros do PSDB.

No entendimento de Roberto Rocha, que é presidente estadual do PSDB, o atual gestor de Ribamar perdeu a condição de ser tucano ao declarar apoio à outras candidaturas que não as do partido.

“O destino nos colocou [Roberto Rocha e Luis Fernando] hoje no mesmo partido. Algumas conveniências políticas, no entanto, conduziram o prefeito de Ribamar a declarar apoio a candidaturas fora do campo político do PSDB (…)  O que não é natural é que disso se aproveitem os meus adversários para tentar usar uma biografia respeitada como a de Luis Fernando, para sugerir que me falta apoio dentro do meu próprio partido, que eu represento como senador e presidente estadual. Entendo que para preservar os valores partidários, que não se sobrepõem aos da amizade, cabe ao prefeito desfiliar-se do PSDB”, postou o senador.

Com a posição de Roberto Rocha em relação ao prefeito Luis Fernando, que é o mais importante do PSDB devido a cidade que administra, é de se supor que o recado cabe a todos os demais prefeitos tucanos que não seguirem o projeto do partido a nível local e nacional.

Lamentável, mas é a política como ela é!

A seguir a integra da postagem do senador Roberto Rocha.

A POLITICA E OS AFETOS

A política, se exercida de forma nobilitante, não afasta as amizades, mesmo que afaste os amigos.

Sempre tive o cuidado de não confundir adversários com inimigos, ou aliados com amigos. A vida de cada um de nós, políticos, nos impõe essa distinção de cunho ético.

Tenho grande amizade e respeito pelo prefeito Luis Fernando, de São José de Ribamar. Sua trajetória, como homem público, iniciou-se sob o incentivo de meu pai, Luiz Rocha. Isso consolidou entre nós uma relação de afeto e amizade, que nunca foi turvada pelos caminhos divergentes que eventualmente tomamos na política.

O destino nos colocou hoje no mesmo partido. Algumas conveniências políticas, no entanto, conduziram o prefeito de Ribamar a declarar apoio a candidaturas fora do campo político do PSDB. É normal, é da lógica política do nosso sistema tão fracionado e frágil.

O que não é natural é que disso se aproveitem os meus adversários para tentar usar uma biografia respeitada como a de Luis Fernando, para sugerir que me falta apoio dentro do meu próprio partido, que eu represento como senador e presidente estadual.

Entendo que para preservar os valores partidários, que não se sobrepõem aos da amizade, cabe ao prefeito desfiliar-se do PSDB. Estará, dessa forma, mais à vontade em suas escolhas, evitando assim que uma longa e fraterna amizade seja usada como carniça para alimentar a voracidade do jogo político.

VÍDEO: Eduardo Braide critica aumento de passagens em São Luis 4

O deputado fez duras críticas ao prefeito Edivaldo Júnior em relação ao aumento das passagens de ônibus e cobrou o cumprimento das promessas da campanha de 2016 

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) usou a sua rede social do Facebook para postar um vídeo onde faz duras críticas ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) pelo aumento das tarifas dos ônibus na capital maranhense.

“Pessoal, as passagens de ônibus vão estar mais caras em São Luís a partir de segunda-feira (22). Mas antes de ter aumentado o preço das passagens, o prefeito deveria começar a cumprir com as suas promessas para o transporte público. Como está a qualidade dos ônibus? Cadê o WI-FI prometido?”, postou,

Correu especulações em grupo de WhatsApp sobre um suposto acordo entre Eduardo Braide e o governador Flávio Dino (PCdoB) para que o parlamentar deixasse de criticar o prefeito, desistisse em definitivo de concorrer ao Palácio dos Leões para disputar uma vaga de deputado federal e com isso teria a garantia de Dino que o apoiaria para prefeito em 2020.

As criticas de Braide ao prefeito em relação ao aumento das passagens joga por terra esse hipotético acordo. Confira o vídeo.

Blogs precisam ter linha editorial e postura profissional?

Blog sério tem conteúdo sério. Blog sério tem contextualização e linha editorial. Quem afirma que blog não tem linha editorial não trata o blog como um canal sério, portanto, não é blogueiro

Ainda rola muito preconceito e muito conceito deturpado quando o assunto é blog. Muitos criticam sua profissionalização e outros já criticam a sua falta de profissionalização. Em eventos ou encontros sempre rolam debates sobre diversos pontos extremamente interessante, porém alguns simplórios também são debatidos, já que é muito fácil tratar blogs como mídias amadoras que não necessitam de linha editorial e que são livres para publicar qualquer porcaria.

Em parte, tudo isso é verdade. É bacana um blog expressar opinião própria, mas é inaceitável que um blog que queira ser referência em sua área não atue com profissionalismo. É muito mais sensato tratar o leitor como um cliente ou consumidor de informação, parceiro do blog, do que um invasor intrometido que pode ser expulso do nosso território a qualquer momento. Enquanto profissionais baterem na tecla que blogs podem publicar qualquer porcaria, os blogs serão qualquer porcaria.

Blogs são canais que podem ser trabalhados de forma profissional ou como mídias amadoras, exatamente como emissoras de televisão ou rádio fazem. É muito primário crer que um blogueiro possa postar textos com erros de português, focar apenas em “barracos” e que não precisa ter o menor compromisso com o leitor. É como discutir o papel da imprensa, da “velha mídia” ou se jornalistas e blogueiros podem conviver juntos.

Outro ponto interessante que merece reflexão é acerca do papel dos blogs em uma era com tantas redes sociais. Facebook, Twitter, YouTube ou Instagram são canais que devem trabalhar de forma complementar com os blogs. Um não atrapalha e não prejudica o outro. Discutir se o Facebook vai acabar com a blogosfera tem o mesmo peso que já teve a afirmação de que a televisão iria morrer com a popularização da web. E o que ainda se vê é a “junção” desses diversos canais, indo contra a opinião dos gurus.

Blog não é só hype. Blog sério tem conteúdo sério. Blog sério tem contextualização e linha editorial. Quem afirma que blog não tem linha editorial não trata o blog como um canal sério, portanto, não é blogueiro. A investida dos grandes meios de comunicação em criar “blogs” para jornalistas da redação tem atrapalhado – e muito – a profissionalização da blogosfera brasileira. Lá fora blog é blog e é tratado com mídia de respeito. Aqui blog é uma seção onde um jornalista pode publicar qualquer “3 linhas” e ir embora.

Achar que jornalistas e blogueiros são profissões extremamente diferentes e incompatíveis é lamentável. Nesses casos, vale uma fantasia de dinossauro para alguns profissionais. Blogs e jornalismo andam juntos. Blogueiros e jornalistas andam juntos. A profissão blogueiro e a profissão jornalista são complementares, compatíveis e formam a mídia web. O discurso de “diário de adolescente” ou “velha mídia” não merece nem 140 caracteres.

(Fonte: Blog Midia8)

Robert Lobato agora também na DIFUSORA AM 680 2

Não temos dúvida de que será, além de muito interessante, um programa que vai cair facilmente no gosto popular porque, além de sair do mesmismo, terá na irreverência e na boa polêmica suas características mais marcantes!

Estreou ontem, segunda-feira, 14, o programa “Espaço Rádio Capital” ancorado por Robert Lobato com participações dos jornalistas Ricardo Santos e Mônica Alves, ambos também blogueiros.

O programa ainda está em fase experimental e deve passar por adaptações técnicas até chegar ao estágio, digamos, definitivo – inclusive o nome do programa ainda é provisório.

A ideia é fazer uma programa dinâmico e com um conteúdo diversificado indo da política, cotidiano, humor, comportamento, mulher, economia, gestão, entre outros assuntos de interesse da sociedade. Teremos ainda entrevistas e notícias direto de várias regiões do estado e de Brasília.

O programa está dentro da grade da Difusora AM após o gesto do empresário Lobão Filho, que em solidariedade à agressão sofrida pela Rádio Capital no mês passado, quando a emissora teve todo o seu patrimônio vandalizado, disponibilizou vários espaços na sua rádio a profissionais da Capital.

Não temos dúvida de que será, além de muito interessante, um programa que vai cair facilmente no gosto popular porque, além de sair do mesmismo, terá na irreverência e na boa polêmica suas características mais marcantes.

Contamos com vocês das segundas-feiras às sextas-feiras, sempre das 17h às 18h, na Rádio Difusora AM 680 ou pelo Facebook através do endereço Difusoraam Slz.

E “vamo que vamo”!

Especialista em pesquisas, Daniel Mendes, vê prática criminosa de alguns institutos no MA

O especialista em pesquisas eleitorais, jornalista Daniel Mendes, postou um interessante e instigante texto na sua página no Facebook sobre as famosas pesquisas “Tabajaras”.

Vale a pena ler e refletir sobre os questionamentos levantados pelo talentoso Daniel Mendes. Confira.

TEM UM CRIMINOSO Á SOLTA

No Maranhão, no mesmo período, dois institutos de pesquisas de opinião divulgam resultados com uma discrepância superior a 30 pontos percentuais. Esses números estão muito além de qualquer possibilidade de erro metodológico, erro amostral ou erro estatístico. Não há como dizer de outro modo: alguém está cometendo um crime, manipulando resultados e tripudiando da boa-fé da população.

Alguns blogs e veículos tratam da questão como se fosse uma piada. Não É! Deveriam tratar como um problema criminal, de interesse público.

Primeiro ponto: os dois institutos são filiados a ABEP – Associação Brasileira de Entidades de Pesquisa? Se sim, então estão sujeitos aos códigos de autorregulamentação e deveriam ser submetidos ao Conselho da entidade, para uma averiguação.

Segundo ponto: quem são os estatísticos que assinam os resultados e colocam sua reputação profissional em jogo? Será que o Conselho Regional de Estatística não pode ser acionado para preservar o bom nome da entidade e o padrão científico da profissão? Vai ficar calado?

Terceiro ponto: as Universidades, que tem cursos de estatística, não podem ser provocadas a manifestar uma posição? Vão permitir que seus cursos sejam vistos como fábricas de charlatães?

Quarto ponto: o PROCON nacional não pode ser acionado, uma vez que resta manifesta a intenção manipuladora de pelo menos um dos institutos?

Quinto ponto: os proprietários dos institutos não podem ser chamados para um cara-a-cara em algum veículo de comunicação, para esclarecer as divergências?

Sexto ponto: não pode o Ministério Público exigir que ambos os institutos forneçam todos os cruzamentos das pesquisas, em detalhes, para que sejam investigadas as principais discrepâncias?

Sétimo ponto: os partidos políticos vão ficar calados, assistindo o nome de suas agremiações ser usado para ludibriar o universo dos eleitores?

Enquanto pesquisas de opinião forem tratadas como meras ferramentas do jogo político, sem qualquer responsabilidade pública, estaremos sujeitos a esse tipo de crime que, em última análise, não passa de um crime de corrupção, como tantos outros. No caso, corrompe-se a esfera pública.

Tem um criminoso à solta! Vai todo mundo fingir que não está vendo?