ELEIÇÕES 2018: Fábio Macedo deve deixar o PDT e seguirá “para onde Zé Reinaldo for” 2

Um eventual rompimento de Fábio Macedo com Weverton Rocha é um prejuízo medonho para o “Maragato” no seu projeto de senador. Aliás, a família Macedo já teria vaga garantida na primeira suplência de senador na chapa José Reinaldo Tavares

É cada vez mais crítica a relação do deputado estadual Fábio Macedo com o deputado federal Weverton Rocha, ambos do PDT, sendo que o segundo é presidente estadual do partido.

Pelo que apurou o Blog do Robert Lobato, Fábio Macedo está fulo da vida desde o momento que foi rejeitado por Weverton na sua pretensão de disputar a presidência da Assembleia Legislativa do Maranhão.

“Não sei como o presidente do meu partido me tira do jogo como Weverton fez. Ele sabia que queria disputar a presidência da Assembleia, pois havia um acordo entre nós. Se eu tivesse em outro partido acho que não aconteceria isso. Vou deixar o PDT e adianto que meu senador é José Reinaldo e vou para o partido que ele for”, disse o deputado em frente de outros presentes.

Um eventual rompimento de Fábio Macedo com Weverton Rocha é um prejuízo medonho para o “Maragato” no seu projeto de senador. Aliás, a família Macedo já teria vaga garantida na primeira suplência de senador na chapa José Reinaldo Tavares.

O fato é que Fábio Macedo dificilmente concorrerá a um segundo mandato de deputado pelo PDT de Weverton Rocha.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: José Reinaldo, um pequeno passo para um candidato, mas um salto gigantesco para o Senado 4

José Reinaldo fez um movimento muito bem calculado nesta fase da sua pré-campanha ao Senado Federal ao convidar a família Macedo para integrar o seu projeto. Fecha o ano com chave de ouro.

O ex-governador José Reinaldo Tavares (ainda no PSB) calcula cada movimento que deve dar na política. Até porque, como engenheiro de formação, entende de cálculos diferenciais e integrais, e os têm aplicado no território da política.

Na segunda-feira, 11, por exemplo, o agora deputado federal fez um movimento que pode ter consolidado de uma vez por todas o seu projeto para o Senado Federal.

Durante almoço realizado, em Teresina (PI), um território neutro, portanto, José Reinaldo reuniu-se com a família Macedo.

No cardápio, além de um bode no vinho de coco, o convite para o que o clã Macedo indique o primeiro suplente de senador na sua chapa, provavelmente o patriarca Dedé Macedo. Ou seja, Zé Reinaldo matou vários coelhos com uma cajadada só.

Em primeiro lugar, o pré-candidato a senador chama para perto de si um dos principais fiadores políticos e financeiros da campanha de 2014 do então candidato a governador Flávio Dino (PCdoB). Uma saia justa do “caramba” no comunista.

Em segundo lugar, Dedé Macedo é pai do deputado estadual Fábio Macedo, do PDT, mesmo partido do também pré-candidato a senador Weverton Rocha, presidente estadual do legenda trabalhista e que já recebeu o apoio declarado do governador Flávio Dino.

Por fim, Zé Reinaldo contou com o apoio de ninguém menos do que o ex-prefeito de Timon e ex-deputado estadual, o pedetista histórico Chico Leitoa, nessa empreitada política de chamar a família Macedo para compor no projeto de senador do agora deputado federal – comenta-se que Chico está de olho na segunda suplência, mas ele nega.

Detalhe importante: o almoço da segunda-feira, 11, em Teresina, foi à revelia do Palácio dos Leões e do PDT de Weverton Rocha.

O fato é que José Reinaldo fez um movimento muito bem calculado nesta fase da sua pré-campanha ao Senado Federal. Fechou o ano com chave de ouro.

Parodiando a frase do astronauta americano Neil Armstrong ao pisar na lua, Zé Reinaldo de “um pequeno passo para um candidato, mas um salto gigantesco para o Senado”.

É aguardar e conferir.

PS: Chico Leitoa, assim como José Reinaldo Tavares, é engenheiro, logo entende de cálculos também.  🙂

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA: Fábio Macedo jogando pesado para presidente 6

O deputado pedetista está em campanha aberta e usando de meios heterodoxo para conquistar voto dos seus pares

O Blog do Robert Lobato foi o primeiro a comentar sobre as movimentações de bastidores na Assembleia Legislativa do Maranhão depois do agravamento do estado de saúde do presidente da casa, deputado Humberto Coutinho (PDT).

Pois bem. Essas movimentações têm se intensificado nos últimos dias e aos poucos vão saindo das “sombras” e ganhando conotações mais explícitas.

O deputado Fábio Macedo (PDT), por exemplo, está em campanha aberta e usando de meios, digamos, heterodoxos para conquistar o voto dos seus pares.

O nome de Fábio está longe de agradar o Palácio dos Leões, que já demonstra preocupação com a campanha do pedetista. Aliás, o pai do parlamentar, o empresário Dedé Macedo, há tempos está querendo ver o diabo mas não quer ver a “lata” do governador Flávio Dino. Agora deve estar preparando a vingança.

O fato é que estão a todo vapor as articulações em torno da eleição do futuro presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Resta saber se nesse processo a política vai falar mais alto do que…

Melhor deixar pra lá.