ELEIÇÕES 2018: Fake news, Roberto Rocha e Eunício de Oliveira 2

Já tramita, no âmbito do Senado Federal, uma proposta de autoria do senador Eunício Oliveira (MDB) que prevê prisão para quem produzir ou compartilhar conteúdo com o objetivo de desinformar, distorcer e manipular a opinião de pessoas em redes sociais

Algumas pessoas criticaram a nota do senador Roberto Rocha (PSDB) desmentindo boatos de que ele teria desistido de sua pré-candidatura a governador do Maranhão. Algumas críticas de boa-fé, outras completamente sem sentido e até mesmo maldosas.

Os críticos da nota assinada pelo tucano sustentam que ele deu crédito para algo que só saiu em blogs sem acessos e que se o senador não tivesse se manifestado ninguém tomaria conhecimento sobre tal boato. Isso é equívoco completo e explico por quê.

A questão fundamental não é se uma notícia inverídica saiu em blogs com poucos acessos ou de credibilidade duvidosa, mas o compartilhamento do conteúdo falso pelas redes sociais, tais como Facebook, Twitter e grupos de WhatsApp.

Uma notícia falsa, também chamada de fake news, pode criar muita confusão na cabeça de quem não tem informações reais sobre o assunto ou para pessoas ingênuas, aí aquilo que é mentira acaba ganhando conotação de verdade. Daí que é um erro subestimar a capacidade de um blog em fazer estragos à imagem de uma pessoa, autoridade ou não, apenas porque ele não tem acesso, pois após uma postagem desse mesmo blog “sem acessos” ser compartilhada nas redes sociais, certamente vai chamar atenção de muitas pessoas.

Esse fake news sobre a desistência de Roberto Rocha em concorrer às eleições de 2018, por exemplo, fez com que várias pessoas me perguntassem se era verdade.

Em grupos de WhatsApp, o assunto foi motivo para os adversários do senador ridicularizá-lo. Ou seja, se o mal não tivesse sido cortado pela raiz através de uma nota pública seria possível sair até uma “notinha” sobre o assunto nas colunas políticas dos principais jornais do estado como sendo verdade a desistência de Roberto Rocha da sua pré-candidatura de governador.

No Congresso Nacional

Já tramita, no âmbito do Senado Federal, uma proposta de autoria do senador Eunício Oliveira (MDB/CE) que prevê prisão para quem produzir ou compartilhar conteúdo com o objetivo de desinformar, distorcer e manipular a opinião de pessoas em redes sociais.

O projeto é polêmico e será debatido no Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional na próxima segunda-feira, 5 (veja aqui).

Seja como for, independente de haver ou não uma legislação específica sobre fake news, o bom senso do jornalista ou blogueiro ainda é o melhor remédio para combater a não proliferação do conteúdos falsos na internet.

Aos leitores cabem ficar atentos e sempre procurar saber se uma notícia que recebem é de uma fonte confiável antes de sair por aí compartilhando fake news a torto e a direito.

Fica a dica.