ESPAÇO FEMININO: Sobre carências 2

As mulheres, ao contrário dos homens, são emotivas. As meninas , na maioria das vezes, pensam mais com o coração do que com cérebro, por isso mesmo são seres especiais.

Duas amigas me estimularam, ou melhor falando, me inspiraram a escrever este post. Topei a parada. Vamos lá!

Mulheres são símbolos. Não falo daquelas feministas feias, mal amadas, traumatizas e complexadas, que acham que mulher tem que ter o “xiri fedido” para ter o cheiro de mulher”.

Não! Falo de mulher “mulher”, que tem sentimentos, que choram, que tem brilho e não sangue no olhar.

Há uma frase que li numa revista feminista, nos anos 90, que nunca esqueci e que diz mais ou menos assim: “Sem brilhos nos olhos não há beijo na boca; pior sob o capitalismo: concorrência, posse, dinheiro… Brilhar, beijar, ter brilhos nos olhos, beijo no olhar”.

Mulher é um ser divino, ainda mais quando, além de mulher, é mãe!

Por que, então, há mulheres bonitas, cheirosas e inteligentes não conseguem ser felizes nos relacionamentos afetivos?

Minha impressão é que há mulheres que são exigentes consigo mesmo. Estão sempre a procura do “homem ideal”, do “parceiro ideal”, enfim, “do “amor ideal”.

Só que isso não existe! Homens, via de regra”, são reprodutores e querem manter-se simplesmente na sua condição de se relacionar para manter a especie.

Claro que existe romantismo, paixão e outros sentimentos que dão sentido à vida a dois, mas não adianta mulheres, ou não deve, alimentar certos sonhos e esperanças sobre relações afetivas. Não vale a pena sofrer por amor!

“E por que não Robert Lobato?”, pode perguntar alguma leitora apaixonada.

Simples: Amor é um conceito indefinido. Há amores e amores, mas quando isso é levado para o campo afetivo entre homem e mulher, ou, como está na moda, entre o mesmo gênero, a coisa vira algo muito complexo.

Mas, voltando ao tema principal deste post, a carência de “mulheres bonitas, cheirosas e inteligentes”, penso que isso deve ao fato delas exigirem muito de si.

As mulheres, ao contrário dos homens, são mais emotivas. As meninas, na maioria das vezes, pensam mais com o coração do que com cérebro, por isso mesmo são seres especiais.

Nós, homens, somos diferentes. Temos duas “cabeças”, e a rigor a de baixo prevalece sobre a de cima. Fato!

Então, meninas, procurem ver e encarar a realidade masculina

Vale a pena amar? Claro que sim.

Mas, sempre lembrem da frase feminista acima: “Sem brilhos nos olhos não há beijo na boca; pior sob o capitalismo: concorrência, posse, dinheiro… Brilhar, beijar, ter brilhos nos olhos, beijo no olhar”.

E viva as carentes a procura de amor e de amar.

Só não vale enganar-se….