EMENDA PARLAMENTARES: A bancada maranhense, sim!, está preocupada com a saúde. (OU: Luana Alves está de parabéns!) 14

A coordenadora da bancada maranhense, deputada Luana Alves fez um bom trabalho, costurou bem as negociações com seus pares, e mostrou competência e habilidades políticas na condução desse processo sobre as emendas parlamentares.

O governador Flávio Dino (PCdoB) botou, mais uma vez, a sua máquina de propaganda para tentar desqualificar a bancada maranhense no Congresso Nacional no que se refere à destinação de emendas parlamentares.

Pela vontade do “Professor de Deus”, as emendas dos deputados e senadores do Maranhão iriam direto para os cofres do Estado, mas os congressistas maranhenses solicitaram que os recursos fossem repassados diretamente aos municípios que eles desejavam contemplar.

Foi o suficiente para que a mídia palaciana desinformasse e confundisse a população fazendo crer que a coordenadora da bancada deputada Luana Alves (PSC) manobrou contra os interesses da população. Mentira!

Na verdade o que houve foi um embate político onde os governistas levaram a pior, uma vez que a correlação de forças na bancada maranhense foi alterada com a ida, para o campo das oposições, dos deputados José Reinaldo e Waldir Maranhão, ambos do PSDB e ambos traído por Flávio Dino.

O que é curioso é que essa “preocupação” toda do governo Flávio Dino com a saúde vem justamente no momento em que o setor está sendo investigado pela Polícia Federal por suspeita de desvios de milhões, talvez bilhões, de reais. Aliás, desde o ano passado Flávio Dino insiste em receber dinheiro proveniente de emendas parlamentares para reforça o caixa da saúde do seu governo. Pergunta-se: estaria o governador comunista querendo tapar os rombos da Secretaria, comandada pelo seu correligionário Carlos Lula, com os recursos que nossos deputados e senadores têm o direito legítimo de alocarem pra onde achar melhor?

A coordenadora da bancada maranhense, deputada Luana Alves fez um bom trabalho, costurou bem as negociações, e mostrou competência e habilidade políticas na condução desse processo sobre as emendas parlamentares.

Por tanto, está de parabéns!

E os municípios maranhenses agradecem!

Confira a íntegra do comunicado da Luana Alves sobre o assunto.

Amigos, conforme acordado na reunião de Bancada Federal do Maranhão realizada na quarta feira (18), fui com os assessores de vários deputados, na manhã quinta-feira (19), ao Ministério da Saúde para verificar todas as possibilidades para garantir uma ampla aplicação dos recursos referentes Emenda Impositivas N° 71110005. Deixo, claro que os deputados que quiserem que o recurso permaneça para o estado, que encaminhem em seus ofícios determinando isso.

Desta forma, em resposta ao questionamento feito por vários deputados quanto à destinação desse recurso apenas para a Atenção Especializada, a assessoria do Ministério da Saúde, reiterou que a Ação Orçamentária 4525 possibilita a livre escolha de sua aplicação, tanto para Programa de Atenção Básica (PAB), quanto para Media e Alta Complexidade (MAC) – Atenção Especializada, ficando a cargo do proponente sua aplicação no ato da apresentação da proposta junto ao sistema do Fundo Nacional de Saúde, podendo inclusive, quando for o caso, usar os recursos em ambas às áreas.

Como ainda estamos no prazo de indicação das EMENDAS DE BANCADA junto ao Ministério da Saúde, reitero que está aberta a possibilidade de indicação dos beneficiários diretos conforme o entendimento de prioridades de cada parlamentar membro do grupo da Emenda Impositiva N° 71110005, Funcional Programática 10.122.2015.4525.0021, Apoio a Manutenção de Unidades de Saúde (Custeio Fundo a Fundo).

Reforçamos ainda que esta ação visa possibilitar um amplo atendimento as demandas de saúde de nosso estado, garantindo que os parlamentares possam indicar não só os municípios, mas inclusive o governo do estado, assim como a Ação Orçamentária permite.

Para tanto, solicitamos que nos encaminhem até o dia 20/04/2018, a relação de suas respectivas indicações, contendo o Nome do Beneficiário (Município e, ou Estado), CNPJ do Fundo Municipal de Saúde.

PEGADORES: Operação da PF pode explicar o porquê da ira de Flávio Dino com os senadores do MA no caso das emendas para a saúde 2

A operação da PF mostrou que os recursos das emendas dos senadores poderiam não ser aplicados propriamente na saúde do estado e dos municípios, mas para bancar “folhas santas” de amigos e amigas e, quiçá, campanhas eleitorais de candidatos à reeleição de deputados federias e eleição de candidato a senador

Os leitores devem estar lembrados do episódio da emendas parlamentares em que o governador Flávio Dino (PCdoB) fez um escarcéu doido depois que a bancada de senadores do Maranhão resolvera não destinar emendas parlamentares para a saúde preferindo enviá-las para a Codevesf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) que dará mais segurança à correta da aplicação das verbas públicas.

Na ocasião, o comunista tentou jogar os prefeitos contra os senadores maranhenses, causando indignação dos três parlamentares da Câmara Alta.

O senador Roberto Rocha (PSDB), por exemplo, chegou a afirmar ser “indigna a posição do governador de tentar indispor a bancada de senadores com os prefeitos do Maranhão”. Lobão, por sua vez, classificou a postura do governador como sendo “um falatório irresponsável e mentiroso”.

Com o advento da Operação Pegadores, deflagrada na última quinta-feira, 16, pela Polícia Federal, Ministério Público Federal, Justiça Federal e a Controladoria Geral da União, que desnudou um esquema milionário desvio de recursos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), é possível explicar o porquê de tanta ira de Flávio Dino e do trio de deputados citado acima com o fato do senadores não terem aceitado alocar as emendas justamente para a saúde.

Ou seja, é provável que os recursos das emendas dos senadores não fossem aplicados propriamente na saúde do estado e dos municípios, mas para bancar “folhas santas” de amigos e amigas e, quiçá, campanhas eleitorais de candidatos à reeleição de deputados federias e eleição de candidato a senador. Daí a raiva do governador e dos seus queridinhos parlamentares da Câmara Federal com a bancada maranhense no Senado.

É aquela história: há males que vêm para o bem.