SENADO 2018: Mesmo sem o apoio de partidos da base de Flávio Dino, Eliziane Gama lança pré-candidatura 6

Se não ocorrer um erro de percurso, ou ser enganada pelo seu campo político, Eliziane Gama caminha para uma campanha onde pode ter reais chances de vitória.

Apesar de ainda não contar com o apoio declarado de boa parte dos partidos da base do governador Flávio Dino (PCdoB), a  deputada federal Eliziane Gama (PPS) conseguiu reunir algumas das principais lideranças políticas nessa fase de pré-campanha em evento ocorrido, na manhã do último sábado, 16, no Rio Poty Hotel.

Recebida com carinho por centenas populares e lideranças políticas vindas de várias regiões do estado, Eliziane oficializou a sua pré-candidatura ao Senado Federal no ato politico que contou com a presença do governador Flávio Dino (PCdoB), do vice-governador Carlos Brandão (PRB) e do prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT).

Além das lideranças do seu grupo político, o ato reuniu cerca de 40 prefeitos, vários ex-prefeitos, a maioria dos secretários de Governo, deputados estaduais e federais.

Se não ocorrer um erro de percurso, ou ser enganada pelo seu campo político, Eliziane Gama caminha para uma campanha onde pode ter reais chances de vitória.

É aguardar e conferir.

SENADO 2018: Eliziane Gama e o eleitorado feminino 2

Além de ser evangélica, outro nicho eleitoral de alta relevância, a sua condição de mulher faz da deputada Eliziane Gama uma alternativa muito mais viável, por exemplo, do que o seu concorrente direto, o também deputado federal Weverton Rocha

As urnas do Maranhão mostram que mais da metade do eleitorado é composta por mulheres.

Dos 4.606.603 maranhenses aptos a votar em outubro deste ano, 51% são formados por eleitoras, daí que público feminino é uma espécie de filão eleitoral.

Entre os nomes postos ao Senado Federal nas eleições de 2018, a deputada federal é a única mulher na disputa, logo pode faturar nesse, digamos, nicho eleitoral.

Lógico que não é caso de afirmar-se que “mulher vota em mulher”, mas evidentemente a nossa irmã pode explorar de forma inteligente o fato de ser a única opção do sexo feminino a concorrer à Câmara Alta do Congresso Nacional.

Soma-se a isso o fato inquestionável de que Eliziane Gama sempre pautou a questão de gênero na sua trajetória política, principalmente nos mandatos que exerceu.

Portanto, a pré-candidata pelo PPS jamais poderá ser chamada de oportunista caso assuma a bandeira em defesa das mulheres, violência doméstica, igualdade de gênero etc. Pelo contrário, tem legitimidade política e ideológica para tanto.

Nesse sentido, além de ser evangélica, outro nicho eleitoral de alta relevância, a sua condição de mulher faz da deputada Eliziane Gama uma alternativa muito mais viável, por exemplo, do que o seu concorrente direto, o também deputado federal Weverton Rocha.

Repito: não se trata simplesmente de “mulher votar em mulher”, mas de quem reúne maior legitimidade para fazer da questão da mulher uma bandeira eleitoral.

E isso deve ficar claro já no próximo sábado, 16, durante o ato de lançamento da pré-candidatura de Eliziane Gama ao Senado Federal com a presença de várias entidades dos movimentos sociais.

É a opinião do Blog do Robert Lobato.

SENADO 2018: Eliziane Gama, Weverton Rocha e o PT 23

Se parte dos petistas acha que a “golpista” Eliziane Gama não serve para ser candidata ao Senado apoiada pelo PT, também deveria fazer uma leitura crítica sobre o nome do pré-candidato Weverton Rocha que se for colocado numa balança ética ao lado da irmã ele perde é feio

Weverton Rocha, Eliziane Gama; E Eliziane Gama e Helena Heluy.

Ainda há uma disputa por dentro do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) pelas vagas ao Senado Federal.

Ainda que tecnicamente esteja fechada com os deputados federais Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT), politicamente persiste uma pedra no meio do caminho governista até as convenções: o PT.

O partido de Lula possui dois pré-candidatos ao Senado, os professores Márcio Jardim e Nonato Chocolate. Há um terceiro nome petista que é a presidente da CUT-MA, Adriana Oliveira, mas, segundo comenta-se, é apenas para fazer prevalecer o velho canibalismo interno.

Pois bem. Se o PT deseja mesmo ter uma vaga na majoritária na chapa de senador, por que o partido centra fogo somente na pré-candidata Eliziane Gama?

Ora, o correto seria o partido fazer uma leitura crítica da chapa Eliziane Gama/Weverton Rocha a partir do conjunto da obra e não somente colocar os olhos sobre a irmã.

Se é verdade que o maior “pecado” de Eliziane foi ter votado a favor do impeachment da presidente Dilma, criticado Lula e o PT durante a CPI da Petrobras, não é menos verdade que a parlamentar sempre se colocou contra as reformas do presidente Temer, esteve o tempo todo do lado dos direitos humanos, dos movimentos sociais e quando era deputada estadual trabalhou frequentemente algumas agendas com quadros do PT como a ex-deputada Helena Heluy e a professora Mary Ferreira, só para citar esses dois exemplos qualificadíssimos.

Ademais, não há registro de que Eliziane Gama seja envolvida em casos de corrupção ou que é ou está ameaçada de virar uma ficha suja a qualquer momento ou quiçá perder o mandato e pior: ser presa!

Já o seu colega de chapa ao Senado Federal pelo grupo de Flávio Dino é exatamente o oposto.

Weverton Rocha vive em briga com a Justiça no âmbito dos altos tribunais do país respondendo denúncias de corrupção. Tanto que não se pode garantir 100% de que o “Maragato” conseguirá levar a cabo a sua pré-candidatura de senador até fim.

O fato é que se Weverton Rocha votou contra o impeachment da Dilma, “deseja” ver Lula livre e tem uma boa relação com o PT no Congresso Nacional, é fato também que o seu partido tem candidato a presidente da República, um sujeito bipolar chamado Ciro Gomes que quando está sem tomar o seu remédio controlado parte pra cima do PT e do Lula com gosto de gás.

Nesse sentido, se parte dos petistas acha que a “golpista” Eliziane Gama não serve para ser candidata apoiada pelo PT, também deveria, repito, fazer uma leitura crítica sobre o nome do pré-candidato Weverton Rocha que se for colocado numa balança ética ao lado da irmã ele perde é feio.

No mais, nesse jogo todo fica feio mesmo é para o PT.

Que a cada dia se apequena sem conseguir mostrar uma personalidade politicamente forte que exija respeito, inclusive do governador Flávio Dino que, no fundo, é o maior carrasco do petismo no Maranhão por saber que tem o PT nas mãos. Aliás, nas mãos não, na folha.

Uma lástima!

SENADO 2018: Fogo amigo contra Eliziane Gama? 6

Enquanto os “inimigos íntimos” de Eliziane conspiram contra a sua pré-candidatura, ela segue consolidando e ampliando a sua caminhada rumo à Câmara Alta do Congresso Nacional

A imagem acima circulou pelas redes sociais, principalmente em grupos de WhatsApp.

De imediato gerou uma discussão a partir de quem interessaria pichar os muros da cidade de Timon com frases que visam claramente atingir o projeto da deputada federal Eliziane Gama (PPS) rumo ao Senado Federal.

Pelo que o Blog do Robert Lobato pôde observar nas discussões dos grupos de WhatsApp, a principal suspeita recai sobre “aliados” da irmã ligados ao Palácio dos Leões, mas precisamente dos que ainda insistem com a candidatura de senador do deputado estadual Bira do Pindaré (PSB).

Mas, enquanto os “inimigos íntimos” de Eliziane conspiram contra a sua pré-candidatura, ela segue consolidando e ampliando a sua caminhada rumo à Câmara Alta do Congresso Nacional, como mostra o blog do colega Marco D’Eça.

Confira AQUI.

SENADO 2018: Para o deputado Zé Carlos, Eliziane não é mais problema no PT 16

A posição do parlamentar petista foi elogiada pelo vereador Honorato Fernandes, que também é da tese de que o PT tem que tem apoiar a reeleição de Flávio Dino de qualquer jeito

Começa a diminuir no PT a resistência à candidatura da deputada federal Eliziane Gama ao Senado Federal.

Antes “demonizada” em todas as correntes do partido, o nome da parlamentar do PPS não é mais tão desagregador assim nas hostes petistas.

Colega de Eliziane na Câmara Federal, o deputado Zé Carlos deixou claro, na reunião de lideranças petistas maranhenses com a presidente Gleisi Hoffmann, realizada na última terça, 15, que o PT está aberto a acolher a candidatura da irmã.

Segundo apurou o Blog do Robert Lobato, Zé Carlos não só admitiu que o PT pode apoiar Flávio Dino sem o partido compor a chapa majoritária, como foi categórico ao afirmar que a candidatura de Eliziane Gama não é mais problema no PT.

A posição do parlamentar petista foi elogiada pelo vereador e presidente municipal do PT, Honorato Fernandes, que também é da tese de que o partido tem que apoiar a reeleição de Flávio Dino de qualquer jeito.

O fato é que Eliziane Gama, ao que parece, está pavimentando bem a sua candidatura rumo ao Senado da República, inclusive no Partido dos Trabalhadores.

A conferir.

SENADO 2018: Eliziane Gama deve ter líder negro como suplente 10

Na avaliação dos apoiadores de Walter Maresia, o nome do líder negro soma na chapa de Eliziane não somente por atender uma parcela importante da sociedade, que são as comunidades quilombolas em geral, mas por ser uma pessoa do povo, bem articulado nas comunidades carentes tanto da capital quanto do interior

O PPS pode caminhar para ter dois membros do PPS como protagonista na chapa ao Senado Federal nas eleições de 2018.

Com a deputada federal Eliziane Gama à frente como candidata titular, chama-se Walter Maresia o provável primeiro suplente da irmã na chapa liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Nascido em São Luís, ex-menino de rua, 53 anos, Walter Maresia foi aluno da escolinha São João Batista, da Igreja São João Batista, na rua da Paz, dirigida pelo padre Marcos Passerini, sacerdote e missionário comboniano. E conta, emocionado, parte da sua luta de vida construída com muita dificuldade e superação.

“Eu tinha tudo para dar errado na vida e talvez pudesse estar em Pedrinhas hoje. Negro, pobre, excluído da sociedade, mas nunca desistir da vida e da boa conduta. Ainda jovem fui flanelinha na rua da Paz nas vizinhanças da igreja São João, mas tive minha primeira experiência profissional primeira experiência com as crianças de rua de São Luís sendo aluno da professora Eliane Feitosa Rego Posso dizer que sou um sobrevivente da barbárie social que os excluídos sofrem”, desabafa.

Maresia é militante do movimento negro e atualmente é gestor Agrário da Secretaria de Estado da Igualdade Racial. Ele conta com apoio de expressivas lideranças do PPS para compor a chapa de senador na condição de primeiro suplente de Eliziane Gama.

Na avaliação dos apoiadores do projeto “Walter Maresia primeiro-suplente”, o nome do líder negro soma na chapa de Eliziane não somente por atender uma parcela importante da sociedade, que são as comunidades quilombolas em geral, mas por ser uma pessoa do povo, bem articulado nas comunidades carentes tanto da capital quanto do interior.

O fato é que o nome do “poeta negro”, Walter Maresia, está posto na mesa.

E deve conquistar mais mais e mais simpatizantes ao longo da pré-campanha.

É aguardar e conferir.

Relação do PT nacional com Flávio Dino “azeda” e o comunista já avalia ceder vaga na majoritária aos petistas 10

Para tentar se limpar, o governador já avalia ceder uma vaga na chapa majoritária ao PT que seria a vice. Mas a presença da deputada federal Eliziane Gama na condição de pré-candidata a senadora continua causando muito resistência no partido de Lula.

Azedou a relação do PT nacional com o governador Flávio Dino (PCdoB) desde que o comunista surgiu do nada, numa entrevista à Folha de São Paulo, defendendo a candidatura de Ciro Gomes (PDT) a presidente da República em substituição a Lula.

A tese pró-Ciro deixou Flávio Dino mais queimado do pau de assar castanha junto à cúpula nacional petista onde ele até gozava de boa admiração.

Para tentar se limpar, o governador comunista já avalia ceder uma vaga na chapa majoritária ao PT nas eleições de 2018 que seria a vice. Mas a presença da deputada federal Eliziane Gama (PPS), na condição de pré-candidata a senadora, continua causando muito resistência no partido de Lula.

Na tarde desta terça-feira, 15, a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmam, vai reúne-se com dirigentes e parlamentares petistas maranhenses para decidir o rumo da tática eleitoral do partido no estado.

A tendência é de que o PT não apoie candidato algum oficialmente e lance apenas chapa de senadores, deputados federais e deputados estaduais.

A conferir.

SENADO 2018: Flávio Dino vai comprar a briga no PT a favor de Eliziane Gama? 8

Não basta a deputada está bem posicionada nas pesquisas para o Senado Federal. Será fundamental ela consolidar politicamente a sua pré-candidatura à Câmara Alta, que passa pelo convencimento do PT em aderir ao seu projeto. E nesse processo de convencimento Flávio Dino será imprescindível, fundamental, essencial e decisivo

No PT maranhense não há convergência nem quando é necessário fazer um minuto de silêncio para homenagear algum companheiro, pois às vezes aparece um petista sugerindo dois minutos ao invés de um.

Contudo, se há uma coisa que une o PT local atualmente é o veto à deputada Eliziane Gama (PPS) para ocupar a segunda vaga ao Senado Federal na chapa liderada por Flávio Dino (PCdoB) nas eleições de 2018.

Até o impeachment da Dilma Rousseff em 2016, Eliziane tinha uma boa relação com o PT e com muitos e muitas petistas. Não foram poucas vezes que, na condição de então deputada estadual, contou com a contribuição de petistas como a professora e militante feminista Mary Ferreira, além de sempre ter contado com a admiração da ex-deputada Helena Heluy, uma reserva moral do Partido dos Trabalhadores no Maranhão. Mesmo quando foi candidata à prefeita de São Luis conseguiu atrair apoios de correntes e coletivos petistas.

Contudo, após votar a favor do afastamento de Dilma, a deputada Eliziane Gama caiu em desgraça nas hostes petistas e terá muita, mas muita dificuldade de convencer dirigentes e principalmente a militância de tê-la no mesmo palanque que o PT.

Nesse contexto, surge uma perguntinha inocente: o governador Flávio Dino vai comprar a briga a favor de Eliziane Gama por dentro do PT?

Não vale dizer que o comunista não vai se meter nas questões internas do partido até porque o governo já está no PT e não o contrário. Logo, o futuro do projeto Eliziane senadora-230 depende do governador entrar na briga a favor da irmã e centralizar o PT. Aliás, em entrevista ao programa Resenha, da TV Difusora, ontem, 2, o pré-candidato a senador Márcio Jardim, aliado de primeira hora de Flávio Dino, foi categórico: “Nós [petistas] temos um critério de não apoiar candidaturas que são responsáveis por este estado que vive o país”. Uma clara alusão ao fato de Eliziane Gama parlamentar ter votado a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Além de Márcio Jardim, o PT tem ainda o professor Nonato Chocolate registrado no PT como pré-candidato a senador.

O fato é que não basta a deputada federal Eliziane Gama está bem posicionada nas pesquisas para o Senado Federal. Será fundamental que ela consolide politicamente a sua pré-candidatura à Câmara Alta e isso passa pelo convencimento do PT em aderir ao seu projeto.

E nesse processo de convencimento Flávio Dino será imprescindível, fundamental, essencial e decisivo.

Sem esse empenho expresso do governador, Eliziane Gama muito dificilmente terá êxito de sequer ser candidata ao Senado Federal.

Portanto, a nossa querida irmã corre o sério risco de ir para o “PE” (Partido dos Enjeitados).

É aguardar e referir.

SENADO 2018: Petistas organizam movimento contra pré-candidatura de Eliziane Gama 18

Além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras

Há em curso no PT maranhense um movimento contra a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS) ao Senado Federal na chapa de Flávio Dino (PCdoB).

Setores expressivos do partido, principalmente o coletivo de mulheres e a corrente Resistência Socialista, todos ligados ao “Dinopetismo”, ou seja, ao braço do PT que apoia o governo, não querem nem ouvir falar na hipótese do partido estar num mesmo palanque junto de quem consideram “golpista”.

No caso das petistas, a secretária de Mulheres do Diretório Estadual, Edinalva Alves, que encontra-se em Curitiba participando de um ato em prol da liberdade do ex-presidente Lula, está articulando uma nota dura contra o apoio do PT à pré-candidatura de Eliziane.

O Blog do Robert Lobato não conseguiu contato com a dirigente Edinalva Alves, mas as informações que chegam é que não vai ser nada fácil a vida da Eliziane em relação aos petistas e às petistas, pois se existe alguma unidade no PT maranhense é justamente o veto ao apoio do partido a seu projeto de senadora.

O tom no partido é que será constrangedor, para o próprio governador Flávio Dino, estar no palanque ao lado da irmã e ter que ouvir a companheirada detonando os “golpistas”.

Para que não lembra, além de ter votado a favor do impeachment de Dilma, Eliziane Gama pediu a anulação do defesa de José Eduardo Cardozo durante o processo de afastamento da petista e também a careação de Lula com o ex-deputado Pedro Corrêa (PP), durante a CPI da Petrobras.

Por essas, e outras, é que Eliziane Gama se tornará uma tremenda dor de cabeça para Flávio Dino. E não é por acaso que já se fala que a irmã pode, até as convenções, ser convencida pelo Palácio dos Leões de uma candidatura a deputada estadual como “puxadora de votos”.

Só Jesus!

ELEIÇÕES 2018: O drama de Eliziane Gama 2

Não se sabe se o presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire, dará mais um “habeas corpus” para a moça, que já saiu e voltou para partido fazendo juras de amor e quase cantando aquela música de Roberto Carlos que diz assim: “eu voltei, agora pra ficar porque aqui, aqui é meu lugar”

A deputada federal e pré-candidata a senadora Eliziane Gama (PPS) enfrenta um drama daqueles que só Jesus na causa.

A irmã acalenta o sonho de ser a anunciada como o segundo nome do governador Flávio Dino ao Senado Federal e fazer parelha com o também deputado federal Weverton Rocha (PDT), já anunciado como candidato número um do governador, no que seria uma chapa do sagrado com o profano.

Ocorre que Eliziane é do PPS, partido que dificilmente ficará no palanque de reeleição de Flávio Dino (PCdoB). E não se sabe se o presidente nacional do partido, deputado Roberto Freire, dará mais um “habeas corpus” para a moça, que já saiu e voltou para partido fazendo juras de amor e quase cantando aquela música de Roberto Carlos que diz: “eu voltei, agora pra ficar porque aqui, aqui é meu lugar”.

O fato é que, além de Flávio Dino já ter dito para vários interlocutores que não confia em Eliziane Gama, a pré-candidata ainda enfrenta, repito, o drama de não saber qual partido pode viabilizar o seu projeto de senadora da República.

Ao final do processo, nossa amada irmã pode ficar sem mel e sem cabaça…