Flávio Dino e o DNA da incoerência (e também da demagogia e da hipocrisia) 6

Ao anunciar em público, no início do seu governo, que abriria mão de residir no Palácio dos Leões, mas nas entocas fazer o contrário, mostra que Flávio Dino não traz apenas o DNA da incoerência nos seus mais de 130 quilos de  massa corporal, mas também o DNA da demagogia e da hipocrisia.

O governador Flávio Dino não é lá um grande exemplo de coerência e os exemplos estão aí aos montes (o colega Jorge Aragão tem vários posts no seu blog tratando do assunto).

Na verdade, o comunista-mor do Maranhão parece trazer o gene da incoerência no seu DNA. Senão vejamos.

O ano é 2015, início do governo da “mudança”. O recém-empossado governador do Maranhão, Flávio Dino de Castro e Costa, anuncia que vai abrir mão de vários ‘privilégios’, entre eles o de residir no Palácio dos Leões.

Pois bem. Eis que na aurora desta quarta-feira, 27, o Blog do Robert Lobato é despertado com um ofício do Gabinete do Governador, n.93/2018-GG, de 29 de maio de 2018, encaminhado ao conselheiro Joaquim Washington Luiz de Oliveira, do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, informando à corte de contas que “desde meados de 2015” o excelentíssimo chefe do executivo estadual mudou-se do seu lar doce lar, no bairro do Renascença, para residir nos nobres aposentos do Palácio dos Leões. Confira:

Ao anunciar em público, no início do seu governo, que abriria mão de residir no Palácio dos Leões, mas nas entocas faz o contrário, conforme mostra o documento acima, fica claro que Flávio Dino não traz apenas o DNA da incoerência nos seus mais de 130 quilos de  massa corporal, mas também o DNA da demagogia e da hipocrisia.

E olhem lá se na intimidade da residência oficial, o governador, familiares e amigos mais próximos, não se empanturraram de lagostas, caviares e bebidas nobres…