BRASIL: Ministério Público acusa, Justiça julga e a Globo condena 12

Quando um instituições como o Ministério Público, Poder Judiciário e uma empresa que sobrevive de concessão pública se unem para atacar de forma generalizada políticos, partidos e a política é porque alguma está errada com a nossa democracia.

O histórico do envolvimento da Rede Globo em eventos políticos dispensa apresentações.

O “mostro” do Jardim Botânico esteve de braços dados com o golpe de 64; foi empoderada no regime militar; apoiou o Plano Cruzado na era José Sarney; endeusou expoentes da direita como Paulo Maluf e Fernando Collor – que depois viriam ser abandonados à própria sorte pela emissora dos Marinho -; foi decisiva na eleição dos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso; mais recentemente apoiou o impeachment da Dilma e se constituiu numa das principais forças conservadores a apostar em Michel Temer.

Com o advento da Operação Lava Jato, inaugurou-se uma nova fase histórica da política nacional protagonizada pela Globo que consiste colocar a política e os políticos num mesmo saco de escândalos e corrupção.

Partidos políticos deixaram de ser organismo fundamentais da e para a democracia e passaram ser reduzidos à meras “organizações criminosas”.

Essa “aliança política” entre o Ministério Público, Judiciário e a Globo para satanizar o processo político por meio da Lava Jato, já deixou um rastro de destruição não apenas na imagem de muitas personalidades políticas, mas de setores da própria economia nacional, alguns dos quais estratégicos para nação.

No afã de fazer justiça de qualquer jeito, os Dallagnois, Moros e Marinhos da vida não percebem (ou percebem?) que podem colocar o Brasil na trilha do arbítrio, do retrocesso e de regimes de exceção. Será que é isso que os motivam?

“Prender” virou a palavra de ordem dessa gente. Pior: prender ao arrepio das leis para atender não o ordenamento jurídico do país, mas uma opinião pública manobrada e muitas vezes completamente alienada e hipócrita.

Essa campanha sistemática da mídia contra a política, com a Globo à frente, fica bem evidente naquele enfadonho quadro “Que Brasil você quer para o futuro”, da mesma Rede Globo.

Quase 100% dos que têm a coragem de fazer aqueles vídeos sempre falam contra a política, políticos e partidos. Acabam sendo usados como “repórteres de manobra” para reproduzirem a pauta diária da Globo de criminalizar a política, sem a necessidade da emissora pagar por isso. São meros autômatos de uma fábrica incorrigível de mentiras !

Enfim, quando instituições como o Ministério Público, Poder Judiciário e uma empresa que sobrevive de concessão pública se unem para atacar de forma generalizada políticos, partidos e a política é porque alguma está errada com a nossa democracia.

E só poderá ser ajustada através da Política, com P maiúsculo, do respeito às instituições e sobretudo da alienável garantia dos direitos fundamentais das pessoas.

É opinião do Blog do Robert Lobato.

Nesta sexta-feira será lançada na Assembleia Legislativa a “Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Lula ser Candidato a Presidente” 11

O lançamento está previsto para acontecer às 9h, no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, e é o primeiro movimento do tipo que acontece no país

Acontece amanhã, sexta-feira, 19, o lançamento da “Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Lula ser Candidato a Presidente”.

O ato será realizado no gabinete da presidente da casa, deputado Othelino Neto (PCdoB), e deve contar com a participação de vários deputados de diferentes partidos e correntes de pensamento.

A idealização do Frente é de autoria do deputado Zé Inácio (PT) que tem sido uma voz ativa e constante na defesa do ex-presidente Lula ter o direito de ser candidato novamente ao Palácio do Planalto “sem a interferência da Justiça que insiste num processo, segundo o parlamentar petista “meramente político que tem como único objetivo tirar o Lula da disputa presidencial de 2018, o que seria uma agressão à democracia brasileira”.

O lançamento da “Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Lula ser Candidato a Presidente” está previsto para acontecer às 9h, no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, e é o primeiro movimento do tipo que acontece no país.