O governo Flávio Dino, o DEM e a Saúde S/A 14

A Operação Pegadores, da Polícia Federal, já havia tirado o véu dos esquemas que assolam a gestão do secretário Carlos Lula. Agora, surge o que seria uma espécie de “Mercado Persa” comandado pelo DEM do deputado Juscelino Rezende

A ser rigorosamente factual a série de postagens do blog do Luís Pablo sobre denúncias envolvendo de familiares, aliados e correligionários do deputado federal Juscelino Filho, presidente estadual do Democratas, estamos diante de um escárnio, do mais completo apodrecimento da gestão no sistema de saúde pública maranhense e o escancaramento da promiscuidade nas relações políticas do Governo do Estado com os partidos da base.

Não é de agora que a Saúde do Maranhão foi transformada em uma espécie de S/A da corrupção e do aparelhamento político que só tem servido de business para alguns sabidos.

A Operação Pegadores, da Polícia Federal, já havia tirado o véu dos esquemas que assolam a gestão do secretário Carlos Lula (SES). Agora, surge o que seria uma espécie de “Mercado Persa” comandado pelo DEM do deputado Juscelino Rezende.

As novas denúncias que estão vindo à tona pelos blogs revelam os fundamentos, nada republicanos, diga-se, que sustentam a relação entre o governo comunista e o DEM. Fundamentos estes caracterizados pelo mais vergonhoso toma lá dá cá, e que explica o porquê do deputado Juscelino Rezende ter se transformado num dos principais “Menudos” do governador Flávio Dino.

Mas isso é assunto para outra postagem…

ELEIÇÕES 2018: Flávio Dino perambula pelo Senado e implora apoio a Agripino Maia pelo DEM 22

Assim que tiver o desfecho da questão do DEM no Maranhão, o Blog do Robert Lobato irá contar o que está por trás da investida desesperada de Flávio Dino pela legenda de direita que nada tem a ver com os ideários do PCdoB. Mas já adianta: não tem nada a ver com os minguados 17 segundos de propaganda de rádio e tevê que o DEM possui.

O governador Flávio Dino (PCdoB) foi visto no início da tarde desta quarta-feira, 21, perambulando pelo Anexo II do Senado Federal.

O comunista, segundo apurou o Blog do Robert Lobato, estava a caminho do gabinete do senador Agripino Maia (DEM/RN). O ex-presidente nacional do DEM ainda é dos que resistem à ideia de levar o partido para o palanque do PCdoB no Maranhão.

Blogs alugados para o Palácio dos Leões voltaram a propagar durante todo o dia, que o DEM fechou questão com o governador Flávio Dino, ainda que não haja uma única declaração do atual presidente da sigla, o prefeito de Salvador, ACM Neto, assegurando tal informação.

Assim que tiver o desfecho da questão do DEM no Maranhão, o Blog do Robert Lobato irá contar o que está por trás da investida desesperada de Flávio Dino nessa legenda de direita que é completamente oposta aos ideários e princípios do PCdoB.

Mas este editor já adianta: nada tem a ver com os minguados 19 segundos de propaganda de rádio e tevê que o DEM possui.

Vale a pena aguardar.

ELEIÇÕES 2018: DEM ainda em disputa 6

Fortes movimentos de bastidores nesta semana, em Brasília, pode ocasionar numa reviravolta surpreendente nessa disputa partidária com reflexos políticos devastadores nas hostes dinistas

Engana-se quem pensa que a questão do Democratas no Maranhão já está resolvida. Não está!

A disputa pela legenda direitista ainda segue em disputa entre os deputados federais Juscelino Resende, atual presidente do partido e pró-aliança com o PCdoB de Flávio Dino, e o também deputado federal José Reinaldo Tavares, que deseja ver o DEM longe do colo comunista.

Os “demos vermelhos”, que desejam estar no palanque de reeleição do governador, já estiveram mais fortes e certos de que entregariam a mercadoria para o Palácio dos Leões.

Porém, fortes movimentos de bastidores nesta semana, em Brasília, pode ocasionar numa reviravolta surpreendente nessa disputa partidária com reflexos políticos devastadores na seara dinista.

Vale aguardar e conferir.

Jornalista vê Rodrigo Maia como “presidenciável com prazo de validade”

Rodrigo Maia, um presidenciável com prazo de validade

Ailton de Freitas | Agência O Globo

POR BERNARDO MELLO FRANCO, via O Globo

Normalmente, o maior objetivo de um político é vencer a eleição. No caso de Rodrigo Maia, o desafio é diferente: convencer os outros de que vai mesmo disputá-la.

Ontem o Democratas fez um ato para lançar sua candidatura a presidente. O deputado seguiu o roteiro, mas parecia não acreditar no próprio papel. A plateia passou a mesma impressão. Ao fim do discurso, alguém tentou lançar o grito de “Ro-dri-go”, mas o coro não pegou.

Na tribuna, Maia recitou palavras grandiloquentes e se disse pronto para liderar a “reconstrução do Brasil”. Num lapso de sinceridade, admitiu que muita gente julga a promessa “impossível”. Ele aparece na lanterna de todas as pesquisas, com 1% das intenções de voto.

Na única vez em que tentou um cargo majoritário, na eleição municipal de 2012, terminou com menos de 3%.

A cerimônia teve outras passagens interessantes. O presidente da Câmara propôs “um pacto para rompermos com o que há de velho e atrasado no Estado brasileiro”. No mesmo discurso, agradeceu a presença de aliados como Romero Jucá, Ciro Nogueira e Pastor Everaldo, todos investigados ou réus na Lava-Jato.

O próprio Maia é investigado. Ele nega as acusações, mas teria que passar a campanha explicando o apelido de “Botafogo” na lista da Odebrecht.

Na véspera do lançamento, o deputado declarou que levará a candidatura “até o fim”. Quem conversa com dirigentes de seu partido ouve que o fim está próximo. Se não houver uma reviravolta, o balão de ensaio será esvaziado até o fim de junho.

O velho PFL sabe que a candidatura tem prazo de validade, mas esperá usá-la para elevar seu poder de barganha. Se tudo der certo, voltará a ocupar a vice na chapa do PSDB. O tucano Geraldo Alckmin conhece o jogo. Ontem perguntaram o que ele achava das críticas de Maia. “A gente tem que dar um desconto”, respondeu.

Cesar Maia se preocupou menos com as aparências. Na semana passada, ele disse ao “Valor Econômico” que pretende votar no governador paulista. Ao ser questionado sobre o filho, foi direto: “Ele tem que ser candidato a deputado federal”. Ontem o ex-prefeito não apareceu em Brasília. Preferiu ficar no Rio e assinar o ponto na Câmara dos Vereadores.

 

ELEIÇÕES 2018: Luis Fernando não está filiado ao DEM 2

Luis Fernando, conhecido e reconhecido como um dos melhores gestores públicos do Maranhão, segue filiado ao PSDB, partido que é a sua cara e tem tudo a ver com o que pensa e acredita

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), não está filiado ao DEM como tem sido divulgado por alguns blogs de São Luis.

Luis Fernando pode até vir a se filiar no Democratas ou em entro partido qualquer para agradar o governador Flávio Dino (PCdoB), mas o fato é que ele ainda continua tucano e, segundo apurou o Blog do Robert Lobato, deve continuar no PSDB até o final do seu mandato.

Na verdade, não há motivo algum para o prefeito deixar o PSDB já que não será candidato nas eleições de 2018, além de não parecer ser razoável Luis Fernando cometer o mesmo erro que cometeu em 2014 quando deixou a prefeitura de São José de Ribamar para aventurar-se numa candidatura de governador pelo grupo Sarney e acabou se dando mal depois que a então governadora Roseana o abandonou pelo meio do caminho precipitando o seu rompimento com a “Branca”.

O fato é que Luis Fernando, conhecido e reconhecido como uma dos melhores gestores públicos do Maranhão, segue filiado ao PSDB, partido que é a sua cara e tem tudo a ver com o que pensa e acredita.

É isso!

ELEIÇÕES 2018: “DEM com o PCdoB é casamento de jacaré com cobra d´água”, diz dirigente nacional do DEM 8

A conversa com o Blog do Robert Lobato foi via ligação por WhatsApp, mas o dirigente demista pediu sigilo da fonte porque o partido ainda não bateu o martelo sobre a situação no Maranhão

O Blog do Robert Lobato conversou, na manhã desta segunda-feira, 5, com um dirigente nacional do Democratas, com mandato em Brasilia, sobre a possível aliança entre o partido com o PCdoB.

O dirigente não conversou muito e cravou essa: “DEM com o PCdoB é casamento de jacaré com cobra d´água”. Na política essa expressão é usada para denominar alianças em que dois grupos que se juntam são, em geral, adversários ou mesmo inimigos políticos.

O Blog do Robert Lobato quis saber ainda se o prefeito de Salvador, ACM Neto, que será o futuro presidente do partido, teria a disposição de entregar o partido no Maranhão para o comunista Flávio Dino, no que o dirigente respondeu que acha pouco provável, principalmente porque os aliados de Flávio Dino na Bahia fazem oposição sistemática não somente ao prefeito, mas a todos os políticos do DEM no estado.

“Na minha opinião, acho pouco provável [aliança do DEM com o PCdoB] até porque todos os aliados de Flávio Dino são adversários do ACM Neto na Bahia e lutam sistematicamente para derrotá-lo no estado, então não faz sentido no Maranhão o prefeito fazer um gesto desse para o governador do Maranhão Aliás, duvido se o velho ACM estivesse vivo se isso sequer iria para a mesa de negociação”, assegurou fazendo referência ao lendário ex-governador e ex-senador Antônio Carlos Magalhães, já falecido, avô de de ACM Neto.

A conversa foi via ligação por WhatsApp, mas o dirigente demista pediu sigilo da fonte porque o partido ainda não bateu o martelo sobre a situação no Maranhão, onde há uma disputa entre os deputados federais Juscelino Filho, atual presidente do DEM no Maranhão e aliado de Flávio Dino, e José Reinaldo Tavares, que luta para tirar o DEM do colo governador comunista e levar a legenda para o palanque de uma candidatura da terceira via, podendo ser o senador Roberto Rocha (PSDB) ou o deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

Quem diria o PCdoB lutando desesperadamente pelo apoio do DEM…

ELEIÇÕES 2018: “Sem retorno”, assegura José Reinaldo sobre rompimento com Flávio Dino

O deputado fez questão de deixar claro que conta com total apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que considera que Zé Reinaldo está correto nas suas posições no Maranhão

O deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido) reafirmou, em conversa com o Blog do Robert Lobato, que a sua decisão de romper com o governador Flávio Dino não tem retorno.

“Sem duvidas. Sem retorno”, disse curto e grosso ao ser questionado sobre sua posição de construir um novo caminho político no estado.

Além de ratificar sua decisão, Zé Reinaldo disse ainda que está mantido o ato de sua filiação ao Democratas (DEM) previsto para acontecer no próximo dia 10/03.

O ex-governador fez questão de deixar claro que conta com total apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que considera que Zé Reinaldo está correto nas suas posições no Maranhão.

Com a afirmativa de José Reinaldo de que o rompimento com o governo que ajudou a eleger é definitivo e sem voltas, encerram-se as especulações de que o deputado poderia voltar atrás e recompor com os comunistas.

VÍDEO: “Serei candidato a senador em qualquer situação”, afirma José Reinaldo 5

O ex-governador avalia que as eleições para presidente da República terão bastante influência nos acordos para o pleito nos estados e sugeriu que o seu futuro partido, o DEM, atualmente próximo do governador Flávio Dino, poderá apoiar outro candidato ao governo

Em entrevista para um site Política Real (Brasília), que cobre a ação política da bancada do Nordeste no Congresso Nacional, o ex-governador e atual deputado federal José Reinaldo Tavares fez uma breve avaliação sobre o quadro político e partidário no Maranhão.

Próximo a filiar-se ao DEM – o ato político de filiação está previsto para acontecer no dia 10 de março – Zé Reinaldo avalia que as eleições para presidente da República terão bastante influência nos acordos para os pleitos nos estados e que as direções locais terão pouca autonomia para decidir em qual palanque de governador estarão, inclusive sugerindo que o seu futuro partido, atualmente próximo do governador Flávio Dino (PCdoB), poderá apoiar outro candidato ao governo.

“As eleições para presidente terão muita influência nos acordos para as eleições estaduais. Hoje o DEM está muito próximo do governador Flávio Dino, mas não se sabe como vai ficar essa configuração nacional. Só teremos certeza do quadro político depois da escolha dos candidatos [a presidente] dos principais partidos. De forma que acho que não vai haver uma liberdade muito grande nos diretórios estaduais para montar as suas coligações e isso pode manter ou não manter esse apoio incipiente entre o DEM e o Flávio Dino”, disse.

José Reinaldo aproveitou ainda para reafirmar a sua disposição em concorrer a uma vaga ao Senado Federal nas eleições de 2018, e que será candidato “em qualquer situação” porque possui “o apoio político dos prefeitos, da Famem (Federação dos Municípios do Estado do Maranhão) e uma estrutura política consolidada no estado”.

Confira a íntegra da entrevista com o pré-candidato a senador José Reinaldo Tavares em vídeo produzido por Enio Borgman.