SEGURANÇA: A coerência do deputado Raimundo Cutrim no sarneísmo e no comunismo 7

Se agora o deputado Raimundo Cutrim não serve mais aos interesses do governo comunista, se deixou de ter valor porque põe o dedo nas mazelas que persistem no setor da segurança, resta mesmo descartá-lo e carimbá-lo como “ventríloquo da oligarquia”.

O Blog do Robert Lobato não vai entrar no mérito da contenda entre o deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) e o secretário Jefferson Portela, igualmente filiado ao comunismo do Brasil.

O Blog também não está disposto a sair em defesa de nenhum dos dois desafetos, mas há de reconhecer a coerência do deputado Cutrim no que diz respeito às críticas que tem feito ao sistema de segurança e que não são de agora.

O hoje parlamentar comunista passou a maior parte do governo Roseana Sarney (MDB) criticando ferozmente o então secretário Aloísio Mendes. A cada vez que subia na tribuna da Assembleia Legislativa, Raimundo Cutrim ia na goela do secretário e era comum a gente ouvir dizer que se os dois se barrassem numa dessas esquinas da vida poderia acontecer uma tragédia.

Foi nesse contexto de hostilidades que Cutrim rompeu com o grupo Sarney, a quem historicamente foi ligado, e virou quadro do PCdoB. Daí que não justo, por parte do secretário Jefferson Portela, afirmar que o deputado “virou um ventríloquo da oligarquia, a quem sempre serviu”.

Não virou não! Ele continua com as suas mesmas convicções e tem mantido as mesmas críticas que fazia na gestão da segurança do governo Roseana Sarney. O que pode ter acontecido é que Raimundo Cutrim acabou descobrindo que mudar de lado não valeu a pena porque “está tudo como dantes no quartel de Abrantes”.

Enfim, se agora o deputado Cutrim não serve mais aos interesses do governo comunista, se deixou de ter valor porque põe o dedo nas mazelas que persistem no setor da segurança, resta mesmo descartá-lo e carimbá-lo como “ventríloquo da oligarquia”.

Só que a história já registrou que o parlamentar teve o seu momento de “ventrículo do comunismo”.

Mas sempre defendo que acredita e criticando o que repudia.

Comunismo, flavismo, dinismo, etc. e tal 6

Flávio Dino tenta imprimir no Maranhão o seu próprio “comunismo”, consubstanciado principalmente no culto a sua imagem, egocentrismo, exacerbado, autoritarismo, satisfação de vontades pessoais, perseguição a adversários e imposição da cultura do medo

Semana passada recebi uma ligação de um “velho camarada” do PCdoB dos tempos de juventude.

Durante a conversa, a revelação sobre dissabor que o ele e outros “comunistas de raiz” passam pela forma de como o partido está sendo conduzido no Maranhão e, por conseguinte, o próprio governo Flávio Dino considerado pelo referido interlocutor como deveras “flavistas” ou “dinista”, onde o que existem de menos são os debates internos que sempre foram um hábito salutar no partido.

“Praticamente não há mais debate aprofundado sobre questões fundamentais para a vida a partidária e política do PCdoB. Antes havia discussões qualificadas, duras, as divergências eram expostas e mesmo prevalecendo a opinião de maioria, não havia o medo da militância e mesmo de dirigentes expor os seus pensamentos. Hoje há um certo medo dos comunistas e externar suas angustias e insatisfações em relação aos rumos do partido e principalmente em relação ao governo Flávio Dino”, desabafou a fonte.

Depois da conversa com esse comunista angustiado, por assim dizer, chego à conclusão de que realmente há pouco de comunismo no PCdoB maranhense e muito “flávismo” ou “dinismo”, como acharem melhor.

O PCdoB é Flávio Dino! Outra: vai ficando cada vez mais evidente de que é um mito a história de que Márcio Jerry “é quem manda” no governo, que é o “primeiro-ministro” etc. Até mesmo no âmbito do PCdoB, o supersecretário talvez só cumpra ordens do comandante supremo, pois é um militante disciplinado, um dirigente que cumpridor das missão. Sejam elas quais forem.

O fato é que, aparentemente, Flávio Dino tenta imprimir no Maranhão o seu próprio “comunismo”, consubstanciado principalmente no culto a sua imagem, egocentrismo exacerbado, autoritarismo, satisfação de vontades pessoais, perseguição a adversários e imposição da cultura do medo.

Pois é justamente esse “flavismo” ou “dinismo” que tem incomodado a velha guarda do PCdoB no Maranhão, cada vez mais ausente, ou pelo menos enfraquecida, dentro do governo e nas decisões partidárias.

E Parodiano o saudoso Almir Guineto no samba “Jiboia”: Depois que mataram os comunas de raiz, os comunas nutela deitam e rolam…

Imperatriz: Empresário vê “processo de degeneração ideológica” de Márcio Jerry 2

As declarações de Williamy Figueira foi em relação à cooptação, pelos comunistas, do ex-candidato a prefeito de Imperatriz, o também empresário Ildon Marques

William Figueira

Veio de Imperatriz uma interessante constatação sobre a atual postura política e ideológica do secretário Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política).

Quem deu o “diagnóstico” do comunista foi o senhor Willamy Figueira, empresário do setor de telecomunicação na “Princesa do Tocantins”.

Segundo o empresário imperatrizense, Márcio Jerry “se contradiz no momento em que protagoniza uma aliança nada ‘ortodoxa’ com um ‘príncipe do capital’ no Maranhão que até um dia dessa era defenestrado nas redes sociais pelos próprios comunistas como um demônio capitalista. O que é isso senão um processo agudo de degeneração ideológica?”.

As declarações de Willamy Figueira é relação à cooptação, pelos comunistas, do ex-candidato a prefeito de Imperatriz, o também empresário Ildon Marques (PSB).

Ao final do texto, publicado em vários grupos da rede social do WhatsApp, empresário arremata: “Não há duvida de que essa aliança do Comunismo com o capital que ora se verifica em Imperatriz é a consagração da máxima maquiavélica segunda a qual ‘os fins justiçam o meio’. Ou seja, para tentar reeleger seu governador os comunistas fazem e farão aliança até com o Diabo (sic)”. Sai!!!

Confira a íntegra do post do empresário Willamy Figueira (sem edição):

CONSTATAÇÃO: MARCIO JERRY SE MOSTRA EM PROCESSO DE “DEGENERAÇÃO IDEOLÓGICA”

Quem se contradiz não está enganando aos outros, mas sim a si mesmo, ou é ou não é, quer ou não quer… Contradição não é sinônimo de verdade, mas sim pessoas sem uma decisão firme tendem a passar uma imagem de incapaz, uma das maiores contradições de Marcio Jerry é demonstrar uma coisa e não agir conforme prometido ou dito.

Infelizmente existe pessoas que se enfraquecem com algumas ações políticas por ela ser dinâmica, e acabam deixando de lado o amor próprio e passam a viver uma vida que não foi concebida a ela. Deve-se ser firmes nas decisões, assim como ter convicção de que o que vale mais é a sua palavra com tonalidade de verdade absoluta, Marcio Jerry ainda não aprendeu que não pode ofertar verdade disfarçada de mentira, suas ações comprovam isso diante de tanta contradição expelida em rede social.

O comunista se contradiz no momento em que protagoniza uma aliança nada “ortodoxa” com um “príncipe do capital” no Maranhão que até um dia dessa era defenestrado nas redes sociais pelos próprios comunistas como um demônio capitalista. O que é isso senão um processo agudo de degeneração ideológica?

Não há duvida de que essa aliança do Comunismo com o capital que ora se verifica em Imperatriz é a consagração da máxima maquiavélica segunda a qual “os fins justiçam o meio”. Ou seja, para tentar se reeleger seu governador os comunistas fazem e farão aliança até com o Diabo.

São João dos Patos: Chico Arara desafia Márcio Jerry a encontrar eleitores de Flávio Dino no Médio Sertão 2

O radialista patoense desafiou o todo-poderoso secretário de Flávio Dino a procurar eleitores na região do Médio Sertão. O comunista não curtiu.

Polêmico, irreverente, estiloso e profissional de comunicação respeitado, o radialista Henrique Augusto de Miranda, popularmente conhecido como “Chico Arara”, apresentador do Programa “A Verdade” (Sertão FM), líder isolado de audiência em São João dos Patos e Região, fez um desafio inusitado ao todo-poderoso secretário Márcio Jerry (Articulação Política e Comunicação).

No grupo de WhatsApp “A Voz do Povo de SJP” (abreviatura para São João dos Patos), Chico Arara fez a seguinte postagem: “Eu gostaria era de encontrar um cidadão comum, que não faça parte do governo dizendo ser eleitor do governador Flávio Dino”. E, sem seguida, lançou um desafio: “Aqui mesmo no Médio Sertão eu desafio, qualquer casa, qualquer comércio, qualquer lugarejo, de dez visitas se encontrar três eleitores do Flávio Dino, é fácil de resolver isso”.

Foi quando o secretário Márcio Jerry saiu da entoca e retrucou com a empáfia costumeira: “Sério ? Ah, @Chico Arara , não faça papel de bobo…Logo tu que aparenta ser tão arguto e inteligente. Okay, se é esta a verdade, fique com ela. E se não se confirmar tenha a humildade de reconhecer o erro lá na frente.”.

Chico Arara, por sua vez, não se deixou intimidar com o “primeiro-ministro” e fez um segundo desafio para complementar o primeiro: “E ainda vamos gravar as visitas, podem escolher a rua, ou o lugar, ou o município”.

Márcio Jerry, claro, não aceitou o desafio proposto por Chico Arara, preferindo acreditar nas pesquisas que ele faz, através da Secom, para enganar o povo e a si mesmo.

E assim segue o Maranhão sob o julgo do comunismo anacrônico do governo Flávio Dino/Márcio Jerry.

PS: No final deste mês, o Blog do Robert Lobato vai até São João dos Patos a convite do colega Chico Arara, para conhecer a cidade e bater saudáveis papos sobre o Maranhão, a política, a vida e tomar umas “geladas”, pois ninguém é de ferro não é mesmo?.